Palavras e palavras

0

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) precisa assumir o comando da nau governista, que está à deriva nesse momento de mar revolto. Há um clima de tensão e nervosismo da sociedade, com a evolução da crise social que se aprofunda, enquanto os teóricos do Partido dos Trabalhadores enxergam estabilidade e até decantam um crescimento na economia, baseado numa deflação, que não fora provocada por medidas de um programa definido para esse objetivo. A queda da inflação decorreu de uma retração na produção, excesso de oferta e inibição na demanda. De resto, o país vive os melhores momentos para aplausos da oposição petista. Seis meses é tempo suficiente para que a sociedade começasse a sentir segurança nos seus governantes. Mas, o que se assiste, é um abuso de invasões dos sem terra e sem teto, numa ousadia e violência estranhas dessas entidades que convivem sob a proteção petista, e um índice de desemprego que começa a preocupar. É triste ver 135 mil pessoas concorrendo a vagas de garis, na Prefeitura do Rio de Janeiro. Do montante, 15% são de nível superior. Advogados, engenheiros e economistas querendo a vaga de gari para garantir um mínimo de renda… Neste momento em que se aprofunda a crise política, provocada pelo autoritarismo de um grupo que lutou pela democracia plena, verifica-se que as convicções ideológicas não passavam de encenações hipócritas para chamar a atenção da sociedade. Nenhum presidente eleito depois do golpe de 1964, teve posições tão ditatoriais como a do presidente Lula, que utiliza instrumentos abusivos para fazer valer a sua vontade, como é o caso da mudança inesperada de parlamentares que, na imaginação dos donos do poder, podem votar contra ao que o Planalto quer empurrar goela abaixo de um povo que se sente frustrado em ver a continuidade de um regime de força, que a união da maioria conseguiu derrubar. O fato é que Lula apenas discursa. Quem manda mesmo é o bruxo José Dirceu e o troncudo Palocci. O presidente é uma espécie de ventríloquo dos dois. Não tem preparo para administrar um país de dimensões continentais e de uma infinidade de distorções sociais. Ora, se a mão de obra qualificada está sobrando na praça, num dos maiores índices de desemprego do país, por que comemorar o lançamento de um programa como o Primeiro Emprego? O presidente Lula da Silva não deve viver de projetos que se apresentem como ornamento de uma Administração progressista e diferenciada. O Fome Zero é um blefe absoluto, até porque o metalúrgico que migrou de Pernambuco para São Paulo sentiu na pele que rico não dá nada a pobre. Então, como se esperar que um projeto apelativo, em que se prega a bondade de “quem come ajudar a quem não come”, dê certo? É pura utopia. Talvez um delírio de quem anda viajando muito e se imagine em uma tremenda nave de ficção. O vai e vem das decisões para as reformas da Previdência e Tributária. A teimosia em taxar os inativos e a insensatez de favorecer os estados ricos em detrimento dos mais pobres, passam um clima de insegurança naquilo que o presidente realmente pretende. Além disso, o descontrole total da situação. A patetice de colocar um boné do MST na cabeça, os impensados discursos de improviso e as contradições entre o presidente e seus principais ministros, colocam à frente da sociedade um cenário de circo. Pior do que tudo isso: a invasão da Câmara Federal pela Polícia Militar, que bateu em trabalhadores – bem vestidos ou não, além do assassinato de um fotógrafo da revista Época, por um dos companheiros que não têm teto. É difícil lembrar o dia que policiais militares distribuíram porretadas dentro das salas de um poder que representa o povo. Bater, arrebentar e prender, no mesmo ritmo da ditadura. Só que isso acontecia do lado de fora do legislativo, como se deu na votação do projeto das “Diretas Já”, do então deputado Dante de Oliveira. Nem o truculento “general Nini” ousou invadir o Congresso. Que Lula repense. Que os seus orientadores reflitam e promovam o Brasil que o PT sempre pregou. Não isso que está aí, que é uma reprise de Governos anteriores. O povo brasileiro precisa de um presidente que tenha uma visão mais ampla dos seus problemas e ofereça projetos consistentes de solução. RECADO A fonte é do presídio de São Cristóvão: o detento Marcos Munganga já teria sido avisado de que a sua fuga estava sendo organizada. Acrescenta que há mudanças no comportamento do preso e que, se não houver segurança, poderá sair de lá até através de helicóptero. RETRIBUIÇÃO A liberdade de Marcos Munganga é um reconhecimento por tudo que ele fez para isentar Floro Calheiros de qualquer participação no assassinato de Joaldo Barbosa. A fonte do presídio confirma que algumas regalias foram suspensas, mas a maioria dos detentos já considera a saída de Munganga como fato consumado. FANTASIA O secretário das Finanças da Prefeitura de Aracaju, Nilson Lima, considerou “uma fantasia” os prefeitos municipais anunciarem queda de 50% no Fundo de Participação Municipal. “Não há fundamento nessa história de que houve queda de 50% do FPM. É um exagero dos prefeitos do interior, porque estão fazendo uma comparação inadequada”. QUEDA Nilson Lima diz que não houve queda nos meses de maio e junho: “Teve um crescimento nominal acima de 30%, em relação aos mesmos meses, no ano passado”. Ensinou que não se pode comparar Julho a junho e maio deste ano. O correto é aferir com relação ao ano passado. “Comparar com esse ano, realmente há uma grande queda”. PROBLEMA Nilson Lima explica que houve contingenciamento de recursos referentes aos anos de 2002 e 2003, que não eram esperados. É possível que algumas Prefeituras tenham gastado recursos destinados a outros segmentos, confiando na liberação do dinheiro, o que não aconteceu e complicou a vida do município. ALIADOS Os aliados do governador João Alves Filho estão preocupados com a paralisação das atividades políticas, quando agora em setembro se inicia a dança das filiações. Segundo um deles, o próprio PFL teoricamente não existe em Sergipe, porque até agora João Alves não assinou a ata ao TRE, comunicando o novo Diretório Estadual. PREFEITURA Um possível candidato a prefeito lembrou que o governador João Alves Filho trabalhou quatro anos para retornar ao Governo do Estado. Como ele próprio sabe que as coisas não podem ser as pressas, não deve esperar a convenção de 30 de junho para lançar o candidato. NOMES O pessoal citou que existem três nomes que podem disputar a Prefeitura de Aracaju: Almeida Lima, Pedrinho Valadares e Susana Azevedo. Acha que já está na hora de se trabalhar esses nomes e mostrar quem será o candidato, para que se comece a buscar formas de competitividade. DENÚNCIA Está acontecendo uma nova prática de sonegação ICMS em Itabaiana: o cidadão abre a firma, não recolhe o imposto e vive à base de liminar judicial. A denuncia é grave porque tem muita gente enriquecendo através desse procedimento, que envolve até pessoas importantes da cidade. TRABALHO O PPS está começando a trabalhar firme para filiação de nomes que fortaleçam o partido. Susana Azevedo, Ivan Paixão e César Mandarino estão caindo em campo. O presidente regional do partido, Ivan Paixão, está começando a quebrar arestas, para que o partido volte a se unir, buscando inclusive os históricos. FABIANO Há comentários de que o deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) está trabalhando para disputar a Prefeitura da Barra dos Coqueiros, no próximo ano. A informação é estranha porque Fabiano deseja ser o companheiro de chapa na disputa pela Prefeitura de Aracaju, que tem Marcelo Deda como candidato à reeleição. JACKSON Jackson Barreto (PTB) considerou absurda a ação da Polícia na Câmara Federal: “durante a ditadura fiquei na linha de frente para que o Congresso não fosse invadido”. Segundo Jackson: a Câmara tem segurança para isso… O deputado fez uma observação: “no movimento de ontem havia uma diferença. As pessoas eram bem arrumadas, estranhas àquelas que sempre estiveram à frente das mudanças”. SUDENE O governador João Alves Filho viaja, segunda-feira, a Fortaleza, para participar do anuncio oficial da reabertura da Sudene, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A nova Sudene vai articular e fomentar a cooperação das forças sociais representativas, para promover o desenvolvimento do Nordeste. Notas APLICAÇÃO O deputado federal José Carlos Machado quer informações detalhadas do ministro da Integração Social, Ciro Gomes, sobre a aplicação de recursos de Fundos Constitucionais. O deputado vê falta de transparência nas prioridades e destino desses investimentos. Ele quer detalhes sobre as aplicações. “Ninguém sabe nada desses recursos e a dinheirama é grande”, declara Machado. Como as verbas saem do orçamento direto para o Ministério da Integração e depois para os bancos, Machado quer explicações de Ciro Gomes. MARIETA A professora Marieta Falcão (PMN) através de interlocutores, diz que não é mais aliada do presidente do Diretório regional do PTB, deputado federal Jackson Barreto. Segundo a mesma fonte, Marieta não tem se encontrado com Jackson e evitado reuniões ou conversas com o parlamentar. Como não foi Marieta a autora da informa-se, abre-se uma brecha para se imaginar que se trata de uma estratégia, já que ela agora está num cargo comissionado do Estado e não pegaria bem aparecer ao lado de um adversário do Governo. FRANCO O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco (PPS), viajou a Brasília para participar da reunião nacional do partido, que está discutindo os projetos das reformas da Previdência Social e Tributária. Ficou animado com a união do partido, embora se verifiquem passos contra os projetos do Governo Federal. Franco ficou surpreso com as manifestações dos servidores no Congresso Nacional, sobretudo porque houve uma ação firme da Polícia contra os servidores. Pela primeira vez ele viu trabalhadores sendo agredidos no Governo petista. É fogo O livro do governador João Alves Filho, lançado ontem no Congresso, tem merecido reflexão de parlamentares e técnicos no setor energético. A deputada Lila Moura satisfeita com o processo de construção da ponte sobre o rio Sergipe, que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros. Félix Mendes viaja hoje ao Rio de Janeiro, mas pode voltar imediatamente, caso o Governo decida que vai fazer o Forrozão da rua Siriri. A partir do próximo mês começa a dança das filiações partidárias, para quem pretende disputar Câmara de Vereadores e Prefeituras. José Raimundo Ribeiro está conseguindo a união da família para apoiá-lo à Prefeitura de Lagarto. Mas ainda faltam algumas conversas. Já o prefeito de Lagarto, Zezé Rocha (PTB), está certo como candidato à reeleição, tendo como vice o ex-prefeito Jerônimo Reis (PTB). Dia 5 de agosto o deputado estadual João da Graça terá que apresentar sua defesa à Comissão de Ética da Assembléia Legislativa. Depois da fuga e entrevista de Floro Calheiros, do sumiço de Antônio Francisco, a Polícia não está bem com a opinião pública. A Prefeitura de Aracaju não demonstra problemas com o Fundo de Participação Municipal e continua trabalhando a todo o vapor. O superintendente da Codevasf, Paulo Viana, tem como proposta de trabalho o desenvolvimento da região do baixo São Francisco, para reduzir as desigualdades sociais. As associações de prefeitos de Sergipe estão se movimentando para o encontro na ponte que liga Sergipe a Alagoas. Está previsto para o dia 8. Os contatos dos prefeitos estão sendo feitos com associações do Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Um nome de expressiva liderança política do Estado está se filiando ao Partido Liberal, em setembro. Heleno Silva vem trabalhando em silêncio… Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais