Palanque desarmado

0

Passadas a campanha e a eleição para o governo de Sergipe chegou a hora de desarmar o palanque, montar a equipe de auxiliares e esperar janeiro chegar para colocar em prática o que foi prometido nas ruas. Nas primeiras entrevistas concedidas já como governador reeleito, Jackson Barreto (PMDB) demonstrou desejo de fazer uma administração voltada principalmente para a saúde, segurança e educação. Terá menos problemas do que seu antecessor Marcelo Déda (PT), pois os sergipanos elegeram uma maioria governista na Assembleia. Isso significa dizer que o peemedebista não terá dificuldades para aprovar os projetos oriundos do Executivo. Aos 70 anos de idade e mais de 40 de vida pública, Jackson terá agora a grande oportunidade de entrar para a história como o governador que mais realizou pelos sergipanos. E vontade para tanto não lhe falta.

O que houve?

Desde ontem não se vê mais na mídia a massiva propaganda que a Prefeitura de Aracaju inundou rádios, jornais e televisões por algumas semanas. O volume de anúncios era tão grande que chegava a ser veiculado duas vezes no mesmo bloco de comercial. Foi só ter acabado a eleição para, como num passe de mágica, a propaganda sumir da mídia. O que teria acontecido?

Pendura a chuteira

E Jackson Barreto surpreendeu ao anunciar que não disputará outras eleições. “Vou encerrar a carreira política como governador”, prometeu. A notícia deve ter soado como música para os ouvidos dos irmãos Amorim. É, pois se JB decidisse disputar uma vaga para o Senado em 2014, o senador e candidato derrotado ao governo Eduardo Amorim (PSC) já ia ficar sem dormir desde já.

Gazeteiros

A sessão de ontem na Assembleia foi encerrada minutos após ter sido aberta. É que a grande maioria dos 24 deputados não deu o ar da graça em plenário. Segundo publica hoje o Jornal da Cidade, só “bateram o ponto” Antônio dos Santos (PSC), Gustinho Ribeiro (PSD) e Gilson Andrade (PTC). E ainda tem parlamentar que reclama porque o eleitor não reconhece o trabalho dele. Que trabalho?

E Sukita?

A principal liderança do PSB sergipano, senador Antônio Carlos Valadares postou no twitter que está “muito feliz e grato ao povo de Sergipe pela luta vitoriosa de Jackson Barreto, Belivaldo Chagas, Valadares Filho e Luciano Pimentel”. Ué, por que será que o senador não incluiu Manoel Sukita (PSB) nesta relação, já que o moço obteve uma excelente votação nas eleições de domingo?

Quer distância

Veja o que publica hoje no Correio de Sergipe o colega Diógenes Brayner: O governador Jackson Barreto pediu aos peemedebistas que não votaram no 15 que peçam para sair “antes de iniciarmos o processo de expulsão”. O recado deve ter alcançado em cheio o ex-deputado Jorge Alberto, que deixou o governo enfezado e apoiou o candidato Eduardo Amorim (PSC).

Vacas magras

Um radialista dizia ontem que, a partir de janeiro, o dublê de empresário e político Edvan Amorim (PR) deve arrendar sua rede de emissoras de rádio. É que, segundo o moço, deve acabar a gorda ajuda financeira dada pela Assembleia em forma de propaganda e, certamente, o governo não anunciará na rede Ilha se ela continuar sob o comando de Edvan. A não ser que ele esteja preparado financeiramente para manter as emissoras durante o período de vacas magras que se avizinha.

Novo dígito

A partir de 2015, os telefones celulares de Sergipe passarão a ter mais um número. Com a mudança, o dígito 9 será acrescentado à esquerda dos atuais números. No momento da discagem, o nono dígito deverá ser acrescentado por todos os usuários de telefone fixo e móvel que liguem para telefones celulares de Sergipe, independentemente do local de origem da chamada.

Justificativa

Os eleitores que não compareceram e não explicaram a ausência nas eleições de domingo, poderão apresentar a justificativa até dezembro. Os ausentes também podem optar por pagar multa de R$ 3,51, bastando se dirigir a um cartório eleitoral portando o título de eleitor. Mesmo não tendo votado e nem justificado a ausência de domingo, o cidadão pode votar no segundo turno das eleições.

Bancada rosa

A nova composição da Assembleia será menos feminina, tendo apenas quatro mulheres: Sílvia Fontes (PDT), Maria Mendonça (PP), Goretti Reis (DEM) e Ana Lúcia (PT). Nas eleições de 2010 os sergipanos elegeram seis deputadas estaduais: Angélica Guimarães (PSC), Susana Azevedo (PSC), Conceição Vieira (PT), Maria Mendonça, Goretti Reis e Ana Lúcia. Susana e Angélica não disputaram o pleito de domingo porque viraram conselheiras do Tribunal de Contas, enquanto Conceição não se reelegeu.

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano A Notícia em 3 de setembro de 1897

Resumo dos Jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais