O SENHOR DOS TEMPOS.

0

O profissional de comunicação de marketing, José Eduardo Guimarães Pereira acha que, com a força do rádio e da TV, a propaganda eleitoral invade a sala dos brasileiros com programas políticos bem trabalhados plasticamente e extremamente otimistas, que quase sempre contrastam com a vida real do povo. Na hora da novela da TV, artistas políticos bem dirigidos tentam convencer os eleitores de suas idéias e promessas. Uma verdadeira festa do marketing da perfumaria e da estratégia. Na televisão vale predominantemente boa aparência, firmeza e convicção na fala, luz, ação, maquiagem sutil, um sorriso no final e está pronto um programa político para tv. Para facilitar a vida dos candidatos já existe até site na rede oferecendo discursos pré-elaborados, de fácil entendimento e na linguagem do povo, basta escolher algumas qualidades pessoais e propostas do programa de governo para que o discurso fique pronto na hora. Muitos políticos apostam tudo na TV, é na televisão que se tornam conhecidos e que podem falar diretamente para o seu público alvo.

Na disputa presidencial Geraldo Alckmin principal opositor do favorito Lula, aparece sem confrontar diretamente o presidente, mostrando suas propostas e sua história de vida, descolando sua imagem o quanto pode de Fernando Henrique e Tasso Jereissati, figuras incomodas, quando o assunto é comparar números do governo atual com o governo anterior. Alckmin quer falar com as pessoas, quer ser conhecido, vai ampliar os programas sociais do Governo Lula e mergulhar de cabeça em questões que considera o seu principal opositor oculto, como é o caso da segurança pública, tema bastante conhecido por ele, que ainda hoje lhe trás muitos desgastes.

O candidato presidente Lula quer se manter onde está, no confortável colchão dos votos governista das classes “C“, ”D” e “E”, tentando garantir a sua vitória no primeiro turno se reaproximando de um pequeno fragmento da classe média politizada, das grandes cidades brasileiras, que no momento está em cima do muro, por rejeição a Geraldo Alckmin e seus companheiros do PSDB, e porque também tem dúvidas se devem ou não penalizar o presidente Lula, pelos desmandos provocados por homens de sua confiança, responsáveis pela alça do poder. E na poeira da farinha do mesmo saco surge a revelação da campanha eleitoral: Heloísa Helena, mulher de temperamento forte e ”azedo”, que alavanca sem parar votos pessoais e de rejeição aos principais candidatos. Com o crescimento da Heloisa Helena aumenta as chances de segundo turno. E segundo turno é sempre uma nova eleição.

No estado a estratégia é diferente porque praticamente não existem favoritos. O ex-prefeito candidato Déda, abriu o debate desqualificando o adversário, evocando para si o senhor do tempo, usando para isso uma expressão bíblica, que diz que “sob os céus tudo tem seu tempo”. E nas palavras do candidato Deda é chegada à hora de promover as mudanças que Sergipe tanto precisa. João Alves também não ficou de fora, além de mostrar seus principais projetos em andamento e os bons números econômicos e sociais do estado, estabelecendo como meta, colocar Sergipe lado a lado em qualidade de vida com os estados do Sudeste, calibrou a mira da sua artilharia e detonou em cima de Déda criticas ao programa de revitalização do rio São Francisco, defendido pelo governo do presidente Lula, que segundo o candidato governador é um projeto insano que vai trazer problemas gravíssimos para as comunidades, especialmente da grande Aracaju, que poderão até mesmo ter que mudar de suas cidades por falta absoluta de água potável.

Emprego, renda, segurança, hospitais, escolas, transportes, rodovias, pontes, viadutos, seca, irrigação serão temas sempre presentes nas conversas longas dos políticos na TV. Se é na televisão que os candidatos apostam suas fichas e esperam alcançar o caminho dos votos ainda indecisos, que são muitos para o momento da largada, pode-se dizer que não se tem ainda definido o senhor dos tempos. Mas temos com certeza o senhor da razão: o velho e surrado eleitor, que é chamado obrigatoriamente a dizer o que pensa e votar elegendo com sua benevolência candidatos de todos os gostos e cleros.

 

 

HELENO

O deputado federal Heleno Silva (PL) disse ontem ao radialista George Magalhães, que não vai renunciar do mandato por nenhuma hipótese.

Diz que vai ao Conselho de Ética e se possível à CPMI para provar sua inocência. Acha que renunciar é uma declaração de culpa.

 

SILÊNCIO

Heleno Silva tem evitado conversar com a imprensa e sequer atende telefone. O radialista George Magalhães falou com ele através do interfone de seu apartamento.

Heleno desculpou-se, disse que chegou muito tarde e fez apenas esse pequeno comentário. Ele está fazendo campanha para seus aliados no sertão.

 

EMENDAS

O candidato a deputado estadual Nelson Araújo (PMDB) tem em mãos emendas que um deputado federal apresentou para compras de ambulâncias.

As emendas eram no valor de R$ 75 mil…

Segundo Nelson uma ambulância a esse preço é superfaturada. “Hoje o mesmo deputado está na TV esnobando seriedade”, disse.

 

JORGE

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) disse que preparou um clip para o programa do seu partido na televisão, mas não será usado.

Jorge agora vai utilizar seu site – www.jorgearaujo.4514.can.br – e fazer discursos rápidos nos dois calçadões do centro da cidade.

 

DECIDIDO

Já está decidido, os candidatos do PSDB que quiserem participar do programa de televisão não tem problema, desde que obedeçam as regras da coligação.

Como não houve entendimento, os quatro candidatos vão intensificar a campanha nas ruas e usar outros meios para falar ao povo.

 

MITTIDIERI

Na notícia acima está falando em quatro candidatos, mas são só três. O deputado Luiz Mittidieri (PSDB) vai anunciar apoio a João Alves Filho e a Maria do Carmo Alves (PFL).

No próximo domingo, Mittidieri fará uma reunião para declarar o apoio e fazer a campanha dentro da coligação PSDB/PFL.

 

MAIS CEDO

Luiz Mittidieri é um dos candidatos do PSDB que não colocou obstáculo em apoiar o governador João Alves Filho na disputa pela reeleição.

Seu único problema com aliados do governador é em Boquim. Lá o seu grupo é adversário dos Fonsecas.

 

FOME

O candidato a vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) ouviu de uma senhora, na feira de Ribeirópolis: “quero lá saber de peste de político. Voto é em Lula que mata minha fome”.

Essa é a voz do estômago, que defende quem garantiu a comida na panela com o Bolsa-Família. Tirar isso vai precisar de muito trabalho.

 

VINHETA

O senador Jorge Bornhausen (SC), presidente nacional do PFL, mandou ontem correspondência para todos os presidentes regionais do partido.

Diz que é obrigatória a vinculação de uma vinheta nos programas de televisão dos candidatos com referência a Alckmin e ao número dele, 45.

 

NILSON

O candidato do PT a deputado federal, Nilson Lima, reuniu-se ontem com lideranças dos trabalhadores da agricultura e contabilizou apoio do pessoal da área rural.

O apoio se estende à vereadora Conceição Vieira, candidata a deputada estadual, anunciado pelo presidente do Contag, Manoel Ferreira, e da Fetase Joel Farias.

 

SUKITA

O prefeito de Capela, Manoel Messias, o “Sukita”, retorna a Brasília na próxima terça-feira para acompanhar a continuidade do julgamento de processo que pode cassar seu mandato.

Sukita já está perdendo por 3 a 0, mas o processo está em vistas com o ministro Carlos Ayres de Britto. Pode retornar ao pleno entre terça-feira e sexta-feira.

 

BANDEIRAS

As campanhas políticas geram centenas de empregos temporários, que movimentam a economia em todo o estado.

Um desses meninos que seguram bandeiras ganha R$ 10,00 por dia, mas almoço. No final do mês ganham R$ 300,00. Não ganham nada a mais porque trabalham sem descanso.

 

FISCALIZA

É provável que na próxima semana o Ministério Público retire algumas publicidades que estão fora do tamanha liberado pela minirreforma eleitoral.

Os out-door, que são proibidos, começam a proliferar pela cidade, ultrapassando os limites impostos pelo TSE. Já tem out-door quase do tamanho comercial.

 

 

Notas

 

ESTÔMAGO-1

E-mail enviado pelo poeta Araripe Coutinho – “O Clodovil, candidato a deputado federal por São Paulo, cortou definitivamente amizade comigo, porque defendi o bolsa-família.  Eu disse a ele que pode não fazer diferença pra ele, mas para o pobre faz e muita. O seu texto é glorioso e raro”.

E continua: “as pessoas têm que saber definitivamente que o pobre, maioria da população brasileira, quer ações reais, não discursos vazios. Acho que o bolsa-família foi o maior projeto em um mundo de tantas diferenças e indiferenças”.

 

ESTÔMAGO-2

Já o leitor que se identifica por Bittencourt manda um e-mail raivoso: “você precisa entender e conhecer melhor a pobreza. Esse programa sociais dos últimos e do atual governo são assistencialistas, entretanto de grande valia para quem é pobre, principalmente para quem mora em locais inóspitos e na zona rural”.

E continua: “criticar é fácil, difícil é entender o quanto vale R$ 10,00, pra um catador de
lixo”. E agride: “suas críticas tem uma só direção e é capenga, pois só visa uma corrente política, lamentavelmente”!!!!!!

DÍVIDAS
A Câmara analisa a Medida Provisória que autoriza a renegociação das dívidas de produtores rurais referentes a financiamentos realizados em 2005 e 2006. O objetivo é dar nova chance aos agricultores que ainda não renegociaram seus empréstimos. A MP amplia benefícios já concedidos ao setor rural.
Serão beneficiados cerca de 7 mil produtores que contraíram dívidas com o Programa Especial de Saneamento de Ativos (Pesa), com a securitização das dívidas e no Programa de Revitalização de Cooperativas de Produção Agropecuária (Recoop).

 

É fogo

 

Maria Lúcia Alckmin, mulher do candidato a presidente, Geraldo Alckmin, visita Sergipe na próxima segunda.

 

A presença dela faz parte da estratégia de campanha do marido, que decidiu dividir tarefas com a esposa, para cobrir o maior número possível de cidades.

 

O candidato a governador pelo PSTU, Toeta, não é mais candidato a governador do estado, segundo decisão do TRE-SE.

 

O TRE alega que Toeta não se desincompatibilizou do Sindipetro no período imposto pela lei, que seria de quatro meses.

 

Há expectativa que a partir de segunda-feira haja uma série de pedidos de renuncia do mandato de deputado federal, envolvido na máfia dos sanguessugas.

 

O senador Siba Machado (PT) foi desmentido formalmente pela Executiva Nacional do partido. Ele disse que o PT ia pagar dívidas a Marcos Valério.

 

O ex-vereador Vovô Monteiro está na campanha de Marcelo Déda (PT). Trabalha para eleger Valadares Filho (PSB) deputado federal.

 

Os deputados estaduais estão distantes da Assembléia Legislativa. Até o mês de outubro a Casa estará sempre vazia.

 

Laércio Oliveira (PSDB) quer ser a surpresa das eleições. Ele trabalha em vários municípios, para tentar uma vaga na Câmara Federal.

 

O vereador Fábio Henrique (PDT) está trabalhando nestas eleições, vota em João Fontes para governador, mas está com Celinha Franco para deputada estadual.

 

A arrecadação total de impostos e contribuições federais atingiu R$ 222,19 bilhões, de janeiro a julho deste ano.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários