Plenário – Diógenes Brayner O caldeirão da crise

0

Segundo matéria publicada pelo site  Congresso em Foco, a primeira semana seguinte à cassação do deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) será decisiva para o futuro político da Câmara. Uma série de depoimentos com potencial explosivo e o processo de fritura do presidente da Casa, Severino Cavalcanti (PP-PE), deve elevar ainda mais a temperatura política em Brasília. Severino pode renunciar ao mandato até amanhã para evitar a perda dos direitos políticos por oito anos em uma eventual cassação. A se confirmar a queda do “rei do baixo clero”, também esquentará a briga entre os partidos políticos pelo terceiro cargo mais importante do país. Em caso de renúncia do presidente da Câmara, o regimento interno prevê nova eleição no prazo de cinco sessões.
 
Entre os depoimentos mais aguardados está o do banqueiro Daniel Dantas às Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) do Mensalão e dos Correios, marcado para quarta-feira (21). Por causa do volumoso repasse feito pelas empresas Telemig Celular e Amazônia Celular, controladas por Dantas, às agências de publicidade do empresário Marcos Valério Fernandes, alguns membros das CPIs suspeitam da existência de tráfico de influência. O banqueiro é pivô de uma bilionária disputa com os fundos de pensão pelo controle da Brasil Telecom.

Adiado duas vezes, o depoimento de João Cláudio Genu, chefe de gabinete do líder do PP na Câmara, José Janene (PR), está previsto para esta terça-feira (20) na CPI do Mensalão. Conhecido como “o homem da mala”, ele está sendo acusado de receber e distribuir o dinheiro do mensalão entre os deputados do PP. As declarações de Genu podem ser decisivas para selar o futuro de pelo menos três lideranças do partido: além do próprio Janene, o presidente do PP, Pedro Corrêa (PE), e o ex-líder na Câmara Pedro Henry (MT). Ainda na terça-feira, a CPI dos Bingos, em conjunto com as outras duas CPIs da crise, ouve o doleiro Antônio Claramunt, o Toninho da Barcelona. Preso no interior do estado de São Paulo por evasão de divisas, entre outros crimes, Toninho acusou, sem apresentar provas, integrantes do governo e do PT de enviar dinheiro ilegalmente para o exterior, em depoimento a um grupo de parlamentares da CPI dos Correios. Ele promete fazer revelações sobre o funcionamento de um suposto esquema de lavagem de dinheiro em troca do benefício da redução da pena, em caso de condenação.

A CPI dos Correios também deve ouvir, no mesmo dia, o advogado Rogério Toletino, sócio de Marcos Valério, e o presidente do Banco BMG, Ricardo Guimarães. Os parlamentares investigam a origem dos empréstimos feitos pela instituição às agências do empresário mineiro. Na semana passada, a CPI tomou depoimento de Kátia Rabelo, presidente do Banco Rural, outro grande financiador de Valério.

Mas a grande expectativa da semana gira em torno é do futuro do presidente da Câmara. Severino pode renunciar ao mandato, pedir licença por problemas de saúde ou até mesmo continuar no cargo. O Conselho de Ética deve instaurar nesta terça-feira o processo de cassação do deputado, pedido por cinco partidos da oposição. Ele é acusado de ter cobrado propina do empresário Sebastião Augusto Buani para prorrogar o contrato de concessão do restaurante do anexo 4 da Casa. Na semana passada, Buani entregou à Polícia Federal um cheque no valor de R$ 7,5 mil endossado a uma secretária do presidente da Câmara.

Após se contradizer em várias ocasiões, Severino adotou a versão de que o dinheiro foi destinado à campanha eleitoral de um de seus filhos. Candidato a uma vaga na Assembléia Legislativa de Pernambuco, Severino Cavalcanti Ferreira Junior (PP) morreu em um acidente de carro, em agosto de 2002, às vésperas da eleição. À Justiça Eleitoral, o comitê da campanha de Junior declarou ter arrecado apenas R$ 1 mil e gastado incríveis R$ 33.

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve analisar esta semana o pedido da Polícia Federal de quebra do sigilo bancário do presidente da Câmara. Enquanto a PF diz que há indícios veementes de que Severino recebeu propina, o advogado do deputado, José Eduardo Alckmin, corre atrás de provas que atestem a inocência de seu cliente. No último sábado, ele mostrou cópias de bilhetes aéreos, com destino a Brasília, emitidos em nome de Severino Junior. A intenção da defesa é comprovar que o filho do presidente da Câmara estava na capital federal no dia em que foi descontado o cheque de R$ 7,5 mil do empresário Sebastião Buani.

SAUDADE
Londrinos e brasileiros que moram em Londres estão com saudade da festa espetacular que a Petrobrás ofereceu a eles em uma das principais avenidas daquela capital. Uma loja de grande porte foi fechada para servir de exposição de produtos e adereços da Petrobrás. A festa dói inesquecível e custou milhões de Libras.

CASSAÇÃO
Os vereadores de Pacatuba, que têm como advogado Evaldo Campos, devem pedir, nesta quinta-feira, a cassação do prefeito Luis Carlos (PSDB). Ele fechou um contrato de risco com o publicitário que fez sua campanha para, se eleito, pagar sete milésimo da receita do município.

GARANTIA
A mesma agencia de publicidade também ficou com o direito de fazer toda a publicidade do município, sem licitação. Tem um problema: O CPF e a Identidade que constam do contrato não são do prefeito, que assinou o documento. Luiz Carlos não foi localizado, apesar de insistentes telefonemas.

SUKITA
O prefeito de Capela, Manuel Messias Sukita Santos (PSB) quer que o candidato a vice na chapa de Marcelo Déda (PT) seja um membro do seu partido. Sukita acha natural que o seu partido indique o vice. Acha que os nomes de Paulo Viana e do deputado Belivaldo Chagas têm estrutura para compor a chapa majoritária.

AGRICULTURA
O ex-deputado federal Sergio Reis (sem partido) pode não assumir a Secretaria da Agricultura: “faço política de grupo e não gosto de prejudicar ninguém”, disse. Sérgio vai voltar a conversar com o governador João Alves Filho e analisar se deve ficar com a Pasta. Decide ainda esta semana.

MACHADO
O deputado federal José Carlos Machado (PFL) disse ontem que defende ardorosamente a candidatura à reeleição da senadora Maria do Carmo Alves (PFL). Antecipou, entretanto, que colocará seu nome à disposição do partido para disputar o Senado, caso Maria do Carmo não o faça.

PAIXÃO
Pela dúvida da verticalização, as deputadas Susana Azevedo, Celinha Franco, o ex-prefeito César Mandarino e a vice-governadora Marília Mandarino podem deixar o PPS. O deputado Ivan Paixão diz que não passou por sua cabeça deixar o PPS, mas reconhece que há dificuldade dentro do partido em Sergipe.

CONVERSA
Parlamentares e lideranças do PPS já conversaram com Ivan Paixão sobre o assunto e foram ao governador João Alves Filho a quem demonstraram insegurança. João ficou preocupado e vai voltar a conversar com os presidentes do Senado Renan Calheiros e o vice da Câmara Tomaz Nonô, para apressar a votação da reforma política.

CALADO
O presidente regional do PT, Severino Bispo, está em silêncio, mas faz um levantamento em todo o estado para falar depois. Diz que está correndo atrás, checando tudo, para denunciar todos os fatos que aconteceram no pleito do partido em Sergipe domingo passado.

BELIVALDO
O deputado Belivaldo Chagas (PSB) disse que todo mundo está aguardando o dia 30: “na última semana, quando se tiver certeza que não muda o jogo, haveria uma correria”. Belivaldo acha que “essa semana acontecerá a renuncia de Severino, depois as discussões e eleições para seu substituto. Com isso acaba o mês”.

ZEZINHO
O presidente do Sebrae, José Guimarães, está filiado ao PMDB e, se for ingressar em outra legenda, terá que se afastar do partido. O seu ingresso aconteceu recentemente, quando acompanhou o senador José Almeida Lima. A informação é que Zezinho tem sido tentado a ingressar no PSC.

APOIO
Sábado à noite um parlamentar declarou que nos entendimentos no Palácio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro, Antony Garotinho teve uma opinião diferente da anunciada. Garotinho teria sido informado – e aceitado – que o PSC apoiaria o governador João Alves Filho (PFL) na disputa pela reeleição no próximo ano.

CONVERSA
Já em Brasília, o ex-governador Antony Garotinho, em jantar com senadores do PMDB, garantiu que o PSC fará coligação com candidatos pemedebistas em todo o Brasil. Razão: ele será candidato a presidente da república pelo partido. Essa é uma questão que terá de ser resolvida o mais rápido possível.

EM DISCUSSÃO
João Fontes (PDT) participou de encontro do partido, sexta-feira em Salvador. No sábado e domingo em São Paulo, onde foi discutida a posição do PDT para o próximo ano. O pessoal também fez uma analise sobre a crise política e concluiu que haverá um crescimento grande do BDT em todo Brasil.

Notas

RECURSOS
Deu no “JB”: “Durante esta semana, tão logo foram divulgados os números apontando uma queda vertiginosa de 10 pontos percentuais nos últimos três meses, o presidente encomendou a assessores um pente-fino nas mais prementes reivindicações dos governos estaduais para serem atendidas ainda esse ano”. “A ordem é abrir o cofre. E se forem levados em consideração pleitos dos estados, o Planalto terá de desembolsar pelo menos R$ 10 bilhões para ter êxitos na tentativa de fazer um afago nos governadores”.

COMENTÁRIOS
A Comissão de Constituição e Justiça pode votar hoje projeto de lei que permite a veiculação de entrevistas e notícias que contenham análise sobre candidatos em campanha. A legislação atual proíbe rádio e televisão de difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido ou coligação.
A restrição imposta aos meios de comunicação representa importante garantia do princípio da isonomia entre os candidatos, mas, se interpretada com rigor, o dispositivo pode prejudicar o direito do eleitor à informação.

ELEIÇÕES
Ana Lúcia e Márcio Macedo vão disputar o segundo turno na disputa pela Presidência Regional do Partido dos Trabalhadores em Sergipe, no dia 9 de outubro. Macedo, que é presidente municipal do PT, não conseguiu voto suficiente para ganhar no primeiro turno, mesmo com apoio do grupo majoritário.
Há expectativa de uma união dos grupos de esquerda com o objetivo de enfrentar o campo majoritário, como vem acontecendo em todo o Brasil. O pleito aconteceu em todos os estados no domingo passado.

É fogo

O governador João Alves Filho (PFL) deve viajar este final de semana a Brasília para tratar sobre questões políticas.

A eleição direta do Partidos dos trabalhadores foi uma das mais tumultuadas de todos os tempos, em razão de várias divergências internas.

O prefeito Marcelo Déda (PT) saiu muito animado do show de Ana Karolina, sábado à noite, no Augustu’s.

O deputado federal Jackson Barreto sabe que não tem condições de permanecer no PTB, inclusive porque o partido está proibindo coligação com o PT.

O senador José Almeida Lima (PMDB) terá novas reuniões em Brasília para consolidar sua candidatura ao governo do estado.

O governador João Alves Filho ainda não desistiu de ter o deputado federal Heleno Silva como aliado. A posição do PL não é boa no estado.

A prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSDB), manterá sempre sua fidelidade ao ex-governador Albano Franco (PSDB).

O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) acha que o presidente do Supremo, Nelson Jobim, agiu certo ao sustar os processos de cassação, para que se dê ampla defesa.

A maioria dos parlamentares, entretanto, acha que houve uma interferência no legislativo e que Jobim está fazendo política.

O mercado residencial de energia elétrica do Brasil crescerá 40% nos próximos 11 anos e as empresas do setor deverão estar prontas para enfrentar este aumento.

O Ministério do Planejamento tem o objetivo de estados e municípios adotem o pregão eletrônico para compras de bens e serviço de uso comum.

A Petrobrás pretende obter R$ 200 milhões com uma captação de recursos no mercado financeiro por meio de um fundo de recebíveis imobiliário.

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais