Poluição sonora, intimidações e medo

0

A região da Grande Aracaju há vários meses é um exemplo no combate a poluição sonora. Graças ao Ministério Público Estadual, através da promotora Ana Paula Machado, da Prefeitura de Aracaju, através da Emsurb, e a Polícia Militar, através de Pelotão Ambiental, o avanço foi significativo e o combate a infração que prejudica muitas pessoas, hoje é uma realidade.

 

Infelizmente, a poluição sonora é mais do que um problema, passa pela educação e conscientização do cidadão, que deve respeitar o direito dos outros, para também ser respeitado. É preciso que os órgãos responsáveis façam uma campanha preventiva principalmente na periferia de Aracaju, não só junto à população, mas em estabelecimentos que insistem em perturbar o sono da vizinhança a qualquer hora.

 

Recentemente um caso chamou a atenção: dos tiros envolvendo dois policiais militares por causa do abuso de um som, onde um deles não aceitou a reclamação e partiu para a violência contra o colega. Engana-se quem pensa que este fato seja um diferencial, pelo contrário, são constantes as brigas por conta das denúncias realizadas. Após a saída da polícia, quem denunciou é ameaçado pelo infrator de todas as formas. As intimidações são fortes. Um sargento da PM concedeu uma entrevista a uma emissora de rádio na semana passada e confessou que mudou de residência para não cometer uma “loucura”, porque tinha um vizinho que perturbava o silêncio e não respeitava ninguém.

 

É preciso que o MP reveja junto a Emsurb e ao Pelotão Ambiental uma forma de não identificar quem está denunciando por conta das retaliações. Muitas vezes quando se liga para denunciar, é logo pedido o nome e o endereço do denunciante. (não são todas denúncias, mas a maioria, chegando até a propor que o reclamante vá com ele ao local). Isso não é necessário. Se a PM constata a veracidade da denuncia, através do retorno do telefonema, não precisa identificar quem está tentando defender seu direito de dormir bem ou estar em sua casa sem um barulho ensurdecedor.

 

Várias ocorrências estão acabando em ameaças por conta desta identificação desnecessária. Muitos vizinhos, que são perturbados diariamente pelo som alto, não fazem as denúncias por medo e receio, já que têm que se identificarem. As tentativas de homicídio são constantes, muita gente aumenta seu som, ou liga o som do carro em determinado local e diz que “é o dono do mundo”. E, infelizmente, em vários casos, os envolvidos são policiais que deveriam dar exemplo para a população. 

 

É apenas um alerta para as autoridades responsáveis. É preciso proteger os denunciantes e não identificar seus nomes e endereços. Uma coisa é o infrator desconfiar de um ou outro vizinho, outra coisa é a certeza que “fulano” o denunciou. É preciso mudar a forma como são registradas as ocorrências, antes que alguém seja assassinado…

 

FHC aponta Déda como futura estrela nacional

Deu na coluna de Mônica Bergamo, na Folha de São Paulo no último sábado, 14, numa matéria com o título “Quem será o próximo”, onde algumas personalidades “mapeiam” futuros talentos nas áreas musical, artística, do cinema e da política. “Veja o que diz o ex-presidente FHC: “Fernando Henrique Cardoso aponta Marcelo Déda (PT-SE), governador de Sergipe, Eduardo Campos (PSB-PE), governador de PE, Beto Richa (PSDB-PR), prefeito de Curitiba, e Wilson Santos (PSDB-MT), de Cuiabá, como futuras grandes estrelas da política nacional”.

 

CTB é fundada em Sergipe I

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB – foi fundada oficialmente em Sergipe no último sábado, dia 13, durante Congresso Estadual realizado no auditório do Sindicato dos Bancários – primeira entidade de Sergipe a filiar-se à nova central. No evento, houve debates políticos sobre a atual conjuntura nacional, além da aprovação do estatuto da entidade e eleição da diretoria e do conselho fiscal para o triênio 2009/2011. Participaram dos debates dois representantes da CTB nacional, Eduardo Navarro, vice-presidente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe – Feeb BA/SE – e Nivaldo Santana, do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de São Paulo – Sintaema.  A CTB é uma entidade nacional, que já foi fundada na maioria dos Estados e agora chega a Sergipe. “É de grande importância a fundação da CTB, que é mais uma estrutura que vai ajudar na organização dos trabalhadores de Sergipe”, opina Edival Góis, coordenador da CTB no Estado.

 

CTB é fundada em Sergipe II

Após a alteração na estrutura sindical brasileira, com a aprovação da lei que reconheceu as centrais sindicais todos os sindicatos deverão optar pela filiação a uma das centrais sindicais. “Estamos com uma grande adesão. Muitos sindicalistas já se filiaram à CTB por conta da sua proposta diferenciada das outras centrais, que é a defesa da unicidade sindical. A CTB é uma entidade classista e de luta”, defende Edival. A nova central já nasce forte, com 20 entidades filiadas, entre urbanas e rurais. A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Sergipe – Fetase – está em processo de filiação. “Além do Sindicato dos Bancários, temos outras grandes entidades filiadas, a exemplo do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Saúde do Estado – Sintasa -, e do Sindicato dos Servidores Públicos Federais – Sindisep”, acrescenta Edival.

 

Seminários para prefeitos eleitos e primeiras-damas I

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), vai promover de hoje, 15 até o dia 17 de dezembro dois importantes seminários para facilitar ainda mais a aproximação entre a gestão estadual e os futuros administradores municipais. O primeiro deles será o I Encontro das Primeiras Damas de Município, que começa hoje no Hotel Parque dos Coqueiros.  Nos outros dois dias será a vez dos prefeitos eleitos se reunirem no mesmo local com representantes dos Governos Estadual e Federal. O primeiro dia será marcado pelo encontro entre a primeira-dama do Estado, Eliane Aquino, e as futuras primeiras-damas dos 75 municípios sergipanos.  O evento tem o papel de ressaltar a importância dessas mulheres na criação e aperfeiçoamento das políticas públicas voltadas para os habitantes das regiões, sobretudo as crianças e adolescentes. A idéia é que todas as primeiras-damas estejam engajadas na melhoria das condições de vida dos cidadãos, elaborando ações e participando ativamente dos projetos criados pelos prefeitos.

 

Seminários para prefeitos eleitos e primeiras-damas II

Durante o encontro, elas participarão de um painel sobre o panorama da educação no Brasil e em Sergipe, que contará com a participação do secretário de Estado da Educação, José Fernandes de Lima, e o presidente do Instituto Alfa e Beto, João Batista Oliveira. Além disso, as primeiras damas poderão discutir junto à coordenadora da Área de Educação Formal do Instituto Ayrton Senna, Inês Kisil Miskalo, o presidente do Movimento Todos pela Educação, Mozart Santos, e o representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Bahia/Sergipe, Ruy Pavan, a possibilidade de melhorar o futuro das crianças e adolescentes de seus municípios.

 

Parceria com os prefeitos

Depois das primeiras damas, será a vez dos futuros administradores municipais participarem de um encontro com o governador Marcelo Déda, secretários de Estado e alguns dos ministros que integram o Governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.O Seminário dos Prefeitos Eleitos pretende debater com os gestores a importância de dar continuidade a alguns projetos desenvolvidos pelo Governo do Sergipe, como as ações estaduais de combate à dengue lançadas no último dia 18 de novembro, concedendo aos prefeitos também a oportunidade de conhecerem os procedimentos para execução orçamentária da União e dos municípios, além de algumas das políticas da gestão dos Governos Estadual e Federal. (ASN).

 

Integração que queremos

Os presidentes dos países da América Latina e Caribe participam em Salvador para debater uma agenda comum que faça frente à crise financeira que sopra com força desde os países capitalistas centrais. O movimento sindical desses países realizam do dia 12 até hoje, 15,  o Encontro Sindical da América Latina e Caribe/VII Cumbre Sindical del Mercosur. O presidente da CUT/Sergipe, Antonio Góis, é um dos representantes da central no Encontro. O objetivo do evento é analisar o processo de integração entre os países da América, em especial o Mercosul, aprovando um documento com as propostas dos trabalhadores a ser entregue aos presidentes da região que estarão reunidos nas Cúpulas Presidenciais do Mercosul, Unasul e Latino Americana e Caribenha, em Sauípe, dias 16 e 17 de dezembro.  Após o Encontro, será realizada a Marcha pela Integração Soberana da América Latina e Caribe, em conjunto com os movimentos sociais que participarão da Cúpula dos Povos do Sul, também realizado em Salvador, paralelamente ao Cumbre Sindical.

 

PGE convoca estagiários de direito I

 A Procuradoria-Geral do Estado de Sergipe está convocando desde a última quinta-feira, 11 de dezembro, mais vinte aprovados, por ordem de classificação, no processo seletivo para a formação do quadro reserva de estagiários de nível superior, da área de direito, realizado no mês de setembro deste ano. De acordo com o item 5.1 do edital nº 002/2008 que regulamenta o concurso, os candidatos aprovados e convocados têm o prazo de dez dias, a partir da divulgação do nomes no site da PGE (www.pge.se.gov.br) e nos murais do edifício-sede do órgão para apresentarem a documentação exigida no edital, a fim de serem contratados. Segundo a Corregedora-Geral da Advocacia-Geral do Estado de Sergipe e Presidente da Comissão organizadora do processo seletivo, Procuradora Carla de Oliveira Costa Meneses, até agora já foram convocados 35 aprovados no último processo seletivo. Nesta oportunidade estão sendo convocados mais vinte, que deverão comparecer das 07 às 13 horas, na sede da PGE localizada na rua Pacatuba, nº64, edf. Luciano do Prado, Térreo, Sala 5, centro de Aracaju.

 

PGE convoca estagiários de direito II

Os candidatos aprovados e convocados deverão apresentar os seguintes documentos: Declaração pessoal em formulário próprio, fornecido pela PGE, conforme o anexo II do edital nº 002/2008; documento atualizado, datado de, no máximo 30 dias, comprovando a regularidade escolar, emitido pela instituição de ensino, com indicação do período cursado pelo candidato aprovado; cópias da Carteira de identidade e CPF; duas fotos 3×4, recentes e histórico escolar atualizado emitido pela Instituição de ensino. O prazo para apresentação da documentação expira-se no próximo dia 20 de dezembro deste ano. Veja a seguir os candidatos que estão sendo convocados:Milton Arthur V. de Andrade Cruz, Ana Lúcia Oliveira Filipin, Kelberth de Souza Marques, Wesley Andrade Soares, Vanessa Mendonça Vilanova, Rebeca Paiva Ribeiro, Natália Andrade Góes de Barros, Victor Hugo Machado Santos, Guilherme Resende Christiano, Diego Oliveira Acioli, Kelly Cecília Macedo Monteiro, Rogério Rezende Freitas, Danielle Melo Ferreira, Isabella Cabral Fonseca, Tatiana Batista Frosi, Susi Oliveira Américo Pessoa, Luis Enock Passos Souza, Thiago Chaves de Oliveira Pessoa, Viviane Maia do Nascimento e Marcel Kazukas Rodrigues Pereira. (Ascom/PGE).

 

DO LEITOR

 

MP e o Banese

Do leitor Diogo Souza: “Que o MP ajuíze um ação exigindo que seja realizada uma licitação eu até entendo, o que eu não entendo é qual a legitimidade que o Banese acha que tem para ser ele o detentor das contas, como se a transferência para outro banco fosse uma espécie de usurpação com a entidade. O artigo da Constituição Estadual que determina esse pretenso monopólio do Banese com as contas públicas é claramente inconstitucional, imaginem se os outros estados resolvem fazer o mesmo? Acabariam com a livre concorrência do setor. Esse tipo de tentativa de se criar uma reserva de mercado é fruto, sem dúvida, de uma mentalidade interiorana e arcaica, qual seria o próximo passo? Determinar que somente carros que paguem o IPVA em Sergipe possam rodar pelas nossas rodovias? Ou que somente Sergipanos possam participar de concursos públicos no estado? O Banese ao invés de protestar, deveria sair da inércia e tentar cooptar clientes da mesma forma que seus concorrentes, pois bem se o Banco do Brasil e a CEF oferecem benefícios para as Prefeituras para gerir suas contas porquê o Banese não pode fazer o mesmo? É só perguntar a qualquer Prefeito sua opinião sobre o Banese que a reclamação é geral, reclamam da falta de diálogo do Banco com eles e não o consideram parceiro”.

 

Plano de Cargos dos servidores do TJ

Do leitor José Menezes: “Aproveito o ensejo para parabenizar a iniciativa sobre a matéria inerente ao Plano de Cargos e Salário dos servidores do TJ/SE, mas, neste momento, torna-se de vital importância a oitiva destes, uma vez que existe um projeto da AMASE – associação dos magistrados de Sergipe, que tem como objetivo a equiparação dos respectivos vencimentos aos dos juízes Federais, ou seja, R$ 19.055,00, frise-se, por fim, que, atualmente, os juízes de Direito deste entidade federativa percebem R$ 15.000,00”.

 

O que deu errado no governo Déda I

Do leitor Messias Gonçalves: “Ninguém em sã consciência neste estado pode dizer que o governo de Marcelo Déda, é totalmente igual ao do seu antecessor. Como um excelente prefeito que fora, reconhecido pelo povo de Aracaju e, certamente referendado pelos demais sergipanos, eis que veio dele, Déda, uma análise equivocada de que tudo poderia fazer. Era o todo poderoso. Era o cara, como disse Romário um dia. E não é bem assim. Uma coisa que não podemos esconder é a sua vaidade. Ele é estritamente vaidoso. Os políticos têm o dever, a obrigação de lerem, analisarem e, acima de tudo, respeitar as “Urnas”. Não adianta continuar achando que o povo esquece logo, como os seus adversários assim achavam e veja que quebraram a cara.  O povo é sábio e soberano. Um projeto político-administrativo, não deve ter descontinuidade por simples vaidade de um, de alguns integrantes de um grupo, que mesmo se dizendo hoje socialista, na verdade nunca deixou de pensar como “caudilho”, na época da ditadura. O projeto tinha um rumo, uma direção. Um planejamento a seguir, que veio a ser interrompido. O comportamento antes da eleição era um, totalmente diferente com os praticados logo depois dela. Não entendo como as pessoas conseguem se transformarem tanto em tão pouco espaço de tempo. Marcelo Déda é governador de Sergipe, desde um dia posterior às eleições. Portanto, teve tempo suficiente para com o seu grupo, organizar a sua equipe de governo. Mas não o fez. Foi justamente ouvir alguns resquícios da ditadura, com a velha tática dos seus opositores, para que buscassem “adversários” do grupo, mais não seus adversários, para comporem o futuro governo. Sabe como chamam isso? “Governabilidade”. Sabe como eu chamo? “Prostituição”. Isso mesmo, prostituição. Um tapa na cara daqueles que se dispuseram pelo projeto de mudança. “Senão, vejamos: “Um oferece cargos, benesses, em troca de supostos” apoios” e votos na Assembléia Legislativa”.

 

O que deu errado no governo Déda II

Continua Messias Gonçalves: “Agora eu pergunto. Se já tínhamos maioria, pra que estender? A não ser que a intenção era apresentar projetos para serem aprovados, prejudiciais ao povo. Somente isso se explicaria. Nada mais. Além do fato de abortarem possíveis projetos contrários. Aí, dão-se secretarias, órgãos governamentais, para aquelas mesmas pessoas que dirigiam no governo passado, que perseguiam servidores por estarem engajados naquele projeto e, mesmo continuando, têm como objetivo, o fracasso dessa administração, para que aí sim, os anteriores voltem. Lembrem da eleição de Ulisses Andrade e da escolha de Flávio Conceição. Setores desse grupo levaram o governador Marcelo Déda, a negociar com a oposição. O resultado todos nós já sabemos. Vejam que somente depois de dois anos de governo, se anuncia um concurso para a saúde, câmaras de segurança, reformas de hospitais no interior. O que estavam fazendo esses assessores? Estavam fazendo política no interior. Governador, secretários, deputados da base (aliados e adversários) e, somente agora, vamos governar. È o fim da picada. E o pior de tudo é que eles mesmos estavam se bicando em algumas cidades. Sem contar que não é certa a participação desses “novos” aliados, no projeto em 2010. Neste momento, os professores estão anunciando mais uma paralisação em conseqüência da instalação do piso salarial nacional. Déda diz que está sendo penalizado, justamente por estar cumprindo a lei federal e, o sindicato, está cometendo o mesmo erro do próprio Déda, ou seja, não estão respeitando as urnas. Lembre do recado dado pela candidatura do professor Correia. Semana retrasada, foram os auditores. Isso tudo porque no início do seu governo, não procurou dialogar com as categorias em conjunto, mostrando os objetivos, as metas, a capacidade financeira, enfim, buscarem juntos as correções salariais, preferindo instalar primeiro à “mesa de negociação”, por setores, aonde cada um quer o seu primeiro. As distorções são grandes entre setores, cabendo assim, um projeto para todos, e não individualmente. O tempo dirá que ainda categorias já contempladas, voltarão a exigir mais e mais. Queira Deus que eu esteja errado, para o bom andamento do governo. É hora de recuperar o tempo perdido e, mostrar ao povo sergipano que eles não erraram ao dizer nas urnas que queriam “Mudanças”.

 

A OI é uma piada e de mau gosto

Do leitor Francisco: “Possuo o plano Oi conta total e tive problemas com o chip e solicitei um outro no dia 02/12.A operadora me informou que estaria recebendo via Sedex na terça dia 09/12, coisa que já estranhei um espaço de 7 dias. Bom a verdade é que só recebi dia 11/12 o sedex e uma carta me explicando que teria que ligar para o nº 1057 e registrar meu chip e dai poder fazer e receber ligações. Mais problemas, segui a orientação e a atendente depois de 15 minutos de conversa me diz que o numero do chip não correspondia ao que ela tinha e o mais grave eu deveria procurar uma loja OI. Veja o absurdo, vc recebe em sua casa uma carta segue orientações e a empresa não está apta para resolver. A verdade é que estou já há 12 dias sem usar o telefone, mas a conta chega certinho. Reclamar a quem? ninguém essa é a grande operadora que gasta milhões em propaganda mas não funciona em atendimento ao cliente. Gravei tudo”.

 

Frase do Dia

“Prefiro que caluniem o meu silêncio a que caluniem as minhas palavras.” Nicolas Chamfort.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários