Políticos estão gastando o tempo

0

Com quase nada pra fazer neste ano sem eleições, os políticos sem mandatos gastam o tempo à procura de um fato para ocupar espaços na mídia. Eles sabem que ficar longe da imprensa significa perder terreno na hora de a onça beber água. Essa conjunção de marasmo político e vontade de aparecer estimula o “plantio” de fake news, geralmente com o intuito de desgastar os adversários e até mesmo aliados. E aí surge todo tipo fofoca: enquanto uns alardeiam rompimentos políticos, outros denunciam impensáveis acordos por debaixo dos panos. Essa fase de mexerico vai perdurar até o começo de 2022, quando se iniciam pra valer as articulações de bastidores visando a formação de chapas para as eleições gerais. Portanto, não se deve dar muita atenção para tudo que se divulga sobre possíveis acordos políticos, pois, na maioria das vezes, tudo não passa de diálogo flácido para acalentar bovino. Danôsse!

Defesa aliada

Aliados do governador Belivaldo Chagas (PSD) não perdem tempo em defendê-lo das críticas dos adversários à sua administração. O último a fazer isso foi o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD). Segundo o fidalgo, “Belivaldo tem feito uma boa gestão. Ele tem controlado a pandemia da forma que dá. Tem deixado pronto vários quilômetros de rodovias e colocou os salários em dia. Então, discordo de quem faz críticas a esse governo”. Então, tá!

Viola de boca

Mais do que ninguém, a bancada federal sergipana sabe que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) não dispõe de recursos para concluir a duplicação do trecho da BR-101 em Sergipe. Pelas informações colhidas junto ao governo federal, a grana prevista para ser gasta naquela obra este ano não chega a R$ 20 milhões, bem menos do que os R$ 100 milhões necessários para conclui-la. Será que os deputados federais e senadores de Sergipe, que tanto cobram a conclusão daquele empreendimento, colocaram alguma emenda no Orçamento da União para a duplicação da BR-101? Marminino!

Pedindo socorro

O governador Belivaldo Chagas (PSD) deve se reunir, quarta-feira próxima, com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. Proposta pelo Fórum de Governadores, a reunião visa tratar sobre o cronograma de entrega de insumos para produção de vacinas no país. Os governadores também vão conversar com o representante chinês sobre o pedido feito anteriormente de 30 milhões de vacinas da farmacêutica chinesa Sinopharm. Aff Maria!

Bola fora

O petista Sílvio Santos (PT) caiu em desgraça ao desdenhar da morte do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). Ele postou na internet o seguinte: “Não sou hipócrita. Já vai tarde o homem cuja obra foi humilhar seus semelhantes”. A reação contrária foi imediata, forçando Sílvio a se desculpar: “Exagerei e fui infeliz na verbalização dessa indignação, confesso. Ninguém, mesmo que seja um insensível governante, merece morrer”, escreveu. Por conta da bola fora, Sílvio Santos renunciou à presidência do Instituto Marcelo Déda. Assim como Bruno Covas, o ex-governador Déda morreu de câncer. Misericórdia!

Copia e cola

Veja o que a jornalista Thaís Bezerra publicou no Jornal da Cidade: “E já tem gente maldosa chamando o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) de ‘Maria vai com as outras’. Tudo porque o pedetista praticamente copia o decreto do governador Belivaldo Chagas (PSD) sobre as restrições contra a covid-19. De fato, as determinações do gestor aracajuano são quase uma cópia fiel das anunciadas, 24 horas antes, por Belivaldo”, escreveu Thaís. Aqui pra nós, a vida de muitos políticos ficou bem mais fácil após terem inventado o control-C e o control-V. Crendeuspai!

Dormindo com o inimigo

O governador Belivaldo Chagas (PSD) não deixa o cargo visando se candidatar em 2022 para não ter que entregar o governo ao PT. Pelo menos é o que pressupõe a Folha de S. Paulo. O jornal paulista lembra que PSD e PT já marcharam separados na eleição em Aracaju. Diante da provável candidatura do senador petista Rogério Carvalho ao Executivo estadual, “a renúncia de Belivaldo seria uma jogada de risco, já que entregaria o governo do estado ao PT”, frisa a Folha. Ah, bom!

Tapas e beijos

O PT sergipano consegue ser governo e oposição ao mesmo tempo. Além de ter na vice-governadoria a petista Eliane Aquino, a direção do partido defende com unhas e dentes a administração do aliado Belivaldo Chagas (PSD). Enquanto isso, setores mais radicais do PT vivem pregando o rompimento da legenda com o pessedista. De tanto conviver com esse morde e assopra, o governador até já se acostumou com o clima de discórdia entre os petistas governistas e oposicionistas. Coisas de Sergipe!

Um pé no governo

Poucos políticos sergipanos têm sido tão prestigiados no governo quanto o ainda oposicionista André Moura (PSC). A aproximação do distinto com o grupo da situação é visível, deixando transparecer que ele disputará a próxima eleição na chapa governista. Um que não se cansa de elogiar o líder do PSC é o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT): “Mesmo não tendo mandato atualmente, André esteve em Brasília para pedir por Aracaju”, discursou o prefeito.

“Camelo” esquecido

Andar de bicicleta em Aracaju é uma missão pra lá de arriscada. O índice de ciclabilidade da capital é de 1,3, considerado crítico numa escala que varia de zero a quatro pontos. Para muitos ciclistas, a administração municipal privilegia os veículos motorizados, esquecendo a importância do saudável e econômico “camelo”. Prova disso é a falta de sinalização que favoreça quem usa a magrela de duas rodas para se locomover pelas perigosas ruas e avenidas de Aracaju. Só Jesus na causa!

Recorte de jornal

Publicado no jornal O Nordeste, em 13 de janeiro de 1951

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais