PM não pode ser doutor

0

Este blog  tem um grande número de leitores na PM de Sergipe. Este jornalista agradece a todos eles, muitos concordam com as análises deste espaço e outros discordam, o que é natural numa democracia. Por conta disso o que acontece dentro da PM, oficial e nos bastidores este blog tem conhecimento. Por exemplo, na última quarta-feira, foi publicado o BGO nº 107 da PMSE, onde uma nota que deixou os policiais militares com os seguintes questionamentos: Até onde pode ir o PM na sua formação? Não pode ser doutor?

 

A nota se refere ao coronel PM Eduardo Santiago Pereira (este jornalista não conhece o mesmo e nem sabe se ele é leitor diário deste blog). Pois bem, em busca de maiores informações o blog descobriu que o coronel Santiago Pereira é professor de Direito Penal da UNIT, por sinal muito bem visto dentro da instituição pelo desempenho nesta função tendo um profundo conhecimento e competência na matéria que leciona.

 

Conversando com alguns oficiais da PM, este jornalista descobriu que o coronel faz questão de divulgar e esclarecer aspectos da corporação no meio acadêmico e  é Mestre em ciências jurídicas, sendo aprovado para cursar o  doutorado na Argentina. Ocorre que, ao que parece solicitou esse oficial o custeio da jornada, tendo recebido a resposta através da nota publicada no BGO supracitado negando o pleito sob a alegação de que “Ocorre, porém, que, de acordo com as informações prestadas pelo Comandante Geral da PMSE (fl. 13), o curso de doutorado a ser realizado pelo requerente não atende aos interesses da Corporação.” Ficasse perguntado que interesses seriam esses, pois qual instituição não teria interesse de ter um Doutor em seus quadros?

 

A Polícia Militar parece viver em uma redoma, dissociada da realidade da sociedade em geral. Enquanto em qualquer outra instituição se estimula os quadros a se aperfeiçoarem cada vez mais, oportunizando aos seus componentes a ascensão a partir de melhorias nos seus currículos, na PM de Sergipe não se dá importância a isso, ao contrário, os militares que se formam em cursos superiores que cursam os seus mestrados e doutorados são perseguidos.

 

Será que esta perseguição não é fruto do ciúme e da falta de vontade de alguns que não têm a devida competência para procurar se qualificar cada vez mais? Na PM de Sergipe tem o mesmo valor e o mesmo salário o cabo com apenas o 1º grau, e o cabo com Doutorado em Sorbonne, será promovidos da mesma forma, respeitada a antiguidade, e percebem o mesmo soldo. Talvez, aquele com primeiro grau, por conhecer alguém importante leve até vantagem.

 

Pois bem, um doutorado em Direito Penal, “não atende aos interesses da corporação”. E o que deveria atender aos interesses da corporação? Talvez um Doutorado em Química com especialização em Pramil, ou talvez um Doutorado em engenharia naval, com especialização em submergir veículos da Honda. Sim, porque recentemente toda a imprensa divulgou que um coronel da PM foi preso pela PF traficando medicamento e outro coronel indo namorar na praia e deixando o mar levar um New Civic novinho de propriedade do Estado. Será que estes devem ser os prestigiados na corporação e merecem receber diárias para fazer curso até no Japão.

 

O coronel Eduardo Santiago Pereira não pode ser doutor, senão vai aprender demais. Querer saber mais que os outros e com certeza ter mais vergonha do que os outros. Este jornalista volta a esclarecer: não conhece o coronel Santiago Pereira, mas pelas informações colhidas entre alguns oficiais merece aplausos. Parabéns coronel siga em frente, mesmo sem apoio e reconhecimento, você orgulha os homens de bem que fazem a maioria da Polícia Militar.

 

Executiva do PT aprova aliança com PSDB  em Aracaju
A Executiva do PT aprovou ontem, 19, o pedido de coligação em Aracaju. Além da capital sergipana foram aprovados também os pedidos de coligação com o PSDB em Manaus, Campinas e Volta Redonda. A Executiva Nacional do PT ratificou o veto à aliança em Belo Horizonte (MG) com o PSDB. O comando petista rejeitou o recurso encaminhado por Aloísio Marques, do Diretório Estadual do PT, que apelou à executiva para rever a proibição de parceria com os tucanos.  A executiva também negou o pedido de intervenção preventiva no diretório municipal –encaminhado por Rogério Correia e Sumara Ribeiro que alegavam que a ordem de veto à parceria tucana não está sendo obedecida pelos petistas de BH. No documento protocolado  na executiva o pedido de intervenção foi baseado na necessidade de a Executiva Nacional do PT ter de atuar para garantir a orientação que proibiu a aliança de petistas e do PSB com o PSDB em Belo Horizonte. Porém, os membros da executiva consideraram a intervenção desnecessária.

 

Acordo com o PSDB: tapando o nariz
Anote. Dentro do PDT, alguns ex-tucanos que foram sacrificados em 2006 por conta da decisão de Albano Franco em ir apoiar João Alves, estão “tapando o nariz” para este acordo do PSDB com o PCdoB e o PT em Aracaju, que vai naturalmente se expandir para outros municípios. Um bom exemplo disso é o atual secretário Bosco Costa, que deixou de ser reeleito deputado federal, por conta do acordo de Albano com João. Foi ético e sério e deixou o partido.

 

Acordo foi “costurado” por Ulices Andrade
Dentro do PDT, o acordo que será formalizado hoje, 20, pela manhã, na sede do PSDB, foi “costurado” pelo presidente Ulices Andrade, com os pré-candidatos a vereador em Aracaju. Inicialmente a maioria não desejava, mas um por um foram convencidos por Ulices. Com a coligação proporcional com o PSDB, o PDT deixa de fazer pelo menos mais um vereador.

 

São Cristóvão recorre à Justiça para retomar área de Aracaju
O juiz Manoel Costa Neto  recebeu ontem, 19, o processo da Ação Civil Pública movido pelo município de São Cristóvão contra o município de Aracaju e o IBGE. A ação requer a retomada, em definitivo, de parte da área da zona sul da Capital (Mosqueiro, Robalo, Santa Maria, etc) para São Cristóvão, proibindo Aracaju de cobrar impostos aos moradores da região e solicita que o IBGE contabilize para São Cristóvão a população relativa a essas áreas. O juiz deixou para apreciar a liminar depois da defesa dos réus.

 

SMTT virou a casa da “Mãe Joana”
Com todo respeito a casa da “Mãe Joana” parece que não existe mais fiscalização na SMTT. Tanto na parte dos agentes de trânsito, como na fiscalização dos ônibus. Por exemplo, na última quarta-feira, quando do jogo Brasil X Argentina (até quando o Dunga será técnico desta seleção?), o terminal Leonel Brizola, ao lado da rodoviária José Rolemberg Leite ficou fechado das 23 às 24hs para a entrada e saída dos ônibus e até as bilheterias sem ninguém. Tudo porque,  motoristas, cobradores e os responsáveis pela bilheteria estavam assistindo o jogo e não podiam ser incomodados. Uma passageira chegou a entrar no terminal sem pagar e ficou esperando o transporte por uma hora. E a SMTT? Com certeza o fiscal deveria estar assistindo o jogo também. Edvaldo, abra o olho, enquanto é tempo…

 

Retorno no conjunto Orlando Dantas
Quem mora no conjunto Orlando Dantas reclama que todos os retornos foram fechados na Avenida Heráclito Rolemberg. O problema é que a SMTT tem um projeto para fazer um rotula logo na entrada do conjunto, no sentido praia, mas a demora é grande. E o pior não é isso, com o aumento do fluxo de veículos que faz o retorno na rotula que vai para o Augusto Franco os pedestres estão com problemas para atravessar a avenida, já que os veículos aumentaram a velocidade no local. Mas a SMTT, não está nem aí…

 

O vento sopra no NE  I
No blog do jornalista Luis Nassif, foi aberto um debate sobre a energia eólica e a preferência dos governadores do Nordeste por este tipo de energia baseado numa matéria do jornal Valor Econômico. É um tema interessante que o leitor, que desejar, pode enviar suas análises. O governador de Sergipe, Marcelo Déda, participou do debate e deixou o seguinte comentário:  “Não há mais dúvidas que as chamadas energias alternativas ocuparam seu espaço na agenda econômica. Com a história do aquecimento global transformando a emissão de CO2 em vilã preferencial do século 21 e o absurdo aumento dos preços do petróleo essa questão tende a superar o limite dos custos e avançar num rumo mais estratégico. Os EUA estabeleceram uma meta de produzir, até 2030, 20% de sua energia em matriz eólica”.

 

O vento sopra no NE  II
Continua o comentário do governador: “No caso do Nordeste, as condições favoráveis dos ventos que aqui sopram (pois é, nossos alíseos deixam o exclusivismo poético-musical, vide Caymmi – “vento, diga, por favor, aonde se escondeu o meu amor” – e passam a freqüentar os discursos dos economistas e investidores sem perder seu apelo lírico, dando fôros de negócio à deliciosa expressão “jazida de ventos”); a característica de complementariedade com a matriz hidrelétrica (quando chove, temos reservatórios cheios e poucos ventos; quando é tempo de seca, reservatórios vazios e ventos abundantes); investidores excitados e dispostos a investir numa cadeia produtiva que gera empregos e tecnologia com a instalação da indústria de equipamentos, além do apelo ambiental, tudo isso tem chamado a atenção dos governadores nordestinos. É claro que a questão ainda reserva muita polêmica – inclusive quanto aos preços – mas o governo a incluiu no PROINFA e já anunciou para o próximo ano um leilão específico para energia eólica. Em síntese, é uma oportunidade que não podemos ignorar”.

 

TCE fará auditagem especial no Banese
O pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE) aprovou na manhã de ontem, 19, a realização de auditagem especial no Banco do Estado de Sergipe (BANESE) para saber se procedem ou não as denúncias veiculadas na imprensa sobre favorecimento em licitações e contratos na área de tecnologia (informática). A auditagem ficará a cargo do conselheiro da área, Carlos Alberto Sobral de Souza. A decisão dos conselheiros foi provocada por requerimento do Procurador Geral do Ministério Público Especial junto ao TCE, João Augusto dos Anjos Bandeira de Mello. Este espaço levantou estes questionamentos e entende que as explicações do presidente do banco, publicadas neste espaço esta semana não dirimiram todas as duvidas. O blog continua trabalhando no assunto, com o apoio de alguns baneseanos. Seria bom que uma auditoria fosse feita em toda a área de tecnologia nos últimos cinco anos.

 

Banese: Interesses contrariados na área de TI
De uma leitora: “Os colaboradores do Banese que lutam diuturnamente para a manutenção da instituição que abraçaram e, que ostentam patrimônio compatível com as remunerações que recebem são, quase todos os dias, surpreendidos com noticias que de nenhuma maneira enaltecem a sua luta, mas visam unicamente denegrir a imagem da instituição. Porém, há de se considerar que estas notícias servem também para identificar que interesses foram ou estão sendo contrariados pela atual gestão do Banese, principalmente na área de TI. Não é difícil para qualquer colaborador do Banese identificar quem teve e continua tendo interesses contrariados na área de TI, por isso escreve com tanta propriedade sobre a aquisição de softwares e serviços e sobre como se faz “uso da Licitação somente para homologar o resultado já esperado e definido antes mesmo do processo ser realizado”.

 

Ainda sobre o Banese
Alguns questionamentos levantados por leitores: “Sobre o Banese, 27 baixaram a licitação, mas só uma participou? Logo a representante da IBM? Será que não foi direcionada a licitação? As outras 26 não participaram por quê? Outra coisa, quando se apresenta uma só empresa e vence, vocês acham que ela vai baixar o preço com negociação? Duvido, será que não estão superdimensionados estes valores? No referido pregão, apenas uma empresa local, representando a IBM, apresentou proposta, cujo valor ficou acima do esperado. Identificamos também a necessidade de aperfeiçoamento do edital e redimensionamento dos equipamentos especificados.?, será que isso não é uma adequação ao valor apresentado pelo representante da IBM? Rodrigo Corumba admitido em 1998, nunca se integrou ao banco, pergunto quanto tempo ficou por lá?  Quanto aos funcionários deixo o comentário de um Leitor do Blog ? De cada dez funcionários do Banese 9 estão insatisfeitos, é só fazer uma pesquisa de satisfação”.

 

Protocolo de intenções com a Microsoft
O Governo de Sergipe e a Microsoft Brasil assinam nesta sexta-feira, 20, um protocolo de intenções para o desenvolvimento de uma parceria na área de tecnologia visando favorecer a inclusão digital. Entre os itens negociados estão a criação do Centro de Inovação no Estado de Sergipe em parceria com o Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) e a instalação de um laboratório de Interoperabilidade com a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e o SergipeTec. Participam da solenidade o governador do Estado, Marcelo Déda, e o presidente da Microsoft Brasil, Michel Levy.O protocolo também incluiu, entre outros pontos, a doação de softwares Microsoft para Organizações Não Governamentais parceiras do Estado. Além disso, os estudantes e professores do Ensino Fundamental e Médio da rede pública estadual serão beneficiados também pelo programa de formação Aluno Monitor, que visa promover a formação em conceitos básicos de tecnologia, a capacitação para o gerenciamento do laboratório de informática das escolas e a multiplicação dos conhecimentos de TI.

 

Jubileu da Paróquia Nossa Senhora da Vitória
A Paróquia Nossa Senhora da Vitória completará no próximo dia 08 de setembro, 400 anos de criação. É a primeira paróquia do Estado de Sergipe, quando aqui ainda era Diocese de Salvador. Uma vasta programação será realizada: 02 a 08 de agosto – Cerco de Jericó; 17 a 24 de agosto – Visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora da Aparecida Padroeira do Brasil; 18 de agosto – Show com o Padre Antônio Maria; 24 de agosto – Cristo é o Show 30 a 31 de agosto – Visita da Imagem do Senhor do Bonfim da Bahia (a imagem nunca saiu daquele Estado) de 30 de agosto a 08 de Setembro – Novenário e Festa da Padroeira e dos 400 anos da Paróquia.

 

Esclarecimentos da DRE-8
O diretor da DRE-8, Everaldo Pinto Fontes, Gaspeu enviou os seguintes esclarecimentos para o blog a respeito de nota publicada ontem, 19, com o título “Reclamações sobre direção da DRE-8: “Inicialmente, acredito que o uso da expressão “servidores competentes” foi feito com base em afirmações de eventuais servidores que tenham se sentido prejudicados por terem sido remanejados de funções que exerciam no governo anterior, com toda a subjetividade e imparcialidade que permeiam a situação, haja vista que a avaliação de competência é viabilizada na prática cotidiana, como prerrogativa do gestor responsável pela organização. Sem falar no fato de que, em se constatando a competência, naturalmente a mesma deverá estar a serviço da implantação da nova política educacional que o atual governo está realizando, com todas as dificuldades que esta transição enfrenta, após décadas de governos conservadores em Sergipe. Além disso, entendo ser fundamental ressaltar que jamais cometeria o equívoco de recorrer a supostos apadrinhamentos políticos como garantia de estabilidade. E por fim, será que estas pessoas que enviaram mensagens para sua coluna assumiriam publicamente a arrogância que vinham a mim demonstrando desde o início do ano passado, sob o argumento de que suas ligações políticas com o governo derrotado João Alves não seriam levadas em consideração, pois nada mudaria?”

 

Situações ininteligíveis I
Do leitor Saullo G. Resende: “Sempre presenciamos ou ouvimos dizer sobre situações que fogem à compreensão humana, desde fatos sobrenaturais, lúdicos, exotéricos ou mesmo exóticos, coisas que nos fazem pensar e não achar respostas. Contudo, quando estas situações ocorrem no âmbito jurídico-político, além de incompreensíveis, causam também muitas indignações. É o que podemos observar nos últimos tempos em algumas das atitudes adotadas pela Procuradoria Geral do Estado de Sergipe (adiante PGE). Quando o Governador Marcelo Déda anunciou que iria devolver a contribuição previdenciária efetuada sobre a sigla FUNASERP, depois de tantos episódios desta novela, a PGE por sua vez resolveu ingressar com uma ação em nome do Estado de Sergipe (Mandado de Segurança – Processo nº 200710301956) para barrar tal devolução. O Estado então acabou pedindo a desistência da ação, a qual foi homologada, mas a PGE ou algum de seus procuradores, contraditoriamente, recorreu da decisão e o processo ainda encontra-se em fase de apelação (Apelação Cível – Processo nº 2007211704), onde os servidores desta província ainda correm o risco de perder, ou melhor, de não receber o que lhes foi descontado indevidamente”.

 

Situações ininteligíveis II
Continua Saullo G. Resende: “A mais recente controvérsia agora se dá acerca da  (in)constitucionalidade da progressão vertical do magistério referente à Lei Complementar nº 61/2001 (Incidente de Inconstitucionalidade – Processo nº 2007111723), o qual já teve por duas vezes sua votação adiada, sendo mais uma vez o Estado, através da PGE, o suscitante de tal controvérsia. O curioso é saber que a PGE participou da elaboração desta Lei. Com isso, uma dúvida paira sobre a nossa limitada capacidade de pensar: ou a PGE é independente a ponto de se sobrepor aos interesses do próprio Estado, ou o Estado, como se diz no conhecido ditado de domínio público, ordena “nas caladas da noite” que a PGE interfira em questões como as que aqui foram mencionadas. Mas, o mais intrigante é que se por um lado a Procuradoria tenta barrar as melhorias ou outros procedimentos que beneficiam os servidores públicos e professores, classes trabalhadoras que em sua maioria são mal remuneradas, por outro, ela (a PGE) deixa algumas aberrações jurídicas se consumar sem criar qualquer obstáculo, como por exemplo, não oferecer embargos à execução (Execução de Sentença – Processo nº 200810300043) em que a Construtora Celi “executa” o Estado de Sergipe a pagar a singela quantia de R$ 22.000.000,00. Não é possível compreender como a Douta Procuradoria, tão resoluta e vigilante com os direitos do Estado, simplesmente nada fez para impedir a execução da pequena quantia descrita. Como vimos, determinadas situações do âmbito jurídico-político só são compreendidas pela superdotada capacidade de pensar de alguns membros da PGE, para o restante da população elas são ininteligíveis”. Saullo G. Resende.

 

Desrespeito no Forró Caju
De um leitor: “Sou um admirador do autêntico forró e em todos os shows desses dois eventos, quando a apresentação não é de bandas de forró, alguém da produção do evento pede para o artista encerrar sua apresentação antes do programado, tudo isso pra que a “massa” não perca a paciência e assista logo as bandas. Poxa! Por que uma banda pode passar 2 horas com sua embromação e um forrozeiro não pode fazer seu show completo, que geralmente não passa de 90 minutos? Aconteceu isso na orla com Clemilda, já ontem, 18, no Forró Caju aconteceu o mesmo com Sergival e Genival Lacerda, mesmo com boa parte do público interagindo com esses artistas, esses recebem um recadinho e em seguida anunciam que precisam encerrar sua apresentação. Sergival, por exemplo, não pode apresentar o numero da Boneca Genoveva, porque teve que terminar as pressas. É lamentável esse desrespeito aos artistas e também ao público que foi lá para assistir ao seus shows. Por isso eu peço a você, que comente algo a respeito disso, a fim de evitar que essa prática continue e vire até costume nos eventos”.

 

Resposta à leitora. “Forró Caju… Forró?”
Do jornalista Abrahão Crispim Filho,”Primeiramente o Forró Caju é um sucesso por ser uma festa democrática, que mistura ritmos e pessoas de diferentes crenças e classes sociais. Ao contrário do que foi dito pela leitora, ao menos, o Forró Caju ainda é uma das poucas festas do nosso Estado em que a cultura sergipana e os artistas da terra são valorizados. Se a leitora não tem cultura suficiente para entender o que foi tocado e cantado no dia 16/06, não tinha o porquê ela sair de casa para prestigiar o grande show da banda sergipana Naurêa, e dos pernambucanos Silvério Pessoa e Cordel do fogo encantado. Ah! E para lembrar aos leitores desavisados: Maconha e álcool não são exclusividades de shows alternativos. O Forró Caju proporcionar uma cultura diferente do que estamos acostumados a ouvir nas nossas rádios. Parabéns ao Secretário de Comunicação da Prefeitura de Aracaju, Carlos Cauê, no comando do maior arraial do Brasil, não mede esforços para tornar o Forró Caju uma referência nacional em festa popular”.

 

Ficha suja I
Do leitor Dinho Santana: “Se por um lado recua o nosso Carlos Ayres Britto, presidente do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, conforme divulgado ontem em seu blog: Deu na FSP de hoje, 19: “O presidente do TSE, Carlos Ayres Britto, recuou sobre a divulgação da “ficha suja” de candidatos. “O objetivo do TSE não é divulgar lista de quem quer que seja. É facilitar o acesso do eleitor aos dados constantes do pedido de registro da candidatura.” Segundo ele, a lei exige que o registro seja acompanhado da declaração de bens, quitação de prestação de contas e certidões criminais. “O TSE quer viabilizar esse acesso do modo mais facilitado possível, para que o eleitor não tenha que se deslocar fisicamente para os cartórios.” Vindo em seu socorro o Juiz Paulo Henrique Machado, presidente da Associação dos Magistrados dizendo que: “ O foco da campanha é esse: garantir informação ao eleitor.”

 

Ficha suja II
Continua Dinho: “Façam-me uma garapa senhores juristas… Somos ou não somos um estado de Direito? Querer blindar a desorganização das nossas entidades enquanto o que mais se vê estampado na mídia é que: “ o crime está organizado”, se assim diz a mídia é porque nós enquanto sociedade estamos desorganizados!… Já disse e repito no Brasil, até para ser honesto temos que recorrer a justiça ou não?… Exemplos recentes demonstram que vale a pena ser desonesto; desde que se tenha dinheiro assim como Marcola, Fernandinho Beira Mar e etc… No campo político o próprio presidente da OAB do Rio de Janeiro,Wadih Damous, declarou:”O Brasil corre o risco de se tornar um imenso presídio, tamanho o número de corruptos que vem sendo detido nos últimos tempos. Agora, ao invés de pretos, pobres e prostitutas de sempre são os poderosos e engravatados que estão sendo atingidos pelos rigores da lei.É fato que no caso do exército entregar três adolescentes para bandidos no Rio de Janeiro, é um caso isolado…  “Tudo no país são casos isolados que para atender a sociedade de consumo assim definem, enquanto a marginalidade vitoriosa mostra seu poder não encontrado no judiciário pela tão famosa “morosidade processual”, “os juízes agora serão os eleitores”, melhor dizendo estamos caminhado para que seja cada um por se e Deus por nós todos, só que a conta anda em débito para com Deus e em crédito para o Diabo”.

 

Amazônia: governo mais perdido do que cego em tiroteio
Comentário de Luizinho Aracaju: “Sobre o nó da Terra, o Brasil encontra-se numa verdadeira e perigosa encruzilhada, senão vejamos, se ocupar-mos a Amazônia que pertence a todos nós brasileiros,  cometeremos crime ambiental, se a preservarmos, como até então estamos a fazer, corremos o risco de perdê-la para outras nações, organismos internacionais, tais como ONU ou mesmo para grupos terroristas como FARCs ou Sendero Luminoso. O acesso à terra tanto urbana, quanto rural vem provocando desnecessariamente conflitos violentos, vez que, na maioria deles, eles são arquitetados por grupos ou organismos com interesses financeiros ou políticos.  É uma questão muito delicada que o governo federal têm muita dificuldade em equacionar ou em outras palavras, tá mais perdido do que cego em tiroteio e é justamente aí que os grupos de interesses se digladiam para tentarem fincarem suas bandeiras”.

 

Frase do Dia
“E se eu dissesse para abandonares/As cavernas da tua mente?/Há melhores exercícios/À luz do sol e ao vento.” W.B. Yeats (1865-1939), poeta irlandês.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários