Problemática da Corrupção

0

  Leia que texto interessante e que merece muita reflexão, principalmente por parte daqueles que apontam para a corrupção dos “inimigos” e não enxergam a sua própria ação publicado pela equipe de redação do site momento.com.br. Conforme o dicionário, corrupção é adulterar, corromper, estragar, viciar-se. Nos dias em que vivemos, muito se tem falado a respeito da corrupção. E, quase sempre, direcionando as setas para os poderes públicos. Pensamos que corrupção esteja intimamente ligada aos que exercem o poder público. Ledo engano. Está de tal forma disseminada entre nós, que, com certeza, muito poucos nela não estejamos enquadrados. Vejamos alguns exemplos.

 Quando produzimos algo com qualificação inferior, para auferir maiores lucros, e vendemos como de qualidade superior, estamos sendo corruptos. Quando adquirimos uma propriedade e, ao procedermos a escrituração, adulteramos o valor, a fim de pagar menos impostos, estamos disseminando corrupção.  Ao burlarmos o fisco, não pedindo ou não emitindo nota fiscal, estamos nos permitindo a corrupção.

 Isso tem sido comum, não é mesmo? É como se houvesse, entre todos, um contrato secretamente assinado no sentido de eu faço, todos fazem e ninguém conta para ninguém.  Com a desculpa de protegermos pessoas que poderão vir a perder seus empregos, não denunciamos atos lesivos a organizações que desejam ser sérias. Atos como o do funcionário que se oferece para fazer, em seus dias de folga, o mesmo serviço, a preço menor, do que aquele que a empresa a que está vinculado estabelece.  Ou daquele que orienta o cliente, no próprio balcão, entregando cartões de visita, a buscar produto de melhor qualidade e melhor preço, segundo ele, em loja de seu parente ou conhecido. Esquece que tem seu salário pago pelos donos da empresa para quem deveria estar trabalhando, de verdade. Desviando clientes, está desviando a finalidade da sua atividade, configurando corrupção.

 Corrupção é sermos pagos para trabalhar oito horas e chegarmos atrasados, ou sairmos antes, pedindo que colegas passem o nosso cartão pelo relógio eletrônico. É conseguir atestados falsos, de profissionais igualmente corruptos, para justificar nossa ausência do local de trabalho, em dias que antecedem feriados.  

Desvio de finalidade: deveríamos estar trabalhando, mas vamos viajar ou passear. É promovermos a quebra ou avaria de algum equipamento na empresa, a fim de termos algumas horas de folga. É mentirmos perante as autoridades, desejando favorecer a uns e outros em processos litigiosos. naturalmente, para ser agradáveis a ditos amigos que, dizem, quando precisarmos, farão o mesmo por nós. Corrupção é aplaudir nosso filho que nos apresenta notas altas nas matérias, mesmo sabendo que ele as adquiriu à custa de desavergonhada cola. E o que dizer dos que nos oferecemos para fazer prova no lugar do outro? Ou realizar toda a pesquisa que a ele caberia fazer? Sério, não?

 Assim, a partir de agora, passemos a examinar com mais vagar tudo que fazemos. Mesmo porque, nossos filhos têm os olhos postos sobre nós e nossos exemplos sempre falarão mais alto do que nossas palavras.  Desejamos, acaso, que a situação que vivemos em nosso país tenha prosseguimento? Ou almejamos uma nação forte, unida pelo bem, disposta a trabalhar para progredir, crescer em intelecto e moralidade? Em nossas mãos, repousa a decisão.  Se desejarmos, podemos iniciar a poda da corrupção hoje mesmo, agora. E se acreditamos que somente um de nós fazendo, tudo continuará igual, não é verdade. Os exemplos arrastam.

 Se começarmos a campanha da honestidade, da integridade, logo mais os corruptos sentirão vergonha. Receberão admoestações e punições, em vez de aplausos. E, convenhamos, se não houver quem aceite a corrupção, ela morrerá por si mesma. Pensemos nisso. E não percamos tempo.

 

Ex-secretário de Estado da saúde é convocado

Foi publicada no Diário Oficial do Estado do último dia 31 de julho, a convocação – pelo atual secretário de Estado da Saúde, Rogério Carvalho – do ex-secretário Silvani Alves Pereira, em virtude da impossibilidade de notificá-lo pessoalmente, para que ele apresente a defesa no processo referente a prestação de contas do convenio cujo objetivo foi a construção da maternidade Nossa Senhora de Lourdes, por conta das irregularidades apontadas no relatório da auditoria emitida pela Controladoria Geral do Estado. A coluna tem a impressão que essa história da maternidade ainda vai ter um desenrolar mais sério do que se pensa.

 

Palestra bastante objetiva na AL I

Foi bastante objetiva a palestra do secretário de Estado do Desenvolvimento e da Ciência e Tecnologia, Jorge Santana, ontem, 21, na Assembléia Legislativa. Ele apresentou o Plano de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico do governo estadual, formado por dois grandes programas: Sergipe Competitivo e Sergipe Inovador. Cada programa tem um vasto leque de ações, todas apresentadas e comentadas pelo secretário. O mais interessante é que o plano retrata totalmente o programa de governo apresentado por Marcelo Déda e escolhido pelos sergipanos nas eleições para governador, tendo recebido contribuições das entidades empresariais, de estudiosos e pesquisadores e dos resultados das conferências municipais e territoriais do Planejamento do Desenvolvimento Territorial Participativo do governo do Estado.

 

Palestra bastante objetiva na AL II

Após a exposição do secretário Jorge Santana, seguiu-se um debate do qual participaram os vários deputados presentes à sessão, que foram unânimes em elogiar a qualidade e a consistência do plano apresentado. Coube ao líder da oposição, deputado Venâncio Fonseca, criticar o secretário por considerar que houve tentativa de desqualificar os governos passados. O secretário respondeu afirmando que é praxe na apresentação de qualquer plano de trabalho se fazer o diagnóstico da situação encontrada e que, infelizmente, não era das melhores. Ao final ficou a certeza de que após longos anos, talvez décadas, Sergipe volta a ter uma política de desenvolvimento econômico, científico e tecnológico moderna e avançada, conduzida por um empresário bem sucedido, liderança respeitada pelo setor empresarial e estudioso dos temas de sua pasta.

 

Julgamento do processo de Laranjeiras

Está na pauta do pleno do TRE, amanhã, 23, o processo do prefeito de Laranjeiras, Paulinho das Varzinhas. Ele vem sendo afastado e retornando da Prefeitura a todo momento. Já o de André Moura deve ficar ainda para a quinta-feira da próxima semana, dia 30.

 

Caos no acordo da Bom Pastor com secretaria

De um leitor: “Gostaria de pedir pelo amor de Deus, que nos dê uma ajuda, já estamos a três anos sem receber aumento de salário devido à falta de acordo da empresa Bom Pastor e a Secretaria Municipal de Saúde. Na secretaria só fala em reduzir gastos, mas ao mesmo tempo contrata pessoas novas para trabalhar na mesma. Temos também a nossa insalubridade que não é paga há três anos, mas tem um porém: quem falar em insalubridade é posto para fora ou perseguido na mesma, gostaria que você colocasse esta matéria para as autoridades responsáveis”.

 

Abandono dos estádios de futebol

Em conversa com o experiente comentarista esportivo de Sergipe, Fernando Pereira, este jornalista anotou alguns problemas encontrados nos estádios de futebol. Além do Estádio  Augusto Franco  na cidade de Estância, com capacidade para sete a oito mil torcedores, pode-se constatar o abandono em que se encontram os estádios: Governador Antônio Carlos Valadares na cidade de Maruim, com capacidade para aproximadamente treze mil torcedores e o estádio Governador João Alves Filho construído às margens da BR-101, na cidade de Própria.  Curiosamente após a construção destes estádios, hoje transformados em elefantes branco, o futebol profissional nestas cidade praticamente acabou, sendo um fator preponderante para o total abandono das praças de esportes por parte das autoridades (governador e prefeitos), fato que merece no mínimo uma manifestação por parte do Ministério Público, para detectar as possíveis irregularidades e se for o caso punir os responsáveis, haja vista tratar de investimentos altíssimos e com o dinheiro público. 

 

 

Francão: Quem lembra do convênio assinado?

Para relembrar nota publicada na imprensa de Sergipe no final de 2005: “O governador João Alves Filho, o secretário de Esportes, Carlos Batalha, e o prefeito Ivan Leite assinaram o contrato de comodato do estádio Augusto Franco, o “Francão”. Situado em Estância, agora ele passou a ser administrado pela Prefeitura . A solenidade aconteceu no estádio da Vila Operária durante partida final do 8º Campeonato Estanciano de Futebol Amador, no último domingo dia 18/12/2005”.

 

Gilmar Carvalho entra de licença

O radialista Jailton Santana, da equipe de Gilmar Carvalho, informou ontem que a melhora da saúde do deputado é significativa, mas que os médicos aconselharam que o mesmo fique 30 dias afastado do programa de rádio e até da Assembléia Legislativa. Teimoso, Gilmar está pensando no que faz. Por enquanto pensa apenas em tirar 10 dias de licença. É pouco, pelo ritmo de trabalho e a tensão do dia-a-dia, o deputado e radialista deve descansar um pouco. O deputado está ouvindo os conselhos dos familiares, principalmente da esposa e dos filhos, para descansar um pouco. Depois o “canção”, como é chamado pelos ouvintes e eleitores, promete voltar com toda força.

 

Polêmica das tendências petista

Esta divergência das tendências existentes dentro do PT não é de agora. Desde a primeira eleição de Déda para prefeito de Aracaju que a imprensa expõe as vísceras internas do Partido dos Trabalhadores. A diferença agora é que o PT é poder em todos os níveis. Aliás, sobre Frederico Romão, este jornalista não tem nada contra ou a favor, apenas relatou alguns fatos (as nomeações) que estão nos diários oficiais. Cabe a cada um julgar, inclusive ao leitor.

 

Assumindo o ônus e o bônus

De uma leitora: “Não conheço esse Fredão, nem sei se é magro ou gordo, mas pelos argumentos colocados por ele cheguei a uma conclusão: ou ele pensa que todo mundo é burro ou ele gosta de fazer os outros de idiotas. Claro que o  governador, antes de nomear alguém num cargo tem que primeiro analisar sua competência, mas, é tão certo quanto, que ele compôs e compõe o seu governo com nomes de pessoas aliadas ou indicadas por aliados, pois se fosse só pelo critério de competência, garanto que existem vários outros técnicos que estão fora do governo e que são tão capacitados quanto, ou até mais, da esposa desse senhor. Acho que quem faz parte do governo deve assumir o ônus e o bônus, e mais ainda, sem vergonha de assumir que tem pessoas indicadas. Agora, se esse cidadão acho pouco o que ganhou que reivindique mais, pois de acordo com o seu peso será dado a sua medida. Não é assim? Chega de demagogia e hipocrisia nesse país!!!”

 

 

 

Inconstitucionalidade de leis sergipanas I

O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), manifestou-se pela procedência da ação direta de inconstitucionalidade (ADI 3893), proposta pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil contra o 2º parágrafo do artigo 1º da Lei nº 3.617/95 e contra o artigo 1º da Lei nº 3.763/96. As duas leis de Sergipe garantem aos servidores sem vínculo com a Administração Pública a possibilidade de contagem desse tempo para incorporação de vantagens funcionais, os chamados quintos, em caso de posterior investidura em cargo de provimento efetivo. O Conselho Federal da OAB sustenta que a norma viola o princípio da isonomia, pois possibilita que um ex-ocupante de cargo em comissão, ao tornar-se titular de cargo efetivo, obtenha tratamento mais vantajoso na carreira em relação aos demais aprovados. O Conselho também aponta ofensa ao princípio da moralidade.

 

Inconstitucionalidade de leis sergipanas II

Para o procurador-geral, o vício do texto impugnado consiste em se ter atribuído benefício típico de servidores ocupantes de cargo efetivo, cujo acesso requer aprovação em concurso público, àqueles estranhos aos quadros da Administração Pública. Ele destaca que a norma permite tratamento diferenciado entre cidadãos aprovados em um mesmo concurso público.Antonio Fernando explica que não há qualquer motivo apto a autorizar a possibilidade de que um indivíduo escolhido para o exercício de um cargo em comissão possa valer-se de outros benefícios, que não a remuneração a ele inerente.“Em suma, não se revela consentâneo com os princípios da isonomia e da moralidade administrativa, conceder-se estabilidade financeira a ocupantes de função pública que tenham sua condição alterada para a investira, posterior, em cargo efetivo”, conclui o procurador-geral.O parecer será analisado pelo ministro Sepúlveda Pertence, relator da ADI no STF. (Fonte: Site da PGR).

 

Lourdes: Denúncia contra secretário

A coluna está checando uma denúncia recebida com fotos de enriquecimento ilícito de um secretário municipal da Prefeitura de Nossa Senhora de Lourdes. Pela denúncia o secretário é amigo intimo de um parlamentar federal e vem causando sérios problemas. Segundo as informações repassadas o secretário, que ganha pouco mais de R$ 1 mil, comprou um mini-trio, 3 retroescavadeira e uma moto avaliada em R$ 40 mil. Enquanto isso a cidade  está acabada.

 

 

Madrinha da Parada GLBT

A deputada estadual Tânia Soares (PCdoB) foi eleita madrinha da 6ª Parada GLBT de Sergipe. Escolhida pelos coordenadores do evento pela segunda vez – a primeira foi no ano de 2005 – ,a parlamentar guarda um histórico em defesa dos direitos da comunidade GLBT. “Tânia sempre foi nossa porta-voz do mundo gay no Poder Legislativo. Ela escuta os anseios da nossa comunidade e faz a interlocução com representantes do poder municipal e estadual”, afirmou Tatiane Araújo, presidente da ASTRA (Associação dos Trangêneros) e coordenadora da Parada 2007.

 

 

Distribuição de sementes em Neópolis

De um leitor: “O governo estadual mandou sementes para Deagro de Neópolis e o que aconteceu? As sementes foram dada pelo Presidente da Deagro (Neópolis) e então vereador Heriberto ao ex-prefeito de Neópolis e candidato a prefeitura Amintas Diniz, que levou para sua fazenda de Pacatuba e está distribuindo aos líderes dos povoados neopolitanos como se fosse ele mesmo que estivesse dando. Até agora 3 povoados já estão confirmados: Flor do Brejo, Fazendinha e Tapera. É só ir lá pra confirmar, abre o olho Marcelo Déda, pra depois não quebrar a cara com esses aliados de conveniência q estão te apunhalando pelas costas”.

 

Segurança pública em Sergipe

Do professor Bruno: “Prezado jornalista, tive a oportunidade de ler mais uma vez sua coluna hoje, 21, onde o senhor refletia sobre a implantação do plano de segurança pública para o nosso estado. Disse o senhor que o governador tem a mesma inquietude dos aprovados e futuros convocados para os cargos de segurança no nosso estado. Contudo caro jornalista, ele deveria apressar pelo menos as convocações. Já seria um grande passo em direção a implantação daquilo que o senhor mesmo denominou de ousado no artigo. Claro que sabemos que somente o efetivo não muda por completo nossa realidade estadual, a mudança passa por questões profundas em nossa sociedade como divisão de renda, boa educação escolar, etc. Mas, o efetivo policial é um dos elementos fundamentais na intimidação da marginalidade que nos dias de hoje agride profundamente a sociedade, não respeitando quem quer que seja sendo ainda indiferente a classe social. Estamos  todos, todos ! Mergulhados na violência, com disse o próprio governador em Brasília naquilo que eles chamam de PAC da Segurança: Sergipe está por um fio!”.

 

 

Servidores da UFS mantém greve I

Com participação significativa, em Assembléia Geral de Greve (AGG) realizada na manhã de ontem, 21, no auditório da Reitoria, os técnicos administrativos em educação da UFS deliberaram, entre outros pontos, pela manutenção da greve ao rechaçar, por unanimidade, a nova proposta do governo (tabela salarial) considerada insatisfatória e prejudicial para a categoria. A AGG, coordenada por Joseilton Rocha e Simone Oliveira, inicialmente contou com a participação do prof. Josué Modesto, reitor da UFS, que fez uma explanação geral a respeito da greve, leu um manifesto da ANDIFES (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior)relativo à greve e respondeu a diversos questionamentos da categoria.Quanto à avaliação da greve, tendo como foco a nova proposta do governo, a categoria, através da manifestação de diversos oradores, rechaçou, por unanimidade, a tabela salarial apresentada pelo Ministério do Planejamento, considerando-se a disponibilização de recursos bastante desigual entre as classes, para a correção de distorções salariais; a complementação de remuneração para as classes A e B; a vigência dos efeitos financeiros da tabela a partir de julho/2008.

 

Servidores da UFS mantém greve II

A partir da avaliação da AGG, foram aprovados vários encaminhamentos. Alguns deles: 1. Não aceitação da nova proposta do governo e continuidade da greve, com a realização de ações de impacto e visibilidade; 2. Indicar ao Comando Nacional de Greve (CNG) a inadmissibilidade da complementariedade salarial e a insistência na vigência dos efeitos da tabela a partir de janeiro de 2008; 3. Realização de AGG na próxima quinta, 23, pela manhã, em local a ser definido pelo CLG;4. Apitaço no Campus do Rosa Elze, atingindo principalmente a Reitoria e a Prefcamp, na próxima quinta, 23, pela manhã, a partir das 8h30 até o início da AGG; 5. Manifesto público crítico à conduta da Coordenadoria de Cerimonial e Eventos, vinculado ao Gabinete do Reitor, e da Comissão Organizadora do  3º Colóquio Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento e 1º Seminário sobre a Educação Superior Brasileira e as Políticas para o Desenvolvimento: o Papel dos Observatórios de Comunicação, a serem realizados nos dias 23 e 24 próximos, no auditório da Reitoria, por não respeitar a greve dos TAE, durante a abertura dos eventos, com ocupação

do local, dia 23, pela manhã, e explanação do atual estágio da greve para os seus participantes;

 

Indique um amigo para receber esta coluna: claudionunes@infonet.com.br

 Frase do dia

 “Nunca estive arrodeado de tantas pessoas, mas nunca me senti tão só”. Joel Silveira, quando  Secretária da Cultura de Sergipe, referindo-se que o alto cargo atrai muita gente, mas saudoso da sua convivência informal com os poucos amigos do peito com os quais convivia (e bebia)no Rio de Janeiro. Acabou deixando o cargo e retornando para o Rio.

 

 

 

 

 

                                                 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários