Os postulantes ao governo

0

O governador João Alves Filho (PFL) já anunciou disposição para disputar a reeleição. O prefeito Marcelo Deda (PT), embora não admita verbalmente sua candidatura ao Governo do Estado, se comporta como candidato. E quem esteve segunda-feira à noite no Hotel Quality, convidado que foi para o lançamento do jornal semanário “Hora do Povo”, deparou em verdade com o pré-lançamento da candidatura do senador Almeida Lima (PMDB) ao governo do Estado. Já contratou equipe de marketing, está montando equipe de rádio e de tevê e comprando equipamentos para materializar a divulgação de sua plataforma. Estava por lá dando aval a essa pretensão o presidente estadual do PMDB, Benedito Figueiredo, o deputado estadual Garibaldi Mendonça e Wellington Paixão.

 

Também pontilharam no “pré-lançamento”, o deputado federal João Fontes (PDT), o vereador Elber Batalha Filho (PDT), o deputado líder do governo na Assembléia Venâncio Fonseca (PP), o vice-líder, deputado Augusto Bezerra (PFL), o ex-prefeito de Lagarto, Zé Ribeiro, o vereador Fabio Henrique e vários ex-vereadores de Aracaju. Após a exposição sobre o jornal Hora do Povo – tendo o expositor Zoroastro Santa’Anna deixado claro que se tratava de um instrumento político para viabilizar a “terceira via”, pude ouvir frase disparada por um representante do PDT presente ao ato durante sussurro no ouvido de Almeida Lima: “O PDT vai ter candidato a governador, será você”.

 

Como a liderança que esboçou tal sussurro é bastante credenciada dentro do partido, logo se conclui que Almeida Lima, se conseguir passar por cima das pretensões dos deputados Jorge Alberto e Marcos Franco, (os quais não estavam presentes no lançamento) ambos do PMDB e viabilizar sua candidatura ao governo terá como aliado oficial o PDT de João Fontes. Como por lá também estavam lideranças ligadas ao PV, é provável que também venha a ter o apoio dos “verdes”.

 

Ao menos por enquanto as três candidaturas estão postas. Até o momento as pesquisas indicam um embate entre João e Deda, cabendo a terceira via o papel de projetar seus atores, além de acomodar coligações de partidos na proporcional para eleger bancada à Câmara Federal e à Assembléia Legislativa. Ademais, resta saber se será uma candidatura para valer ou “figurativa”.  Também ainda se discute qual será o papel do PSDB nesta eleição. Não terá candidato de seus próprios quadros ao Governo. No momento namora o PT de Deda, ao tempo que acena para o PFL de João Alves, desde que o governador tenha força para descartar a candidatura de sua esposa ao Senado e disposição para apoiar Albano Franco na disputa pela vaga no Senado. 

 

 

VINGANÇA

 

A bancada de oposição ao Governo do Estado na Assembléia Legislativa não deixará passar em brancas nuvens a “cassação” do mandato do deputado Gilmar Carvalho. Vai aguardar a proximidade do processo eleitoral para fazer representação no Conselho de Ética contra dois parlamentares da base governista. Olhe que os dois têm uma folha corrida daquelas… mais farta que a de Gilmar.

 

NEM TODOS

 

Pelo menos três deputados da base do governo não deram aval à representação feita por João da Graça contra o deputado Gilmar Carvalho (PSB), culminando com sua “renúncia”: Celinha Franco, Susana Azevedo e Garibaldi Mendonça.

 

MENTOR

 

Segundo os colegas de bancada governista, quem mais estimulou e trabalhou o convencimento do governador João Alves para “cassar” o mandato de Gilmar Carvalho, foi o deputado Augusto Bezerra (PMDB).

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários