Pesquisas e avaliações

0

A divulgação da primeira pesquisa do Ibope colocou em xeque a tão propalada invencibilidade da senadora Maria do Carmo Alves (PFL). Na última pesquisa divulgada, pelo Cinform, na induzida a diferença de Maria para Dutra foi de quase 30%, se considerar a margem de erro. Já a do Ibope, ficou em 15%, também considerando a margem de erro. Queiram ou não a divulgação do resultado de uma pesquisa nacional mexe com a cabeça de aliados e de eleitores, e serve para que ambos utilizem a reflexão baseada nos resultados para alterar suas convicções.

Até horas antes da divulgação da pesquisa, choviam avaliações baseada em “achismos” e eles eram deduzidos apenas na observação da quantidade de material de campanha posto nas ruas, de um ou outro candidato. Claro que a visualização de material não poderia servir para avaliação segura, mas é nela que enquanto as pesquisas não chegam, o eleitorado se baseia para fazer os seus primários julgamentos. E avaliando exatamente por essa ótica, muitas pessoas embora avaliassem que a eleição estava disputada entre as duas campanhas mais consistentes, consideravam que a candidatura do PFL estava mais forte em função da tradição de votos que o candidato da mesma sempre possuiu no interior e pela ação mais ousada que estava promovendo na capital, principal reduto mais preocupante adversário. 

Principalmente por conta dessas avaliações é que se entende que a pesquisa divulgada na última sexta-feira,  provocou arrepios nos integrantes da coligação “Sergipe no rumo certo”, que a partir de agora vai sem dúvida alguma promover a mudança de rumo, onde a primeira pergunta será: “Onde é que nós estamos errando?”. É claro que a partir daí surgirão as mais escrabrosas avaliações e sugestões que vão necessariamente passar pela forma como a campanha está sendo desenvolvida, com provocações irônicas diárias, provocações com afirmações de que as obras do adversário são obras de açúcar, esquema excessivo de utilização dos meios de comunicação, demonstrando um poderio incrível e deixando para o adversário a imagem de oprimido e por aí vai. Não faltará também quem analise que os discursos que o governante está trabalhando para eleger a família e de que é exagero o atual governador está buscando um quarto mandato estão sendo passados pela oposição de forma competente. 

Enfim, motivos diversos para avaliações distintas não faltarão. É necessário observar que os resultados apresentados neste momento não exigem responsabilidade alguma porque os resultados que serão utilizados para avaliação de todo e qualquer instituto é o resultado apresentado na reta final da campanha, mas o que se pode afirmar com muita segurança é que esse resultado não pode jamais servir de alento para ninguém, até porque os institutos também erram, principalmente o Ibope que tem uma história não  muito agradável com Sergipe em eleições passadas, apesar de ter acertado  nas últimas eleições.

Perguntar não ofende I

Por quê o governador João Alves Filho (PFL), candidato à reeleição reagiu de forma brusca contra a pesquisa do Ibope e não fez a mesma coisa com outra pesquisa divulgada na semana passada onde também estava perdendo. Ele disse que o Ibope é liderado por um assessor de Lula, já a outra é independente.  João Alves não questionou o resultado para o Senado Federal, ou ele também avalia que o Ibope está errado?

 

Perguntar não ofende II

Só para lembrar, nas últimas três pesquisas feitas pelo Ibope em Sergipe, nas eleições de 2004 em Aracaju ele acertou as três. Foram divulgadas em agosto, setembro e um dia antes da eleição, mostrando que Deda ganharia no primeiro turno para prefeito com larga diferença. Ele foi eleito com 65,63% dos votos, dentro da margem de erro apresentada pela pesquisa.

 

Cautela e caldo de galinha

Alguns aliados do candidato petista Marcelo Deda estão eufóricos e ao invés de transmitir a realidade que o pleito é duro, passam a idéia de que tudo foi resolvido. Esquecem que do outro lado está nada mais nada menos que João Alves Filho, que conseguiu reverter dois pleitos disputados: o de 1986, quando Valadares venceu José Carlos Teixeira e em 1994, quando Albano tinha perdido no primeiro turno para Jackson Barreto.

  

Ex-prefeitos com dores de cabeça

Na onda de investigações da CGU e em tempos de ação da Polícia Federal, a notícia de afastamento do cargo por ordem judicial do prefeito de Jandaíra, Herbert Maia (PTB), ocorrida no último dia 04 de agosto, deixou alguns ex-prefeitos sergipanos sem dormir. Eles temem que o Tribunal de Justiça da Bahia resolva aprofundar a punição a Herbert e acabe despertando na CGU o interesse em conhecer os 41 processos existentes contra Maia no Tribunal de Justiça de Sergipe, já que a natureza dos processos envolve a participação dele no desvio de dinheiro público de no mínimo 20 prefeituras sergipanas e cerca de 10 milhões de reais segundo a investigação realizada em 1998 pelo delegado Everton Santos.

  

Jarbas alfinetou João Alves

Matéria divulgada na Folha On line, no último sábado (às 10h07), com o título “Em seu maior ato no Nordeste, Alckmin vê divisão de aliados”,  relata que na visita feita a Recife na sexta-feira, Alckmin viveu uma situação desconfortável no palanque quando do discurso do ex-governador de Pernambuco, Jarbas Vasconcelos (PMDB), que comentou sobre a dificuldade da campanha tucana em decolar no Nordeste. “O senhor vive uma situação de desconforto aqui, mas quem vai resolver isso não é uma pessoa só”, disse, citando na seqüência nominalmente, políticos apontados como relutantes em apoiar Alckmin, como os governadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e João Alves (PFL-SE). Já no domingo, matéria publicada na Folha de São Paulo cita que Alckmin foi recebido em Glória por 200 pessoas.  Muito pouca gente para quem deseja ser presidente da República.

 

Constituinte para quem?

Essa idéia de Lula de constituinte cheira a coisa ruim. Para um presidente da República, que está à frente das pesquisas na disputa para reeleição é algo muito suspeito.  Existem vários tipos de golpes que  – a história tem vários deles, inclusive na América do Sul – aconteceram a pretexto de uma reforma constitucional. Lulinha está muito esperto…

  

Que pedido estranho

Um ex-prefeito da região do agreste foi sondado várias vezes para apoiar a candidatura de João Alves. Apesar dos apelos, o ex-prefeito manteve o apoio a candidatura de Deda. Na última investida, um secretário estadual, chegou a dizer para ele que se não dava para votar em Dr. João, mas não votasse também em Deda e pediu para votar num terceiro candidato. O ex-prefeito ficou com uma pulga atrás da orelha…

  

Casa de ferreiro, espeto de pau

Estão ocorrendo fatos nos bastidores tentando intimidar alguns setores da imprensa. O leitor vai tomar conhecimento de tudo inclusive das interpelações judiciais que este colunista está recebendo por conta de determinadas analises. Por exemplo, tem um meio de comunicação que se diz “determinado e corajoso”, mas que não aceita criticas. Mas, como diz Albano Franco, em Sergipe todo mundo se conhece…

 

Abandono de barco

Dois empresários do ramo da comunicação, um empresário do setor da saúde e um deputado estadual bastante popular conversaram muito no último sábado pela manhã. Na pauta o resultado da pesquisa do Ibope e a realidade que vem sendo mostrada no interior do Estado. Tem gente com a idéia de abandonar o barco. ..

 

Caminhada em Aracaju

O candidato a deputado federal pelo PT, Nilson Lima, disse que a caminhada realizada na última sexta-feira no centro de Aracaju onde reuniu 200 militantes do partido, mostra que a campanha dele está no rumo certo e tem o respaldo do eleitorado sergipano. Sobre a pesquisa eleitoral do Ibope Nilson foi enfático “Sergipe verá a diferença entre o futuro e a mesmice”.

 

 Não tinha chapéu de couro

Um leitor atento alertou que  a foto da visita do presidenciável do PSDB/PFL  a NS Glória,  publicada na 1ª página do Jornal da Cidade mostra algo interessante. “Se o chapéu de couro é símbolo daquela região do nosso sertão, então João Alves se fez acompanhar de pessoas de fora da cidade: só ele e Alckmin usavam o dito chapéu. Ou então o governador está usando um símbolo que não guarda mais relação com a região, o que significa que nem nesse ponto houve reciclagem”.  A verdade é que a foto mostra que ninguém mais usava chapéu de couro.

  

Frase do Dia

“São muitas perseguições do governo federal, mas nós estamos trabalhando com recursos próprios. As pessoas do projeto Jacaré-Curituba, estão há 11 anos vivendo em uma condição miserável. Mas eu mandei os pilantras embora, assumi o projeto e, até o final do ano, estaremos inaugurando a primeira etapa. Eu estou ao lado de Alckmin porque as prioridades dele são voltadas para os mais pobres e para os mais carentes”. Do candidato João Alves ao discursar em Glória durante a visita do presidenciável Alckmin no último sábado.

 

 

Comentários