Oposição em pé de guerra

0

A oposição está em pé de guerra. A disputa por espaços na chapa majoritária azedou de vez a relação entre o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) o deputado federal André Moura (PSC). Esta briga ameaça dividir ao meio o grupo oposicionista e atingir de morte o projeto de se eleger governador acalentado pelo senador Eduardo Amorim (PSDB). Moura acusa o líder do PSB de praticar “uma política sem trabalho e sem propostas, dedicada unicamente a se colocar como bom e maldizer os demais. Isso é feio, antigo e atrasado”, Por sua vez, Valadares fustiga André, dizendo que “querem a todo custo impor ao PSB apoio a um projeto pessoal baseado no engodo e na prepotência. Não nos renderemos ao líder de Temer”. E olha que a oposição ainda reza para que André Moura consiga reverter na Justiça a sua condição de ficha suja. Do contrário, nem o mel nem a cabaça.

Sem pressa

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), não tem pressa em escolher os substitutos dos auxiliares que vão se afastar agora em abril. Para disputar cadeiras no legislativo, devem se desincompatibilizar o presidente da Funcaju, Sílvio Santos (PT), e o secretário-chefe da Controladoria-Geral, Alexandre Figueiredo (MDB). Nogueira garante que só vai pensar nos substitutos após a saída dos dois. Então, tá!

Ó com copo

Ao deixar a escola, apenas 7,3% dos estudantes atingem níveis satisfatórios de aprendizado. Segundo dados do Movimento Todos pela Educação, o índice é ainda menor quando consideradas apenas as escolas públicas. Somente 3,6% têm aprendizado adequado. Ou seja 96,4% não aprendem o esperado na sala de aula. Crendeuspai!

Sem explicação

Um preso custa por mês cerca de R$ 2,4 mil, enquanto o custo anual com um estudante é de R$ 2,2 mil. Diante de tamanha discrepância, não se entende porque, em vez de edificar mais e mais escolas, este governo temerário tem gastado milhões para construir novos presídios. Durma com um barulho desse!

Dia de posse

O diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Augusto Viana Galloro, empossa hoje a delegada Erika Mialink Marena na superintendente da PF em Sergipe. Marcada para o auditório do Tribunal de Contas do Estado, a solenidade promete ser das mais concorridas. Tida como linha dura, Erika Mialink, substitui o delegado Daniel Horta.

Crise negada

E o diretor Luiz Eduardo Correia jura que não há crise no Hospital de Urgência de Sergipe. Segundo ele, as notícias sobre equipamentos quebrados e mau atendimento não passam de intrigas da oposição. O diretor garante que as denúncias infundadas estão sendo feitas por alguns servidores que se recusam a bater o ponto biométrico. Ah, bom!

Lanterninha

A decisão do ainda presidente Michel Temer (MDB) de concorrer a reeleição animou presidenciáveis sem qualquer chance. É que com o mordomo de filme de terror na disputa, ninguém tirará dele a condição de menos votado. Sabendo que não serão motivos de chacota por serem lanterninhas, gatos e cachorros já pensam em concorrer à presidência da República. Homem, vôte!

Nem aí

A presidenciável Vela Lúcia (PSTU) afirma que o partido dela não está nem aí para o futuro do ex-presidente Lula da Silva (PT). Entrevistada pela Folha de São Paulo, a moça disse que o destino do “Barba” não é problema do PSTU. “A tarefa de julgá-lo é da Justiça. Somos a favor que todo corrupto e corruptor vão pra cadeia, tenham seus bens confiscados”, frisou Vera, que foi apresentada pelo jornalão paulista como “mulher, negra, operária e sapateira”. Aff Maria!

Violência

Pesquisa revela que 98% da população conhecem a Lei Maria da Penha e que para 86% dos entrevistados, as mulheres passaram a denunciar mais os maus-tratos depois da existência da lei. Feito pela Data Popular, o estudo mostra ainda que sete em cada 10 consultados acreditam que a mulher sofre mais violência dentro de casa do que em espaços públicos. Outros 50% acham que a mulher se sente mais insegura em casa do que fora. Misericórdia!

Vida mansa

Além de receberem o teto salarial – R$ 35 mil – deputados e senadores têm direito a uma “ajuda” de R$ 35 mil para pagar despesas como passagens aéreas, telefone, correspondências, assessoria e hospedagem. Eles ainda recebem 15 salários por ano, auxílio-moradia, gabinete com funcionários e veículo oficial. Com tanta mordomia para usufruir, deve sobrar muito pouco tempo para os congressistas defenderem quem ganha menos de um salário mínimo, passa fome e mora num quartinho de vila. Só Jesus na causa!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Correio de Aracaju, em 21 de dezembro de 1923

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários