Os Quebradinhos. Nota Oficial

0

O bloco carnavalesco Os Quebradinhos vem a público comunicar a Aracaju que, mais uma vez, não sairá neste carnaval por ter sido atingido em cheio pela crise econômica. Portanto, evitem ir nesta terça-feira (24) ao local do desfile, pois vai estar assim de cobradores. Para se ter uma idéia da gravidade do quadro, o único provável patrocinador, um empresário do setor de bebidas, solicitou filiação no último sábado, alegando falência total. O homem quebrou na solda, situação que, aliás, ameaça todos os seus credores. E são muitos. Para o bloco, isso é positivo, pois significa que o número de novas filiações deverá aumentar muito nos próximos meses.

Como nos anos anteriores, a diligente diretoria de Os Quebradinhos moveu paus e pedras para contornar a situação, mas só encontrou cheques sem fundo e muitos vales, frutos de pagamento das mensalidades, além de anotações referentes às dívidas, que se acumularam ao longo dos anos. Ah, também faz parte do patrimônio do bloco uma imensidão de títulos protestados, doados gentilmente pelos sócios.

Para agravar ainda mais o quadro, o reco-reco, a cuíca e o trompete estão empenhados em botecos distintos. Rasgado o ano passado durante um ensaio, o velho pandeiro permanece sem conserto, enquanto o surdo perdeu a serventia desde a briga provocada em nossa sede pelo irascível e insensível dono do imóvel. A diretoria tentou prestar queixa contra o brutamontes para uma futura ação de indenização, mas era noite e a delegacia estava fechada.

Diferente de seu primo rico do bairro Cirurgia – o Rasgadinho -, o Bloco Os Quebradinhos não pode se habilitar a verbas públicas pela óbvia falta de certidões negativas, e não consegue fechar parcerias com empresários por puro preconceito destes, que temem comparações com pessoas sem eira nem beira, como são os distintos filiados dessa secular agremiação momesca.

Por fim, a diretoria de Os Quebradinhos conclama a sua legião de abnegados sócios a continuar com a alta estima, sempre demonstrada em épocas de crise. Informa, ainda, aos simpatizantes do bloco que vai trabalhar com afinco, embora esteja sem um tostão furado, para sair às ruas dessa bela Aracaju com uma bem aparelhada quadrilha durante os festejos juninos.

PS: A direção de Os Quebradinhos agradece a gentileza do colunista que, entendendo a gravidade da situação vivida há anos pelo bloco, nada cobrou pela veiculação desta Nota Oficial. No que fez muito bem.

A diretoria

Ralo abaixo

O estoque de empregos com carteira assinada no país diminuiu 0,32% em janeiro. Foi o pior resultado desde 1996. Além disso, há nove anos não havia perda de vagas em janeiro. É a “marolinha” de Lula fazendo mais estragos do que se imaginava. No resto do mundo a situação é ainda pior.

Braille deficiente

A aceitação obrigatória de crianças cegas nas escolas não é suficiente, apesar de o sistema braille já está universalizado no Brasil. A advertência é da Comissão Brasileira do Braille. A entidade defende que o deficiente visual seja tratado dentro das mesmas condições que o aluno que enxerga – com livros transcritos, equipamentos adaptados e professores devidamente orientados. Quase 200 anos após o surgimento do braille, o mercado brasileiro de publicações parece não estar preparado para atender a demanda de livros transcritos.

Semi-novos em baixa

O setor de revenda de automóveis teve uma recuperação entre 12% e 15% nos meses de dezembro e janeiro passados. A situação ainda não está normalizada porque em outubro do ano passado as vendas caíram 50%. De acordo com o último balanço divulgado pela Localiza, empresa de aluguel de automóveis e também vendedora de semi-novos, a receita líquida com esse tipo de carro caiu 14,4% no quarto trimestre do ano passado, em decorrência da queda de 11,5% no volume e de 2,2% no preço médio das unidades comercializadas.

Empregos mantidos

Uma boa notícia para os empregados da Vale. A mineradora não tem intenção de efetuar novas demissões, além das 1.300 dispensas registradas no ano passado. A direção da empresa informou que os ajustes promovidos o ano passado pela Vale em sua mão-de-obra tiveram como pano de fundo a prioridade da manutenção do nível de empregos. Segundo a direção da mineradora, na comparação com a indústria de mineração, a posição da Vale é melhor do que outras empresas que registraram perdas de vagas.

Aposta em 2009

Depois de um 2008 com recordes de vendas seguidos de quedas bruscas nos negócios por conta da crise econômica mundial, a expectativa da construção civil para 2009 é de
retomada da confiança. No mercado imobiliário, o segmento popular (famílias com renda de até R$ 2 mil que buscam moradias na faixa de R$ 60 mil) e o econômico (imóveis de até R$ 235 mil) devem puxar as vendas em 2009. Somados às medidas governamentais de incentivo ao setor prometidas para o pós-carnaval, os investimentos públicos em infra-estrutura previstos para 2009 são a outra aposta para restabelecer o crescimento da construção civil

Lata d´água

Apesar de a Deso ter suspendido o rodízio de água em Aracaju, a “fantasia” carnavalesca mais cumum na periferia da cidade é a tradicional lata d´água na cabeça. A empresa informou que a suspensão ocorreu devido à pequena recuperação do rio Poxim, mas nos bairros mais altos da capital a água não está chegando nas torneiras. Para as pessoas que continuam recorrendo a poços artesianos e à bondade dos vizinhos, só resta uma saída: rezar para São Pedro abrir as portas do Céu.

Viajando menos

A qualificação da mão-de-obra da rede hoteleira sergipana é uma necessidade para melhorar os serviços prestados e, conseqüentemente, atrair mais turistas para Sergipe. O conselho é de Ailton Junior, diretor de operações da Turise Operadora de Viagem, empresa que tem matriz em Aracaju e filial em Salvador. Segundo ele, a crise internacional afetou as agências de viagens brasileira, que sentiram uma redução de 30% nas vendas.

Tanto faz

O álcool combustível está competitivo no tanque dos carros flex em 15 Estados, de acordo com dados da ANP. A vantagem é calculada considerando que o consumo energético do motor a álcool é de 70% dos motores à gasolina. Segundo a Agência Estado, em Sergipe é indiferente utilizar álcool ou gasolina.  O levantamento também revela que o preço médio do álcool combustível caiu em nove Estados e subiu em 16. Sergipe está entre os que registraram maior queda: 0,08%.

Cidade tranqüila

Diferente da muvuca em que se transformaram Salvador, Recife, Olinda e o Rio de Janeiro, a nossa Aracaju parece até um paraíso neste carnaval. As ruas e a avenidas ficaram livres para os poucos carros que circulam na capital e as praças são um convite para apreciar a calmaria da cidade. Quem decidiu fugir dos agitos momescos dos grandes centros também dispõe de belas e ensolaradas praias. Os amantes do carnaval têm folia nos bairros de Aracaju e na Barra dos Coqueiros, Pirambu, São Cristóvão e Neópolis, entre outros. Aproveitem que é só até amanhã.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários