Pindaíba oficial

0

O secretário da Fazenda, João Andrade, disse ontem o que muita geste já suspeitava: o governo vive uma seríssima crise financeira, a ponto de não dispor de recursos nem para pagar de uma só vez o retroativo da reposição inflacionária aos servidores, que já deveriam ter embolsado a ninharia desde março passado. Andrade prometeu liberar a “merreca” em parcelas, porém não se sabe a partir de quando, pois o projeto ainda não chegou na Assembleia. Ora, se o Executivo não tem como repor a inflação do período, imagine atender reivindicações como plano de cargos e salários? A continuar nessa pindaíba, qualquer dia desse o governo vai pedir emprestado os salários dos servidores para pagar a água e energia das repartições públicas. Que miserê!

Mamata

Tem ex-prefeito e lideranças políticas ganhando mensalmente R$ 10 mil na Fundação Estadual Renascer sem precisar trabalhar. A grave denúncia é do deputado estadual Augusto Bezerra (DEM). É por esta e por outras que os servidores estão com os salários super defasados, enquanto o governo diz não ter dinheiro nem para repor a inflação do período.

Calos nos pés

Quase 200 policiais militares, que estavam em desvio de função, já retornaram ao quartel, mas outros 800 continuam servindo em repartições públicas e à disposição de autoridades. Alguns dos que voltaram a fazer patrulhamento nas ruas estão com os pés cheios de calos, pois há muito não calçavam o coturno velho de guerra.

Ausente

O governador Marcelo Déda (PT) não participará da festa de pré-lançamento da candidatura a reeleição do prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB). É que amanhã ele estará em Brasília participando da reunião dos governadores com a presidente Dilma Rousseff (PT). Ontem, Déda participou na cidade serrana da procissão de Santo Antônio e retornou em seguida para prestigiar festa idêntica em Aracaju.

Lado a lado

Marcelo Déda e o presidente estadual do PSDB José Carlos Machado acompanharam a procissão em Itabaiana lado a lado. É que, embora adversários políticos, os dois são aliados do prefeito Luciano Bispo. Mais à frente estavam o senador Eduardo Amorim, o deputado federal André Moura – ambos do PSC – e a deputada estadual Maria Mendonça (PSB), ex-aliados políticos do governador.

7º Dia

Familiares e amigos da jornalista Silvia de Oliveira (Silvinha) participam hoje de três missas de 7º Dia em sufrágio da alma da ex-secretária de Turismo de Canindé do São Francisco. Em Aracaju, o ato religioso acontece às 19h, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, localizada bairro Grageru. No mesmo horário, serão celebradas missas na Igreja Matriz de Canindé e de Propriá.

Setor público

O Dieese e as centrais sindicais promovem nesta quinta-feira próxima a ‘7ª Jornada de Debates – Setor Público’. Com o tema ‘Finanças Públicas: desafios e perspectivas para a negociação no serviço público’, o evento acontecerá das 8h30 às 12h30, no Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência do Estado de Sergipe, localizado na rua Vila Cristina, 222, em Aracaju.

Agoniado

O deputado federal e pefeiturável Almeida Lima (PPS) não gostou de ver seu nome na rabeira da pesquisa eleitoral divulgada pelo Instituto Única. Pelo twitter, ele mandou um recado aos eleitores do líder da consulta, João Alves Filho (DEM): “Cante vitória antes da hora não! A última que ele ganhou foi quando estava comigo”. Na Câmara, o vereador Josenito Vitalli (DEM) reagiu: “Almeida está desesperado porque não consegue apoio de nenhuma liderança”. Será?

Sangue no olho

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto, disse que “uma celeuma” indevida está sendo criada em relação ao julgamento do ‘mensalão’, marcado para começar em agosto próximo. “Como se ministro tivesse raja de sangue no olho e total descompromisso com o devido processo legal”, criticou Britto. Segundo ele, o julgamento é uma etapa natural de qualquer processo.

Do baú político

A história a seguir foi contada pelo jornalista Luiz Eduardo Costa em sua coluna dominical no Jornal do Dia: “Euvaldo Diniz foi um político que fez, durante sua vida breve, meteórica careira em Sergipe. Quando se pensava que ele fosse somente um empresário ousado, Euvaldo ingressou na política, mesmo sem o aval do padrinho poderoso, o líder udenista Leandro Maciel. Candidatou-se em 1958 a deputado federal e ninguém mais o conteve. Eleito, prometeu botar um prego no sapato do presidente Jucelino Kubitschek caso este lhe negasse qualquer dos pedidos que iria fazer-lhe. Na primeira audiência, ouviu de Jucelino: ‘Deputado, eu tenho o costume de tirar os sapatos por baixo da mesa, mas agora estou calçado, prevenindo-me contra o seu prego’. A partir de então fizeram uma boa amizade”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais