Processo sucessório

0

O prefeito Marcelo Déda (PT) dá posse hoje ao secretariado para iniciar imediatamente o seu trabalho como reeleito. Como o Pré-Caju já começa na próxima quinta-feira e logo em seguida vem o carnaval, o que também impede os primeiros passos para a continuidade administrativa, Marcelo Déda só vai mesmo começar a trabalhar a partir de 10 de fevereiro, quando se inicia o ano em todo o país. Caso seja candidato ao Governo do Estado, como há uma forte sinalização para isso, ou pretenda deixar a Prefeitura para tentar o Senado Federal, o prefeito Marcelo Déda terá 14 meses e 20 dias para realizar as grandes obras que foram apresentadas em seu projeto de governo aos eleitores, porque terá que se desincompatibilizar para qualquer tipo de candidatura. Não é muito tempo, mas se tiver os recursos suficientes pode entregar muita coisa importante à população de Aracaju, como é o caso do Hospital de Pronto Socorro da Zona Norte e outras obras estruturais para uma cidade que ainda há muito que fazer.

 

O governador João Alves Filho (PFL) não precisa se desincompatibilizar, mas também vai começar a trabalhar para valer a partir de 10 de fevereiro. Terá então 19 meses para continuar a sua administração à frente do Governo, levando em consideração que o pleito de 2006 ocorrerá no dia 3 de outubro. Nesse período, João Alves Filho pretende entregar a ponte que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros, a ponte que dá continuidade ao projeto da Linha Verde que liga o Mosqueiro à Caueira, além de uma série de obras de infra-estrutura em várias regiões de Sergipe, entre elas os projetos irrigados no alto sertão e, um dos mais importantes, a universalização do abastecimento de água em todo o Estado. Já a partir de fevereiro, o governador terá um novo estilo político, projetado por uma equipe de marketing que vai tratar do seu relacionamento com o público e com as demais lideranças da capital e interior.

 

O senador José Almeida Lima (PSDB) não está brincando: será candidato a governador do Estado e tem o tempo todo para fazer campanha. Nestes momentos iniciais, quando está reformulando seu novo partido, conversa com lideranças importantes do interior e capital, para reforçar a legenda e está preparado para buscar aliados que formem uma composição e lhe dêem condições de enfrentar o pleito. Almeida Lima já está vinculado a uma categoria influente na vida econômica do Estado, que é o empresariado do setor comercial, responsável por um alto percentual de empregos e que está consciente da necessidade de ingressar na política, para defender os interesses da classe. Esse grupo em Sergipe é importante e tem nomes de peso na vida pública, o que passa a ser um segmento diferente na disputa por posições políticas. Almeida Lima já foi provado no executivo e demonstrou que pode fazer um bom trabalho, como aconteceu quando esteve à frente da prefeitura de Aracaju, por um curto período de 28 meses. Não se pode levar essa pretensão de Almeida como uma utopia, mas vê-la como uma condição de opção para quem está querendo chegar com uma proposta diferenciada das outras que estão se apresentando. E é esse o objetivo do grupo: ser o diferente.

 

O prefeito Marcelo Déda está se preparando para a disputa com um grupo pesado de apoio, como o ex-governador Albano Franco, o senador Antônio Carlos Valadares, o deputado federal Jackson Barreto e o deputado federal Heleno Silva, que integram a oposição em Sergipe. Isso está preocupando um dos mais próximos aliados do governador João Alves Filho, que assiste o grupo perder o senador José Almeida Lima e não ir a busca de outros aliados. O governador João Alves Filho está sabendo disso e vai se preparar para conquistar novos prefeitos e trazer para uma composição alguns que hoje lhe fazem oposição. João tem um imenso poder de sedução e vai utilizá-lo através de uma estrutura de Marketing ousada e eficiente. Mas não é bom imaginar que isso é o suficiente, afinal os demais candidatos, principalmente Marcelo Déda, estão de bem com o eleitorado da capital e também sabem usar do Marketing.

 

Uma coisa, entretanto, favorece a João: o excesso de caciques para uma reduzida porção de índios, existentes nas oposições, o que já está começando a gerar insatisfações.

 

E-MAIL

O leitor Antônio Lima envia e-mail para comunica que o comentário de ontem sobre a violência estava incompleto.

Denuncia que agências dos Correios vêm sendo assaltadas sistematicamente, na capital e no interior, chegando ao cúmulo da reincidência em poucos dias, como é o caso de Malhador e Maruim.

 

E MAIS

Segundo Antônio Lima, quarta-feira foram três assaltos às agências dos Correios. Em 15 dias, pelo menos dez. A ECT e a polícia, assistem a tudo de braços cruzados.

Lima diz que os ladrões chegam a fazer uma seqüência das cidades: “pegam uma estrada qualquer e saem assaltando as cidades que encontram”.

SUPREMO

Já chegou ao Supremo, Ação Cível Originária 761 (ACO), em que Sergipe pede o ressarcimento de R$ 331 milhões à União.

O Estado alega que o governo Federal deixou de repassar quantia FPE, que recebe 20% das receitas advindas da Cofins e da CSSL, destinadas ao financiamento da seguridade social.

 

EXPLICAÇÃO

A ação explica que 20% da arrecadação da Cofins e da CSSL foram desvinculados de sua função original por força de emendas constitucionais, e caracterizados como imposto de renda.

Por isso, passaram a “integrar a base de cálculo do Fundo de Participação dos Estados (FPE)”, assegura o governo sergipano.

 

VALORES

Na ação, o governo de Sergipe pede que a União recalcule os valores das parcelas do FPE supostamente devidas a Sergipe desde abril de 1999.

O objetivo e que sejam acrescentados os valores decorrentes da desvinculação das receitas da CSSL e da Cofins.

 

REUNIÃO

O prefeito Marcelo Déda já convocou reunião do seu novo secretariado para segunda-feira, às 14 horas, em um hotel da orla de Atalaia.

O objetivo é discutir planejamento e incentivar os auxiliares para um trabalho contínuo, com o objetivo de repetir os quatro anos anteriores.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PSDB) revelou ontem que não teve nenhuma conversa recente com o ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB).

Disse que a última vez que esteve com o ex-prefeito foi para tratar sobre emendas orçamentárias, em Brasília.

 

VETO

Almeida Lima disse que tomou conhecimento de que o ex-governador Albano Franco (PSDB) não vetava ninguém.

E continuou: “pois eu veto pessoas que não tenham comportamento correto e digno não ficarão comigo”.

 

COMUNICAÇÃO

O secretário de Comunicação, Carlos Batalha, já dá expediente hoje do seu gabinete e deve despachar com o governador João Alves Filho o mais breve possível.

Segundo o adjunto Francisco Ferreira, o secretário vai discutir o novo funcionamento da Secom, agora sem a existência do Darf.

 

ALMOÇO

Os oito vereadores que integram o bloco do governo na Câmara almoçaram ontem com o governador João Alves Filho, no Palácio de Veraneio. Zeca e Fábio Henrique não foram.

O presidente Zeca da Silva não compareceu porque esqueceram de convidá-lo. Quando o fizeram, ele já havia almoçado na Câmara. Hoje ele toma café da manhã com João Alves.

 

“MENINO”

Alguns veículos circulam em Aracaju e algumas cidades do interior, com um novo adesivo: “sou mais o menino”.

O pessoal da oposição tirou a frase de uma entrevista do governador João Alves Filho que chamou de “menino” o pessoal que faz política no Partido dos Trabalhadores.

 

EXPLICA

O governador João Alves Filho explicou ontem que a vitória na Câmara Municipal foi um ato político democrático, que não pode deixar de ser um confronto.

Um dos seus assessores admite que política é confronto de idéias e não acredita que a oposição consiga dar o troco, elegendo o presidente da Assembléia.

 

ASSEMBLÉIA

Na Assembléia Legislativa existem quinze deputados que apóiam o Governo e nove que integram o bloco de oposição.

Será preciso conversa, porque se um certo deputado do Governo for candidato a presidente, leva cinco nomes e se une aos nove da oposição, podendo fazer o presidente.

 

Notas

 

CHEQUE

A empresa Pinheiro Ltda, da área de informática, recebeu um cheque da prefeitura de Poço Verde, de 30/12/2004, no valor de R$ 745,00 e o depositou. Teve a surpresa da devolução através da alínea 21, que significa sustação. O novo prefeito determinar sustar todos os cheques emitidos pelo ex-prefeito.

O atual prefeito não tem autoridade para sustar um cheque que fora emitido por seu antecessor e tem que acatar pagamentos da gestão anterior, porque a prefeitura é uma só não pode desfazer da gestão anterior.

 

FONTES

O deputado federal João Fontes disse, ontem, que se fosse vereador votaria em José Ramos, o Zeca (PSB) para presidente da Câmara Municipal de Aracaju: “afirmo isto com muita convicção” João acha equivocada a questão de não votar em Zeca por que ele é empresário do ramo de transportes urbanos.

João Fontes lembra que Zeca não deixou de ser candidato do prefeito Marcelo Déda só porque é ligado ao setor dos transportes e considerou que a candidatura dele e o trabalho realizado para eleger-se foram legítimos.

 

ARTICULA

A verdade é que o vereador José Ramos (PSB), o Zeca, vem articulando sua candidatura a presidente da Assembléia Legislativa desde o dia seguinte que saiu o resultado das eleições. Passou todo o tempo visitando todos os eleitos e declarando sua vontade de disputar a presidência da Câmara Municipal.

Conversou isso inclusive com o presidente Sérgio Góes (PL) que pretendia a reeleição. O próprio Sérgio, em conversa com jornalistas disse que apoiaria Zeca caso não fosse o candidato à reeleição, E isso aconteceu.

 

É fogo

 

O vereador Fábio Henrique (PDT) disse que não votou em Zeca (PSB) para agradar a nenhum político. O voto foi consciente.

 

O ex-governador Albano Franco está começando a se movimentar mais politicamente e tem visitado amigos no interior.

 

Os prefeitos eleitos, principalmente aqueles que são adversários do antecessor, estão comendo o pão que o diabo amassou para colocar a Prefeitura em ordem.

 

Os prefeitos que foram eleitos pelo antecessor concordaram em assumir as dívidas do anterior, para evitar que ele caia na Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

O secretário de Comunicação Social, Carlos Batalha, não deixará o cargo e hoje estará dando expediente em sua pasta.

 

A cidade vive em clima de Pré-Caju e o deputado Fabiano Oliveira não trata de outra coisa. Quinta-feira, Aracaju vira Salvador.

 

O ex-deputado federal Gilton Garcia reuniu amigos em sua casa de praia, no Saco, para comemorar seu aniversário. Foi um encontro político.

 

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) viajou a Brasília para manter seus primeiros contatos como parlamentar.

 

O prefeito Marcelo Déda empossa hoje a sua nova equipe, em solenidade que será realizada na Sociedade Semear.

 

O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco, está readaptando a administração para uma nova fase.

 

As concessionárias de veículos do Brasil bateram recordes históricos de vendas em 2004, segundo a federação do setor (Fenabrave).

 

A reforma política deve estar no centro das discussões sobre o calendário de votações do Congresso Nacional, com a retomada dos trabalhos, a partir de 15 de fevereiro.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários