Pequenas, porém importantes informações sobre o Idoso

0

Quando alguém encontra seu caminho precisa ter coragem suficiente para dar passos errados. As decepções, as derrotas, o desânimo são ferramentas que Deus utiliza para mostrar a estrada (Paulo Coelho).

Antes de mais nada, devemos definir quem é o idoso, ou seja quem é uma pessoa considerada de terceira idade, a Organização Mundial da Saúde classifica cronologicamente como idosos as pessoas com mais de 65 anos de idade em países desenvolvidos e com mais de 60 anos de idade em países em desenvolvimento.

As pessoas idosas têm habilidades regenerativas limitadas, mudanças físicas e emocionais que expõem a perigo a qualidade de vida dos idosos, ou seja são fatores que podem levar à síndrome da fragilidade, conjunto de manifestações físicas e psicológicas de um idoso onde poderá desenvolver muitas doenças.

O estudo a respeito do processo de envelhecimento é chamado de gerontologia, e o estudo das doenças que afetam as pessoas idosas é chamado de geriatria.

Isso posto vamos iniciar sugerindo algumas pequenas mudanças de atitudes para melhorar a qualidade de vida do idoso:

Cuidar de ter uma alimentação saudável,ou seja utilizar-se sempre de cardápios variados (frutas, peixes, grãos e vegetais), e consultar sempre um Nutricionista.;

Ter uma atividade física regular, de preferência com acompanhamento técnico especializado, sabe-se que uma boa caminhada beneficia o sistema motor e cardiovascular;

Procurar manter uma vida social ativa: dançar, freqüentar festas, estar com amigos são atitudes que melhoram o humor e combatem a solidão/ depressão;

Sempre que possível exercitar a mente com boas leituras, participar de grupos e fazer palavras cruzadas;

Lembrar que a Vida é um Ciclo, e por isso acreditar e aceitar as frustrações e as perdas;

Pensar positivo, buscar o lado bom da vida,e procurar ter bom humor;

É muito importante procurar trabalhar cedo a questão da aposentadoria, no sentido de diminuir o nível de dependência no futuro.

Por fim, ou inicialmente, não esqueça de visitar regularmente um médico de Sua Simpatia e de Sua confiança.

Melhor idade e internet

Faça um teste: pesquise no Google a frase “computador faz bem à terceira idade” e perceba, num instante, como a população da chamada Melhor Idade tem aderido à era do computador e da internet. Na busca, você obterá cerca de 180 mil acessos, confirmando números que institutos de pesquisa de renome, como o Ibope, têm divulgado: atualmente, mais de 1,2 milhões de pessoas com mais de 55 anos acessam a web de casa, sem contar os que frequentam as lan houses, portanto é uma prova mais do que suficiente para afirmar que a web se tornou mais uma forma de entretenimento aos idosos e uma nova possibilidade de relacionamento.

Evitar com pequenos cuidados o risco de uma queda (geralmente em casa)

Segundo a Fundação Nacional para Estudos Sobre Osteoporose dos Estados Unidos, um terço das pessoas com mais de 65 anos sofre algum tipo de queda anualmente, sendo que do total desses acidentes, três em cada quatro acontecem dentro da própria casa, isso por quê a suposta segurança do ambiente caseiro torna-se um dos fatores mais favoráveis às quedas no lar.

É muito importante salientar que existe uma crença de muitos de que basta o idoso estar em casa para estar seguro, o que na prática mostra-se que é uma máxima completamente falsa, por isso é bom lembrar que a casa pode se transformar numa verdadeira armadilha, se não for adaptada às limitações do idoso.

Para as mulheres, geralmente, as quedas têm maiores conseqüências por causa da osteoporose, doença que afeta cerca de dez milhões de brasileiros e que enfraquece os ossos tornando-os suscetíveis a fraturas até nas situações comuns do dia-a-dia, de acordo com as Entidades que estudam e trabalham com Osteoporose no Brasil.

Algumas sugestões para tornar a casa mais segura:

Coloque corrimão nos dois lados da escada, se possível, marque o primeiro e o último degrau de cada lance com uma fita brilhante;

Nunca suba ou desça escadas sem acender a luz;

Tenha sempre a casa bem iluminada, principalmente use luz de cabeceira ou um interruptor que possa ligar antes de se levantar;

Certifique-se de que todos os interruptores da casa podem ser facilmente alcançados, mesmo se o idoso estiver caído no chão;

Verifique todos os pisos de madeira para ver se existem saliências onde possa tropeçar, e elimine os tapetes

Evite ter superfícies enceradas, ou inadequadamente lisas

Afaste os fios elétricos e de telefone para junto das paredes;

Instale barras de apoio nas paredes junto à banheira ou chuveiro e junto ao sanitário.

Alguns “cuidados” para com o cuidador do idoso 

Peça fundamental e imprescindível no tratamento de idosos dependentes, o cuidador tem um trabalho difícil, que muitas vezes gera frustração e estresse, além disso sabemos que não existem fórmulas prontas para assistir a um dependente – “cada caso é um caso”, ou seja com o passar do tempo e a convivência com o idoso a pessoa vai, aos poucos, encontrando sua própria maneira de cuidar do idoso.Porém torna-se bastante importante que não se deixe de dar assistência ao próprio cuidador, ou seja devemos vê-lo como membro da família e parte importante da casa, que são atitudes básicas que o ajudam a se considerar reconhecido, mas é preciso estar atento para não tornar o trabalho desgastante e chegar a um nível insuportável.

Podemos encontrar vários manuais do “cuidador” à disposição no mercado, listamos a seguir algumas dicas do manual do Ministério da Saúde:

• Aprenda a relaxar;

• Faça caminhadas e massagens;

• Tenha uma atividade prazerosa, como pintura, bordado, dança, etc;

• Reserve um tempo para si mesmo;

• Tire férias e peça ajuda de um parente para ajudá-lo com o idoso;

• Participe de encontros de cuidadores com profissionais da saúde para esclarecer dúvidas sobre o trato com o idoso.

Doenças mais frequentes nos Idosos ( Fonte:Ministério da Saude ):

1 – Doenças Cardiovasculares: Infarto, Derrame, Angina, Insuficiência Cardíaca

Fatores de risco: Pouca atividade física (sedentarismo), pressão alta, fumo, diabetes, alta taxa de gordura no sangue (colesterol) e obesidade (gordura).

Sintomas: Falta de ar, tontura, desmaio, dor no peito, inchaço, palpitações.

Prevenção: Praticar atividade física de forma sistemática, não fumar e controlar o peso, a pressão arterial, o colesterol e a diabetes.

2 – Pneumonia
Fatores de Risco: Gripe, enfizema e bronquite anteriores, alcoolismo e imobilização na cama.
Sintomas: Febre, dor ao respirar, escarro, tosse.
Prevenção: Praticar atividade física de forma regular e sistemática, boa alimentação, vacinação contra gripe e pneumonia.

3- Enfizema e Bronquite Crônica
Fatores de Risco: Fumo, casos na família, poluição excessiva.
Sintomas: Tosse, falta de ar e escarro.
Prevenção: Para de fumar, manter a casa ventilada e aberta ao sol

4- Infecção urinária
Fatores de Risco: Retenção urinária no homem e na mulher a incontinência urinária.
Sintomas: Ardor ao urinar e vontade freqüente de urinar.
Prevenção: Consultar um médico e tratar a infecção e sua causa.

5-Diabetes
Fatores de Risco: Obesidade, sedentarismo, casos na família
Sintomas: Muita sede e aumento no volume de urina.
Prevenção: Controlar o peso e a taxa de açúcar no sangue.

6-Osteoporose
Fatores de Risco: Fumo, sedentarismo, dieta pobre em cálcio, nas mulheres o risco é sete vezes maior.
Sintomas: Não há sintomas, em geral, é descoberta pelas complicações (fraturas).
Prevenção: Praticar atividade física de forma regular e sistemática, não fumar, comer alimentos ricos em cálcio.

7-Osteartrose
Fatores de Risco: Obesidade, traumatismo, casos na família.
Sintomas: Dores nas juntas de sustentação (joelho, tornozelo e coluna), e nas mãos.
Prevenção: Controlar o peso e praticar atividades física adequada.

Por fim convém recordar que no mundo inteiro, o número de pessoas com 65 anos de idade ou mais está crescendo mais rapidamente que antes, sendo que a grande maioria desse incremento acontece nos países desenvolvidos, por exemplo nos Estados Unidos, a percentagem de pessoas de 65 anos ou mais aumentou de 4% em 1900 para cerca de 13% em 1998, além disso sabemos que em 1990, cerca de 3 milhões de cidadãos atingiram 65 anos, já em 1998, o número de idosos aumentou para cerca de 34 milhões. O que se conclui de diversos estudos em diversos países em todos os Continentes é de que o número de idosos está crescendo no mundo porque também mais crianças atingem a idade adulta, e um numero cada vez maior de recursos diagnósticos e terapêuticos tem auxiliado a Medicina a aumentar a longevidade da nossa população.

Uma boa semana com muita paz e luz em seus corações…

MAKTUB…..

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários