Política machista

0

A política partidária continua machista. Maior prova dessa discriminação é a Lei reservando 30% das vagas de cada partido para candidaturas femininas. Admitamos que essa não é a forma mais justa de garantir a representação política da mulher. Ademais, mesmo com tal exigência legal, na prática, as candidatas costumam ser pouco competitivas, principalmente por não contarem com o apoio das legendas, quase todas comandas por homens. O registro das chapas majoritárias em Aracaju deixou claro que a mulher ainda ocupa pouco espaço na política partidária. Das 11 candidaturas a prefeito da capital, apenas três são encabeçadas por mulheres: Danielle Garcia, Georlize Teles e Gilvaní Santos. E a maior prova de quanto a política continua patriarcal é a chapa do Partido da Mulher Brasileira (PMB), que registrou um homem (Juraci Nunes) como candidato a prefeito de Aracaju. Pelo visto, ainda levaremos muito tempo para alcançarmos, particularmente na política, a plena igualdade de direitos nas relações entre homens e mulheres. Lastimável!

Fatalidade eleitoral

O município sergipano de Poço Verde está de luto com a morte de dona Elza de Zeca (PMN). Vítima de infarto fulminante, ela morreu, ontem à noite, quando se preparava para ir à convenção que a homologaria como candidata a vice na chapa do prefeito Iggor Oliveira (PSD). Pela manhã, ao anunciá-la como sua parceira de chapa, o candidato à reeleição escreveu: “Mulher guerreira, militante da boa política, do diálogo e coração fraterno”. Descanse em paz, dona Elze!

Beneficiado pela demora

Finalmente ontem, o Tribunal de Justiça aprovou o pedido de intervenção por 18 dias na Prefeitura de Canindé do São Francisco. Os trâmites a seguir, contudo, poderão inviabilizar o afastamento do prefeito Ednaldo da Farmácia (Progressistas). Tudo vai depender de quanto tempo levará o governador Belivaldo Chagas (PSD) para decretar a intervenção e esta ser votada pela Assembleia. Ademais, o Legislativo pode simplesmente não aprovar o decreto e ponto final. Mesmo se o prefeito fosse substituído hoje, não haveria tempo para o interventor cumprir os 180 dias determinados pelo TJ, pois o mandato do indigitado acaba daqui a 106 dias. Este é um bom exemplo de como a Justiça falha quando tarda. Cala-te boca!

Um time na disputa

Onze mulheres e homens vão disputar a Prefeitura de Aracaju nas eleições de novembro próximo. Número bem maior do que os sete concorrentes do pleito de 2016. São candidatos majoritários Edvaldo Nogueira (PDT), Juraci Nunes (PMB), Danielle Garcia (Cidadania), Lúcio Flávio (Avante), Rodrigo Valadares (PTB), Márcio Macedo (PT), Almeida Lima (PRTB), Paulo Márcio (DC), Georlize Teles (DEM), Gilvaní Santos (PSTU) e Alexis Pedrão (PSOL). Boa sorte a todos!

Artigo proibido

E o senador Alessandro Vieira (Cidadania) está uma fera com a decisão da Justiça mandando retirar das redes sociais um artigo dele com críticas a adversários políticos. Em nota, o distinto disse que respeita a decisão judicial, “mas vamos recorrer por entender que nossa manifestação está dentro dos limites da lei. E mais importante: reitero integralmente o conteúdo do artigo censurado. É nítido o desespero daqueles que são capazes de tudo para se manter no poder, com as velhas práticas que prejudicam os cidadãos mais pobres. Alertar a população sobre a rede de mentiras financiada pelos poderosos é urgente”. Danôsse!

Faça o que digo…

O governador Belivaldo Chagas (PDS) burlou o seu próprio decreto que proíbe, em face da covid-19, aglomerações de pessoas. A acusação é do ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Segundo Vavá, a infração ocorreu na convenção do PSD em Simão Dias, “ato organizado a seu mando”. O ex-senador revela que a todos os sergipanos é proibido romper os protocolos sanitários, “permitindo-se, no entanto, uma exceção, desde que as aglomerações sejam de atos políticos promovidos por apoiadores dos candidatos do governador… Para o governo, o que vale é o velho ditado: Faça o que eu digo, mas não faça o que faço”. Home vôte!

Venda ameaçada

A Superintendência do Cade pediu a rejeição da compra pela Hapvida da carteira de contratos do sergipano plano de saúde Plamed. O órgão antitruste examinou os possíveis impactos do negócio nessas áreas e constatou que envolveriam ampliação da empresa compradora contra concorrentes dela nesta área. Agora, a operação financeira será analisada pelos sete integrantes do tribunal do Cade. A Hapvida comprou o Plamed ao ex-deputado Luiz Mitidieri (PSD) por R$ 57,5 milhões, em dezembro de 2019. Essa informação é do jornal Valor Econômico. Vixe!

Missa de 7º Dia

Será às 19h desta quinta-feira, a Missa de 7º Dia pela alma do médico e professor Walter Marcelo Carvalho, vitimado pela Covid-19. O ato religioso vai acontecer na Capela da Universidade Tiradentes, no campus Farolândia, em Aracaju, e será aberto apenas para os familiares do doutor Walter Marcelo. A missa vai ser transmitida pelo canal do Youtube da Unit.

Cutucando ministros

O senador Rogério Carvalho (PT) está cobrando explicações a dois auxiliares diretos do presidente Jair Bolsonaro. O petista que saber do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, os motivos que o levaram a mudar as regras de atendimento às vítimas de estupro. Rogério também apresentou requerimento convocando o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para explicar por quais razões o governo está ignorando as queimadas: “O Pantanal já teve 15% de sua área queimada, enquanto as autuações por crimes ambientais caíram 22% na região. Chega de passar a boiada”, fustiga. Crendeuspai!

Notícia falsa

A Prefeitura de Itabaiana emitiu nota de repúdio contra as rádios Capital/FM e Princesa/FM, que propagaram ter o prefeito Valmir de Francisquinho (PR) contraído coronavírus. “As duas emissoras tentaram colocar em prática a teoria nazista de repetir uma mentira mil vezes, na expectativa de que ela se torne verdade”. A nota oficial conclui informando que a Prefeitura interpelará judicialmente as rádios, seus proprietários e os radialistas “que se prestaram ao papel de reproduzir mentiras”. Misericórdia!

Recorte de jornal

Publicado no Jornal do Aracaju, em 29 de novembro de 1873

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários