Pancadaria em Déda

0

O deputado federal Jackson Barreto (ainda PMN) revelou, ontem, que estava em uma roda de políticos, em Brasília, onde também se encontrava um ministro, cujo nome preferiu não revelar para evitar problemas. O deputado disse que o auxiliar do presidente Lula da Silva confidenciou que a maioria dos membros do Governo Federal estaria chateada com os veículos de comunicação de Sergipe, porque promoviam uma verdadeira pancadaria no prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT). O ministro acrescentou que Déda é um dos políticos mais queridos no Planalto, muito ligado ao presidente da República e que já foi líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara Federal, quando exerceu um mandato parlamentar. Teria revelado que esse tipo de críticas violentas tem atingido o partido como um todo “e Marcelo Déda é um dos nomes mais respeitados dentro do PT”. Segundo ainda informações do deputado federal Jackson Barreto, que levou sua preocupação ao seu colega José Carlos Machado (PFL), o ministro teria dito que se um prefeito filiado ao Partido dos Trabalhadores, próximo ao presidente e que tem força na cúpula decisória da legenda, vem sendo massacrado por órgãos de comunicação obedientes ao Governo do Estado, que tem à frente um dos membros do PFL, o presidente Lula da Silva também pode se sentir no direito de dar o troco às pretensões do governador sergipano. O ministro, segundo Jackson, teria até ameaçado: “é, vamos esperar o governador aqui, para ver o tratamento que devemos lhe dar”. Numa análise fria e rápida, o auxiliar direto do presidente teria cometido uma imprudência, para não dizer uma insanidade, ao anunciar que o povo de Sergipe seria punido em razão de divergências políticas existentes dentro do Estado. Seria de uma irresponsabilidade inacreditável… Jackson Barreto aproveitou para reafirmar que, no seu entender, a pancadaria que setores da imprensa estaria promovendo no prefeito Marcelo Déda, seria por determinação do Governo do Estado, citando nominalmente o governador João Alves Filho e a primeira dama Maria do Carmo Alves, como responsáveis por esse clima. Quando foi avisado por Jackson Barreto das declarações do ministro e ameaça de retaliação através de uma ação do Governo Federal, o deputado José Carlos Machado perguntou: “e existe campanha contra o prefeito Marcelo Déda?” Jackson se apressou em confirmar: “existe, e acirrada”. Machado disse que iria conversar com aliados e pessoas diretamente vinculadas ao Governo, para tomar pé da situação. Lembrou sua amizade pessoal com Marcelo Déda e considerou tudo isso muito estranho, porque “o embate político terminou em outubro e o objetivo agora é unir força em favor do Estado como um todo”. José Carlos Machado ponderou, entretanto, que pode ser o problema entre o vereador Antônio Samarone, aliado do prefeito, que tem feito críticas grosseiras e extremamente fortes contra Marcelo Deda, e a imprensa esteja divulgando isso, porque se trata de um fato inusitado: “seria como eu criticar violentamente o governador João Alves Filho. Certamente a imprensa daria uma ampla divulgação”. Na realidade estão se registrando alguns complicadores dentro da política petista implantada na capital, porque o prefeito Marcelo Déda é isolado pelos três vereadores do seu partido, que discordam da forma como ele administra o Município. Evidente que a posição de vereadores do PT, contra uma administração do PT é notícia em qualquer lugar, independente da chapa branca que pode expor setores da imprensa. É preciso saber como essas notícias estão chegando ao Planalto e quem as leva, porque não se deve combater excessos políticos cometidos em uma cidade, com a retaliação de um presidente da República, como Luiz Inácio Lula da Silva, a um Estado que sempre lhe deu os mais altos índices nas urnas. É difícil acreditar nisso. É mais provável que o ministro não tivesse nos seus melhores momentos de sanidade mental ou que seja um desequilibrado a ponto de fazer ameaças levianas do tipo. A sociedade sergipana não tem culpa das divergências de lideranças partidárias e nem por ter – se fosse o caso – uma imprensa submissa. Sinceramente, isso não faz sentido… BEIRA MAR O perigoso traficante Fernandinho Beira-Mar agora é nosso vizinho. Está bem ali, na Superintendência da Polícia Federal de Alagoas, que tem custódia. Fernandinho chegou, ontem, no final da tarde. Para lá foram enviados agentes de Sergipe, Pernambuco e do Comando de Ação Tática da Polícia Federal. MUDANÇAS O governador João Alves Filho (PFL) não está satisfeito com alguns dos seus auxiliares e pensa em fazer mudanças ao completar três meses de Governo. Segundo uma fonte bem avisada, as mudanças ainda não foram feitas em razão do pouco tempo de administração, o que não seria bem compreendido pela sociedade. RAZÕES Um dos auxiliares, que deveria surpreender pela sua habilidade, não realizou qualquer trabalho e anda muito divagar para o ritmo de Governo. O outro provoca problema por alguns compromissos firmados e pela forma como está levando a Pasta, praticamente sem resultados. PRODUÇÃO Segundo ainda a mesma fonte, o governador João Alves Filho (PFL) não está querendo se envolver na parte política do Governo. Só entra em última instância… A preocupação maior é com o que sua Administração pode fazer para mudar Sergipe. Trabalha em projetos de empreendimentos que gerem emprego e renda. LIGAÇÕES Chegou a documentação de Brasília que trás todas as ligações, dia e horário, entre os acusados do assassinato do deputado estadual Joaldo Barbosa. Técnicos da Polícia Federal vieram de Brasília para fazer o cruzamento de todas as ligações, que comprovam a relação entre os envolvidos. É um prova material importante no processo. DESMANCHA A comprovação dos telefonemas, com todos os horários e dias, desmancha todas as declarações de não envolvimento dos presos no crime. Esse era o documento que a Polícia estava esperando com certa ansiedade, porque são dados reais, acrescidos dos que ela já tem, além das confissões dos assassinos. LICENÇA O deputado estadual Antônio Francisco (PL) entrou com um novo pedido de licença, quarta-feira passada, por mais 15 dias. Antônio Francisco estava decidido a participar da sessão plenária da quarta-feira, mas foi aconselhado a não comparecer ao local. RETIRADA Todos os deputados estaduais já fizeram um acordo: se Antônio Francisco comparecer à Assembléia Legislativa, eles se retiram do plenário. Além disso, os deputados também resolveram não receber mais telefonemas dele. Vão evita-lo de todas as formas. CASSADO Na opinião da maioria dos deputados, Antônio Francisco já está cassado, pelo envolvimento do filho no assassinato de Joaldo Barbosa, mesmo que ele não tenha culpa. Alguns parlamentares acham que o deputado deveria renunciar ao mandato para evitar o constrangimento da cassação, que a uma altura dessas é inevitável. E-MAIL Vilma de Oliveira, “moradora e sofredora”, de Canindé do São Francisco, manda e-mail a Plenário denunciando casos pitorescos da administração da prefeita Rosa Maria. Vilma diz que a prefeita, orientada por um tal de “Marambaia”, fechou um Posto de Saúde da Família no município, porque acha que pagando a um médico sai mais barato, “e ela com o tal Marambaia e outros, embolsam o resto”. LEVANTE Segundo ainda Vilma, “a população está se organizando junto com os Sem Terra, para fazer um levante na cidade, em decorrência dessas atitudes da prefeita e seus auxiliares”. A prefeita de Canindé não atendeu a Plenário para responder à acusação, mas sua secretária, de nome Marta, disse apenas que desconhecia as denuncias de Vilma. ENCONTRO Os deputados federais Jackson Barreto, Heleno Silva, João Fontes e o senador Antônio Carlos Valadares tiveram um encontro, ontem, no final da tarde, com o ministro José Dirceu. O pessoal quis saber quando serão resolvidas, definitivamente, as nomeações para cargos federais em Sergipe. O encontro ocorreu na sala da liderança. JANTAR O deputado federal Jackson Barreto disse ontem que vem sendo convidado para ingressar no PTB, mas que ainda não decidiu e não tem nada definido. Jackson participou de jantar do partido, quarta-feira, na casa do deputado José Carlos Martinez, “só para ver o espírito de fraternidade dos petebistas”. RODOVIA A bancada federal de Sergipe terá audiência, na próxima semana, com o ministro dos Transportes, Anderson Adauto, para discutir a situação da BR-101 no Estado. Também acompanhará a bancada um deputado estadual e o secretário da Infraestrutura, João Durval, para que fortaleçam a posição da bancada.. Notas TELEFONE Segundo informação cedida por uma fonte bem avisada da Secretaria de Segurança Pública, a Polícia foi informada que o delegado Edvalson Junior, que se suicidou em um compartimento de motel, deu telefonemas para a portaria avisando que tinha gente querendo entrar no quarto. Segundo a Polícia, isso não foi constatado pelos seguranças da Casa. Apesar das fortes evidências de suicídio, a Secretaria de Segurança determinou um levantamento de tudo o que aconteceu durante o período em que Edvalson permaneceu no motel, porque considera que nenhuma hipótese pode ser descartada. PRIMEIRO O corpo do delegado José Edvalson foi o primeiro a ser enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, localizado no bairro Jabotiana. O velório e o sepultamento contaram com a presença de vários colegas de trabalho, entre delegados e agentes policiais. O secretário de Segurança, Luiz Mendonça, não teve permissão de participar do sepultamento. Durante o velório havia comentários de que, na carta deixada para a mulher, datada de 18 de março, ele pedia que a criança que ela carrega na barriga há quatro meses, caso seja homem, que tenha o nome de João. Não explicou as razões… FABIANO O desempenho do Banese foi elogiado pelo deputado estadual Fabiano Oliveira, sem partido. Ele está preocupado com a possibilidade do Governo do Estado privatizar o Banese, considera um dos mais saudáveis do país. O banco, inclusive, tem se destacado entre outros grandes bancos brasileiros, como um dos que tem melhor desempenho financeiro. O líder do Governo, deputado Venâncio Fonseca, tem tranqüilizado o seu colega Fabiano Oliveira, garantindo que o governador João Alves Filho (PFL) até agora não manifestou qualquer pretensão de vender o Banco do Estado. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários