Onde há fumaça, há fogo

0

Os empregados da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) estão certos em protestar contra uma possível venda da estatal. Mesmo o governador Belivaldo Chagas (PSD) jurando que não pretende privatizá-la, isso pode ocorrer se o governo federal impuser tal condição no Plano de Equilíbrio Fiscal dos estados. Para receber socorro financeiro, o Rio de Janeiro assinou carta-compromisso concordando justamente em privatizar sua companhia de água e saneamento. Não o fez e está às voltas com o governo federal, que na condição de credor exige o cumprimento da promessa. Ninguém discorda que a nossa Deso precisa ser modernizada para aumentar sua eficiência. Os trabalhadores e a sociedade sergipana, contudo, não podem abrir a guarda, pois estas importantes providências, em andamento na estatal, também abrem o caminho para a privatização. Não esqueçam que onde há fumaça, há fogo. Vixe!

Grana garantida

Pareceu até coisa combinada: bastou a coluna publicar que o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) andava desprestigiado em Brasília, para ele informar ter conseguido dinheiro para os festejos juninos. Segundo o pessedista, o Ministério do Turismo vai liberar R$ 3 milhões para o São João de Aracaju, Estância, Umbaúba, Boquim e o Encontro Nordestino, realizado na Orla de Atalaia. Mitidieri divide o sucesso da empreitada com o ex-deputado federal Jony Marcos (Republicanos). Ah, bom!

Sino mudo

A Justiça proibiu o badalar do sino da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória, no sertão de Sergipe. A decisão atendeu a um abaixo assinado dos moradores, injuriados com o barulho do sino, que tocava de hora em hora. Em Itabaiana ocorreu coisa parecida: a Igreja de Santo Antônio e Almas não pode mais transmitir as missas através de seu potente alto falante. Os fiéis reclamam, mas os ouvidos alheios agradecem. Crendeuspai!

Divórcio à vista

De mansinho, o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) começa a se afastar do PT. Ontem, ele deu mais um passo nessa direção ao empossar o professor Alan Alexander como secretário do meio ambiente de Aracaju. O moço foi indicado pelo deputado federal Laércio Oliveira (PP), de quem os petistas querem distância por considerá-lo forte aliado político do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Homem, vôte!

Farinha pouca…

E o deputado estadual Georgeo Passos (Rede) garante que o Tribunal de Contas de Sergipe usa dois pesos e duas medidas ao mandar suspender o reajuste salarial dos militares reformados. Segundo Passos, se o aumento dos PMs feriu a Lei de Responsabilidade Fiscal, aconteceu o mesmo com o reajuste de 16% dos desembargadores. “Neste caso, ocorreu um efeito cascata para procuradores e os próprios conselheiros do TCE”, denuncia. Por que será que o diligente Tribunal de Contas também não mandou suspender o reajuste salarial dos desembargadores? Marminino!

Bem na fita

Sergipe está entre os quatro estados onde a queda nas mortes violentas no primeiro trimestre deste ano foi superior a 30%. É o que revela o índice nacional de homicídios criado pelo portal G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. No Brasil, a redução ficou em 24%, quando comparado com o mesmo período do ano passado. Isso significa dizer que em janeiro, fevereiro e março foram preservadas no país 3,2 mil vidas. Maravilha!

Cadê tu?

A Câmara de Aracaju promoveu um oportuno debate sobre o poder do turismo e seu impacto econômico social. Além dos vereadores, prestigiaram o evento a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis e a Prefeitura da capital. A ausência notada foi justamente a do secretário estadual de Turismo, Manelito Franco Neto. O deputado estadual Luciano Pimentel (PSB) criticou a ausência do moço e lamentou a grave a situação do turismo em Sergipe. Aff Maria!

Acordo revelado

Ao confessar ter prometido indicar o ex-juiz Sérgio Moro para o Supremo Tribunal Federal, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deu mais um mote para as críticas do PT. Segundo o senador petista Rogério Carvalho, o grande acordo vem sendo revelado aos poucos: prenderam Lula para tirá-lo da disputa eleitoral e facilitar a eleição de Bolsonaro, que nomeou Moro ministro da Justiça e prometeu colocá-lo no Supremo. Homem, será?

De braços dados

É perda de tempo esperar uma crítica do governador Belivaldo Chagas (PSD) ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Quando acabou a eleição, desci do palanque. Bolsonaro foi eleito o presidente do país e eu sou o governador de todos os sergipanos, mesmo dos que não votaram em mim”, discursa Chagas. Ele lembra que, somente na semana passada, esteve com o capitão de pijama três vezes em menos de 24 horas tratando dos interesses de Sergipe: “Pretendo continuar estreitando, cada vez mais, os laços com Brasília”. Então, tá!

Na terrinha

E quem estará em Aracaju na próxima sexta-feira, é o ex-candidato a presidente da República, professor Guilherme Boulos (Psol). Vem participar de um debate sobre o corte de verbas das universidades brasileiras e a reforma da Previdência. Segundo ele, “um governo que corta bolsas de estudos e amplia o porte de armas, sonha com um país com mais milicianos e menos professores”. É vero!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano O Nordeste, em 24 de dezembro de 1949

Resumo dos jornais

Comentários