Prefeituras, Banese e a livre concorrência

0

   

Artigo do publicitário Eduardo Guimarães: Em agosto de 2006 o Banco Central do Brasil adotou várias medidas para estimular a economia e facilitar as relações bancárias. Uma delas deu ao trabalhador o direito de escolher qual o banco ele quer receber o salário. Assim sendo, o governo ratificou que a liberdade de escolha, é um direito não só do empregado, como também do empregador, no caso as prefeituras.

 

 Ao permitir que o empregado e (ou) empregador escolha com que instituição bancária quer movimentar sua conta, o governo aumenta a competição entre os bancos. Para o ministro da Fazenda, Guido Mantega “quem se sentir atraído pelas ofertas de outro banco vai poder sair. E o banco onde ele está vai oferecer mais vantagens e assim estamos estabelecendo a competição entre os bancos”.

 

Muitas vezes as empresas, no caso prefeituras, negociam a folha de pagamento com o banco e obtém alguma vantagem em troca, e aí fica o compromisso de que essa conta não pode sair de lá. O banco cria dificuldades para que essa conta seja transferida. Com as medidas essas dificuldades são eliminadas e estabelece a liberdade de transferência da conta para instituição de sua escolha.

 

A competição além de reduzir as taxa de juros, faz com que os bancos corram atrás dos clientes e não que os clientes fiquem pedindo favores para os bancos. Fomentar a competição obriga os bancos a praticarem taxas menores o que favorece a todos. A prova disso é a redução das taxas de juros, principalmente naqueles empréstimos consignados em folha que os bancos estão oferecendo.

 

O rentável setor bancário de hoje abomina a política do apadrinhamento, nivelando bancos estatais e privados no patamar da livre concorrência, o que obriga cada vez mais as instituições bancárias a investirem elevados recursos na formação profissional de seus agentes.

 

Para concluir, esta é uma questão que não se resolve por decreto nem tão pouco na pressão política, porque o mercado em que vivemos é o da livre concorrência e o Banese tem experiência e solidez para conquistar novos clientes. (Eduardo Guimarães,  publicidade e comunicação de marketing).

 

 

Um ano da Operação Navalha

Neste sábado, 17, faz um ano que os sergipanos acordaram com a operação Navalha, que, vem mudando, aos poucos, a história política do Estado. Sem ela, com certeza, o TC não seria desnudado. Sem ela, as relações entre o TC e o governo do Estado seriam outras.

 

 

Procurador não aceita calúnias do ex-governador

O procurador da República Paulo Guedes Fontes disse que não aceita as “calúnias” do ex-governador João Alves Filho (DEM) que, em entrevista concedida ontem à imprensa, no aeroporto de Aracaju, vinculou a Procuradoria Geral da República aos interesses políticos dos governos federal e estadual de Sergipe. O procurador advertiu o ex-governador para que limite sua defesa ao processo: “Se continuar a usar a imprensa para caluniar os representantes do MPF, vou discutir o processo publicamente”. Segundo ele, interceptações telefônicas provam que o empresário Max Andrade recebeu propina da Construtora Gautama. Na época, Max era coordenador da campanha à reeleição do então governador João Alves. Para o procurador, não há dúvida sobre o envolvimento do ex-governador com o desvio de recursos que deviam ter sido aplicados na obra de duplicação da adutora do rio São Francisco.

 

Sobre o Hospital João Alves

De um profissional que trabalha no Hospital João Alves: “Os profissionais da Saúde se aquietaram com a história do HUSE. O que aconteceu que agora só se fala no MP? Nada mudou lá dentro, mas está todo mundo mais calado.  Bem, ninguém que fazer de uma luta justa uma bandeira política da oposição. Principalmente dando munição para Augusto Bezerra e Venâncio Fonseca darem uma de bonzinhos, quando ainda está na memória da maioria dos profissionais daquele hospital a discriminação com que foram tratados por estes parlamentares, juntos na época à Lila Moura, à Angélica Guimarães, a Mittidieri, à Suzana Azevedo, “situação” na época da implantação da famigerada GEHOSP do governo de João Alves. Privilegiaram apenas uma categoria profissional por questões absolutamente políticas. Ainda está na memória dos profissionais as perseguições também da época de João Alves, da falta de material e medicação, do caos que havia e que ninguém da AL veio visitá-los”.

 

Ainda sobre a saúde

Continua o profissional do HUJAF: “O governo estadual está se desvirtuando de seu diálogo de só negociar dentro das mesas de negociação. Dentro do âmbito da Saúde mais uma vez o Sr. Rogério Carvalho ludibria a Mesa e além de não instituir a mesa setorial ainda se reúne e faz acordo isoladamente com a categoria médica. Profissionais da Saúde, abram os olhos!” E por falar em Saúde do Estado… vem ai mais uma seleção por análise de currículum para a SES. Desta vez serão serviços no HEMOSE! Ministério Público atenção!!!! Vai ser igual à seleção da Maternidade?

 

Demora na entrega de exames

Uma denúncia do profissional de saúde: “Algumas crianças vêm nascendo com sérios problemas de saúde, má-formação pela demora na entrega de alguns exames pelo Centro de Referência da Mulher. O que está acontecendo?”

 

Integra da punição ao tenente Alexsandro Lino

Deu no Boletim Ostensivo da PM:  – Ao 1º Ten QOPM, Alexsandro Lino da Conceição, por ter nos dias 14, 17, 20 e 21 de dezembro de 2007 comparecido a várias emissoras de rádio desta capital e feito declarações contra oficial superior, contrariando os preceitos estatuídos no ordenamento jurídico pátrio ofensivo a ética profissional militar, desta forma, concorrido para a discórdia entre militares; deixado de cumprir norma regulamentar na esfera de suas atribuições; desrespeitado medidas de cumprimento; provocado discussão, por qualquer veículo de comunicação, sobre assuntos políticos e militares, exceto se devidamente autorizado; referindo-se de maneira desatenciosa a superior hierárquico; desconsiderado outro militar por palavras, mesmo entre civis.  Que após o devido Processo Legal, onde lhe foi assegurado o direito constitucional da ampla defesa e do contraditório, previsto no inciso LV do art. 5º da Constituição Federal e art. 35, §§ 1º e 2º, do Decreto nº 4.346, de 26 de agosto de 2002, Regulamento Disciplinar do Exército (R-4), através do Procedimento Administrativo de Apuração Disciplinar instaurado por meio da Portaria 022/2008-AG-PAAD, datada de 12 de março de 2008, durante o qual foi instado a apresentar suas razões de defesa, abdicou deste direito, portanto, não apresentou razões que justificassem o cometimento de seus atos (incorreu nos nº 03, 07, 12, 59, 98, 100 do Anexo I, com as agravantes do inciso II e letra “e” do inciso VI do artigo 20, tudo do RDE, TRANSGRESSÃO GRAVE) fica preso por 08 (oito) dias no QCG sem prejuízo do serviço.

 

Conselho de Justificação para tenente Alexsandro

Em outro BO, do dia 16, foi constituído Conselho de Justificação para avaliar a conduta do 1° Ten QOPM Alexsandro Lino da Conceição, pelo comandante geral da PM: “Art. 1º Constituir Conselho de Justificação, a fim de avaliar a conduta ético-disciplinar do 1° Ten QOPM Alexsandro Lino da Conceição, lotado no CFAP, com fulcro na alínea “b”, do inciso I, do art 3º da Lei nº 2.395/82, em razão dos fatos contidos nos documentos em anexo, sendo eles: Jornal Semanário “Correio de Sergipe”, edição de 15 de maio de 2008 e Parte Especial/2008 – PM/5, exarada pelo Cel QCOPM Chefe da PM/5. § 1º O Conselho de Justificação será composto pelos oficiais abaixo nomeados, os quais exercerão as funções adiante explicitadas: Cel QOPM Antonio Vieira dos Santos, – Presidente;Maj QOPM Luiz César Santana Reis, Maj QOPM Vivaldy Cabral Santos, Escrivão;Art. 2º Conforme preconiza o § único, do art. 5º, da Lei 2.395/82 o acusado acima mencionado fica afastado das suas funções e passa a disposição do Conselho de Justificação.Art. 3º O Cmt do CFAP deverá apresentar o acusado ao Conselho de Justificação no prazo máximo de 08 (oito) dias. OBs: o Conselho de Justificação é o primeiro passo para expulsão de um policial dos quadro da PM.

 

Ceac na Rodoviária Nova

O governador de Sergipe, Marcelo Déda, inaugurou na sexta-feira,18, o novo Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ceac) do Estado, localizado no Terminal Rodoviário Governador José Rollemberg Leite (Rodoviária Nova), em Aracaju. O Ceac, que reúne num só ponto cerca de 200 serviços oferecidos por 18 órgãos do Governo e parceiros, é o segundo do tipo a funcionar em Sergipe. O outro fica no Shopping Riomar. Construído dentro do terminal rodoviário e funcionado ao lado do terminal de integração Leonel Brizola, o centro vai facilitar, principalmente, a vida dos cidadãos que moram no interior do Estado e que passam diariamente pelo local. “Esse centro irá beneficiar, sobretudo, o mais pobre porque está perto das pessoas que mais precisam”, falou o governador. Iniciada em 2006, a obra de construção do Centro estava paralisada. Coube à administração atual investir, em pouco mais de um ano, R$ 1.080.051,89 dos R$ 1.934.109,51 necessários para a conclusão do centro.

 

Novo Canal a serviço da Inclusão Social I

Entrou no ar nesta quinta-feira, 15, o blog “Inclusão Sergipe”, um espaço aberto para que assuntos relacionados às pessoas com deficiência sejam tratados de forma clara, objetiva e com a responsabilidade de resgatar histórias de quem luta contra as barreiras para ser incluídona sociedade sergipana. O canal é coordenado pelo jornalista Anderson Barbosa e faz parte de um projeto ainda maior, que é o de traçar um panorama de quantas são, quem são e como vivem as pessoas com deficiência em Sergipe. O blog inicialmente será atualizado a cada 15 dias com novas histórias de pessoas que seja na música, jornalismo, comércio, entre outros setores da sociedade, têm conseguido destaque. O objetivo é desmistificar a impressão que ainda se tem em relação a este público, muitas vezes visto como incapaz de atuar como cidadão ativo. “Os exemplos que serão mostrados ao longo dos meses vão mostrar que eles são muito mais ativos do que se imagina”, completou o coordenador.

 

Novo Canal a serviço da Inclusão Social II

O endereço na Internet é www.inclusaosergipe.blog.emsergipe.com e já pode ser acessado. A participação dos internautas será feita por mensagens enviadas diretamente ao blog ou se preferir pelo e-mail jornalistaanderson@yahoo.com.br. O novo canal estará aberto não só a comentários, mas  também a publicação de textos de outros autores. A primeira história publicada no blog é uma auto-biografia da jornalista aracajuana Heloisa Rocha, desde a fase de bebê os familiares descobriram que ela tinha Osteogênise Imperfeita (uma doença genética relativamente rara (atinge em média 1 a cada 21.000 nascidos) que provoca principalmente a fragilidade dos ossos). A jovem, hoje aos 23 anos, enfrentou os desafios, superou as barreias e integra o grupo de jornalistas de Sergipe. No currículo muitas experiências profissionais.

 

Jornalista sério e responsável

Vale a pena conferir o blog de Anderson Barbosa. Um jornalista sergipano sério e responsável, que hoje trabalha na TV Sergipe e sempre teve preocupação com a inclusão social.  Anderson é natural de Cedro de São João e tem uma preocupação social muito grande.

 

Petrobras divulga empreendimentos entre as comunidades

Neste domingo, 18, às 10 h, no Starfish Ilha de Santa Luzia Resort, a primeira reunião do Programa  de Comunicação Regional para  divulgação dos  empreendimentos marítimos da Petrobras na Bacia de Sergipe/Alagoas nos anos de 2008/2009. As reuniões fazem parte do Programa de Comunicação Social Regional da Petrobras, e têm a finalidade de informar e prestar esclarecimentos sobre as atividades da Petrobras na Bacia Sergipe/Alagoas. Têm como público alvo as comunidades pesqueiras, principalmente, além de órgãos do Poder Público e organizações da sociedade civil interessados na questão. No domingo, estarão presentes representantes dos municípios de  Itaporanga, São Cristovão, Aracaju, Pirambu e Barra dos Coqueiros. Realizadas anualmente desde o ano de 2007, quando foi aprovado pelo IBAMA, órgão que licencia e fiscaliza os empreendimentos, as reuniões englobam hoje  15  municípios diretamente atingidos pelos empreendimentos, correspondendo a todo o litoral sergipano, norte da Bahia (Conde e Jandaíra) e sul de Alagoas (Piaçabuçu, Feliz Deserto e Coruripe).

 

Um corpo que cai I

De um leitor:  Políticos não podem sofrer de acrofobia. Com efeito, além da exigência contida no art. 14, § 4º, da constituição federal, segundo a qual a alfabetização é condição de elegibilidade, a carta de 88 deveria impor a submissão dos candidatos a um exame psicotécnico. Esse exame teria como finalidade constatar quem tem medo de altura. A rigor, o medo de altura pode ser facilmente demonstrado: ao invés de querer subir, o político quer descer. A coisa se dá no âmbito do subconsciente. Exemplo clássico: alguém que foi governador (chefe do executivo estadual) e, agora, se contenta com a possibilidade de ser prefeito (chefe do executivo municipal).  Isso, longe de demonstrar ascensão, aponta para um quadro de queda. Tal fenômeno é típico daqueles que padecem de vertigem. Em 1958, por exemplo, o genial Alfred Hitchcock trouxe às telas o filme “um corpo que cai”, ganhador do oscar de 59 e do festival de cinema de S. Sebastian, em 58, na Espanha. A narrativa é centrada na figura do policial aposentado John Ferguson (James Stewart), o qual buscou a aposentadoria exatamente porque tinha acrofobia. Diante do fracasso profissional, Ferguson foi contratado como detetive particular para seguir os passos de Madeleine (Kim Novak), esposa de um colega seu, a qual tem comportamento suicida”.

 

 

Um corpo que cai II

Continua o leitor: “O intrigante é que, em dado momento, para acompanhar o objeto de sua investigação, Ferguson precisa enfrentar a altura. Pior: ainda se apaixona por Madeleine. Na política, há também quem se apaixone por idéias suicidas, do tipo encarar a altura sofrendo de acrofobia. Os gregos, que fundaram uma das maiores civilizações da terra, sabiam que política é uma ciência que se desenvolve nas alturas. Daí, a acrópole (do grego ?????????), cujo significado é “cidade alta”. Na acrópole, eram discutidas questões de alta envergadura, a exemplo de filosofia, poesia e política. Nela, foi edificado o Partenon, templo erigido em homenagem a Atena. Quem subisse à acrópole sem a exata noção da altura em que se encontrava, fatalmente cairia. E quem, estando na acrópole, desenvolvesse acrofobia, se jogaria lá de cima. É que, recentemente, a psiquiatria tem associado alguns episódios de suicídio por precipitação à acrofobia. Por isso, convém perguntar: que estratégia é essa, de quem um dia esteve lá em cima e agora, talvez, queira descer degraus e degraus para permanecer no poder? Num tropeço, fatalmente experimentará o sabor da última queda. De qualquer maneira, gente assim não pode estar na acrópole. Gente assim não pode fazer política. Gente assim só se prestaria a protagonizar um novo “corpo que cai”. E, lá da acrópole, os vitoriosos verão, tal qual na canção de João Bosco e Aldir Blanc, esse mesmo corpo “estendido no chão”.

 

Patrões mais uma vez desvalorizam profissionais de comunicação I

A contraproposta apresentada pelo Sindicato das Empresas de Comunicação de Sergipe (Sinertej) ao Sindicato dos Jornalistas (Sindijor) e Sindicato dos Radialistas (Sterts), na última quarta-feira, 14, foi rejeitada por unanimidade na assembléia conjunta das duas categorias realizada na sede da CUT/SE, no último dia 15.  A contraposta apresentava apenas o reajuste salarial linear de 7% para jornalistas e para radialistas, e o pagamento dos valores retroativos a 1º de janeiro de uma única vez, a título de “gratificação junina”. “Uma proposta sem nenhum avanço e que mais uma vez mostra a verdadeira face dos patrões sergipanos, que tratam os seus profissionais de comunicação pela linha do rebaixamento. E aí vêm com essa história de “gratificação junina”, como se fosse um grande favor pagar os retroativos de uma única vez, uma espécie de “esmolinha” para os profissionais. É muita prepotência. Então, o jeito agora é ir às ruas, mostrar quem é quem nesse jogo”, disse o presidente do Sindijor, George Washington.

 

Patrões mais uma vez desvalorizam  profissionais de comunicação II

Na assembléia conjunta também foi deliberado e aprovado, que os dois sindicatos irão fazer atos públicos com o apoio da CUT/SE, de outras representações sindicais e também de movimentos sociais. O primeiro já está marcado. Será no dia 28 de maio, próximo à TV Caju. “Este será o primeiro de vários atos que estamos planejando e iremos realizar daqui pra frente, porque é preciso que a sociedade conheça a nossa situação real como jornalistas e radialistas, e que não aparecem nem nas TVs, nem nos jornais, nem nas rádios, e conheçam também quem é quem da comunicação em Sergipe”, explica Washington. Em assembléia, também foi deliberada e aprovada a apresentação de duas contrapropostas aos patrões: fixação dos pisos de jornalista em R$ 900,00 e de radialista em R$ 787,00, e para os demais salários, aumento linear de 7%; ou aumento linear de 10%. Segundo o entendimento da assembléia, qualquer uma das duas propostas poderia ser aprovada pelas categorias. “Diante da lógica do sindicato patronal em querer apenas negociar reajuste salarial, estas são as duas únicas possibilidades que vemos de sentar-se à mesa pra fechar. Fora disso, não há o que discutir. Então, vamos agora pra nossas ações de rua, até que os patrões se toquem que o que os profissionais de comunicação querem é valorização, e não esmolas”, afirmou o diretor do Sindijor, Cristian Góes.

 

 

Desabafo sobre atendimento nos hospitais I

Do leitor Silvio França: “Venho através desta, manifestar minha indignação pela falta de postura e ética de certos profissionais da saúde, onde tomam conhecimento da quantidade de pessoas que estão nas salas de espera das urgências de hospitais e postos de saúde desta capital e posso seguramente afirmar também do interior do estado à espera de atendimento médico, e não fazem o que se espera deles, ou seja, absolutamente nada, falo isso, pois, passei na pele tudo o que irei narrar, estava com uma pessoa que precisava de atendimento em meu carro e fui de hospital em hospital e a resposta foi sempre a mesma ESTAMOS LOTADOS, fui ao hospital Renascença, Hospital São Lucas, Primavera, João Alves, Nestor Piva, Posto de saúde 24h do Augusto Franco e por fim Hospital de Cirurgia, chegando ao hospital de Cirurgia por volta das 18h30m onde recebemos a noticia de que o plantão da médica que estava atendendo acabaria dento de 5 minutos e ela não atenderia mas ninguém, que se quiséssemos atendimento teríamos que esperar o próximo plantonista que chegaria por volta das 19h00 como de costume, o tempo foi passando e outras pessoas foram chegando ao hospital a sala de espera já estava LOTADA  e o que eu estava prevendo terminou acontecendo, confusão e desespero para que os parentes que estavam doentes fossem atendidos, pois até as 20h00 o plantonista não tinha chegado no hospital, e ninguém sabia dá informações de quando seria dado início ao atendimento clínico, cochichos pra lá cochichos pra cá, então por volta das 20h30 a supervisora informou que o plantonista clínico estaria com suspeita de dengue e que não iria ter mas atendimento no hospital, fiquei mas um pouco pois estava combinando com outros parentes para onde iríamos naquele momento, quando ouvi do porteiro que falava baixo que o plantonista estaria no prédio dentro do hospital, isso já por volta das 21h00, pedi informações novamente se iríamos ser atendidos , mas disseram que não, que ele estava tomando soro, pois, estava com suspeita de DENGUE. Pergunto: quem atendeu o plantonista, Ele mesmo? para o plantonista com suspeita de dengue tem atendimento especial? Tem leito disponível? E por que não tem para o povo? Ah entendi, o povo que se dane! Não é senhores médicos?

 

Desabafo sobre atendimento nos hospitais II

Continua Silvio França: “Será que os senhores lembram do juramento que fizeram quando na ocasião de vossa formatura? Pois irei lembrar-lhes: “Eu juro, por Apolo, médico, por Esculápio, Higeia e Panacea, e tomo por testemunhas todos os deuses e todas as deusas, cumprir, segundo meu poder e minha razão, a promessa que se segue: estimar, tanto quanto a meus pais, aquele que me ensinou esta arte; fazer vida comum e, se necessário for, com ele partilhar meus bens; ter seus filhos por meus próprios irmãos; ensinar-lhes esta arte, se eles tiverem necessidade de aprendê-la, sem remuneração e nem compromisso escrito; fazer participar dos preceitos, das lições e de todo o resto do ensino, meus filhos, os de meu mestre e os discípulos inscritos segundo os regulamentos da profissão, porém, só a estes. Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva. Conservarei imaculada minha vida e minha arte. Não praticarei a talha, mesmo sobre um calculoso confirmado; deixarei essa operação aos práticos que disso cuidam. Em toda a casa, aí entrarei para o bem dos doentes, mantendo-me longe de todo o dano voluntário e de toda a sedução sobretudo longe dos prazeres do amor, com as mulheres ou com os homens livres ou escravizados. Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto”.

 

Desabafo sobre atendimento nos hospitais III

Conclui o leitor: “Se eu cumprir este juramento com fidelidade, que me seja dado gozar felizmente da vida e da minha profissão, honrado para sempre entre os homens; se eu dele me afastar ou infringir, o contrário aconteça”. Hipócrates. Até quando é que iremos passar por maus tratos, seja por falta de atendimento médico, seja por incompetência da administração de alguns diretores de hospital insensíveis ao fato presente, seja por falta de compromisso dos nossos governantes, que ao invés de estarem cuidando do interesse público para qual foram eleitos estão se aproveitando no momento dessa epidemia de dengue para auto promoção e campanhas eleitoreiras antecipadas, Pergunto: onde está o ministério público que deveria está fiscalizando as ações desses hospitais que não querem atender a população alegando estarem lotados, isso tudo é uma grande mentira, e somente não vê quem não tem olho e não sente a dor do próximo quem não tem sensibilidade, peço como ultimo apelo para a população que não fique omissa aos acontecimentos, DENUNCIEM, e não caiam em mais uma manobra eleitoreira por parte dos políticos, pois eles não estão nos fazendo nenhum favor combatendo a dengue, é obrigação, pois eles são nossos representantes legais eleitos por voto direto, faço esse desabafo pois sou mais um cidadão que paga impostos abusivos e não conseguiu atendimento nos hospitais e postos de saúde, pouco me importa se a carapuça cairá em alguém ou o sapato fará calo no pé de algum político, espero que sim! O que me importa na realidade é saber que falo por mim e por quem assim como eu, já sofreu por falta de atendimento médico, vale ressaltar que procurei atendimento também com plano de saúde particular. Fica então minha ultima pergunta para aqueles que querem se eleger a algum cargo público nessas eleições. E o povo como fica? Morrendo em casa? Aos médicos vale lembrar que falta de atendimento ao paciente é omissão e omissão é crime! E aos políticos, alertem-se, Acordem!!!” (Silvio José França de Oliveira).

 

PSB realiza Congresso Estadual

O PSB realizou na última sexta-feira, 16, em Aracaju, seu Congresso Estadual com a participação de lideranças políticas do interior e representantes de partidos do bloco que apóia o governo estadual. . O PSB tem hoje 11 prefeitos, 5 vice-prefeitos e 86 vereadores. A meta é dobrar estes números em todos os cargos. No Congresso, o deputado federal Valadares Filho foi eleito o novo presidente estadual em Sergipe, substituindo o engenheiro Paulo Viana.O senador Valadares, fez um discurso ressaltando as conjunturas nacional e estadual. Ele destacou a participação do PSB no governo estadual, ressaltando a importância do fortalecimento da aliança para 2010. Já o governador Marcelo Déda disse que se sentia em casa ao discursar no PSB. “Estou com o mesmo conforto que estaria no PT”, disse acrescentando que o PSB foi um dos partidos que mais contribuíram para que o projeto atual chegasse ao governo do Estado. “Sinto-me no PSB como estivesse no PT, porque o PSB é também o meu partido”, revelou Déda para depois lembrar da história política dele e de Valadares. “A continuidade de Valadares no Senado Federal é indispensável para Sergipe”, frisou.

  

 

Frase do Dia

“O caso Isabela gerou toda essa comoção. Justo que se condene, mas houve aquele fenômeno provocado por tantos fatores já conhecidos. E se presta a que lembremos que muitas Isabelas são maltratadas e mortas diairiamente, até mesmo dentro dos lares. Basta lembrar: no Brasil, a cada 10 horas morre uma criança assassinada de idade até 14 anos,  e parte dela dentro do contexto familiar!” (de um comentário).

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários