PROBLEMA POLÍTICO

0

PROBLEMA POLÍTICO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL), ao tomar conhecimento de que o ministro Integração Nacional, Ciro Gomes, ameaçou não liberar mais recursos para Sergipe, até que ele e técnicos do seu ministério sejam tratados bem no estado, fez uma pergunta: “qual foi o recurso que ele já liberou?” Ao mesmo tempo lamentou que Ciro Gomes não tenha a mesma coragem contra o senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), que acusou o interesse da obra para satisfazer a empreiteiras: “acontece que Sergipe é um estado de pequena representação política no Congresso, diferentemente da Bahia, que tem uma das maiores bancadas em Brasília, além de ser um estado eleitoralmente forte, que influencia na disputa presidencial”. Na realidade o ministro Ciro Gomes está destilando ódio apenas porque o menor estado da federação teve a coragem de enfrentar o Planalto e combater uma obra que pode ter interesses sociais, mas tudo indica que também é bom eleitoralmente para alguém.

O governador João Alves Filho retorna hoje de Miami – chega pela manhã – mas já avisou que não pretende entrar nesse confronto de baixo nível, porque a sua disputa é técnica, sem interesse eleitoreiro e visa defender um dos maiores patrimônios naturais não apenas de Sergipe, mas de outros estados que servem de leito para o rio São Francisco. O ministro Ciro Gomes não tem um discurso convincente, não conhece a realidade da foz do São Francisco, e luta para a realização de um projeto faraônico, que pode se perder pelo caminho, caso a conclusão não aconteça no Governo Lula. A reeleição nunca pode ser uma certeza. Além disso, ninguém está procurando impedir que o Nordeste Setentrional seja protegido para convivência com a seca. O que se quer é um projeto amplo e permanente de revitalização do rio São Francisco, para que não se concretize a previsão de um dos maiores desastres ecológicos da história. Além disso, não se pode reduzir a miséria de lá, ampliando o quadro de pobreza absoluta daqui.

O ministro Ciro Gomes, durante a audiência pública na Comissão Especial da Amazônia, quarta-feira, pariu uma dedução absurda: “não dá para aceitar a argumentação cabotina de primeiro revitalizar o rio São Francisco e depois fazer transposição, porque a água está faltando hoje”. É uma declaração de quem realmente não tem conhecimento do que está acontecendo com o rio São Francisco, principalmente em sua foz, que está precisando de revitalização imediata, mesmo que não existisse qualquer projeto de transposição. E isso é tão certo que o prefeito de Aracaju, o petista Marcelo Déda, mesmo assistindo parte do depoimento do ministro, considera que a prioridade do governo deveria ser na revitalização do rio São Francisco. Alertou ainda que “É importante o presidente Lula definir prioridades, mas é importante também que o Lula saiba que, dentro do PT, há dúvida sobre o projeto”. Lógico que o prefeito Marcelo Déda tem muito mais consciência dos problemas do rio, principalmente na área que divide Sergipe e Alagoas, que discorda literalmente do ministro.

A verdade é que o ministro Ciro Gomes está transtornado – e surpreso – com a posição firme de Sergipe contra a transposição do rio São Francisco. Daí passou a conduzir a discussão para o lado da agressão, com uma pitada de insanidade e uma forte dose de autoritarismo. A posição de Sergipe é a mesma de Alagoas, Bahia, Minas Gerais e parte de Pernambuco, mas o ministro derrama sua bílis exatamente contra o estado que tem o menor potencial eleitoral. Em contrapartida, também se torna o mais corajoso quando estão em jogo os interesses de sua gente. A tentativa de dar uma conotação política à ação da representação sergipana, tem o objetivo de desqualificar os seus argumentos fortes, decididos e que continuará como uma bandeira para tentar uma solução que não prejudique o estado. Quanto às agressões do ministro ao governador a solução será adotada via partido, mas sobre as ameaças de cortar recursos para Sergipe, já atinge a representação política, que terá de se manifestar em Brasília.

Quanto ao rio São Francisco, a bandeira continua sendo contra a transposição, independente do comportamento odiento e perverso como o ministro Ciro Gomes vê o estado de Sergipe.

 

 

FONTES

O deputado João Fontes (PDT) lembrou ao ministro Ciro Gomes, quarta-feira, que o Canal do Trabalhador – obra de Ciro – não resolveu a questão da privação de água no Ceará.

“Vossa Excelência é muito leviano” agrediu o ministro. “Vossa Excelência é que é leviano”, rebateu João Fontes.

 

CRITICAS

A maior parte da audiência foi usada por Ciro Gomes para fazer criticas, na ausência, ao governador João Alves Filho (PFL).

O governador chega de Miami e vai se inteirar das acusações para adotar as providências cabíveis. No aeroporto ele dará uma entrevista à imprensa.

 

CENTAVO

O deputado João Fontes declarou, ontem, que o ministro Ciro Gomes declarou que “enquanto for ministro, Sergipe não terá um centavo do Ministério”.

Segundo João Fontes, “isso enquanto ele e os técnicos da Integração Nacional não forem bem tratados em Sergipe”.

 

DISCUSSÃO

O governador João Alves Filho já avisou que não vai se manifestar sobre as declarações do ministro Ciro Gomes.

João Alves acrescentou que o seu interesse é discutir questões técnicas e não vai entrar na seara de troca de acusações ou agressões.

 

POSIÇÕES

O deputado federal Heleno Silva (PL) não tomou conhecimento dessa declaração do ministro, mas disse que, se for verdade, “precisamos reagir”.

Heleno acha prudente ouvir a gravação da fita e, constatada a declaração, “o bloco tem que se unir para, se possível, ir até o presidente Lula”.

 

PROPRIÁ

Jackson Barreto (PTB), que chegou na audiência ao lado de Fabiano Oliveira (PTB), perguntou a Ciro Gomes quanto seria destinado a Propriá, dos recursos para revitalização.

Ouviu a resposta: “enquanto Sergipe tiver políticos que tratem mal a mim e a meus técnicos, não vou mandar recursos para lá”.

 

DÉDA

Para o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), que assistiu a parte do depoimento do ministro, a prioridade do governo deveria ser na revitalização do Rio São Francisco.

“É importante o presidente Lula definir prioridades, mas é importante também que o Lula saiba que, dentro do PT, há dúvida sobre o projeto”, observou. Déda.

 

AUMENTO

O secretário das Finanças do Município, Nilson Lima, disse ontem que está ultimando os contatos com os servidores para o aumento salarial.

Está negociando com os funcionários e a proposta é de 7% de aumento, que é o máximo que a Prefeitura pode conceder.

 

SILÊNCIO

Até o momento os servidores não se manifestaram sobre o percentual que está sendo oferecido pela Prefeitura Municipal.

Tudo indica, entretanto, que a proposta será aceita. O prefeito Marcelo Déda deve marcar entrevista para anunciar o percentual de aumento.

 

CONVITE

O deputado federal Heleno Silva perguntou a Albano Franco, ontem, durante o vôo Brasília/Aracaju: “quando você vem para o PL? O pessoal está lhe esperando”.

O ex-governador respondeu que tem muitos amigos no PSDB e ainda não está pensando em mudar de partido.

 

CONVERSA

O senador José Almeida Lima (PSDB) quando entrou, ontem, no Piantella, em Brasília, para jantar com um amigo, deparou-se com o ex-governador Albano Franco (PSDB).
Foi o primeiro encontro dos dois nesses últimos seis meses. Apenas se cumprimentaram cordialmente. Albano jantava com o deputado Jorge Araújo (PSDB).

 

SILÊNCIO

Até ontem a Direção Nacional do PSDB não havia conversado com o senador José Almeida Lima sobre a questão de Sergipe, embora tenha se reunido com o grupo liderado por Albano Franco.

O grupo do senador em Sergipe esperava que a direção passasse o comando do partido para ele ontem, mas na reunião com Albano se tratou de entendimento.

 

SECRETARIA

O projeto que cria a Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano teve sua tramitação suspensa na Assembléia Legislativa para promover uma alteração.

Já está decidido que será integrada, à nova secretaria, uma coordenação de esportes. Está faltando apenas o governador João Alves Filho retornar de viagem para assinar.

 

Notas

 

CANINDÉ-1

O juiz de direito de Canindé do São Francisco, Sérgio Lucas, diz que a “possível eleitora que enviou e-mail a Plenário, possa ter qualquer divergência com grupos que detêm ou detiveram o poder. Mas, não posso aceitar como verdade alegação de que há comentários de que o juiz e o promotor mandam na Prefeitura”.

O juiz Sérgio Lucas acrescentou que “reitero o meu respeito às Instituições e a certeza de que não foi apontada em qualquer momento qual teria sido a minha atitude usurpadora de funções”. O juiz não se sentiu agredido.

 

CANINDÉ-2

André Lucas ainda esclareceu, “a bem da verdade”, que a sua entrevista à rádio Xingo FM “fora só e exclusivamente para tirar dúvidas – o que acredito ser minha obrigação – acerca da exigência de documentação de condutores e veículos, medida que certamente não conta com apelo popular”.

Explica que “no sertão sergipano, onde transita o maior número de automotores sem documentos; alguns frutos de roubos e furtos, e motoristas sem habilitação; o que é crime segundo o Código de Transito Brasileiro”.

 

CANINDÉ-3

A matéria envida por Canindé a esta coluna e publicada terça-feira passada era muito mais extensa e foi cortada em alguns pontos que denegria a imagem de políticos e pessoas conhecidas daquela cidade. Há um reconhecimento, entretanto, que, no aspecto político, os fatos foram narrados com detalhes irrefutáveis.

Um conceituado cidadão daquele município, que pediu omissão do nome, acha que a emitente é muito bem entrosada nos meios políticos e penetra nos bastidores. Vê, inclusive, o dedo do foragido Floro Calheiros.

 

É fogo

 

Os suplentes de vereadores que estão nessa situação em razão da Resolução do TSE viajam a Brasília na próxima semana, para novos contatos.

 

O governador João Alves Filho retorna hoje de Miami e está programada uma entrevista no aeroporto de Aracaju.

 

João Alves Filho vai falar sobre o debate e relatar a viagem aos Estados Unidos, onde fez duas palestras.

 

O ex-deputado Gilton Garcia está começando a trabalhar sua candidatura a deputado estadual pelo PSB.

 

O deputado Garibalde Mendonça (PDT) apresentou moção de repúdio ao ministro Ciro Gomes, pela intransigência em relação à execução do projeto de transposição.

 

O deputado Edney Freire Caetano (PSB) fez um histórico da saúde pública e apontou precariedade do sistema no interior.

 

A chuva deu uma parada na região de Poço Redondo e, desde ontem, que foi normalizado o tráfego sobre a ponte que liga o município a Canindé.

 

A deputada Angélica Guimarães (PSC) está preocupada com as chuvas que vêm caindo no interior do estado.

 

Um ônibus, com estudantes da Faculdade de Penedo, foi arrastado pelas águas do riacho Quiluz, que transbordou em Japoatã. Não houve vítimas.

 

O deputado Antônio dos Santos (PSC) disse que pediu ajuda a Deus, em orações, para que ajude a resolver o problema dos topiqueiros.

 

Os bairros que estão sob o domínio de uma gang que utiliza motos para assaltos a qualquer hora do dia e noite são o São José e Treze de Julho.

 

Os comerciantes venderam 5,5% a mais na semana que antecede ao Dia das Mães, em comparação a igual período do ano passado. O levantamento é do Serasa.

 

brayner@infonet.com.br

Comentários