Por dentro do Detran

0

 Ao anunciar ontem o nome do advogado Francisco Dantas para o Detran-Se, o governador eleito Marcelo Déda (PT) reafirmou a linha que vem sendo adotada onde o critério pode ser político – neste caso uma indicação do Partido Liberal, comandado por Heleno Silva – mas com pessoas que tenham experiência comprovada na área da administração pública. Neste caso não se contesta a experiência de Chico Dantas.

   Conversando com um membro da entidade dos servidores do Detran, ele fez uma análise dos últimos 12 anos e destacou que nos quatro anos do governo atual, o Detran teve uma administração politicamente melhor. Ou seja, as influencias políticas foram quase extintas. O órgão deixou de ser trampolim para a micropolitica, mas pecou em outro caminho, através da macropolítica, como exemplo os gastos exagerados em propaganda e o aluguel do helicóptero que é usado pela saúde e a SSP. Sem falar nos grupos montados dentro da estrutura interna.

    No início do primeiro mandato de Albano (1994 a 1996), o Detran iniciou um processo de revolução tecnológica. Se é certo afirmar que o crédito cabe ao dirigente da época, é justo lembrar que a tecnologia implementada naquele início de governo não estava disponível antes daquele momento, que foi o inicio da era Microsoft. Naquele período os “desvios” eram de outra forma. Tanto é que ele, o dirigente, acabou saindo por não ter atendido uma determinação de uma superiora.

   Já nos últimos dois anos do primeiro governo (final de 96 a 98), o caos foi instalado no órgão.

O Detran foi entregue a caciques da política do interior (Itabaiana e Lagarto principalmente) que indicaram ou seus irmãos ou seus cabos eleitorais. Itabaiana foi quem mais lucrou nesse período. Ora com um grupo, ora com outro. Foi utilizado para eleger prefeitos em 1996 e deputados em 1998. É só vascular os jornais do período.

     No segundo mandato de Albano Franco (1999 a 2002) o Detran vai para Jerônimo Reis, de Lagarto, que segue a mesma linha do anterior, até o ano 2000. Neste início de segundo mandato, há um fato curioso: apesar de ser toda indicação política, enquanto parte da direção se beneficia política e administrativamente, outra parte faz uma revolução no órgão: atendimento em questão de minutos, emissão de CNH em 24 horas, Postos de Atendimento nos shoppings, atendimento on-line, controle de auto-escolas, integração com outros órgãos, etc. Apesar deste diferencial, a questão política continuou a todo vapor.

      Com o governo João Alves entra  Ytimbira Paixão Garcez que fez de tudo para o órgão não ser usado politicamente, já que a indicação dele não foi de um político. Mas se comparado com um período do governo Albano, a administração atual foi bem melhor. Só pecou na parte administrativa onde alguns grupos existentes “determinaram” diversos caminhos. Com isso restou a atual direção aumentar o número de terceirizados que não solucionou os problemas. Nos bastidores, servidores contam histórias cabeludas de “férias” na América Latina e Europa.  

    E o que ocorre agora com o “blecaute” de uma semana no sistema? O servidor informou que estão tentando fechar a conta e estão promovendo a “migração” de sistemas. Pelo que o sindicalista disse (o jornalista é leigo no assunto da informática) estão saindo do sistema Windows (pago) e indo para um tal de Linux (gratuito). O jornalista perguntou qual o preço da mudança. Ele explicou que é mais  barato legalizar as cópias piratas do que o preço que está sendo pago pela mão-de-obra. Pelo que o sindicalista informou esta parada no atendimento que foi dada nesse de fim de ano é exatamente para isso: A migração! Agora imagine quando reabrir o caos que vai está!

O sindicalista lembrou de outro detalhe interessante: Em 1998 o “ajuste de conta” foi por creditado ao Bug do Milênio. Agora é esta “migração”. Em 2002 não teve ajustes, pois não teve brechas para serem sanadas. Bem caro leitor, este é um pequeno detalhe do quadro interno do Detran hoje, relatado por uma fonte de inteira confiança que trabalha há mais de 20 anos no órgão. Chico Dantas, futuro presidente, que se prepare. Tomará que não ocorra nada de ruim, mas a população precisa ser alertada e preparada que o pior pode acontecer no início deste ano.

 

Déda já extinguiu cinco secretarias

Ao anunciar ontem a Secretaria do Trabalho, da Juventude e da Promoção da Igualdade Social, o governador eleito fundiu duas atuais pastas (Juventude e Políticas para mulheres) numa só. Ele anunciou para este jornalista que  extinguirá também as secretarias de Assuntos Parlamentares e a de Gestão Estratégica e Modernização administrativa. E que se não extinguir, fundirá a atual Secretaria de Serviços Públicos Metropolitanos em outra pasta. Para se ter uma idéia a de Assuntos Parlamentares atualmente o titular é Mario Trindade Silveira (onde fica?) e a de Modernização Administrativa, Etélio Prado.

 

Governo ficará com 22 secretarias

Pelo atual quatro o governo do Estado tem 28 secretarias, sem contar com algumas pastas com status de secretário, como  Defensoria Pública, Controladoria e Chefe do Gabinete Militar. Déda já anunciou 19 secretários. Pela estrutura atual – tirando as que ele vai extinguir e fundir – falta indicar os nomes para Esporte Lazer e Coordenação Política e Assuntos Institucionais. Que completaria 21 nomes. A vigésima segunda será a Secretaria de Transportes.  Faltam também os nomes para a Controladoria Geral, a Defensoria Pública e a chefia do Gabinete Militar. Ainda neste sábado ele deve anunciar o secretário de Esporte e Lazer.

 

 

JB consegue que Déda deixe de lado indicação técnica

Depois que “abriu” mão da Secretaria de Combate a Pobreza, o deputado federal Jackson Barreto conseguiu emplacar dois nomes no futuro governo. O primeiro é o ex-prefeito de Propriá, Renato Brandão para a futura Secretaria do Trabalho, da Juventude e Promoção da Igualdade Social. Já para o Pronese que tem um convenio com o Banco Mundial para atender a população carente através de associações e entidades, Jackson conseguiu emplacar o filho do ex-prefeito de Laranjeiras, José Sobral (já falecido), conhecido como Zezinho Sobral. Para um programa que já teve os melhores técnicos do Estado, Déda preferiu manter a forte ingerência política como vinha ocorrendo nos últimos anos onde o Pronese era comandado por pessoas indicadas pela senadora Maria do Carmo. Jackson não estava presente na solenidade ontem porque estava em Gramado (RS), ao lado de familiares.

 

Meio Ambiente será tratado com seriedade

Na área do meio ambiente Déda anunciou dois nomes que têm compromisso com o meio ambiente. Primeiro foi Márcio Macedo para a Secretaria do Meio Ambiente e ontem foi o biólogo Genival Nunes para a Adema (antes que falem, não é parente deste jornalista). Genival é um técnico competente que já foi sondado para assumir o Ibama em Sergipe e pode contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos sergipanos. Por falar em qualidade de vida o atual governo tem uma arapuca na área, voltada para a proteção dos criadores de camarões. Este assunto é delicado, mas deve ser colocado em primeiro lugar o meio ambiente para depois se pensar na viabilidade econômica.

 

Ana Lúcia vai mudar perfil social

Quem leu a coluna ontem sabe que não foi surpresa a indicação de Ana Lúcia para a futura Secretaria da Inclusão e Desenvolvimento Social (hoje Combate a Pobreza). Foi uma indicação acertada do futuro governo. A corrente liderada por Ana Lúcia pode mudar o rumo do desenvolvimento social no Estado, deixando de lado apenas as ações assistencialistas e tratando as pessoas necessitadas com dignidade, ou seja “ensinando a pescar”.

 

PMDB conquistou o espaço que merece

Para a Secretaria de Administração, Déda escolheu Jorge Alberto. Para quem pensa que o PMDB ganhou muito tendo Benedito Figueiredo (Justiça) e Jorge no governo, ledo engano. Déda começou a ganhar a eleição estadual quando o PMDB declarou o apoio à candidatura dele. Mesmo algumas lideranças ficando no barco do atual governador o partido foi fundamental para que Déda tivesse um tempo maior que João Alves no horário eleitoral além do nome do partido que é referencia onde chega. O PMDB está contemplado de acordo com sua dimensão eleitoral. Detalhe: os últimos secretários da administração foram também deputados federais: Ivan Paixão e Mendonça Prado.

 

Entrevista especial na TV Cidade

A TV Cidade exibe hoje, às 19h30 uma entrevista especial com o governador eleito, Marcelo Déda. A entrevista, com mais de uma hora de duração foi concedida pelo governador eleito ao jornalista Euler Ferreira. Nela Déda fala de temas interessantes desde a eleição estadual até o momento atual. Vale a pena conferir.

 

Paulo Brito readmite 318 concursados

Depois de uma briga judicial, onde o ex-prefeito Luciano Nascimento afastou os servidores concursados admitidos no concurso realizado na administração anterior, o prefeito de Propriá, Paulo Brito, determinou ontem o retorno de todos os concursados. A readmissão será assinada a partir do dia 2 de janeiro.

 

Edvaldo avisa que sua “cara” será a mesma

Ao fazer um balanço ontem do ano administrativo de 2006, o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) reafirmou que o projeto administrativo que está na Prefeitura é uma continuidade do que vem sendo realizado há seis anos onde ele participou ativamente como vice-prefeito. Ele deixou claro que é um projeto único, não de personalidades, mas político e por isso não existe o interesse de tentar criar uma imagem dele diferenciada de Déda. Edvaldo explicou que existe um estilo diferente de governar, mas o projeto é uma continuidade administrativa. A perspectiva para realizações de obras pela Prefeitura de Aracaju através de recursos de convênios e o  do orçamento da União é excelente com a possibilidade da injeção de mais de R$ 45 milhões. A conclusão da infra-estrutura do bairro Santa Maria e o início de uma grande reforma urbana no bairro Coqueiral são obras que ficarão marcadas no ano 2007, sem contar com o viaduto da rotula do DIA.

 

 

Auditor preocupado com incentivos em Propriá

Um auditor fiscal –  cujo nome não pode ser revelado para não sofrer retaliações – disse que o atual governo estadual deu um presente às lojas, Maia, Guido (ainda não instalada) e G.Barbosa em Propriá. O ICMS de apenas 2% a titulo de incentivo à instalação no comércio local. O auditor alerta que com o ICMS baixo algumas mercadorias do supermercado estão sendo vendidas como se fossem em Propriá, num valor exorbitante de R$ 2 milhões. Um bom caso para que o futuro governo faça uma vasculhada. É fácil comprovar a denúncia com o aumento das vendas naquele município. O auditor já disse que por conta desta isenção alguns comerciantes já estão pensando em ingressar com uma ação de responsabilidade contra o governo, pois estimulou uma concorrência desleal dentro do município. E vai mais: verificar o preço baixo de algumas mercadorias que está sendo praticado em Aracaju por conta da saída da mesma mercadoria por Propriá. É fácil descobrir.

 

Sindijor apresenta reivindicações a Edvaldo I

Através de ofício, o Sindicato dos Jornalistas de Sergipe – Sindijor apresentou ontem ao prefeito Edvaldo Nogueira algumas reivindicações para melhorar a qualidade da comunicação pública de Aracaju. No primeiro ponto, o Sindijor pede a realização de concurso público para jornalistas profissionais. Cristian Góes, presidente do Sindijor, lembra que “nunca, em toda sua história de mais de 150 anos, a Prefeitura de Aracaju, em tempo algum realizou concurso público para os cargos de jornalista. Neste sentido, a realização deste concurso é urgente, atende os princípios constitucionais e é histórico”.

 

Sindijor apresenta reivindicações a Edvaldo II

Outro ponto reivindicado: Vários jornalistas que trabalham na Prefeitura ocupam cargos em comissão e/ou são funcionários efetivos desviados de funções, funções técnicas, o que causa profundos prejuízos para os profissionais – todos de nível superior – e para a comunicação pública municipal. Além disso, existem muitos poucos profissionais na condição de técnico em comunicação. A grande e esmagadora maioria já se aposentou. Assim, reforça-se a tese do concurso e o imediato enquadramento dos poucos profissionais que estão na atividade com carga horária e piso salarial de jornalistas como de fato e de direito.

 

Sindijor apresenta reivindicações a Edvaldo III

Por fim, Cristian Góes lembra que em junho de 2007 o Sindijor completa 30 anos de história. “Apesar de sua importância histórica e que se confunde com o próprio jornalismo sergipano nos últimos 30 anos, a entidade representativa da categoria sequer possui uma sede própria. Aproveitando-se esse momento histórico, solicitamos a Vossa Excelência não a doação de um prédio público para as instalações do sindicato, porque, por principio, não concordamos, mas a cessão em comodato por dez anos, tempo em que todos os esforços da categoria estarão voltados à obtenção de sua sede própria”, ressalta Cristian no ofício. Agora é esperar a decisão do prefeito Edvaldo Nogueira.

 

 

 

 

Até Rondônia tem mais crescimento que Sergipe

De um jornalista sergipano que esteve recentemente em Rondônia, na cidade de Ariquemes: “Fiquei impressionado com  crescimento físico e organizacional daquela cidade. Se compararmos com algumas cidades como Estância, Laranjeiras, Propriá, Indiaroba e outras em Sergipe,  nos dão a impressão que pararam no tempo. É preciso que o futuro Governo encontre alguma forma de fiscalizar e orientar os prefeitos na aplicação dos recursos, pelo menos os de origem estadual. A população destes municípios com certeza ficará muito grata.

 

Mandarino quer família em 4 municípios

O deputado estadual eleito César Mandarino (PSC) prepara a esposa, a atual vice-governadora Marilia Mandarino para disputar o mandato de prefeita em São Cristóvão. Na base dele, Itaporanga D`Ajuda vai lançar o irmão, o atual presidente da Deso, Victor Mandarino. Como se não bastasse ainda vai colocar um parente para ser candidato em Estância e outro em Salgado.

  

Frase do Dia

“Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda”.Paulo Freire, educador brasileiro. 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários