Prato feito

0

Ao viajar para a Alemanha, o governador Marcelo Déda (PT) se poupou do trabalho de participar do fechamento das composições partidárias com vistas às eleições de outubro. Quando desembarcar no final de semana em Aracaju, ele encontrará o prato feito e temperado por seus aliados e com o qual tentará conquistar a maioria das prefeituras e eleger o maior número de vereadores. A viagem do petista ao exterior na véspera das convenções provocou alguns comentários, como o de que ele perdeu o gosto pelas discussões de bastidores. Seja o que for, o certo é que Marcelo Déda fez o que nenhum outro governante sergipano havia feito: ausentar-se do estado no período das convenções partidárias, justamente quando os aliados mais precisam de orientação do líder maior para aparar arestas, conciliar interesses e compor as melhores chapas. Só há um porém: quando provar a iguaria preparada pelos outros, o governador não pode reclamar do tempero. Seria, no mínimo, deselegante, adjetivo que não lhe cabe.

Malandragem

Em busca de popularidade nas redes sociais da internet, os políticos se tornaram público-alvo de empresas que vendem seguidores-fantasmas no Twitter. Com um depósito de R$ 1,5 mil, é possível ganhar 50 mil novos “followers” artificiais, que são divididos em dois grupos: os reais e os “zumbis”, ou inexistentes. Estes últimos, criados por programas de computador, não têm fotos e os nomes são compostos por números. Muitos candidatos vão cair neste golpe.

Inclusão

Prossegue até o dia 15 deste mês, no Hiper Bompreço da avenida Gonçalo Prado, a exposição de artesanatos produzidos por detentos das Penitenciárias de Areia Branca, Nossa Senhora da Glória e do Presídio Feminino de Socorro. Com o objetivo de estimular a inclusão social dos presidiários, a mostra conta com porta-jóias, cofres e baús de madeira, cadeiras, bancos, peças em renda, colares, tapetes, bolsas femininas, biquínis e telas. Prestigie!

Último dia

Hoje é o último dia para os partidos entregarem à Justiça Eleitoral as atas das convenções realizadas sábado passado. Boa parte das legendas ainda não conseguiu fechar as relações dos candidatos a vereador e alguns continuam à procura de candidatos a vice. Este é o caso da prefeita de Carira, Gilma Chagas (PSD), que tenta a reeleição.

Fuleragem

Muito bom o artigo publicado pelo jornalista Elton Coelho sobre a deformação de nossas quadrilhas juninas. Para atender exigências dos concursos promovidos pela Rede Globo de Televisão, as quadrilhas estão sendo transformadas em escolas de samba, com direto a coreografias e alegorias ridículas. Foi assim com o nosso forró, substituído pelas bandas de gosto duvidoso, e com o carnaval aracajuano, abatido pelo axé baiano do Pré-Caju.

Pesadelo

“Estou apenas adiando um sonho, mas não desistindo dele”. A afirmação é do deputado estadual Augusto Bezerra (DEM), que abriu mão de disputar a Prefeitura de Socorro sob a alegação que não conseguiu unir a oposição em torno do seu nome. Na verdade, ele foi abandonado pelo partido e não obteve a receptividade que esperava dos socorrenses. Isso não é um sonho, mas um terrível pesadelo.

Pinguço

O que será que o mar anda bebendo ultimamente? Pelo tamanho da ressaca exposta ontem na costa sergipana, é provável que o Atlântico tenha enchido a cara com Pedra 90, aquela cachaça horrível que faz a cabeça dos inchadinhos.

Mamata

Enquanto milhões de brasileiros trabalham de sol a sol para ganhar um miserável salário mínimo de R$ 622, os deputados federais reajustaram ontem em 30% o valor da verba de gabinete. Usada para pagar os funcionários que trabalham nos gabinetes ou nos escritórios políticos dos parlamentares, a verba passa dos atuais R$ 60 mil para R$ 78 mil. Uma vergonha!

Farpas

O candidato a vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB) tirou uma casquinha com Almeida Lima (PPS) ao elogiá-lo como um parlamentar que conseguiu liberar muitos recursos para Sergipe: “Com essa eficiência, é bom que ele permaneça em Brasília”, fustigou o tucano. Almeidinha respondeu a Machadão na lata: “O que você e João Alves fizeram foi um negócio com Amorim, que pode lhe garantir a vaga de Reinaldo Moura no Tribunal de Contas do Estado”. Misericórdia!

Cala Boca

Os corinthianos ainda festejam o título inédito da Copa Libertadores da América, conquistado ontem pelo Timão ao vencer o Boca Juniors por 2 a 0. O grande herói da partida foi Emerson, que marcou os dois gols, aos 8 e 27 minutos do segundo tempo. Derrotado, o Boca emudeceu, colocou a viola no saco e foi-se para a Argentina.

Do baú político

Em artigo publicado recentemente no Jornal da Cidade, o desembargador aposentado Artur Oscar de Oliveira Déda lembra o colega da Faculdade de Direito, Carlos Henrique de Carvalho. “Ele era baixo na estatura e elegante no vestir. Daí o apelido que carregou enquanto viveu: Bonequinha. Precursor da crônica social em Sergipe, fez amigos e inimigos, estes representados geralmente por pais protetores ou Romeus ciumentos”. O desembargador escreve que, certa vez, “numa sessão solene de posse realizada no Tribunal de Justiça, com a presença de representantes do Exército – foi precisamente na tarde do dia 31 de março de 1964, o dia do golpe – Carlos Henrique discursou louvando as qualidades do novel desembargador, o Dr. Serapião de Aguiar Torres, chamando-o de ‘desembargador do povo’. Conta-se que, dias depois, fora intimado pelos militares para explicar a razão do título conferido ao magistrado. E ele calmamente esclareceu: ‘Sim, eu disse… desembargador do povo… quer dizer… do povo rico’”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais