Processo sucessório

0

Não há dúvida que o processo sucessório já começou e se alastrou por todo estado. Não acontece apenas em Sergipe, mas em todo o país, todos com a mesma preocupação: manutenção ou queda da verticalização, que se trata de um instrumento arbitrário e que favorece apenas a quem disputa a sucessão presidencial. Mas está claro que a campanha acontece normalmente no interior e capital, com os candidatos proporcionais iniciando um trabalho de conquistas de bases e de fazer certo o dever de aritmética, mas não errar nos cálculos que cheguem a um quociente eleitoral favorável. Com a reeleição de presidente, governadores e prefeitos os primeiros candidatos são conhecidos, o que faz antecipar o processo, por mais que todos toquem no mesmo diapasão: “política só depois do segundo ou terceiro ano de mandato.

 

O governador João Alves Filho não precisou fazer nenhuma declaração de que disputará a reeleição, mas só veio iniciar os contatos políticos depois do segundo semestre do terceiro mandato. Participou ativamente das filiações partidárias que terminaram em 30 de setembro e fez novos e fortes aliados. Trabalha agora sobre segmentos importantes da oposição e tenta recuperar o seu prestígio eleitoral no interior – principalmente no sertão – com a inauguração de uma série de obras importantes para os municípios. Uma coisa o favoreceu muito: os escândalos que surgiram das entranhas do Partido dos Trabalhadores (PT). Tamanho que conseguiram superar a todos que já abalaram o país. Jamais se viu tanta gente da cúpula de um governo que vendeu a esperança, ser envolvida em um processo de corrupção que envergonhou o país, atingindo o Planalto, o Congresso Nacional, a Cúpula do Poder e setores importantes da vida pública. Até quem não tem culpa está sob suspeita.

 

Para ser sincero, a força eleitoral de João Alves Filho recrudesceu desse banquete farto que empanturrou o que parecia ser o mais puro, correto, honesto e voltado para os interesses sociais, que foi o governo do presidente Lula e seus lacaios..

 

Evidente que o discurso da oposição em Sergipe já está pronto. Usarão palavras chaves com “mesmice”, “retrocesso”, “conservadorismo”, “mandato pela quarta vez” e demais vocabulários que complementam as manifestações contrárias ao governador João Alves Filho, que contra-atacará com as obras realizadas no interior e capital, principalmente, a ponte ligando Aracaju à Barra dos Coqueiros, a nova orla da Atalaia, além de projetos que, de qualquer forma, foram um avanço no sistema administrativo. Claro que o governador João Alves Filho está preocupado na formação da chapa majoritária e alguns dos seus assessores políticos admitem que o vice tem que sair de um meio mais jovem, capaz, que seja uma liderança emergente e faça uma complementação com a experiência, a visão, a agilidade e otimismo do seu titular. Será um contraponto para um dos seus principais adversários, o prefeito Marcelo Déda (PT), que não abre mão da candidatura, anseia por esse confronto, é bom de voto e está bem nas pesquisas. Não será um páreo fácil.

 

Quanto ao candidato o senador dependerá da vontade da senadora Maria do Carmo Alves, que está em primeiro lugar nas pesquisas, mantendo-se à frente dos possíveis concorrentes. Mas como ela mesmo diz que não tem apego a mandatos, é possível que só tome uma decisão definitiva depois que forem definidas as regras naturais das eleições do próximo ano, principalmente na questão da verticalização. Dos outros possíveis adversários do governador e do prefeito não se pode fazer um diagnóstico. José Almeida Lima (PMDB) anuncia a candidatura e trabalha num meio que se distancia de João e Déda, em busca de um via nova para opção do eleitorado, também se valendo da sua experiência como ex-prefeito, ex-deputado e atual senador. E Elber Filho (PDT), um vereador de primeiro mandato que ousa lançar seu nome ao governo, num projeto sério de renovação real, expondo o novo, refazendo conceitos e tentando mostrar que há necessidade de por um fim a um ciclo que domina Sergipe desde 1982.

 

ROMPIMENTO

O senador Almeida Lima anunciou ontem o rompimento com o governador João Alves e “que ele fique à vontade para exonerar todos os cargos que deu ao grupo que comando”.

Segundo uma fonte do governo, João Alves Filho não demitirá ninguém de Almeida: “para mostrar que o rompimento é para valer, ele que entregue os cargos”.

 

CASSAÇÃO

Almeida Lima também lembrou que então deputado estadual Marcelo Déda (PT) deu o voto que decidiu a cassação do então prefeito de Aracaju, Jackson Barreto.

O que o senador acha estranho é que hoje Marcelo Déda diz que Jackson foi o melhor prefeito. E faz a pergunta: “se era bom, por que o cassou?”

 

NOTÍCIA

O bispo de própria, dom Mário, retornou ao lado do governador João Alves Filho, no avião que os levou à cidade de Cabrobó.

Meia hora depois, já em Propriá, ele ligou para o governador e avisou que leu pela internet, a manchete do jornal de sua cidade, na Itália: era a greve de fome de dom Cappio.

 

ENGANARAM

O deputado federal João Fontes (PDT) disse ontem “o governo enganou dom Cappio com essa história da aprovação de recursos para a revitalização.

Segundo João Fontes, o relator da PEC do senador Valadares foi alterada pelo relator na Câmara, Fernando Ferro (PP-PE) e dificilmente será aprovada.

 

ORIGINAL

Na forma original a PEC de Valadares diz que 0,5% da Receita da União será destinado à revitalização do rio São Francisco. O percentual equivale a R$ 300 milhões por ano.

Fernando Ferro propõe tirar 10% dos royalties de petróleo e energia pagos aos estados e municípios. “Ninguém vai aceitar isso”, disse.

 

VOTAÇÃO

A PEC, com as modificações do relator, será posta em votação na próxima terça-feira, João Fontes tem certeza que ela não será aprovada, o que prejudica a revitalização.

O deputado sugere ao senador Valadares que vá para a frente dessa luta, defende a proposta original, porque os estados e municípios não aceitam perder recursos.

 

TRANSPOSIÇÃO

QG da Transposição é o nome simbólico do local onde um grupo de professores, estudiosos, ecologistas e até promotores está se reunindo para defender o rio São Francisco.

Esse grupo já vem funcionando com diversas ações para impedir a transposição do rio. A liminar que saiu suspendendo a licença do Ibama, já foi uma ação desse QG.

 

EXPLICA

O governador João Alves Filho explicou que o chamado “QG da Transposição” surgiu de uma idéia dos defensores do rio, para que se reúnam e adotem medidas contra o projeto.

João deixa claro que não há chefes nesse grupo e que todos estão dispostos a trabalhar com uma série de ações diferentes, para acabar com esse projeto de transposição.

 

SUKITA

O prefeito de Capela, Sukita (PSB) retornou ontem a Sergipe sem o resultado do agravo pelo TSE. É que não entrou em pauta de julgamento.

Sukita se mantém no cargo porque o ato do ministro não o afasta. O Agravo deve ser votado na próxima semana, nas sessões plenárias de terça ou quinta feira.

 

DECISÃO

Caso o TSE não aceite o agravo impetrado pelo advogado de Sukita, ele será afastado imediatamente. Assume o presidente da Câmara e marca nova eleição.

Sukita está lutando para derrubar a decisão, mas se não for possível vai candidatar-se e trabalhar para reconquistar o mandato.

 

EMENDA

O senador Almeida Lima (PMDB) é favorável à aprovação de proposta de emenda à Constituição que prorroga até 30 de dezembro o prazo para votação da reforma política.

O parlamentar apóia a proibição de showmícios e distribuição de brindes, defende a punição à boca-de-urna e a redução do período de campanha.

 

CANDIDATO

Almeida Lima trabalha sua candidatura ao governo do estado pelo PMDB e tem conversado com lideranças do seu partido para fortalece-la.

É intenção do PMDB fechar candidaturas aos governos de todos os estados, já que terá candidato a presidente da República no próximo ano.

 

BENEDITO

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, diz que em Sergipe “é dar tempo ao tempo. Fiz a minha parte e filiei o senador Almeida Lima”.

Segundo Benedito, o senador está construindo sua pré candidatura ao governo do estado: “se mais adiante houver crescimento e bons resultados nas pesquisas, ele será candidato”.

 

DISPUTA

Roberto Requião, Antony Garotinho e Germano Rigoto são os três nomes que estão disputando a preferência dos militantes do PMDB para disputar a presidência da República.

Benedito está muito animado com essa nova fase do partido, que se mobiliza para indicar o melhor nome para disputar a presidência, como fazia nos velhos tempos.

 

Notas

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PMDB) criticou os senadores que se recusaram a assinar, em março de 2004, o pedido de criação da CPI dos Bingos, sob alegação de não haver corrupção no atual governo. Após o estouro das denúncias de corrupção, eles defendem a punição dos culpados.

“Será que essa mudança repentina é porque estamos na antevéspera de uma eleição e é preciso enganar o povo novamente? – perguntou Almeida Lima, diante da mudança de alguns parlamentares com o quadro de hoje.

 

GABIRUS

O senador José Almeida Lima recordou, por exemplo, os comentários duros da senadora Ideli Salvatti (PT-SC) a seu pronunciamento de 2 de março de 2004. Na ocasião, ela teria dito que “a montanha rugiu, rugiu e não pariu um rato, porque nem estatura para rato tinha o que saiu nesta tribuna”.

“Do governo de Vossa Excelência saíram inúmeros ratos, gabirus, aqueles acostumados com a lama. Tenho uma relação enorme, lida pelo senador Arthur Virgílio, de todos os envolvidos no mar de lama”.

 

FUNDO

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que institui o Fundo para a Revitalização Hidroambiental e o Desenvolvimento Sustentável da Bacia do Rio São Francisco, deve ser votada na próxima terça-feira na Comissão Especial que aprecia a matéria na Câmara.

A aceleração dos debates em torno do projeto está diretamente relacionada à solução encontrada pelo governo para incentivar o bispo dom Luiz Flávio Cappio, do município de Barra (BA), a acaba de vez com a greve de fome.

 

É fogo

 

O governador João Alves Filho será o entrevistado desta segunda-feira no programa Roda Viva, da TV Cultura (Aperipê) que tem boa audiência em todo o Brasil.

 

João Alves Filho vai falar sobre o projeto de transposição das águas do rio São Francisco e o mal que ela fará ao próprio rio e ao meio ambiente.

 

Quinta-feira, em Brasília, João Alves Filho foi entrevista por uma repórter da revista IstoÉ, sobre o mesmo tema.

 

A deputada estadual Susana Azevedo (PSC) está mais animada, depois que ingresso no novo partido. Já começou a trabalhar pela reeleição.

 

O presidente estadual do PSL, deputado José Milton, vai propor ao deputado federal João Fontes (PDT) uma coligação com o partido que ele preside no estado.

 

A composição que está se formando entre PSL, PV e PTN está fazendo uma contabilidade alta do quociente eleitoral. Acha que vão eleger três deputados estaduais e um federal.

 

O ex-prefeito de Lagarto, José Raimundo Ribeiro (Cabo Zé), do PTN, é candidato a deputado federal.

 

O deputado estadual Antônio dos Santos (PSC) se engajou na campanha contra a venda de armas e munição. Os evangélicos são contrários à comercialização de armas.

 

O presidente da Câmara, Zeca Ramos (PSC) é candidato a deputado estadual e está em plena campanha.

 

Os vereadores Iran Barbosa (PT) e Tânia Soares (PCdoB) também vão tentar uma vaga na Assembléia Legislativa.

 

O Banco Central vai continuar, normalmente, com a política de compra de dólares para a recomposição de reservas internacionais.

 

A produção industrial brasileira expandiu-se em 1,1% em agosto ante julho e 3,8% na comparação com igual mês do ano passado. A informação é do IBGE.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais