PROBLEMAS DE ALIANÇAS

0

Não anda bem, a nível nacional, o relacionamento entre o PSDB e PFL, que praticamente têm acertado uma aliança para disputar a Presidência da República. Sergipe é um exemplo disso. Mas outros estados maiores também estão com dificuldades para uma coligação para os governos e Senado. O prefeito de Rio de Janeiro, César Maia, que ensaiou uma candidatura a presidente, edita um boletim diário e, no de ontem, ele acusa textualmente o PSDB de fazer “política velha de cooptação”. Olha só o que César defende: o PFL, apoiar o Geraldo Alckmin (PSDB) para a Presidência da República mas apenas informalmente, sem lhe dar um companheiro de chapa para concorrer à vice-presidente.

Isso na prática quer dizer que caso o PFL decida fazer dar um apoio informal ao candidato do PSDB, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin não poderá usar o tempo de televisão do PFL na sua campanha. Tempo é tudo o que os partidos que têm candidatos majoritários precisam para levar os seus projetos à Televisão. Esse é um dos pontos mais fortes do PMDB, que tem 20 minutos na TV para que os candidatos façam o tamanho do programa que bem entender. É exatamente em razão disso, e do seu potencial de votos, que o PMDB está no meio da preferência dos dois principais candidatos a presidente da República, caso a legenda não apresente um nome à sucessão presidencial.

Ainda no seu boletim, o prefeito diz que o PSDB não quer fechar com o PFL o tipo de aliança que Alckmin concordou em fazer no dia em que o partido decidiu apoiá-lo, inspirada na “Concertación” chilena. “A Concertación significa reconhecer o espaço regional majoritário do partido parceiro e reforçar sua hegemonia neste espaço ou distrito ou Estado. No entanto o PSDB quer reproduzir a prática anterior e ter o PFL, seu apoio eleitoral, seu tempo de TV, e apenas compor a chapa e depois – se eleito – entregar uns cargos”. Para o prefeito do Rio de Janeiro, isso “não interessa ao PFL”. O partido tem se queixado da falta de apoio do PSDB a seus candidatos em diversos partidos, como Bahia, Maranhão e Sergipe, entre outros. “Queremos Concertación, ou seja, respeito a hegemonia regional de cada um dos partidos e reforço para que esta hegemonia reconhecida e apoiada, amplie o numero de deputados eleitos pelos dois partidos, fortalecendo a base de governabilidade”.

Segundo Maia, não sendo assim, “se volta à velha política de cooptação”. Para ele, o PFL como partido lastreado no principio federativo, entende que isso prejudica a campanha nacional – presidencial e parlamentar. “E afeta a governabilidade em caso de vitória”. César Maia afirma também que PFL e PSDB teriam potencial para eleger 200 deputados este ano e 10 governadores e senadores, caso se juntem apoiando nos Estados o candidato do partido que tiver maior força em cada um. Mas se não se acertarem, a média das três últimas eleições deve prevalecer, com o PFL elegendo 95 deputados federais e o PSDB 70, o número de governadores e senadores vai diminuir. “Assim afetaremos a competitividade de nosso candidato a presidente e a governabilidade futura, com a vitória”.

Em Sergipe a possibilidade de uma composição entre PFL e PSDB está se rareando a cada dia. Há dificuldades e desacertos. O ex-governador João Alves Filho não abre da candidatura da mulher, senadora Maria do Carmo Alves (PFL) ao Senado Federal. Os tucanos, da mesma forma, não aceitam o ex-governador Albano Franco (PSDB) fora da disputa majoritária a senador da República. Hoje há uma quase absoluta certeza que os dois partidos que podem fechar uma aliança nacional, estarão separados em Sergipe e não dá para avaliar como ficará o palanque candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin, ao visitar o estado. Isso caso não pegue para valer a tese que o prefeito do Rio de Janeiro, César Maia prega.

Na próximo semana a cúpula do PSDB em Sergipe terá um encontro com o presidente do partido, senador Tasso Jereissati. Não há previsão do resultado, mas se defender da maioria Albano anuncia a candidatura ao Senado já e fecha uma aliança branca com o PT.

 

 

D. MARIA

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) mantém inalterada sua candidatura ao Senado Federal. Os aliados consideram que “pesquisativamente ela está muito bem”.

A senadora admite que seria muito difícil para qualquer político está bem junto ao eleitorado e deixar de uma candidatura à reeleição.

 

CAMPANHA

D. Maria disse que não está trabalhando eleitoral e atribui os índices que a animam ao seu trabalho cotidiano junto às camadas mais pobres.

Fez um relato: “Saí às 5 horas e às 7 horas estava em Aquidabã, às 8:30 horas já estava em Itabi e às 11 horas em Telha. Se isso é fazer campanha… Esse trabalho é rotineiro”.

 

CONVERSA

O conselheiro do Tribunal de Contas, Reinaldo Moura, conversou demoradamente com o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), a portas fechadas.

A notícia do encontro vazou para a imprensa, mas até o momento não se descobriu o assunto que os dois trataram.

 

REINALDO

Reinaldo Moura também teve um almoço com o ex-governador Albano Franco (PSDB) e trocaram idéias, possivelmente analisando o momento político.

Reinaldo e Albano se dão muito bem e geralmente se ouvem sobre situações complicadas da área política, principalmente no aspecto alianças.

 

JORGE

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) tem uma posição muita clara e definitiva: “quero apoiar o ex-prefeito Marcelo Déda (PT) para governador do estado”.

Diz, entretanto, que vai seguir rigidamente a decisão tomada pelo partido. Jorge diz que a maioria defende a mesma tese.

 

BENEDITO

O presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, diz que está aguardando o dia 13 para ir a Brasília participar da convenção extraordinária do partido.

Diante da angústia dos candidatos proporcionais, o partido deve decidir se terá ou não candidato a presidente da República.

 

CONVENÇÃO

Segundo Benedito Figueiredo, a convenção extraordinária não impede a de junho, em que o partido homologa junto ao TSE.

Entretanto, se no dia 13 for decidida uma coisa ou outra, a convenção de junho será meramente homologatória.

 

PALESTRA

O pré-candidato a prefeito pelo PT, Marcelo Déda, fez uma palestra em Tobias Barreto para aproximadamente 300 pessoas, sobre questões municipais.

Na saída, uma vereadora que pediu omissão do nome declarou-se impressionada com o estilo do candidato petista: “vou votar nele para governador”, decidiu.

 

ESTRANHO

Membros do PSC estranham porque o governador João Alves Filho (PFL) ainda não teve uma conversa com o partido para tratar de alianças.

Lembrou que João já conversou com o PMDB e PSDB, mas tem evitado o PSC que tem sido sondado por outras legendas para um acordo.

 

COM PMDB

O presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), disse ontem, em Brasília, que “torce” para que o PMDB não tenha candidato próprio à Presidência.

E adiantou: “prefiro acordos com o PMDB nos Estados, com PFL ou com PSDB” (opinião da coluna: é preciso saber se o PMDB também o quer).

 

ENCONTRO

O pré-prefeito Marcelo Déda (PT) se encontra em Brasília, ao lado de outros delegados de Sergipe, para o Encontro Nacional do Partido.

Segundo o ex-presidente regional do PT, Severino Bispo, que também está lá, o encontro servirá para discutir a política de alianças.

 

DOCUMENTO

Os delegados do PT vão discutir um documento que culpa a “hegemonia conservadora” pelo fraco desempenho do PT e a onda de denuncias contra o partido e o governo.

Diz também que “as forças neoliberais querem recuperar o controle do governo federal, retomando a repressão contra os movimentos sociais”.

 

LANÇAR

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB) disse ontem que o ex-governador Albano Franco é candidato ao Senado, mas precisa oficializar isso imediatamente.

Albano Franco almoçou ontem com

 

 

 

 

Notas

 

REMISSÃO

As dívidas de agricultores familiares e pequenos produtores poderão ser perdoadas, repactuadas ou renegociadas caso seja aprovado projeto de lei do senador Efraim Morais (PFL-PB), que está na pauta da reunião da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária, da prósima quarta-feira.

Relatado pelo senador Demóstenes Torres (PFL-GO), o PLS prevê o aumento do teto para renegociação das dívidas de R$ 35 mil para R$ 75 mil, sendo que até o patamar mais baixo, incide a remissão (perdão).

 

EDUCAÇÃO

Será votado na terça-feira o projeto do senador Paulo Paim (PT-RS) que determina a concessão de abatimento entre 50% e 80% do valor da mensalidade para até 15% dos alunos com renda familiar per capital inferior a um salário mínimo e meio, matriculados em faculdades particulares.

O realator Sérgio Zambiasi (PTB-RS), vê no projeto o mérito de criar condições de acesso à educação superior para jovens que não dispõem de meios materiais para arcar com o pagamento integral da anuidade escolar.

 

DETENTOS

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, terça feira passada o substitutivo do relator, deputado Luiz Antonio Fleury (PTB-SP), ao Projeto de Lei, que obriga o encaminhamento de auto de prisão em flagrante à Defensoria Pública em no máximo 24 horas após a detenção.

O texto original apresentado pelo deputado Albérico Filho (PMDB-MA) tornava obrigatório o encaminhamento da nota de culpa à Defensoria. “Como é sabido a nota de culpa não traz os elementos necessários”, explicou o relator.

 

 

É fogo

 

O presidente Lula está usando uma estratégia do ex-presidente Tancredo Neves, quando espalhou o boato que Maluf iria desistir da candidatura a presidente da República.

 

Inteligente, Tancredo queria manter Maluf porque sabia que venceria e havia um movimento para retirar sua candidatura.

 

Lula está fazendo o mesmo com Alckmin. Vê condições de vencê-lo e não quer trocá-lo por Serra. Espalha a desistência de Alckmin exatamente para que ele se mantenha.

 

O ex-prefeito de Itabaiana, João de Zé de Dona confirmou sua candidatura a deputado federal. A decisão foi tomada em família.

 

O presidente do PV, Armando Batalha, avisa que o seu partido em Sergipe tomará todas as decisões em relação à candidatura a Governo, ao lado do PSL.

 

A Assembléia Legislativa já implantou o projeto Parlamentar por Um Dia. O presidente da Casa, Antônio Passos (PFL) acha que deve estimular os jovens para a política.

 

A deputada Angélica Guimarães (PSC) está fazendo regime forçado com a turma de seu gabinete. A maioria tem ficado até tarde para atender ao povo.

 

O deputado Arnaldo Bispo (PFL) acha que sem políticas públicas para apoiar o homem do campo, o governo federal não conseguirá a geração de postos de trabalho.

 

O prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins (PT) teve que ficar em Brasília, depois do encontro com o presidente Lula, para correr atrás de recursos.

 

A Secretaria da Educação prorrogou o prazo das inscrições da primeira etapa dos Exames Supletivos 2006 para os próximos dias 2 e 3 de maio.

 

O presidente Lula agora está empenhado em salvar a Varig, que passou por uma grave crise financeira, que poderia tirá-la de circulação.

 

O presidente Lula está fazendo isso eleitoralmente, depois que sentiu uma movimentação em torno da recuperação da Varig, através de encontro de contas de dívidas do governo.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários