O TEMPLO ROSA CHOQUE

0

Cartas do Apolônio

 

 

Lisboa, 16 de julho de 2005

 

Caros amigos de Sergipe:

 

Soube que Aracaju terá a sua primeira igreja gay e que o Araripe Coutinho já está se candidatando a pastor. Também pudera. Depois das malas cheias de dólares dos bispos da Universal, quem não quer faturar a bufunfa das bibas? É como diz o ditado, “há malas que vêm pra bem”.

Falam por aí que os gays são um dos segmentos mais endinheirados da sociedade, pois não tem filhos pra sustentar nem dão pensão à ex-mulher (em compensação têm de dar vida boa a cada marmanjão que Deus benza).


E é justamente pensando nas graças divinas que as meninas estão em polvorosa. Andam loucas pra pegar no Rosário.
Há as que juram que vão chover gatos no pedaço por obra e graça do Divino. Outras acreditam que o preconceito em relação aos gays vai diminuir, já que muitos padres sairão cor-ren-do da Igreja Católica, direto para o libertário templo rosa choque (e, conseqüentemente, muitos dos seus fiéis).


Já há até quem defenda a canonização de Barrinhos, o homem da Ação Solidária Santo Antônio, baseado no lendário milagre da água benta.
Para quem não se recorda, certa feita Barrinhos foi procurado por um velho morador do Conjunto Rosa Elze queixando-se de uma incômoda atração pelos rapazes marombados de uma academia que ficava em frente à sua casa.


Barrinhos, matreiramente, ofereceu-lhe um litro d’água, dizendo que que era benta e que tinha trazido da sua última visita ao Papa no Vaticano.
Recomendou que à primeira manifestação do desejo homoerótico, o pobre homem tomasse três goles da água santa e rezasse um Pai Nosso e três Ave Marias, que a tentação logo ia embora.


E não é que deu certo? O homem, sugestionado pelas recomendações barrinianas logo tratou de espalhar que estava curado das provocações do Demo e que Barrinhos só podia ser um santo, pasmem os senhores!
  

Exageros à parte, acho que o amigo Wellington Andrade tem razão, a religião é para todos. Realmente é preciso preservar o direito do cidadão entrar e sair, entrar e sair, entrar e sair livremente de todos os lugares e situações. Não tenho a menor dúvida de que a primeira igreja gay de Aracaju vai ser um estrondoso sucesso. Eu mesmo quando for à terrinha, irei orar a São Sebastião.


Quem sabe eu, espada convicto, também não entro numa nova fase de verduras na cueca? Ái Jisus!

 

Até semana que vem!

 

Um abraço do

 

Apolônio Lisboa.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais