O que é mais irritante em nossa convivência social?

0

Viver em sociedade nos traz uma convivência diária com pessoas que em muitas situações do cotidiano, nos deixam irritados por cometerem ações nada agradáveis. São as atitudes rudes dessas pessoas que impedem a nossa paz, desarmonizam o ambiente, desrespeitando o outro em favorecimento dela própria.

Será que às vezes também agimos dessa forma, desrespeitando as regras e vivendo em benefício próprio?

Para garantir uma agradável convivência social devemos observar as leis, as regras de conduta e civilidade, colocando-nos no lugar do outro para sabermos  se gostaríamos de receber o mesmo tratamento que estamos oferecendo.

Muitas pessoas se chateiam com o trânsito desenfreado, em que  pessoas cometem várias infrações ao longo do dia, dirigindo com seus carros quase tocando no para-choque do veículo da frente, buzinando até antes do semáforo ficar verde, para seguir adiante, fazendo ultrapassagens indevidas, cometendo assim, muitos outros atos ignorantes e agressivos à vida.

E a vizinhança barulhenta, com músicas altas de repertório duvidável?  E aquele tipo de  pessoa que vive pedindo favores, mas não é capaz de fazer nada por ninguém e ainda fica cobrando o pedido? E aquelas que falam alto demais, espirram em sua direção, falam te pegando, vivem atrasadas, não param de falar enquanto você quer sossego para trabalhar, alimentam-se na sua mesa de trabalho deixando cheia de migalhas, vivem fofocando, menosprezam a ética e os valores humanos, vão ao cinema, comentam o filme e ainda descalçam os pés e colocam em sua  poltrona.

Ah! Que chateação e aflição nós sentimos quando somos desrespeitados ou inferiorizados  satisfação e paz para viver a nossa vida. Conversei com algumas pessoas para saber o que anda desafiando a paciência e o bem-estar delas, e o que as deixam irritadas e descontentes:

Eugênio Dezen
Eugênio Dezen
Gerente Geral da Unidade Sergipe Alagoas (UN-SEAL) da Petrobras

O geólogo lastima a falta de assistência devida aos passageiros, pelos constantes problemas gerados pelas companhias aéreas quando há casos de voos atrasados ou cancelados, além das situações de preterição. Ele fica muito irritado também quando vai ao cinema e encontra pessoas  fazendo barulho e comentando o filme.

João Augusto Freitas
Jornalista do Jornal Cinform

Ele fica super irritado quando chega ao prédio onde mora e encontra um carro na garagem dele. Além de perder tempo procurando o condutor do veículo, tem de esperar a retirada do veículo para ele poder estacionar. Outro fato desagradável, é quando o caminhão que coleta o lixo do prédio, aparece depois das 23 horas, fazendo barulho e abalando o sono de todos.

Edson Ulisses de Melo
Edson Ulisses de Melo
Desembargador do Tribunal de Justiça

“Desrespeito ao direito do outro”, essa atitude deixa o nobre desembargador chateado, critica a má educação de pessoas que falam alto e têm conduta lastimável nos cinemas, agindo com gracejos e palavrões. No elevador, ele comenta que se aborrece quando encontra pessoas que “furam” a fila, chegando a exigir a organização devida.

Jivan Naveen
Professor e proprietário do Espaço Eden

Esse homem que age com serenidade, fica abalado com pessoas que usam a esperteza em fila única nos bancos, fazendo-se de desentendidas e ultrapassam os outros. Ele nota que há poucos funcionários nos caixas prioritários, pois a expectativa de vida do brasileiro mudou e há um grande número de pessoas acima de 60 anos, aglomerando-se nas filas e demorando para serem atendidas. No trânsito ele abomina condutores que fazem retornos indevidos só para não dirigir um pouco mais, desrespeitando os outros e causando acidentes.

Naira Lima
Vânia Silva dos Santos
Servidora da Divisão de Contabilidade do TJ

A longa espera e a demora na realização de compromissos acertados deixa essa amável mulher muito aborrecida e estressada. Ela conta que não suporta o desrespeito nos consultórios médicos que deixam o paciente e cliente esperando horas pela consulta.

As atendentes de telemarketing das operadoras de telefonia que ludibriam com aquela frase “Aguarde só um instante e obrigada por esperar”, deixando o problema sem solução e a pessoa esperando.Vânia diz: Quando será que todas essas pessoas que nos fazem esperar irão aprender a nos respeitar e entenderem que o nosso tempo é precioso e que as nossas vidas seriam mais bem vividas se não precisássemos esperar tanto? ”

Antônio Viana
Antônio de Mendonça Viana
Autônomo

O grande desrespeito dos motoristas quando param em frente à rampa da calçada, destinada a cadeirantes, impedindo a passagem. Ele diz que encontra muitos carros oficiais de empresas municipais e carros fortes de segurança privada, estacionados indevidamente nestas rampas, sem fiscalização dessa grave infração de trânsito.

José Edvaldo dos Santos
Guardador de Carros

José dos Santos
Logo cedo, quando vai trabalhar na Praça Fausto Cardoso, ele fica irritado quando entra no ônibus e encontra pessoas com mau cheiro que saíram de casa sem tomar banho e não colocaram desodorante. Ainda encontra o mau atendimento por parte de cobrador e condutor do ônibus que transportam pessoas como se fossem animais.

Naira Lima
Assistente Administrativo

Ter contato com pessoas falsas é o que mais aflige a Naira. Ela se diz identificadora desse tipo de pessoas e deseja que as pessoas sejam mais verdadeiras com elas mesmas e com os outros.

Divaldiones Gonçalves
Divaldiones Rodrigues Gonçalves
Comerciário afastado

Ele toma doze tipos de remédios diariamente devido a problemas cardíacos e também pela aflição  burocrática que passa no INSS para poder se aposentar. Esse aborrecimento traz mais dor no peito, ficando ainda mais doente.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais