POSSE E PRESTÍGIO

0

A solenidade de posse da nova diretoria da Sociedade Médica de Sergipe, ocorrida na noite desta

Roberto Gurgel e Petrônio Gomes – o que sai e o que entra, em foto gentilmente cedida pelo colega Gildo Simões, na hora da transmissão do cargo.
sexta-feira, 17, foi um momento de afirmação da classe médica perante a sociedade, como agente de participação efetiva no contexto da saúde em Sergipe. O discurso de posse do novo presidente, Petrônio Gomes, ao mostrar a situação delicada por que passa os médicos no momento presente, foi um libelo de libertação e um compromisso de recolocá-los como protagonistas principais da história, marginalizados que foram ao longo dos anos.  De forma dura, mas elegante, ele cobrou dos dirigentes maiores da saúde em Sergipe, presentes à  solenidade, uma maior participação dos  médicos nas discussões sobre a elaboração e a implementação das novas políticas de saúde, que se apresentam desafiadoras e de certo forma enigmáticas, com a recente implantação das fundações estatais que integrarão a administração pública indireta,  vinculadas à Secretaria estadual de Saúde. A Secretaria de Saúde está colocando todas as fichas nesse projeto, que se apresenta grandioso. E se não der certo? Promover o engajamento real da categoria médica através de suas entidades representativas, parece ser uma medida inadiável.

Petrônio Gomes também colocou a Somese à disposição dos gestores públicos para colaborar no processo de capacitação dos profissionais de saúde que participam dos diversos programas já existentes e dos que se engajarão após o concurso público recentemente anunciado, que promoverá o ingresso de três mil novos servidores. E prometeu que vai acompanhar de perto todo o processo de aplicação do recurso público na área da saúde. Nada mais salutar e procedente, uma vez que esses recursos advém do pagamento dos nossos impostos.

Roberto Gurgel, o presidente que deixa o cargo após dois mandatos seguidos, abriu as portas da entidade para as discussões políticas da saúde com a sociedade, firmando parcerias estratégicas, como foi o caso das ações conjuntas realizadas com o Ministério Público. Honrou o cargo com dedicação e respeito e por sua atuação nacional na defesa do exercício médico, foi reconduzido à diretoria de Defesa Profissional da Associação Médica Brasileira, mantendo assim a tradição da participação de Sergipe no alto comando da entidade.

Finalmente, a boa notícia, aquela que os médicos aguardavam ansiosamente ouvir, foi  anunciada por Petrônio Gomes:  as entidades médicas de Sergipe trabalharão, a partir de 2009, em sintonia única, com a criação de uma Federação abrigando as quatro entidades médicas estaduais – Somese,  Conselho, Sindicato e Academia, numa verdadeira Ordem dos Médicos de Sergipe. A iniciativa, que partiu  do Dr. Henrique Batista, novo presidente do Conselho Regional de Medicina de Sergipe, foi extremamente oportuna e solidária e teve de fato o sentimento de união, ao propor a criação da Federação com todas as entidades citadas, sem exclusão.

Assim, os médicos sergipanos  têm neste 18 de outubro, razões de fato  para comemorar o seu dia.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários