PESQUISA & PESQUISAS

0

 

O deputado federal João Fontes, candidato a governador pelo PDT, apresentou projeto na Câmara Federal propondo o fim das pesquisas eleitorais, porque acha que elas induzem os eleitores indecisos ou aqueles que não gostam de dar o chamado “voto perdido”. Não passou nas comissões, mas a avaliação do eleitorado por empresas do ramo tem sido motivo de discussão por parlamentares, para que não influenciem o eleitorado, principalmente quando divulgadas às vésperas do pleito. Fontes antecipou ontem que o Ibope divulgará, amanhã à noite, através da afiliada da Globo no estado, pesquisa feita em Sergipe: “vai dar Déda em primeiro lugar, porque o Ibope hoje é Governo Federal. Não poderia ser diferente, porque foi assim quando Albano Franco era governador”.

Terça-feira passada, no dia em que o Ibope iniciava entrevistas em Sergipe para a divulgação da pesquisa na véspera do pleito, o Conselho Regional de Estatística (Conre), entrou com um pedido de suspensão, junto à Procuradoria Regional Eleitoral, da divulgação da pesquisa protocolada pelo Ibope no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Sergipe, “até que seja verificada a sua regularidade e lisura”. O documento, assinado pelo fiscal do Conre Denivaldo C. Fernandes de Oliveira, analisa os termos do pedido de registro e constata que o “Plano Amostral” apresentado pelo Ibope faz referência tão somente ao nível superior de escolaridade, quando de refere à variável “grau de instrução”. Acrescenta o Conre: “percebe-se que serão utilizados os mesmos parâmetros norteados da pesquisa realizada pelo Ibope e já publicada em 18 de agosto”.

A primeira questão levantada pelo Conselho Regional de Estatística referiu-se ao âmbito englobado pela pesquisa, considerado insuficiente para retratar, de forma correta, a intenção do eleitorado sergipano, “reduzindo a credibilidade dos resultados a serem encontrados, principalmente quando se sabe que a variável Escolaridade, em muitos casos, justifica a escolha dos eleitores entre os candidatos apresentados”. O Conselho questiona também o valor referencial utilizado pelo Ibope: “examinando-se os números constantes da pesquisa anterior (015/2006) observa-se que foi utilizado como percentual respeitante ao eleitorado com nível de escolaridade médio e superior o equivalente a 41%”. Dados do IBGE apresentados pelo TSE, mostram que esse percentual não ultrapassa os 24%, segundo informação obtida no site do Tribunal.

O Conre acrescenta que essas incorreções nos dados da pesquisa acabaram por torná-la tendenciosa. Em razão das falhas apresentadas em seus cálculos a avaliação alcançou uma margem de erro superior a 7%, comprometendo a confiabilidade do resultado final apresentado (o Conselho anexou Laudo Técnico). “Assim, partindo da premissa irrefutável de que a pesquisa em andamento se pautou nos mesmos indicadores da pesquisa anterior – responsáveis pelos erros insanáveis apurados – o que denota a existência de possíveis irregularidades no seu desenvolvimento”. Foi baseado na importância do papel exercido pelas pesquisas eleitorais no rumo do resultado final do processo, “que não pode ser objeto de manipulação”, foi que o Conselho Regional de Estatística resolveu requerer, “com a devida urgência”, o banco de dados utilizados e a suspensão da divulgação.

O Conre também comunicou à Procuradoria Regional Eleitoral que a Brasmarket Análise, Investigação de Mercado S/C Ltda, localizada em São Paulo, não cumpriu os requisitos legais para o registro de pesquisa eleitoral – protocolo 3885/2006 TRE-SE e registro geral 885/2006 – realizada no Estado de Sergipe. O problema é que Dário Nery e Ronald Amaral Kuntz, estatísticos responsáveis pela pesquisa, não possuem o registro exigido, segundo análise procedida no banco de dados do Conre (quinta região), o que os faz inaptos para registrar a pesquisa. O Conselho sugere que o registro da avaliação eleitoral só seja feito quando os dois estatísticos regularizem suas situações na região.

 

 

BOMBA!

A juíza de Aquidabã, Maria das Graças, deu voz de prisão ao promotor de justiça Rogério Ferreira da Silva, terça-feira, por volta das 16 horas, naquela cidade.

A determinação da juíza foi dada ao delegado assessor, que ao ver quem iria prender ficou nervoso, consultou seus chefes na SSP e a ordem de prisão não foi cumprida.

 

MOTIVO

O motivo de prisão chegou a ser fútil. A juíza não permitiu que o promotor despachasse e dormisse em uma sala do fórum de Aquidabã.

Rogério está na cidade para trabalhar nas eleições…

O promotor não obedeceu e trocou as fechaduras do quarto para se alojar lá. A juíza foi informada da troca pelo vigilante do fórum e deu ordem de prisão a Rogério.

 

CORRIDA

Houve imediata reação por parte do Ministério Público. Logo após a ordem de prisão chegaram em Aquidabã o corregedor José Carlos Oliveira e vários promotores.

Depôs de muita conversa e explicações, Maria das Graças recuou da ordem de prisão. A juíza e o promotor se entenderam e estão trabalhando sem problemas.

 

BALANÇO-1

Segundo levantamento nacional do site Congresso em Foco, “em Sergipe, a divergência nos resultados e a distância entre uma pesquisa e outra tornam difícil avaliação mais precisa.

“De acordo com levantamento feito pelo Ibope há mais de um mês, Marcelo Déda (PT) deve ganhar já no domingo”.

 

BALANÇO-2

O site acrescenta que “pesquisa local divulgada recentemente aponta, no entanto, para realização de segundo turno entre os dois”.

Congresso em Foco reconhece, no entanto, que “como o levantamento do Ibope foi realizado há mais de um mês, fica mais difícil avaliar o quadro”.

 

DINHEIRO

Um candidato a deputado federal ficou impressionado com o que assistiu em Riachão dos Dantas, onde foi fazer visitas de campanha.

Ao estacionar o carro, o candidato foi cercado por um grupo de pessoas, que lhe pediu: “não dê dinheiro aos vereadores, dê dinheiro a gente que a gente vota”.

 

COMPRA

A campanha importante feita por entidades para que o eleitor não vendesse o voto, não está surtindo efeito, em nenhum lugar do Brasil.

Hoje há inversão nesse comércio sujo. Não é o político que quer comprar, mas o eleitor que está querendo se vender.

 

AVALIAÇÃO

Na avaliação de um político experiente, os candidatos a deputado federal da coligação que apóia João Alves, terão mais votos em Aracaju do que os candidatos da oposição.

Acrescentou que é grande a possibilidade do bloco governista fazer seis deputados para a Câmara Federal, contra apenas dois da oposição.

 

ELEITOS

A mesma fonte também avaliou que na coligação de oposição só tem certa a reeleição do deputado federal Jackson Barreto (PTB).

Calculou que a outra vaga, no caso de fazer dois, será disputada por Valadares Filho e Nilson Lima. Se a oposição fizer três, serão esses os eleitos.

 

TOETA

Impressionante como o candidato a governador pelo PSTU, Toeta, está sendo citado como o que se saiu bem nas pesquisas.

A sua coerência em defesa do proletariado e a posição contra o que pensava os demais candidatos foram os pontos positivos que marcaram sua presença no debate.

 

FONTES

O deputado federal João Fontes, candidato a governador pelo PDT, antecipa que o Ibope vai divulgar pesquisa feita em Sergipe no SE-Notícia da TV-Sergipe.

“Vai dar Déda em primeiro lugar, porque o Ibope hoje é Governo Federal. Não poderia ser diferente, porque foi assim quando Albano Franco era governador”, disse.

 

CHATEADO

João Fontes está chateado porque o “Jornal da Cidade” noticiou que ele preparou o debate na Secretaria da Fazenda e fez consultas na Tranjurídica.

“Jamais estive na Secretaria da Fazenda e não conheço a Tranjurídica”. João Fontes considera que a informação foi dada com o objetivo de comprometê-lo politicamente.

 

LARANJEIRAS

O ex-prefeito de Laranjeiras, Paulo Hagenbeck, ainda não teve a ação que derruba a liminar que o afastou do cargo.

Ontem o processo estava em pauta no TRE, mas o juiz Luiz Antônio Ferreira pediu vistas e, possivelmente, o julgamento acontecerá depois das eleições.

 

 

Notas

 

ADVERTÊNCIA

Embora o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tenha firmado entendimento no sentido de que é permitido ao eleitor usar camisetas, bonés, broches ou dísticos, bem como adesivos em veículos, com menção a candidatos no dia da votação, é importante ressaltar que a manifestação deverá ser individual e silenciosa.

Além disso, continua valendo a regra que proíbe, na campanha eleitoral, “a confecção, utilização, distribuição por comitê, candidato, ou com a sua autorização, de camisetas, chaveiros, bonés e cestas básicas”.

 

CRIME

O partido ou coligação que vender camisetas e outros adereços com nome de candidatos cometerá crime eleitoral. A punição varia de detenção de seis meses a um ano, com a alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e multa no valor de R$ 5.320,50 a R$ 15.961,50.

O eleitor poderá, no domingo, manifestar sua preferência – individual e silenciosa – por partido político, coligação ou candidato, no uso de camisas, bonés, broches ou dísticos e pela utilização de adesivos em veículos.

 

UM MINUTO

Os eleitores que comparecerem às urnas neste domingo devem gastar cerca de um minuto para registrar o voto. A estimativa é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na urna eletrônica, a primeira escolha é para candidato federal. Em seguida vem deputado estadual, senador, governador e, por último, presidente.

As zonas de votação vão funcionar das 8h às 17h, quando a Justiça Eleitoral começa a recolher as urnas para o início da apuração. Mais de 125,9 milhões de pessoas estão aptas a votar em 1º de outubro, segundo o TSE. 

 

 

É fogo

 

Nesta reta final todos os candidatos, principalmente os proporcionais, estão em campo à cata de voto para tentar o mandato.

 

Nesta hora não existe candidato majoritário que impeça eles receberem apoio de quem quer que seja. Todos são Déda, João Alves e João Fontes.

 

A “corrupção” foi colocada em discussão no debate da Rede Globo como se fosse tema para programa de governo.

 

Será que a Rede Globo está prevendo que a corrupção virou programa de governo, que necessita de um projeto administrativo para ela?

 

A publicidade de candidatos nas ruas termina hoje. A partir de agora quem conquistou seus eleitores tem apenas que administrá-los.

 

O prefeito Marcelo Déda realizou uma passeata ontem pelo centro de Aracaju e arrastou uma multidão incalculável.

 

Tobias Barreto vai dar vitória a Marcelo Déda para governador, por um equivoco político praticado nas eleições municipais.

 

Nestes momentos finais os candidatos majoritários estão fazendo a checagem em vários municípios e voltando a conversar com lideranças do interior e capital.

 

Os evangélicos pesam nas decisões políticas. Daí a presença da senadora Maria do Carmo Alves à frente nos resultados que foram divulgados pelas pesquisas.

 

O advogado Emanuel Cacho está animado com a campanha de Alckmin em Aracaju. Acha que ele ganha de Lula aqui.

 

brayner@infonet.com.br 

Comentários