Por que o preço é mais barato na internet?

0

Fim de semana chegando. Com a possibilidade de chuva anunciada pela previsão do tempo, ficar em casa talvez seja uma boa opção. Para animar o clima e reunir a família, você decide comprar uma nova TV. Vai até uma loja de departamentos, verifica os modelos e escolhe o seu favorito. Está decidido! Vai comprá-lo.

Antes, porém, decide dar uma passadinha em casa e fazer uma busca rápida na internet, para ver a quantas andam os preços por lá também. Eis então que, para a sua surpresa – e bastante grata, diga-se se passagem –, o mesmíssimo aparelho está anunciado por um valor 20% mais barato. E mais: este preço está sendo ofertado pela mesma loja que você visitou! Tudo parcelado em até 10 vezes sem juros e com entrega em até dois dias úteis na sua região. Ou seja: um negócio ainda melhor.

Mas e qual o porquê dessa diferença no investimento, do mundo físico para o virtual? Há algum motivo específico para isso? A resposta é “sim”. E dos bons! Pense comigo: na loja física, a empresa precisa fazer a manutenção do espaço, arrumar displays e vitrines, contar com vendedores à disposição para recepcionar e atender os clientes, entre tantas outras necessidades fundamentais. E tudo isso gera custos, desde material de apoio a uma equipe especializada na execução destas tarefas. Isto sem falar nos gastos com energia, aluguel do ponto comercial e demais afins.

Já na loja virtual, estes e tantos outros custos simplesmente desaparecem. Afinal, o “chão” do seu e-commerce está sempre brilhando (dispensando a necessidade de alguém para limpá-lo). Aluguel? Não existe. Vitrine? Apenas a virtual. O que a empresa passa a ter em mãos, então, é uma economia que ela pode partilhar com o cliente, reduzindo o valor dos produtos, mas sem precisar baixar sua margem de lucro – que, muitas vezes, pode se tornar até maior, mesmo com a venda por um preço reduzido.

Indicadores no Brasil – De acordo com o relatório WebShoppers, em sua 29ª edição, “o comércio eletrônico brasileiro faturou R$ 28,8 bilhões em 2013, o que representa um crescimento nominal de 28% em relação a 2012”. Já o número de pedidos alcançou a marca dos 88,3 milhões em 2013, número 32% superior ao ano anterior. A expectativa anunciada pelo estudo, para 2014, é de um crescimento nominal de 20% para o setor de vendas on-line no país, em relação a 2013. De fato, vale a pena ficar de olho e investir.

E você? Está esperando o que para montar o seu e-commerce? Escolha bem a sua plataforma e boas vendas!

Leia também:
5 dicas campeãs para seu e-commerce vender mais
5 dicas para vender serviços na web
E-commerce x S-commerce

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários