Orla Cinelândia: retirar favela e padronizar algumas barracas móveis

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.



Ao longo da existência deste pequeno espaço, o titular já enfrentou batalhas e debates com diversos gestores, poderes e até setores da sociedade, que se acham intocáveis. Até a Igreja Católica este espaço já enfrentou desde há época de uma pequena casa deixada pelo Santo Padre Pedro até hoje onde a Arquidiocese de Aracaju vem sendo desvirtuada da sua real função de servir a igreja e aos católicos sem discriminação.

A verdade é que Sergipe Del Rey é um feudo de muro baixo, onde defender a legalidade esbarra no egoísmo de alguns que acham que o espaço público é propriedade particular deles.

Hoje, 22, a Prefeitura de Aracaju, através da Emsurb, comecará a retirar a favela que foi levantada nos últimos meses na área da Orla de Atalaia conhecida como Cinelândia. Em 2019 o local só tinha uma barraca de venda de água de coco e bebidas que era móvel. Agora, se o leitor pegar um guarda sol e uma cadeira de praia não encontrará um lugar porque o espaço foi todo privatizado com cerca de 40 barracas, cujos comerciantes espalham cadeiras e guarda sol em espaços como se fossem lotes privatizados deles. A ação é da Emsurb, com procedimento aberto pelo MPF/SE e recomendação dA SPU. Ou seja, todos querem o espaço público para todos.

Mais à frente, no banho doce as barracas são móveis há muito tempo

A Emsurb precisa organizar e disciplinar como ocorre em várias capitais. Por exemplo, definir um pequeno número de barracas com poucos metros que sejam móveis e retiradas diariamente, para que o local volte a ser público realmente. Até os surfistas que têm o local cativo há vários anos estão incomodados com a falta de espaço nas areias. E deve priorizar o critério de antiguidade no local.

Novo espaço com passarelas, do antigo Parque dos Coqueiros até a Aruana, em breve será ocupado

Com a reforma que está sendo feita no calçadão do antigo Parque dos Coqueiros até a Aruana, pelo governo do Estado, com a colocação de algumas passarelas até a areia da praia e espaços para estacionamentos em breve vão aparecer barracas. É preciso que a Emsurb discipline o quanto antes e, inclusive, para que sejam autorizadas barracas móveis, inclusive aproveitando alguns dos comerciantes que estão hone na praia da Cinelândia.

Limpeza correta e vigilância sanitária

Antes da favelização, o local era limpo duas vezes por semana com uma máquina que passa peneira a areia retirando todo o lixo como plástico, vidros e outros resíduos. Agora não passa porque não tem como limpar com as barracas fixas. Ou seja, é um problema de saúde pública também, já que peneirando a areia você retirar também diversas impurezas. Sem contar que várias barracas estão manipulando alimentos sem às mínimas condições.

Estacionamento que foi ocupado

Da mesma forma no estacionamento que está sendo privatizado. Estabelecer um número pequeno de food trucks para ficar móvel, e sair todos os dias. E proibir que sejam colocadas mesas e cadeiras na sua extensão. Aliás, é bom a SSP e a PF verificarem um fod truck que fica na área de fora do estacionamento e nunca abre. Oxente? Isso mesmo não abre! Será um ponto de droga pesada? Será? Ninguém acredita, nem mesmo a Marcela!

Apadrinhamento político na ocupação do estacionamento?

Ontem, 21, correu a notícia que a Emsurb arregaçou e vai deixar a ocupação no estacionamento. Um colega da imprensa disse que recebeu uma gravação onde um dono de food truck diz que se ele foR retirado do estacionamento vai denunciar quem autorizou que quase todos se instalassem no local antes da eleição do ano passado. Citou um nome “Edvaldo”. O blog prefere não acreditar: a Emsurb não pode resolver o problema na areia e deixar a ocupação do estacionamento. O MPF está de olho! E se não resolverem vem processo por improbidade administrativa, já que o espaço é público. É aguardar!

Repetindo: a Emsurb fez a notificação com base no procedimento do MPF/SE e recomendação do SPU. A área precisa e deve ser organizada. Com poucas barracas móveis, limpas e padronizadas. E o mais importante: deixando o espaço público livre para os frequentadores da praia.

O resto é demagogia e politicagem. E no feudo Sergipe Del Rey sempre aparece um político demagogo para vestir a carapuça…

Areia da praia da Cinelândia: até setembro de 2019, a área tinha apenas pouquíssimos ambulantes que saíam no fim do dia Relato de um cidadão morador da área. O blog vai preservar o nome dele por conta do clima acirrado e possíveis retaliações: “Sou morador da praia da Cinelândia há mais de trinta anos. Essa praia, que no final do anos 90, havia virado uma verdadeira favela com mais de 100 barracas, foi finalmente limpa e devolvida para o público por volta de 2003, quando Marcelo Deda era prefeito. Durante todos esses anos a praia ficou sem barraca e sendo frequentada por alguns surfistas e com e tempo trouxeram uma estrutura de madeira da praia do havaizinho e a partir desse momento, a praia que era frequentada por surfistas e de alguns moradores da região, começou a também a ser reduto de estudantes de classe média. A partir daí a praia tornou-se um point da juventude e de pessoas alternativas, não podemos esquecer que além da rapaziada do surf, ‘O Som da Calçada’ e a quadra de Futvôlei, contribuíram. Estou enviando algumas fotos mostrando que desde a retirada das barracas, pela administração Déda, até setembro de 2019, não havia uma única barraca na área. Tinham poucos ambulantes, como um senhor apelidado de Baixinho, que por volta de uns cinco anos atrás, começou a quase todos os dias a praia, levando num carrinho de mão, isopor com cervejas, refrigerantes, e com o passar do tempo, sombreiros e cadeiras de praia. Concordo que é preciso padronizar as barracas e que sejam retiradas no fim do dia, ou seja, que sejam móveis e deixem também espaço para os banhistas que querem levar sua cadeia e guarda-sol.”

Intimidações pelas redes sociais: PF já foi informada E alguns cidadãos e profissionais liberais – como o titular deste espaço – que estão apoiando a Emsurb, o MPF/SE e a SPU para que o espaço público da orla da Atalaia seja liberado para todos e, consequentemente, a padronização das barracas móveis, estão recebendo intimidações pelas redes sociais de alguns “comerciantes”. Entre aspas mesmo. A PF já foi informada, já que é uma área federal, permissionária da Prefeitura.

Praia do Saco, cartão postal do turismo em SE: residências à mercê da bandidagem. Veranistas e moradores cobram a presença de viatura da PM Os moradores e veranistas da praia do Saco, em Estância, estão com suas residências sendo alvo constante de uma quadrilha que está agindo na região. Roubam bombas d’água e objetos de fácil remoção. Uma proprietária de uma casa que foi furtada divulgou a lista nas redes sociais este fim de semana:
1 bomba elétrica, 1 fogão, 1 botijão de gás e 1 TV de 32 polegadas LG. A informação é que a quadrilha vem atuando desde dezembro do ano passado sempre à noite nas casas que estão sem os veranistas. Eles pedem a presença da PM, principalmente à noite, com uma viatura rodando frequentamente na região. Até um quadriciclo já foi roubado. Tem morador que já teve furtadas três bombas. Até varal e eletrodomésticos são levados. Uma área que está no roteiro turístico de Sergipe. Lamentável Como os moradores postam nas redes sociais: “Misericórdia!!! Deus nos proteja. Ave MARIA.”

O Papa Francisco e o descaminho da Arquidiocese de Aracaju Como o blog já anunciou, mensalmente a Santa Sé, no Vaticano, vem recebendo relatórios sobre os descaminhos da Arquidiocese de Aracaju administrada a seis mãos e cada dia mais afastando os bons cristãos sergipanos. 

Novo reitor de seminário para formar padres tem personalidade difícil Um exemplo acontecerá hoje, 22, à tarde:

foto: Arquidiocese de Aracaju

assumirá o Seminário Maior Nossa Senhora da Conceição, localizado no Bairro Lamarão, em Aracaju, o padre Carlos Henrique. O problema é que muitos outros padres não aceitaram o convite por conta da segregação existente hoje na cúpula da Arquidiocese e o arcebispo e seus dois pupilos resolveram escolher um nome que, além de ter uma personalidade difícil junto aos colegas, não é afeito ao diálogo democrático. Como formar novos padres deste jeito? Por isso cada vez mais corre a notícia que em muito breve um novo bispo será designado para a Arquidiocese de Aracaju. Que os bons ventos democráticos o tragam, a maioria dos padres tem saudades de Dom Palmeira Lessa. Senhor, piedade!

                                   

 

Belivaldo custa muito caro ao Estado de Sergipe O que os barnabés da administração pública acham disso? Belivaldo é o segundo na relação dos governadores que recebem mais subsídios. Só perde para o do Acre. Veja o que foi publicado pelo jornalista Lauro Jardim, no Globo:



Socorro: ex-vereador denunciado pelo MPE envia esclarecimentos O ex-vereador de Socorro, Alan Mota, enviou os seguintes esclarecimentos ao blog: “Sou pai de três filhos, cidadão de bem, tenho base familiar, minha mãe sempre nos educou para sermos pessoas descentes, estou sendo caluniado e difamado por um senhor sem escrúpulos e que nunca foi meu assessor. Foi feita uma gravação clandestina, editada e fora do contexto e que está nas mãos de Deus e da justiça para aplicabilidade da verdade. Ao contrário do que os maus relatam, tive que me mudar de endereço porque temo pela minha vida e da minha família. A verdade será restabelecida, obrigado a todos pelas mensagens de carinho e solidariedade.”
                                                       
Blog divulgou decisão do MPE que ingressou com processo judicial O blog fez apenas divulgar na última sexta-feira, 19, cópia do Termo Circunstanciado (número 202088703515) ingressado pelo Ministério Público Estadual que tramita no 1º Juizado Cível e Criminal de Nossa Senhora do Socorro cuja audiência foi marcada para o próximo dia 01 de março. A gravação clandestina que o ex-vereador cita na nota é essa abaixo, que foi divulgada nas redes sociais de Socorro:


Assistentes Sociais e Psicólogos na Educação Básica O Conselho Regional de Serviço Social 18ª Região (CRESS Sergipe) realizou na noite desta quinta-feira (18) uma live para discutir o tema “Assistentes Sociais e Psicólogos na Rede Pública de Educação Básica de Sergipe: Desafios para a implementação”. O tema envolve a discussão da Lei 13.935, publicada no Diário Oficial da União em 2019, que dispõe sobre a prestação de serviços de Psicologia e de Serviço Social nas redes públicas de educação básica. A Live contou com a participação de representantes do Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS), do Conselho Regional de Psicologia (CRP) de Sergipe e da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Assistentes Sociais e Psicólogos na Educação Básica II A mediadora foi a presidente do CRESS Sergipe, Dora Rosa Horlacher, que destacou a importância dessa lei. “A Lei foi aprovada em 2019, mas essa é uma luta de duas décadas. Após a discussão da lei tivemos também o Fundeb, que foi garantido o fundo também para esses profissionais. E seguindo as tratativas do CFESS, ABEPSS e CRP, o CRESS Sergipe vem fazendo contatos com gestores a nível regional, assim como reuniões com várias instituições do Estado para a implantação do Comitê Sergipano em Defesa da Inserção de Assistentes Sociais e Psicólogos na Educação, que dará segmento a essa discussão e vai aprofundar as discussões para a implantação dessa lei”, explicou a presidente do Regional. Representando o CFESS na live, a conselheira do CFESS e conselheira Nacional de Saúde e assistente social, Elaine Pelaez, afirmou que essa luta para a inserção dos assistentes sociais e psicólogos da educação básica é fruto de uma longa história de mobilização pelo país. “Essa luta nunca foi apenas por espaço profissional ou de trabalho, ainda que seja importantíssimo. Sempre foi uma luta em defesa da educação pública de qualidade nos interesses da classe trabalhadora e da população, para defender a forma de vivência nos espaços da escola e dos territórios. É uma luta para que a escola seja um espaço da vivência de sonhos e construção de modos de ver o mundo”, explanou a conselheira do CFESS.

Sobre a Lei 13.935 O professor doutor em Serviço Social da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Wagner Amaral, representou a ABEPSS durante a live. Segundo ele, o conjunto de entidades nacionais passou a se reunir e a fazer uma agenda. “Já completamos um ano da publicação da lei em dezembro de 2020 e um ano da movimentação intensa por essa luta, para que todos soubessem dessa lei e para construir uma adesão aos assistentes sociais e psicólogos na educação. É uma agenda de 20 anos de luta para que fosse aprovada. Uma delas é a dimensão ético-política desse projeto e a tarefa da superação das desigualdades educacionais no país. Estamos falando de uma educação que deva ser democrática, emancipadora, que seja antirracista”, salientou o professor, afirmando que o grande desafio é dialogar com os profissionais da educação, pois a inserção dos novos profissionais não é para dividir e disputar esses espaços, mas para somar.

Demandas De acordo com o vice-presidente da Abepss/Regional Nordeste e professor doutor de Serviço Social da UFS, Paulo Felix dos Santos, a defesa da inserção dos assistentes sociais e psicólogos nas escolas permitem contribuir nas demandas dos alunos. “Os profissionais podem amenizar a violação de direitos que permeiam o cotidiano dos estudantes, suas famílias e a comunidade, principalmente para evitar a evasão escolar, baixo rendimento escolar, discriminação de raça, gênero e etnia, violência doméstica, por exemplo”, informou.

Lyderwan Santos: 10 anos na TV Sergipe E o blog não é coluna social, mas gosta de registrar os momentos felizes dos cidadãos e colegas do bem. O titular deste espaço não conhece pessoalmente o mineiro apaixonado pelo Nordeste, o jornalista Lyderwan Santos que é editor e apresenta o Bom Dia Sergipe (TV Sergipe), mas tem ótimas referências dele dos amigos em comum. Um profissional dedicado, correto, humilde e sempre em busca de aprender sempre mais. Leia o que el publicou ontem, 21, no twitter ( https://twitter.com/lyderwan ): “Hoje faz 10 anos que eu dei o primeiro bom-dia pra todo o estado de Sergipe. Não foi fácil escolher ficar longe da minha família pra encarar esse grande desafio profissional. De lá pra cá, amadureci bastante pessoalmente e profissionalmente. Vivi muitos momentos bons e alguns bem difíceis. Mas a companhia, o carinho e o reconhecimento de vcs sempre me mostraram que eu estava no caminho certo. Muito obrigado por construírem comigo essa década de história! Sem dúvida, uma das mais importantes da minha vida!”


PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018

100 anos do meu pai. Por Dida Araújo Se estivesse vivo o senhor Antônio Mota de Araújo, o meu Papai, estaria completando, hoje, 22 de fevereiro de 2021, o Centenário do seu nascimento. Esse vídeo é uma singela homenagem a esse homem que ensinou a todos da nossa família a amar o Club Sportivo Sergipe. Valeu Papai.

 

 

 


Lourival na Capela Deu no blog do sergipano criado na Lagoa do Meio, Capela, Silvio Alves Santos é jornalista, graduado em Comunicação Social pela Unit e ex-vice-prefeito de Aracaju: “Lancei hoje no meu blog, o primeiro de uma série de contos que terá o nome de Dez Contos de Memória. Neste primeiro eu conto sobre a experiência de governo itinerante do gov. de Sergipe, Lourival Baptista, nos anos 70. Chama-se Lourival na Capela.” Leia aqui: https://www.blogdoss.com/

Movimento Polícia Civil Unida: dia 25, homenagem à memória dos policiais assassinados em Umbaúba Na próxima quinta-feira, 25, às 10h, na cidade de Umbaúba, o movimento Polícia Civil Unida, composto pelo Sinpol/SE e pela Adepol/SE, realizará uma homenagem à memória dos colegas Fábio Alessandro Pereira Lopes e Marcos Luís Morais, barbaramente assassinados no exercício da função. Esse dia será também o marco cronológico simbólico da consolidação da união de todos os membros da Polícia Civil. O evento ocorrerá no posto São João, às margens da BR 101, nas imediações do trevo que dá acesso à cidade. Além dos policiais civis de todo o Estado, as famílias dos colegas assassinados também foram convidadas e confirmaram presença. O ato visa homenagear os colegas e reforçar para a sociedade que VIDAS POLICIAIS TAMBÉM IMPORTAM.  O vídeo que está nas redes sociais:


PELO E-MAIL nunesclaudio@infonet.com.br E FACEBOOK

OPINIÃO

OPINIÃO


A Saúde Pública em Sergipe (SESP). Por Antônio Samarone, médico sanitarista http://blogdesamarone.blogspot.com/

O Serviço Especial de Saúde Pública (SESP) foi criado em 1942, durante a 2ª Guerra, a partir de acordo entre os governos brasileiro e norte-americano, visando o saneamento de regiões produtoras de matérias-primas, como a borracha e o minério de ferro.

Depois da Guerra, o SESP se expandiu para o Nordeste. Um Serviço de atenção básica, medicina preventiva e educação sanitária. Priorizava a Saúde Escolar. O SESP era financiado pela Fundação Rockfeller.

No final de 1955, o SESP chegou à Sergipe.

Durante o Governo de Leandro Maciel, a Saúde Pública em Sergipe recebeu um grande impulso, com o Contrato assinado em 21 de dezembro 1955, entre o Governo do Estado e o Serviço Especial de Saúde Pública (SESP).

Estiveram presentes na assinatura do Convênio o Governador Leandro Maciel, o Diretor do Departamento de Saúde Pública, Dr. Benjamin Alves de Carvalho, o representante do Governo Americano, Dr. Henrique Maya Penido, o Chefe de Assuntos Internacionais, o Dr. E. Ross Genney.

Até então a cobertura da rede pública era inexpressiva em Sergipe: na Capital existiam funcionando apenas quatro postos de saúde: o do Serigy, e mais Unidades nos bairros Grageru, Aribé e no Conjunto Habitacional Agamenon Magalhães.

No Interior, com a entrada em funcionamento das 16 unidades do SESP, inicialmente em 16 municípios, a rede pública passou a contar com 26 Unidades de Saúde.

O Contrato tinha prazo de validade até 30 de junho de 1960. Pelo acordo, o Estado obrigava-se a organizar, em cooperação com o SESP, um “Serviço Cooperativo de Saúde”, subordinado ao Diretor do Departamento Estadual de Saúde Pública.

Ao Serviço Cooperativo competia: executar um programa de Saúde Pública nos municípios, inclusive na Capital; capacitar recursos humanos para executar o programa.

O financiamento do programa para o ano de 1956: o SESP entraria com CR$ 3.200.000,00, e o Governo do Estado com CR$ 800. 000,00. Pelo contrato o Governo de Sergipe ficava obrigado a investir no mínimo de um por cento do seu orçamento com a Saúde Pública.

O SESP também assumia o compromisso de utilizar o seu pessoal qualificado em Saúde Pública para treinar os servidores do Estado.

O SESP chegou a Sergipe, com os seus programas, os seus técnicos e os seus recursos.

Os dez primeiros municípios onde foi instalado uma Unidade de Saúde do SESP foram: Cristinápolis, Itabaianinha, Arauá, Santa Luzia do Itanhy, Estância, Rosário do Catete, Canhoba, Aquidabã, Cedro de São João e Propriá.

Em 1969, o SESP se transforma em Fundação SESP, passando para o comando do Governo Federal. Em 1990, a FSESP foi incorporada a SUCAM, virando a FUNASA – Fundação Nacional de Saúde, que “existe” até hoje. Inclusive em Sergipe.

O SESP e a SUCAM cumpriram importante papel na Saúde Pública em Sergipe, com ações voltadas para a medicina preventiva.


OPINIÃO

19 de Fevereiro, dia da emancipação Politica de Porto da Folha. Por Allef Paixão, advogado.

Parabéns Porto da Folha pelos seus 186 anos de emancipação Política, e seus séculos de história.

Eu tenho orgulho desse amor verdadeiro, eu sou xocó, sou holandês, sou buraqueiro, quando nasci sei que não tive escolha, mas Deus me deu o presente de nascer em Porto da Folha.

Foi entre morros que essa terra nasceu, e para o mundo foi um presente que Deus deu, Tomas Bermudes na essência mal sabia, o brilho e o esplendor que essa terra teria um dia. Terra de povo forte, humilde e determinado, terra de guerreiros terra de buraqueiros esse que é resultado, de uma mistura de índios, holandeses, e brasileiros.

Em nossa cidade nós temos até um tesouro, banhada pelo velho chico nós temos a ilha do ouro, é um oásis em pleno sertão, lugar belo que enche os olhos de qualquer cidadão, quem mora lá é chamado de beradeiro, mas também tem orgulho de dizer que é buraqueiro.

Uma cidade única, cheia de gloria, em que o gado, o aboio, e o vaqueiro, permanecem vivos em nossa historia. Sobrevivem da pesca, da pecuária, e da agricultura, essas que contribuem e também enriquecem a nossa cultura.

Cheia de ritmos, de cores, de raças, de mistura, não tenho medo de afirmar, que eu sou da Capital mundial da cultura. Em cada rua uma historia, todos que são delas podem falar, pois quem é mesmo buraqueiro tem historia pra contar, pois já nasce sabendo de tudo do seu lugar. Mitos, folclores, nós temos é de fartura, pois como já falei eu sou da capital mundial da cultura.

O vaqueiro na minha terra é herói, com seus aboios e toadas, nossa cultura constrói, e nem mesmo o tempo essa cultura destrói, pois aqui ela já se enraizou, e todo buraqueiro do vaqueiro sabe o verdadeiro valor, e em minha terra o vaqueiro a tempos já se firmou, o vaqueiro também é buraqueiro, e quem é filho do sertão nós temos imenso orgulho de chamar de nosso irmão.

Em Porto da Folha o índio é nosso irmão, esse que encontrou moradia no sertão, e ali se firmou, trouxe cultura, alegria e tradição. Na Ilha de São Pedro os xocós vivem com raça, mantendo viva sua cultura da pesca e da caça, apesar de já terem sofridos imposições culturais, sendo muitas vezes forçados por ameaças banais, eles mantem vivos todos os seus rituais. O xocó é guerreio, e em Porto da Folha o Índio também é Buraqueiro

A nossa cultura para o mundo decola, temos até no Mocambo remanescentes de quilombola, esse que sempre lutou e em Porto da Folha um cantinho encontrou, ali se instalou e até hoje ficou. Os quilombolas também são guerreiros, e os negros também são Buraqueiros.

Tantos lugares, tantos povoados, cada qual com sua contribuição, ajudando a construir a minha, a sua, a nossa Porto da Folha o paraíso do sertão, é tanto lugar, é tanta mistura, por isso que afirmo Porto da Folha é a capital Mundial da Cultura. Povo que vai povo que vem em Porto da Folha um pouco de tudo tem.

Tamanha beleza, tanta riqueza, tudo em um só lugar, propicio para viver, excelente pra visitar, eu sou de Porto da Folha, terra de encher e mear. Sou buraqueiro e falo de coração, eu sou de Porto da Folha o paraíso do sertão

O Buraqueiro é xocó, é Holandês, é Brasileiro, é guerreiro, lutador, hospitaleiro, é negro é vaqueiro, somos uma verdadeira mistura, e para lutar nós temos uma armadura, essa não é feita de ferro, nem de bronze nem de prata, mas sim de cultura.


PELO TWITTER

www.twitter.com/andretrig Existem vários bons motivos p/não comer carne. Esse é um deles.


www.twitter.com/frednavarro Em poucos dias, diante da enorme pirâmide feita com os ossos dos 250 mil mortos pela #COVID19, rodeado pelos filhos, Bolsonaro dirá, solene, caprichando na concordância: “Meus filhos, um dia tudo isto serão seu.”

www.twitter.com/Ancelmocom No mais: depois de nomear um general para presidente da Petrobras Bolsonaro disse que não interferiu na estatal. Lá em Frei Paulo eu tinha uma professora que dizia que mentir fazia nascer manchas brancas nas unhas. Com todo respeito.

www.twitter.com/Iran_Barbosa Iniciando uma nova leitura e já há muitos motivos para agradecer ao brilhantismo do amigo Gilson Sousa por nos brindar com esse passeio pela vida inteira do nosso inteiro Cleomar Brandi. A sensação de “ser humano” pulsa em cada linha… Emocionante!

www.twitter.com/J_LIVRES Por Ivan Cabral @ivankabral




Siga Blog Cláudio Nunes:                                       

Instragram

 Facebook

 Twitter



Frase do Dia

POEMINHO DO CONTRA


Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!        Mario Quintana

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais