O risco do já ganhou

0

Não se ganha eleição de véspera. Dizer, a quase três meses do pleito, que já venceu a disputa eleitoral é uma temeridade. Fosse assim, não havia necessidade de horário eleitoral gratuito, debates, comícios, carreatas e corpo a corpo. O já ganhou é o maior adversário do candidato, pois o próprio começa a andar de salto alto e seus aliados cruzam os braços para esperar o resultado da apuração. As pesquisas servem para balizar a campanha, porém os percentuais de hoje podem ser completamente diferentes 15 dias, um mês depois. Portanto, enganam-se aqueles que apostam como certa a eleição de João Alves Filho (DEM) para prefeito de Aracaju. Político experiente, o demista sabe disso e até já alertou seus simpatizantes para evitar o clima do “já ganhou”, pois nesse mar revolto da campanha existem muitas surpresas e quem subestimar as ondas a serem vencidas até o dia 7 de outubro corre o risco de morrer na praia.

Festa demista

DEM e PSDB inauguram hoje à noite o comitê central do candidato a prefeito João Alves Filho, localizado no antigo prédio do Colégio Salvador, ali na avenida Ivo do Prado. Demistas e tucanos optaram em não convidar lideranças políticas nacionais para a festa, que abrirá oficialmente a campanha de João Alves. Além dele e do candidato a vice José Carlos Machado, estarão presentes os senadores Eduardo Amorim, Maria do Carmo Alves, os deputados federais Laércio Oliveira, André Moura e tantos outros menos votados.

Nas ruas

Aos poucos, os candidatos a prefeito e vereador começam a colocar a campanha nas ruas de Aracaju. Ontem, um grupo de simpatizantes do ex-deputado federal Iran Barbosa (PT) agitava bandeiras e pedia votos na avenida Beira Mar. Ex-vereador da capital, o petista é visto pelos analistas políticos como um dos prováveis eleitos na coligação governista.

No cabaré

Os cinco candidatos a prefeito de Aracaju vão participar do Cabaré de quinta, debate promovido semanalmente por um grupo de jornalistas. Por sorteio, ficou definido que o primeiro a ser entrevistado será Almeida Lima (02/8), seguido por Vera Lúcia (09/8). Depois será a vez Valadares Filho (16/8). João Alves Filho vai ao cabaré no dia 23/8 e Reynaldo Nunes será ouvido no dia 30 de agosto.

Por um fio

O mandato do vereador aracajuano Robson Viana está ameaçado. Ele é acusado de infidelidade partidária por ter trocado o PT pelo PMDB o ano passado. Quatro magistrados do Tribunal Regional Eleitoral já votaram no processo. O relator Mário Vasconcelos votou pela manutenção do mandato, mas Marilza Maynard, Ronivon de Aragão e Cléa Monteiro Schlingmann defenderam a cassação. Faltam votar os juízes Alcides Vasconcelos Filho, Elvira Maria de Almeida e, se houver empate, a presidente do TRE, Maria Aparecida Gama.

Ficha suja

O candidato a prefeito de Umbaúba, Zé de Francisquinho (PDT), teve sua candidatura impugnada pelo juiz eleitoral Antônio Carlos de Souza Martins. Ex-prefeito, ele é acusado de ser ficha suja por ter tido várias prestações de contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Resta a Zé de Francisquinho recorrer da decisão ou simplesmente apresentar um novo candidato para a coligação “Umbaúba no coração da gente”.

Impugnados

E em Propriá o juiz eleitoral Sérgio Lucas indeferiu as candidaturas de Paulo César Rosende Barros (PSDB) e Eugênio de Santana (PR), respectivamente candidatos a prefeito e vice. O magistrado se fundamentou na anulação da convenção que homologou a candidatura de Paulo César pela executiva estadual do PR. Os dois prometem recorrer da decisão.

Fique rico

Caso um suplicante acerte sozinho as seis dezenas da Mega-Sena desta quarta-feira, pode embolsar um prêmio de R$ 16 milhões. Aplicando essa grana toda na poupança, o sortudo terá um rendimento mensal de R$ 83 mil, mas se for apaixonado por carros pode transformar a bolada em 180 veículos de luxo. É mole, ou quer mais?

Dia do Escritor

Hoje é o Dia do Escritor. Para comemorar a data, o Hiper Bompreço da avenida Gonçalo Rollemberg, em Aracaju, homenageará os escritores sergipanos Murillo Melins, Antônio Saracura, Ronaldo Dória, Zezé de Boquim, Pedro Amaro e Tito Souza. A exposição será aberta às 10h da manhã, no hall de entrada da loja e, no período da tarde, os homenageados vão autografar suas obras e conversar com os clientes do Bompreço sobre a profissão que abraçaram.

Do baú político

No livro ‘História de Vários Tempos – fatos e pessoas’, lançado na semana passada, o desembargador aposentado Artur Oscar de Oliveira Déda conta que começou a vida pública em 1955 como servidor da Assembleia Legislativa. Escreve que “entre os servidores do meu tempo, um jovem se destacava por sua calma, a chamada ‘fleuma britânica’. Hoje ele é aposentado como procurador federal. Age com tranquilidade e firmeza. O semblante expressa mansuetude. É uma pessoa tranquila, que de nada se assusta”. Segundo o escritor, no início da década de 60, dois deputados discutiam, violentamente, sem continência verbal. “Ambos temidos pela irascibilidade. As agressões, em crescendo. Até que um deles ameaçou chegar às últimas consequências, sacando um revolver 45. Estabeleceu-se o pânico e a gritaria era infernal. Houve debandada, com a assistência esbandeirando-se escada abaixo. E onde estava o meu colega Raimundo Monte? Ele estava prestando serviço relevante ao povo – e, também, a alguns dos seus representantes –, na hora da aflição: ‘Cuidado! O terceiro degrau da escada está em falso!…’”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais