Petrônio depõe

0

O prefeito de Pedro Alexandre, Petrônio Pereira Gomes, depôs, ontem, no inquérito instaurado, pela Polícia Civil, para apurar a fuga de Floro Calheiros da 1ª Delegacia Metropolitana. Surpreendeu. Disse que nunca esteve com Floro na prisão, que não o conhecia e desafiou quem, alguma vez, o viu com ele: “Renuncio até ao cargo”, concluiu. Na realidade, o amigo de Floro é o irmão de Petrônio, o Petrúcio Pereira, que já foi ouvido pela Polícia e negou que tivesse feito uma visita ao foragido no dia em que ele deixou a cadeia. Nada mais além do que isso. Já a Polícia Federal está aguardando todo o procedimento jurídico, porque o juiz da 3ª Vara Criminal, Anselmo Oliveira, deu competência à Polícia Civil, para continuar o inquérito da fuga tranqüila de Floro Calheiros. Agora, o delegado da Polícia Federal, Lara José Martins, que preside inquérito no mesmo sentido, está aguardando uma decisão do juiz federal para saber se deve dar continuidade. Dois inquéritos paralelos é que não pode. Se o juiz federal determinar a apuração pela Polícia Federal, será ouvido todo mundo envolvido na fuga de Floro Calheiros. Uma coisa também foi discutida: a prisão de Floro Calheiros em outro Estado. Ontem, o Petrúcio Pereira esteve com o advogado Aluisio Batista, contratado por Floro Calheiros na Bahia. Imagina-se que ele esteja tentando autorização para que seu cliente seja mantido em uma prisão naquele Estado. Mas essa é uma decisão da juíza Iolanda Guimarães, da 5ª Vara Criminal, que é a única que tem poderes para dizer que ele pode ficar detido em outro Estado. Caso contrário, onde Floro for preso será trazido para Sergipe, porque é aqui que ele responde a Inquérito. Também paralelo a isso, houve uma expectativa do ex-deputado Antônio Francisco se apresentar à Justiça. A informação é que se chegou a fazer contatos, mas isso não aconteceu. Hoje o maior problema da Polícia Civil é o comando interno. Segundo um influente membro da instituição, há um desentendimento generalizado dentro da Polícia, porque ainda não se sabe quem está nas coordenações e como ficará a Superintendência da Polícia Civil. Houve uma total desestruturação com a fuga de Floro Calheiros, porque se identificou a existência de um grupo que faz oposição ao secretário Luiz Mendonça, mas que integra a sua equipe de coordenação. Para se ter uma idéia, ontem o coordenador de Delegacia do Interior, Ewerton Santos, passou pela superintendente Teonice Alexandre de Santana, mas não a cumprimentou. A mesma fonte diz que tudo está parado na cúpula da Polícia Civil, esperando que se diga quem é que comanda, para que as coisas funcionem com normalidade. Há uma crise de comando, que provoca uma certa fragilidade na Polícia como um todo, e isso reflete na segurança da comunidade. Ontem se anunciou que o delegado Arquimedes está em stand by e, por enquanto, ficou na berlinda total. O coordenador das Delegacias da Capital, delegado Sergio Ricardo, foi transferido para a Polinter. Marcos Passos, que está no Rio de Janeiro participando de um Congresso, deve assumir a Delegacia de Trânsito quando retornar. Mas ainda não há uma definição quanto ao superintendente, que é quem administra todo o andamento da Polícia Civil. De qualquer forma, a fuga de Floro e suas entrevistas, mais o que disse a delegada Meire Belfort, mexeram muito com a estrutura policial, que precisa urgentemente retornar à sua normalidade, para que um fato isolado não ponha em risco a segurança do próprio cidadão. A Polícia Civil precisa reencontrar a sua organização e, principalmente, o sentido da hierarquia, que se perdeu entre as dissidências mantidas e preservadas… VIAGEM O governador João Alves Filho viajou, ontem à tarde, a Brasília, exclusivamente para trabalhar nas alterações da reforma Tributária. Apesar da leitura, segunda feira, do parecer do relator sobre a reforma Tributária, o governador João Alves Filho acha o jogo ainda está na preliminar. CRIME João Alves Filho considerou que “isso que estamos vendo é um crime que estão praticando contra os Estados e Municípios”. O governador chegou a Brasília ontem à noite e vai iniciar uma série de contatos e palestras, em defesa do Nordeste. LIDERANÇAS O governador João Alves Filho disse que fica de queixo caído, porque muitas lideranças políticas estão de braços cruzados diante de uma reforma que prejudica Sergipe. Reconhece que está trabalhando para o seu Governo, mas admite que “meu tempo é curto e outros virão. Com certeza vão sentir que eu tinha razão”. IMPOSTOS João Alves Filho acha um absurdo que o Nordeste pague tributos a São Paulo: “isso não é possível”, protestou. O relator manteve a cobrança na origem de todos os produtos, exceto petróleo e energia, que são produtos que São Paulo teria que pagar ICMS sobre o que consome. PERMANENTE O parecer do relator da reforma Tributária torna o CPMF permanente, mas não cede nada para os Estados. O relator manteve o DRU. Segundo o deputado José Carlos Machado a Desvinculação da Receita da União (DRU), faculta ao Governo Federal gastar 20% da Receita no que quiser. PARTILHA José Carlos Machado acha que o Governo vai ter que partilhar o CPMF com os Estados e Municípios. Se não o fizer dificilmente vai aprovar a proposta. Os deputados federais têm compromissos com os seus Estados e principalmente com os prefeitos que os elegem: “com esses, os parlamentares não podem falhar”. SENTIDO O ex-governador Albano Franco (PSDB) ficou muito triste porque não foi convidado – sequer avisado – da inauguração dos conjuntos “Seixas Dórea” e “Antônio Anselmo” (Tonho Baixinho). Lembrou que foi ele autor da homenagem aos dois: “Gosto muito de Seixas Dórea e Tonho Baixinho trabalhou comigo vários anos”, explicou. ALENCAR O vice-presidente da República, José Alencar, passou um bom tempo na residência do ex-governador Albano Franco e conversou sobre a transposição do São Francisco. José Alencar revelou que ficou animado com a receptividade do pessoal com a nova proposta da transposição e com a possibilidade de se fazer a revitalização do rio. RECURSOS O Governo, inclusive, tem 6 bilhões de reais para a obra, proveniente do PAPP. Há também possibilidade de se conseguir recursos externos para o investimento. Na casa de Albano estavam os deputados Heleno Silva e Mardoqueu Bodano (PL), e Ulices Andrade e Bosco Costa (PSDB). Não haviam repórteres, nem fotógrafos. PRESO O secretário da Justiça, Manoel Cacho, relatou ontem, na Assembléia, que na penitenciária tem um preso, condenado a quatro anos e seis meses de cadeia, porque roubou R$ 40,00. O Estado gasta R$ 10 mil por ano e R$ 46 mil no final da pena, por esse detento. Se a Justiça utilizasse penas alternativas esses gastos seriam evitados. CRESCIMENTO Manoel Cacho também revelou que houve um crescimento de 1600 presos para 2500 e a projeção até o final do ano é que atinja os três mil detentos. Entre estas pessoas existem ladrões de bicicletas e objetos menores. Com esse aumento, será difícil manter o nível de custeio, além de provocar uma superlotação. DEPOIMENTO O deputado João da Graça depôs, ontem, na Comissão de Ética e sustentou a história do depoimento anterior. Alegando legítima defesa. Reafirmou que agrediram um tio dele e quando ele foi tomar providência teria sido agredido e atirou para defender-se. ARQUIVAMENTO A partir de agora caberá ao relator da Comissão, deputado estadual Arnaldo Bispo, dar o parecer. Tem o prazo de 30 dias para isso. A maioria dos deputados acha que o relator pedirá o arquivamento do processo. No máximo vai sugerir uma punição leve. Notas GOISINHO O vereador Antônio Góes (PT) já se manifestou, abertamente, contrário à transposição do rio São Francisco, anunciada pelo presidente da República, Lula da Silva.Segundo o Góes, “os comitês de todo o país estarão a divididos, mas a população e a Câmara são contra esse projeto”. Lembrou que a Câmara Municipal tomou posição sobre o assunto durante as comemorações de aniversário de 500 anos de descoberta do rio São Francisco, em 2001, e até o momento não foram feitos novos estudos. GENÉRICO O deputado federal João Fontes voltou a criticar o presidente do PT, José Genoino, chamando de “genérico”. Lembrou que em Maceió, Genoino saiu pelas portas do fundo e que o mesmo aconteceria em Aracaju. João viajou a Brasília, para acompanhar o segundo turno da reforma da Previdência. Fontes também acha que “a reforma tributária vai acabar com Sergipe”. Ele afirmou que precisam ser feitas modificações urgentes para que o Estado não venha sofrer ainda mais. João diz que o maior prejudicado será o povo. SUSANA A deputada estadual Susana Azevedo (PPS) quer que o prefeito de Aracaju, Marcelo Deda (PT) use de sua influência com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para evitar o início do projeto de transposição das águas do rio São Francisco. Considera que se trata de um crime contra os ribeirinhos. Os deputados estão querendo fortalecer uma campanha, dentro do Congresso Nacional, a favor do projeto de revitalização do São Francisco, antes de qualquer iniciativa das obras para a transposição das águas. É fogo Antônio Carlos Franco é o nome da agência do Banese construída nos Jardins e que será inaugurada sexta-feira. Prefeitos sergipanos querem que os deputados criem uma espécie de “força tarefa”, para impedir que a reforma tributária tire mais recursos dos municípios. O deputado Augusto Bezerra (PMDB) quer que o parlamento escolha logo essa frente para se juntar com outros Estados e impedir a falência das Prefeituras. As previsões do FPM para o mês de agosto continuam assustando os prefeitos de Sergipe. A queda pode chegar a 30%. O Deso tem que tomar providências urgentes para evitar o desabastecimento de água na Barra dos Coqueiros. O deputado estadual Francisco Gualberto quer que o Governo ajude mais aos artistas sergipanos e citou o caso de Maria Feliciana como referência. O deputado tem razão quanto a ajuda aos artistas, mas Maria Feliciana nunca exerceu atividades artísticas. Foi explorada pela sua altura e exibida a público. O deputado federal José Carlos Machado viajou às pressas para Brasília, porque foi informado que seria apresentada a proposta do relator para a reforma Tributária. Existem muita poeira, e talvez sangue, por trás do assassinato do deputado estadual Joaldo Barbosa. A denuncia de que fora encontrado um cheque de 65 mil reais, de um deputado, nos documentos de Floro Calheiros, caiu no vazio. A questão do cheque terminou se transformando numa declaração inconsistente, já que esse cheque não está em nenhum processo. A deputada Maria Mendonça está querendo mais segurança em Itabaiana. Fez um relato do tiroteio que ocorreu na cidade, sexta-feira passada. Na próxima segunda-feira a senadora Maria do Carmo Alves deve reassumir o Senado Federal, até o final do período legislativo. Mantêm-se a informação de que seu lugar na Secretaria de Combate à Pobreza será exercido pelo irmão José Alves Neto. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

Comentários