Pirambu, intervenção e impunidade

0

Este espaço é pequeno para publicar os 1001 motivos para que a intervenção no município de Pirambu seja prorrogada até o final deste ano. A procuradora-geral de Justiça, Maria Cristina Foz Mendonça mostra firmeza e determinação do Ministério Público de Sergipe na tentativa de acabar com os desmandos administrativos que ainda ecoam em diversas prefeituras de Sergipe.

 

Alguns poucos, desejosos e ansiosos para retornarem ao poder em Pirambu (mesmo que não formalmente), insistem em anunciar que a Constituição Estadual prevê apenas um prazo de duração da intervenção de 180 dias. O pedido da procuradora-geral, para continuidade da intervenção mostra claramente que está apenas pedindo que se cumpra o que preceitua a Constituição Federal. Além disso, é lembrado que o inciso 4º, do artigo 36, da CF estabelece que: “Cessados os motivos da intervenção, as autoridades afastadas de seus cargos a estes voltarão, salvo impedimento legal”. Está claro, pelas denúncias apresentadas pelo MP, que tanto o prefeito, como o vice e até a presidente da Câmara, não têm condições de assumirem a Prefeitura de Pirambu.

 

O relatório apresentado pelo interventor merece alguns destaques. Em um país, que não precisa ser muito sério, todos os envolvidos (neste caso do prefeito oficial, ao de fato e até os fornecedores), estariam presos. Ou no caso da China, iriam para a cadeira elétrica. Literalmente, o mangue estava instalado na Prefeitura de Pirambu, onde o caixa tinha movimento de valores exorbitantes, com pagamento de despesas sem notas fiscais e comprovantes de pagamentos. Onde o INSS, ISS, IRRF, não eram recolhidos tanto dos servidores, como dos prestadores de serviços. Sem falar nas despesas sem licitações, as impróprias para a administração, irregularidades em cartas convites, tomadas de preço e até mesmo a ausência de publicação de contratos. E muitas outras irregularidades. Seria o caso do MP e do TJ questionar também a omissão do Tribunal de Contas durante todo este tempo. Onde estava o zeloso órgão?

 

O fim da intervenção neste momento e o retorno ao cargo seja do prefeito, do vice ou até da presidente da Câmara (cujo esposo foi secretário e participou de todas as irregularidades) demonstrará não só aos moradores de Pirambu, mas a sociedade sergipana, que a certeza da impunidade, que imperou nestes últimos anos no município, estará mais forte do que nunca. É uma pá de cal na tentativa de soerguer financeiramente a Prefeitura, que já saiu de uma situação de coma, mas que necessita de mais um período para que possa recuperar a saúde e seja repassada ao futuro prefeito com condições viáveis de administração. O Poder Judiciário de Sergipe é um exemplo vivo de combate às práticas condenáveis de corrupção na administração pública e, com certeza, fará novamente a sua parte, de forma altiva, sem aceitar pressões de quem quer que seja.

 

Inelegibilidade de todos os envolvidos

A Justiça Eleitoral prepara uma surpresa desagradável para todos os envolvidos na prática de desvio de recursos públicos em Pirambu. Todos já tiveram o pedido de inelegibilidade nas denúncias apresentadas pelo MP. Muitos deles, além de terem os nomes vetados para possíveis candidaturas, têm que tomar cuidado para não ir para a cadeia. É uma questão de tempo…

 

Cara de pau é cobrar pagamento

Alguns leitores pediram para comentar duas notas publicadas em uma coluna de um jornal diário, onde o interventor de Pirambu é criticado porque os “fornecedores” estão sem receber o que “venderam” ao município. Detalhe: tem uma empresa do ramo de comunicação e publicidade (não é veiculo de comunicação), que tinha contratos generosos há vários anos no município. Em 2007 tinha um contrato de 144 mil, ou seja, 12 mil mensais. Aguarde porque tem uma história de quase R$ 500 mil nos últimos anos e uma certidão do INSS fraudada. Como diz Osmário: arrepare!

 

Itaú assume folha de pessoal da Prefeitura de Socorro

Segundo servidores da Prefeitura Municipal de Nossa Senhora do Socorro a folha de pagamento será efetuada a partir do mês de fevereiro pelo Banco Itaú, após processo licitatório em que esse banco venceu a proposta do Bradesco. O valor pago pelo Banco Itaú à Prefeitura é de R$ 6.000.000,00 por 05 anos. O Banco do Brasil, uma instituição federal que prestava este serviço há mais de 20 anos à Prefeitura caiu fora. O Banco Itaú nem agência possui no município de Nossa Senhora do Socorro. Não seria o caso do Ministério Publico investigar essa tal licitação? Perguntam os servidores.

 

Produção especial da TV Sergipe

De parabéns toda equipe da TV Sergipe, em especial aos que atuam no Núcleo de Produções Especiais, pela veiculação do “Carnaval da Gente”, resgatando a história do carnaval de Sergipe em várias matérias exibidas nos telejornais.

 

Déda preferiu descansar em Aracaju

Apesar dos convites dos governadores da Bahia e Pernambuco para participar do carnaval nestes dois Estado, o governador Marcelo Déda optou pelo descanso em Aracaju. Participou do bloco Rasgadinho em dois dias e relaxou na praia. O governo do Estado ajudou significativamente na organização do carnaval em vários municípios, sem olhar a cor partidária, a exemplo de Neópolis, onde o prefeito é da oposição.

 

Resgate consolidado em Aracaju

Parece que a coluna previu que a política adotada pela Prefeitura de Aracaju, com o apoio do governo do Estado daria certo no carnaval deste ano. O Carnaju não era mais nenhuma atração. O resgate e o apoio a diversos blocos de rua, que tinham perdido o apoio do poder público, foi importante. Foi um tempo significativo da atual administração. Só um detalhe: é preciso ter cuidado para que alguém mais afoito peça para estender o carnaval para a orla da Atalaia. Não pode. É preciso lembrar que os turistas que vêm para Sergipe no carnaval estão fugindo da folia em todos os sentidos.

 

Greve na quarta-feira de cinzas

A política sindical em todo país vem mudando drasticamente. Se há alguns anos algum sindicalista disse que iria iniciar uma greve na quarta-feira de cinzas seria motivo de uma forte reação da imprensa. Não é que os médicos resolveram iniciar uma greve na quarta-feira de cinzas? Estranho, muito estranho…

 

Engodo: moto não atravessou o rio São Francisco

Que o rio São Francisco está com sérios problemas é obvio. Que a transposição não deve ser realizada, antes que o rio tenha um amplo processo de revitalização também é claro. Porém, é uma falta de respeito tentar ludibriar e fazer politicagem (para não escrever pilantragem), com um problema grave. Pois bem caro leitor: a coluna é contra a transposição, mas não aceita ser usada, assim como outros veículos para divulgar algo que não aconteceu como na semana passada. A moto não passou de uma margem a outra do rio como foi noticiado neste espaço e divulgado em nível nacional no Jornal Nacional. A foto foi tirada de cima da ponte, já que o leitor não podia chegar mais próximo por conta das retaliações.

 

É falta de respeito e politicagem                                                                                                   

Ao lado a foto enviada por um leitor, devidamente identificado, mostrando o momento em que a moto desembarcava da canoa da onde foi levada para o banco de areia que realmente existe no meio do rio. Porém, em dois locais é completamente impossível atravessar de moto ou outro veículo, como carroça, de uma margem para outra. É preciso respeito. A defesa do rio e a luta contra transposição não deve ser feita com Politicagem barata que só serve para prejudicar os movimentos de luta em benefício do rio, que têm posições meramente técnicas e sociais, deixando de lado os meios político-eleitorais. O leitor desculpe pelo desabafo, mas um tema tão importante não pode ser usado apenas com interesses eleitorais e, principalmente, usando de maneira sórdida os meios de comunicação. E mais: a mentira que vem sendo propalada por alguns, de que estão atravessando o rio, está causando mortes por afogamento. Um exemplo é na praia da adutora em Telha e no povoado Saúde.

 

Marés, vazão do rio e queimação

Nota publicada numa coluna do jornal da família do ex-governador João Alves: “O ex-governador João Alves Filho (DEM) esteve em Pacatuba, quinta-feira, para vez a vazão do rio em sua foz. Não conseguiu porque a maré estava “morta”. João Alves Filho ficou de retornar dentro de mais 15 dias com o mesmo objetivo. O ex-governador retornou ao trabalho para a conclusão de mais um livro”. A ser verdadeiro o que está escrito, é como se o ex-governador não tivesse a mínima idéia dos movimentos de maré na foz do São Francisco e de qualquer outro rio que jogue suas águas diretamente no mar. Pois qualquer pescador com qualquer nível de experiência sabe desses movimentos, inclusive os horários de subida e descida da maré, quando a maré está morta, mais alta, mais baixa. Etc. A Capitania dos Portos tem as tabelas de vários pontos do país. As lojas de pesca têm as tabelas. O Jornal da Cidade publica diariamente os horários de pico e de seca da maré aqui em Aracaju. Os clubes de pesca têm as tabelas e promovem seus torneios exatamente tomando por base as mesmas. Será que a nota foi para “queimar” o ex-governador?

 

Fontes com medo de Edvaldo

Depois da derrota melancólica na eleição de 2006, quando foi candidato a governador, João Fontes parece que não aprendeu. Agora quer disputar a prefeitura para ver se tem mais votos do que Adelson Alves. Na semana passada Fontes ganhou o que mais gosta, espaço na mídia, para fizer que Edvaldo não pode ser candidato a reeleição. Ora bolas! Primeiro que tem vários casos iguais ao de Edvaldo em todo país, depois Fontes mostra medo de um prefeito que até pouco tempo era considerado por ele mesmo sem expressão e densidade política. Fontes sabe que se Edvaldo e João Alves forem candidatos a eleição será polarizada pelos dois, e, como aconteceu em 2006, ele ficará falando para ninguém e chorando o leite derramado. Fontes ainda não percebeu que perdeu o bonde da história já que não tem identidade política, não é esquerda, nem direita, nem centro, nem nada…

 

Reeleição: Artigo de Clóvis retrata bem a realidade

O artigo de Clóvis Barbosa publicado no JC no último domingo onde ele afirma que está errado o ponto-de-vista de acordo com o qual Edvaldo não poderia ser candidato a prefeito. É uma aula de direito eleitoral. O último parágrafo: “Um detalhe: a maledicência do amalequita poderia ter prosperado, não fosse o caráter de Davi. Quem tentou deslegitimar Edvaldo, ou esqueceu-se de estudar, ou estudou de olhos fechados, ou mentiu para ver se a mentira, repetida, tornava-se verdade. Incrivelmente, essa derradeira não é a pior hipótese. Hannah Arendt asseverava que “as mentiras sempre foram consideradas instrumentos necessários e legítimos, não somente do ofício do político ou do demagogo, mas também do estadista”. Assim, se quem foi para a imprensa dizer que Edvaldo não pode ser candidato a prefeito fez isso consciente de que mentiu, tudo bem; faz parte do jogo. Mas se acredita no que disse, que perigo! Acreditar no disparate e defendê-lo edificou o nazismo. Goebbels sabia disso. Não foi à toa que atestou, acerca de Hitler: “esse homem é perigoso, ele acredita no que diz”. Se quem falou que Edvaldo não pode ser candidato, crê em tamanha parvoíce, essa pessoa é perigosa. Goebbels que o diga”.

 

Pierrot e Colombina  I

A alegria reinante no período de momo é tão contagiante que faz as pessoas se desligarem do mundo real, e é exatamente neste período de folia que algumas notícias passam despercebidas. No Brasil o desfile das campeãs deve com certeza suplantar as especulações sobre os cartões corporativos, e por falar em escolas de samba, a Câmara de vereadores do Rio de Janeiro decidiu investigar a aplicação de cerca de R$ 22 milhões de recursos públicos para patrocinar o maravilhoso espetáculo, cujos patrocinadores são bicheiros investigados pela Polícia Federal. Enquanto isso, alguns programas sociais e entidades de assistência à população carente, extinguem-se por falta de verba.

 

Pierrot e Colombina  II

Em Sergipe, tem uma interessante situação, noticia-se que uma poderosa cervejaria bateu na mesa e impôs ao governo, a seguinte condição: “Se quiser que continuemos instalados em Sergipe tudo bem! Basta que nos conceda um “incentivozinho” de cerca de R$ 3 milhões/ano (ou será que é mês), em isenção de impostos”. Dessa forma qualquer um consegue ser empresário bem sucedido, apenas não fica bem saber que isso ocorre num Estado onde o pobre é ameaçado de perder a casa onde mora, mesmo sendo seu único patrimônio, por dívida fiscal em valor infinitamente menor. A concessão da isenção de impostos por cerca de cinco a dez anos, sem que exista um compromisso da empresa para permanecer atuando no Estado por igual período após o término do incentivo, caracteriza-se tráfico de influência e é tão criminoso quanto o tráfico de drogas ou coisa que o valha.

 

Banese, creche Almir do Picolé e adversários

 “Ajude a minha creche, pois estou precisando muito. Antes eu tinha um convênio com o Banese que me repassava 1.000 reais por mês e me permitia assistir 80 crianças, hoje esse número diminuiu bastante porque o Banese reduziu o valor para 68 reais. Essa turma do PT não vale nada, é o Partido da Trambicagem”. Esse bem orientado texto é repetido durante todo o dia por diversas vezes e faz parte da argumentação utilizada pelo presidente da creche Sr. “Almir do Picolé”, cujo trabalho social que desenvolve, é reconhecido graças a cobertura jornalística da TV Sergipe que anualmente elabora reportagens mostrando o funcionamento da sua creche e pela sua presença constante nos semáforos da capital buscando contribuição para a mesma. É Deda pelo jeito, seus adversários não estão pra brincadeira.

 

 

Arthur Bispo do Rosário: sempre é bom lembrar I

O leitor vá se acostumando com algumas notas, fora da área política, especialmente sobre o sergipano Arthur Bispo do Rosário. Nada demais: é relevante que Ninguém  esqueça que este ano, o artista de renome internacional Arthur Bispo de Rosário, nascido no município de Japaratuba, em 1909, no mês de julho, completa 100 anos do seu nascimento e 19 da sua morte (ele morreu no mesmo mês no Rio de Janeiro, em 1989). Autor de mais de 800 peças catalogadas e outras ainda não (artes plásticas), ele foi marinheiro e depois foi confinado, por 50 anos, na Colônia Juliano Moreira. Recebeu, durante todos esses anos, as visitas médicas, as da psicóloga Rosângela Magalhães e de poucos curiosos, a exemplo de Fernando Gabeira, Luciana Hidalgo e alguns jornalistas.

 

Arthur Bispo do Rosário: sempre é bom lembrar II

Arthur Bispo do Rosário tem que o considere o maior artista popular do Século XX e nada mais natural que ele seja consagrado e ganhe a imortalidade.Segregado do mundo, produziu peças originais e intrigantes, inovou, oxigenou o cérebro da crítica, fez a psiquiatria rever conceitos e métodos terapêuticos, estabeleceu o elo perdido entre a loucura e a lucidez.A obra  desse gênio deve ser valorizada, não somente pelo mundo (na Europa irão promover atos sobre Arthur) mas também pelos sergipanos.

 

Tentativa de burlar a LRF

No ano passado a AL tentou colocar uma emenda na Lei de Diretrizes Orçamentárias para burlar a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não vingou porque o governador vetou e a mesma era inconstitucional. Agora estão tentando uma nova manobrar com tickets refeição e algo absurdo que será denunciado em poucos dias. O certo é que a AL e o  TC gastam mensalmente cada um R$ 1,5 milhão a mais. É preciso cortar, até porque o Governo do Estado não vai querer ser co-autor da ilegalidade. Só um detalhe: o Governo do Estado, no ano passado, ainda deu uma de bonzinho e assumiu a folha de inativos da AL e do TC.

 

Leitor cobra ação da SMTT no bairro Santo Antônio I

De um leitor: “Foi-se o tempo em que as ruas e avenidas do Bairro Santo Antônio, o mais antigo da cidade, eram tranqüilas. Foi-se o tempo em que seus moradores podiam sentar-se à porta de suas casas para pôr a conversa em dia, reunir-se com os vizinhos, ver as crianças brincarem nas ruas… Isso não faz tanto tempo assim e a culpa não é falta de segurança pública, problema que afeta e faz cair no esquecimento os hábitos acima citados. A culpa, nobre jornalista, é do trânsito infernal que se instalou nas ruas e avenidas do bairro. Além do conhecido excesso de velocidade na Av. João Ribeiro, comedido pela instalação de um pardal e fotossensor no semáforo do cruzamento João Ribeiro/Muribeca, outra avenida do bairro virou palco de acidentes de grandes proporções: a Av. Simeão Sobral. Em menos de uma semana, três acidentes ocorreram naquela via, sendo um de natureza grave. Na última segunda-feira (04/02), nas proximidades da rua Armindo Guaraná, um garotinho de 08 (oito) anos foi atingido por um veículo, dirigido por um motorista completamente embriagado, enquanto andava de bicicleta. Esse garoto teve sua perna decepada! Por pouco a tragédia não seria maior, pois o irresponsável motorista jogou o carro sobre a calçada e, por muito pouco, não atinge os pedestres que ali circulavam, inclusive crianças”.

 

Leitor cobra ação da SMTT no bairro Santo Antônio II

Continua o leitor:”Dias atrás, duas colisões com danos materiais ocorreram nos cruzamentos da Simeão Sobral/Armindo Guaraná!!! Isso sem contarmos os ocorridos nos cruzamentos com a Rua Japaratuba, Gentil Tavares e João Ribeiro. Porém, gostaria de ressaltar o grande problema que tem se transformado o cruzamento da Av Simeão Sobral/ R Armindo Guaraná. Nesta rua, no trecho compreendido entre a referida avenida e a rua Dom Quirino, há exatamente duas oficinas de motocicletas que praticamente interditam o trânsito, dificultando tanto o tráfego de pedestres quanto de automóveis, pois as motocicletas são consertadas em plena rua, sendo formadas filas duplas, triplas e até quádruplas de motocicletas estacionadas e em conserto. Nesse trecho os pedestres são obrigados a andarem no meio da rua, disputando espaço com os automóveis que, vez por outra, têm q dar ré caso encontrem algum outro vindo em direção contrária, pois não há espaço para os dois naquele trecho da rua. Além disso, alguns moradores dali e da região se viram obrigados a colocar barras de ferro em suas calçadas a fim de evitar que as motos andassem sobre as mesmas. Não raro, ainda se pode presenciar motocicletas andando na contramão em plena avenida, já que na outra esquina (Rua Japaratuba) também existe outra oficina de motos. Não raro, a população aciona a SMTT que visita o local e “misteriosamente” desaparece do local como se não visse nada ou nada estivesse irregular. O que a população do Bairro Santo Antônio deve esperar? Agora, um garoto teve um perna decepada. E amanhã? Quando o Poder Público vai tomar as providências? Quando houver mortes?”

 

Frase do Dia

“A ignorância é a mãe de todos os males”. François Rabelais

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários