Péssimo cabo eleitoral

0

O governo de Sergipe é um péssimo cabo eleitoral. Que o diga o candidato a prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), afetado politicamente pela crise financeira do Executivo estadual. Este problema não é de hoje: em 2012, os aracajuanos elegeram o prefeito João Alves Filho (DEM) com o objetivo de punir o então governador Marcelo Déda (PT), que vivia as turras com os servidores, em particular professores e policiais. Agora a situação é muito mais grave, pois além da quebradeira do governo, praticamente toda a bancada federal sergipana vota contra o prefeiturável comunista. Isso significa que, se eleito, Edvaldo terá de ir sozinho à Brasília pedir recursos a um governo federal que também é seu adversário, inimigo mortal do PCdoB. O marketing de Nogueira tem se esforçado para mostrá-lo como um exemplo de administrador, porém não consegue descolá-lo do governo de Sergipe, sinônimo de incompetência e velhacaria.

Vavazinho na frente

E o prefeiturável Valadares Filho (PSB) lidera todas as pesquisas de intenção de voto em Aracaju. Uma delas é a do Instituto Única divulgada ontem pela TV Atalaia. Esta consulta coloca Vavazinho na dianteira com 46,3%, bem à frente de Edvaldo Nogueira (PCdoB), que aparece com 34,4%. Os indecisos são 7,1%, enquanto 12,2% prometem votar em branco ou anular o voto. Registrada no TRE com o número 06816/2016, a pesquisa ouviu mil eleitores entre os dias 10 e 11 passados. A margem de erro é de 4%.

Pisou na bola

E deputado federal André Moura (PSC), líder deste governo temerário, está sendo culpado pela falta de quórum na Câmara para votar o projeto de repatriação de recursos. Ele teria ficado chateado por não ter sido convidado pelos governadores para participar do café da manhã onde se discutiu o tal projeto. “Alguns deputados estão dizendo, inclusive, que Moura anda muito preocupado e teme por sua manutenção na liderança do governo. Isso tem feito ele agir de maneira errática e atacar todo mundo que imagina que quer seu cargo”. Esta informação é coluna Radar on-line da revista Veja.

Respeito é bom

O espaço público é o ambiente mais citado por mulheres jovens como local em que não há segurança e onde elas se sentem mais desrespeitadas. Pesquisa da organização Énóis Inteligência Jovem indica que o 72% dos assédios físicos ocorreram com desconhecidos em transporte público, baladas ou parques. Cerca de 94% das entrevistadas relataram que já foram assediadas verbalmente nas ruas e 77% disseram que o assédio foi físico, desde estupro até o toque ou beijo forçado na balada. Cruz credo!

Bang bang

Itabaiana pode ser considerada uma terra sem lei, onde matar é tão comum quanto nos violentos filmes de faroeste. Segundo a deputada estadual Maria Mendonça (PP), de janeiro até agora já ocorreram 89 crimes de morte no município. “É lamentável a inércia do governo, incapaz de adotar medidas visando reduzir os altos índices de violência em Sergipe”, reclama a parlamentar.

Cara de um…

Segundo o secretário estadual de governo, Benedito Figueiredo (PMDB), quando o candidato Valadares Filho (PSB) se olha no espelho enxerga o prefeito João Alves Filho (DEM). Alguém precisa dizer a Bené, homem de pouquíssimos votos, que quando o prefeiturável Edvaldo Nogueira mira o espelho enxerga o governador Jackson Barreto e seu enfadonho secretariado. Cruz credo!

Ingratidão

E o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) pode tirar preciosos votos do filho com as postagens feitas nas redes sociais. Tentando negar o integral apoio do DEM ao herdeiro, Vavá postou que no projeto de renovação de Vavazinho não cabe João Alves Filho, político “ultrapassado por uma Aracaju que busca o novo”. Será que a senadora Maria do Carmo, grande cabo eleitoral de Vavá Júnior, concorda com esta critica ferina do senador ao seu queridíssimo esposo? Crendeuspai!

Abra o olho

A partir do próximo dia 1º, quem for flagrado dirigindo alcoolizado ou se recusar a fazer o teste do bafômetro pagará uma multa muito superior ao valor cobrado atualmente, que é de R$ 1.915. Devido a mudanças na legislação de trânsito, a infração subirá para R$ 2.934,70 e o motorista ainda terá a carteira de habilitação suspensa por 12 meses. O condutor pego falando ao celular enquanto dirige também será penalizado com mais rigor: de infração média (multa de R$ 85,13) para gravíssima (R$ 191,54). Certíssimo!

Viva o boi!

É lastimável que parcela considerável da sociedade defenda as cruéis vaquejadas, em boa hora proibidas pelo Supremo Tribunal Federal. Diferente do que dizem seus organizadores, os participantes da chamada pega do boi usam açoites, luvas com pequenos pregos para sustentar a cauda do animal e introduzem pimenta via anal. Ademais, a queda provoca luxações internas nos bois e, muitas vezes, até fraturas. Por tudo isso, a vaquejada é um espetáculo de pura covardia.

Sem segurança

Os consumidores ainda compram em camelôs artigos que não têm controle de segurança. Cerca de 32,1% dos entrevistados pela pesquisa do Instituto MDA relataram ter adquirido um produto no mercado informal nos últimos 12 meses, com destaque para brinquedos (37,1%). Mesmo assim, a consulta destaca que em relação à segurança, 65,1% das pessoas disseram dar preferência a produtos que trazem o selo de identificação do Inmetro. Menos mal, né?

Troca de nomes

O número de travestis e transexuais que vão usar o nome social nesta edição do Enem é quatro vezes maior do que em 2014, primeiro ano da entrada em vigor da medida. Em 2014, 102 pessoas trans usaram o nome social durante a aplicação da prova, em 2015 esse número passou para 278 e nesta edição do Enem serão 407. As provas do Enem serão aplicadas nos dias 5 e 6 de novembro próximo.

Recorte de jornal

Publicado no jornal laranjeirense O Horizonte, em 21 de maio de 1886

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários