O QUE SERÁ DE EDVALDO NOGUEIRA?

0

É impressionante a capacidade que os principais líderes do PT têm de complicar as coisas e fazer tudo dar errado. Simples decisões acabam transformando-se em pesadelos diante dos caminhos tortuosos tomados pelos chefões do partido. Costumam passar horas e horas discutindo o sexo dos anjos para passar a impressão de que são verdadeiros democratas, mas, na verdade, são ditatoriais. Resultado: põem os pés pelas mãos o tempo inteiro ao impor suas vontades.

Quem acompanha – ou já acompanhou – de perto a chamada “democracia” petista sabe muito bem do que estou falando. Grandes nomes da esquerda brasileira viram-se obrigados a tomar outro rumo depois de experimentarem tamanha prepotência explícita dentro do partido que ajudaram a criar.

Habilidosos mestres na arte de desqualificar e destruir o oponente, os poderosos chefões do PT são capazes de tudo para atingirem os seus sórdidos objetivos. Quer exemplo maior do que a recente quebra do sigilo bancário do caseiro “palocciano”? Um verdadeiro desastre. Um ato inconseqüente de quem se acha acima do bem e do mal. Deu no que deu: para não complicar ainda mais o seu governo, o coitadinho do presidente Lula – que nunca sabe de nada – foi obrigado a demitir o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, “mentor” intelectual de tamanho despautério.

Mas não pense você que isso só acontece em Brasília. Todas as esferas de poder dentro do Partido dos Trabalhadores, pelo Brasil afora, estão contaminadas por esses donos da verdade ou “inocentes úteis” como Lula.

Em Sergipe, por exemplo, as decisões sempre vêm de cima para baixo. Ou estou equivocado? Recentemente, correntes contrárias a uma aliança do PT com o PSDB de Albano Franco foram praticamente desautorizadas a se manifestar. E ai de quem fosse de encontro a essa decisão do mandachuva da legenda, o simpático, democrático e cordial prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, que todos acham que conhecem bem.

Sinceramente, diante de tudo que assistimos nos últimos meses em governos petistas, vale, aqui, uma reflexão: o que será do futuro prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B), quando quiser administrar?
 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários