Pesquisa profissionais saúde: excesso trabalho e medo de contaminação

0

                                           Blog Cláudio Nunes: a serviço da verdade e da justiça
         “O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.


O Estado de Sergipe não foge à regra de todo país quando o assunto é a pandemia da Covid-19 atingindo profissionais da saúde de todas as áreas. Apenas num rápido levantamento nos sites das categorias médicas e de enfermagem, o blog constatou cerca de 10 médicos falecidos em Sergipe por conta da Covid-19. No memorial criado pelo Conselho Federal de Medicina, até ontem, 24, tinham falecidos em todo país, vitimas da Covid-19, 624 médicos. Porém, este número pode ser maior, já que o memorial informa apenas 6 mortes em Sergipe, quando numa rápida pesquisa com médicos em Sergipe o blog chegou a 10 nomes.

Já o Observatório da Enfermagem, criado pelo Conselho Federal da categoria, informa que em todo país já faleceram 462 profissionais de enfermagem e 42.679 contraíram o vírus. No caso de Sergipe, estão registrados 3 óbitos de enfermeiras (os) e 561 infectados, segundo os dados repassados. O blog foi informado também que 4 técnicas de enfermagem morreram por conta do coronavírus. Sem contar esposas, maridos e parentes de profissionais da saúde que contraíram a doença ou até mesmo faleceram.

São relatos assustadores como, por exemplo, no caso do Hospital de Caridade do município de Riachuelo, na região da Grande Aracaju. Lá, o blog foi informado que todos os médicos que estavam na linha de frente pegaram a Covid-19.

A declaração de Francisco Rollemberg, ex-senador que foi antes de tudo um médico humanista na prática, enviada ontem ao blog, que tocou e suscitou o artigo de hoje:

“Já não sei o que dizer ante a voracidade do vírus. Sinto muita dor e tristeza quando assisto valorosos e idealistas colegas sucumbirem no cumprimento do seu juramento. Heroísmo e amor ao próximo como pregou o grande arquiteto do universo. Heroica classe médica agora os sinos dobram por ti e eu me entrego ao pranto, meu Deus.


Pesquisa Fiocruz

Na última segunda-feira, 22, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), realizou uma pesquisa “Condições de Trabalho dos Profissionais de Saúde no Contexto da Covid-19”, em todo o território nacional, e constatou que a pandemia alterou de modo significativo a vida de 95% desses trabalhadores. Os dados revelam, ainda, que quase 50% admitiram excesso de trabalho ao longo desta crise mundial de saúde, com jornadas para além das 40 horas semanais, e um elevado percentual (45%) deles necessita de mais de um emprego para sobreviver.

Os dados da pesquisa da Fiocruz indicam que 43,2% dos profissionais de saúde não se sentem protegidos no trabalho de enfrentamento da Covid-19, e o principal motivo, para 23% deles, está relacionado à falta, à escassez e à inadequação do uso de EPIs (64% revelaram a necessidade de improvisar equipamentos). Os participantes da pesquisa também relataram o medo generalizado de se contaminar no trabalho (18%), a ausência de estrutura adequada para realização da atividade (15%), além de fluxos de internação ineficientes (12,3%). O despreparo técnico dos profissionais para atuar na pandemia foi citado por 11,8%, enquanto 10,4% denunciaram a insensibilidade de gestores para suas necessidades profissionais.

Graves e prejudiciais consequências à saúde mental daqueles que atuam na assistência aos pacientes infectados foram também detectadas. Segundo a pesquisa, as alterações mais comuns em seu cotidiano, citadas pelos profissionais, foram perturbação do sono (15,8%), irritabilidade/choro frequente/distúrbios em geral (13,6%), incapacidade de relaxar/estresse (11,7%), dificuldade de concentração ou pensamento lento (9,2%), perda de satisfação na carreira ou na vida/tristeza/apatia (9,1%), sensação negativa do futuro/pensamento negativo, suicida (8,3%) e alteração no apetite/alteração do peso (8,1%). Todos os dados da pesquisa aqui.

O Brasil já é recordista mundial na morte de profissionais da saúde. Também pudera, só agora o presidente resolveu assumir que a pandemia existe. Colocou máscara e criou um comitê de gestão com o atraso de um ano. E não quer ser chamado de genocida. É realmente  pouco para ele…

A homenagem do blog aos valorosos profissionais de Sergipe que na ativa prestaram grandes serviços à população sergipana e faleceram pela Covid-19:

MÉDICOS:

ANTÔNIO CORRÊA FERNANDES
FLAMMARION LUIZ TAVARES
FRANCISCO DE ASSIS GOUVEIA DE SOUZA
MARCO ANTÔNIO CAMPOS SANTANA
REGINALDO OLIVEIRA SILVA
WALTER MARCELO OLIVEIRA DE CARVALHO
MARLENE D’AVILA
SIMONE DRIESEL BITTENCOURT
SÔNIA DEL VECCHIO
EUGENIA TEIXEIRA

ENFERMEIRAS (0S)

RITA DE CÁSSIA SANTOS SOBRINHO
CILENE CABRAL CARVALHO CHAGAS
JOSÉ HAMILTON DOS SANTOS

TÉCNICAS DE ENFERMAGEM

TÂNIA CRISTINA DOS SANTOS SILVA
VALDICE SILVA DA CRUZ
FLÁVIA ALMEIDA SANTANA SOUZA
EDJANE SANTOS JULIÃO


Construção: 84% das empresas pesquisadas dizem que estão desabastecidas de aço, aponta CBIC A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) realizou um levantamento com construtoras de todo o país para verificar a real situação do problema da escassez de insumos. Entre as 206 empresas consultadas, 84% disseram que há desabastecimento de aço em suas regiões. A CBIC também perguntou às empresas quais materiais estão com o prazo de entrega maior que o habitual. Para 82,9% delas, a resposta foi o aço. Questionadas sobre o prazo médio de entrega das usinas em suas regiões, 39,3% das empresas responderam “entre 30 e 60 dias” e 25,7% responderam “entre 60 e 90 dias”.

Choque de oferta Numa reunião na terça-feira, 23, no Ministério da Economia, com representantes da cadeia produtiva do aço e entidades representativas dos principais compradores do país, a CBIC propôs ao governo a redução do imposto sobre a importação do aço para tentar resolver o problema do desabastecimento. “Precisamos de um choque de oferta para restabelecer o equilíbrio entre a oferta e a demanda. Nossa proposta é a redução imediata do imposto de importação”, disse José Carlos Martins, presidente da entidade.

Oferta e demanda precisam ser normalizadas A CBIC apresentou ao secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa, os resultados de sua pesquisa com empresários mostrando a percepção deles em relação ao desabastecimento. Para Martins, enquanto a oferta e a demanda não forem normalizadas não será possível estabilizar preços. “Quando a construtora tenta comprar da siderúrgica e não consegue, vai na distribuidora e se depara com um valor muito alto”, disse. O desabastecimento e a insegurança com relação aos custos de vários materiais podem prejudicar a atividade da construção, que no início do ano projetava crescer 4% em 2021 e gerar 200 mil novas vagas de empregos.

Ao lado do Palácio de Veraneio, moradores contraem Chikungunya por conta de casa abandonada. MPE já recomendou a Saúde Aracaju entrar forçadamente em imóveis abandonados Para quem não sabe, a Chikungunya é uma doença parecida com a dengue, transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito Aedes albopictus, mas deixa sequelas por muito tempo nas articulações das pessoas. Desde o fim do ano passado, moradores das ruas Icaraí, Guarapari e Guarujá, ao lado do Palácio de Veraneio, no Bairro Farolândia, vêm contraindo a doença por conta de uma casa abandonada na rua Icari, 82. Já avisaram à vigilância sanitária e não consegue resolver o problema. Desde 2019, o MPE recomendou que a autoridade máxima do SUS em Aracaju adentre forçadamente nos imóveis públicos ou privados que estão em situação de abandono. Com a palavra a Saúde de Aracaju e o MPE, para que cobre à Prefeitura.


Nota Pública ADEPOL/SE  A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE) manifesta irrestrito apoio e solidariedade ao delegado Osvaldo Resende Neto e aos demais policiais em desfavor dos quais foram cumpridos mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça da Paraíba, em decorrência de fato ocorrido durante operação policial da Polícia Civil de Sergipe naquele estado da Federação. O delegado Osvaldo Resende é um profissional reconhecido por toda a sociedade sergipana, sobretudo no que diz respeito à repressão qualificada de crimes relacionados ao tráfico de drogas e conexos praticados por associações criminosas organizadas. Trabalho esse que muitas vezes transcende os limites do estado de Sergipe, em benefício, principalmente, da segurança pública de toda região Nordeste. Além disso, o delegado Osvaldo Resende é professor universitário, sendo mestre em Direito Constitucional pela UFS e doutorando em Direito Penal pela UFBA, tendo inclusive obra jurídica publicada.
Sua bagagem intelectual, jurídica, investigativa e operacional, aliada à reconhecida imponderabilidade inerente à natureza da atividade policial, convida todos a renunciarem a conclusões precipitadas sobre o fato em questão.
A Diretoria.

Opinião do blog sobre o episódio Ontem, 24, o titular deste espaço fez questão de conversar com alguns delegados e membros da SSP para saber da conduta dos envolvidos na operação. Todos, principalmente o delegado, Osvaldo Resende, são reconhecidos como excelentes profissionais. Por outro lado, a polícia da Paraíba está acusando os três – além do delegado foi decretada a prisão do policial civil, José Alonso e do policial militar, Gilvan Morais – de crime de execução, inclusive de colocarem num local um arma que já pertenceu a um PM falecido de Sergipe. Cabe também as autoridades de Sergipe, ou seja, o Ministério Público de Sergipe, que tem a missão institucional de fazer o controle externo das atividades policiais e a própria OAB/SE de instaurar, no caso do primeiro e acompanhar todo o processo, no caso do segundo. E que todo o processo continue sendo desnudado para a sociedade, não só sergipana, mas também a paraibana.

Medidas de enfrentamento aos efeitos econômicos e sociais da pandemia E em contato com vários pequenos e médios empresários, como também profissionais autônomos, o blog chegou a conclusão que foram positivas as medidas anunciadas pelo governador Belivaldo, mais diretamente as que o setor de bares, restaurantes e lanchonetes, de serviços ambulantes de alimentação, fornecimento de alimentos e de alimentação para eventos, assim como contribuintes de modo em geral, além do trabalhador informal.

Anúncio Segundo o anúncio, as ações contabilizam R$ 8 milhões e 350 mil reais, beneficiando diretamente o setor de bares, restaurantes e similares, o contribuinte de modo geral, além do trabalhador informal. Os detalhes foram definidos na terça-feira (23), em reunião do governador com o secretário de Estado da Fazenda, Marco Antônio Queiroz; o assessor especial da Sefaz, Marcos Venicius, e o procurador-geral do Estado de Sergipe, Vinicius Oliveira.

Problemas “No enfrentamento ao coronavírus, tomamos medidas para cuidar da saúde dos sergipanos, para salvar vidas, mas sem esquecer os problemas sociais e econômicos gerados. Desde ontem já estão disponíveis as linhas de crédito no valor de R$50 milhões, via Banese, para ajudar micro e pequenos empresários, e lançamos, hoje, um conjunto inicial de medidas econômicas e sociais de mais R$8 milhões para responder aos efeitos da pandemia em Sergipe. Além destas medidas, outras já estão sendo estudadas pela nossa equipe econômica e serão anunciadas em breve”, informou Belivaldo.

Atividade de bares, restaurantes e similares Para os contribuintes do setor de bares, restaurantes e similares – inseridos na Classificação Nacional de Atividades Econômicas- CNAEs 5611-2, 5612-1 e 5620-1, o governo do Estado irá prorrogar por 90 dias, o pagamento do ICMS Normal dos meses de março, abril e maio/2021, podendo ser parcelado em 18 meses, num impacto de R$ 6 milhões. A medida beneficia restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (5611-2); serviços ambulantes de alimentação (56.12-1) e serviços de catering – fornecimento de refeições coletivas-, bufê e outros serviços de comida preparada (56.20-1).

IPVA “Também enviaremos para a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) um projeto de lei (PL) para anistiar o IPVA 2021 dos CNPJs com estas classificações (CNAE 5611-2, 5612-1 e 5620-1). E suspenderemos, por 90 dias, os prazos do Processo Administrativo Fiscal e Execução Fiscal”, pontuou Belivaldo. A ação trará um impacto de R$ 350 mil.

Todos os contribuintes Para todos os contribuintes, o governo realiza a reabertura do Programa de Negociação de Dívidas do Governo do Estado- Refis 2020. O contribuinte que fizer a adesão até 31 agosto de 2021, contará com desconto de até 95% das multas e juros, com parcelamento de até 84 vezes. “A Sergas também vai auxiliar as empresas adimplentes, do segmento comercial e industrial com consumo de até 500m³ por dia, com a possibilidade de parcelamento dos pagamentos dos meses em aberto. As empresas inadimplentes também poderão entrar em contato com a Sergas para regularizar a situação e ter acesso a estes benefícios”, explicou o governador.

Trabalhadores informais Para os trabalhadores informais, cadastrados no CadÚnico, que não sejam beneficiários de outros programas do Governo Federal ou Estadual, o Governo de Sergipe pretende pagar, por meio do Cartão Mais Inclusão (CMAIS) Informais, duas (02) parcelas de R$ 200,00, beneficiando 5 mil famílias de trabalhadores autônomos, sem carteira assinada. “Enviaremos o Projeto de Lei à Alese. O investimento deve chegar a R$ 2 milhões”, acrescentou Belivaldo Chagas. O Cartão Mais Inclusão é um Programa de Transferência de Renda criado pelo Governo de Sergipe para mitigar os efeitos da pandemia na segurança alimentar e nutricional das famílias em extrema pobreza. Desde abril de 2020, os beneficiários recebem o valor de R$ 100, equivalente ao preço médio de uma cesta básica, para aquisição exclusiva de alimentos. Desde a criação do CMAIS, o Governo de Sergipe já investiu mais de R$ 25 milhões, no pagamento de quase 250 mil benefícios. Atualmente, 17.485 famílias são beneficiadas.

Prefeito, onde está o dinheiro da Covid?”, questiona a oposição em São Cristóvão Durante sessão remota, realizada na noite de terça-feira, 23, na Câmara Municipal de São Cristóvão, o vereador Neto Batalha (PP) fez um requerimento verbal recheado de questionamentos ao prefeito Marcos Santana. Segundo o vereador, a população quer saber o destino do recurso enviado pelo Governo Federal aos municípios brasileiros durante a pandemia. “Quanto, quando, onde e o quê fizeram para combater a pandemia em São Cristóvão?”, indagou o parlamentar, apontado como um dos líderes da oposição no município.

Questionamentos necessários Neto Batalha afirma que não deseja criar polêmica com o assunto, mas os questionamentos são necessários porque os vereadores representam o povo no poder legislativo. “De logo, é importante deixar claro que não estou acusando ninguém, todavia a população deseja respostas. Estão nos cobrando nas ruas e repasso a cobrança para o senhor prefeito”, explicou. Segundo o portal da transparência, o Governo Federal enviou pouco mais de R$ 4 milhões para São Cristóvão, porém o prefeito informa que o valor não passa de R$ 1,2 milhão. “Precisamos saber qual quantia exatamente o município recebeu”, acrescenta o vereador. Recentemente, ele visitou uma unidade de saúde no conjunto Eduardo Gomes e verificou a presença de apenas um respirador mecânico para todos os pacientes da região. “O povo quer saber alguma notícia sobre convênio com o hospital Nosso Senhor dos Passos. Também perguntam sobre o hospital de Campanha. Infelizmente, até agora nada?”, cobrou.

Auxílio Emergencial Neto aproveitou para fazer uma indicação neste momento delicado da pandemia. Pediu ao prefeito que crie um auxílio emergencial no valor de R$ 200,00 para ajudar as pessoas mais necessitadas, a exemplo de artistas e profissionais do setor de bares e restaurantes. “Não basta apenas distribuir cestas básicas, é necessário ampliar a política social no município, pois muitos trabalhadores perderam a renda e estão passando fome”, alertou. O vereador disse que as críticas feitas à gestão do prefeito Marcos Santana devem ser encaradas como positivas e que surtam efeito imediato para a população. “Desde o dia que tomei posse, afirmei que faria uma oposição construtiva. Devemos deixar de lado as diferenças partidárias e ideologia política para somar esforços em favor da população, afinal é a vida das pessoas que está em jogo”, apontou.



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

https://us02web.zoom.us/meeting/register/tZYqc-CorjkjEtxSCxYFMR4Hje9BaZMYOhKx 

 

PELO TWITTER

www.twitter.com/AroeiraCartum https://brasil247.com


www.twitter.com/Sen_Alessandro Com um atraso de 1 ano e 300 mil mortos, Bolsonaro anuncia um comitê de crise, que vai se reunir semanalmente. Quem conhece Brasília sabe o nome disso: EMBUSTE. Só uma estratégia para dividir desgastes. Aceleração da vacinação, mais leitos de UTI e insumos? Nada, só enrolação.

www.twitter.com/Abilio_Goncalve “Nada é mais deprimente do que um escravo satisfeito”


www.twitter.com/MiguelNicolelis Nenhum brasileiro tem que ser forçado a decidir entre morrer de fome ou morrer de coronavírus. Esta escolha é criminosa, desumana e portanto inaceitável sob qualquer prisma. Todo cidadão tem q ser amparado pelo estado, seja ele federal, estadual ou municipal p/ sobreviver!

www.twitter.com/veramagalhaes Que capa. Que tragédia, Brasil.


www.twitter.com/braynerr Na briga entre o manicômio e a penitenciária, o povo padece.



Frase do Dia
“Mas é claro que o sol
Vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior
De endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem”. Mais uma vez, 1987. Renato Russo, completaria 61 anos em 27 de Março de 2021. #renatorusso

https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2021-03/papa-audiencia-geral-oracao-comunhao-maria-pandemia.html

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais