Procurando sarna pra se coçar: Conceição por Almeida

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Tá procurando sarna pra se coçar… Me leva nesse embalo, lá, laê, lá, lá, ilá..Ôlê, lê, lê, lê, ô lá, lá, lá,lá…

A letra da música do grupo Chiclete com Banana define bem o que acontecerá com o governador Jackson Barreto se realmente trocar a competente enfermeira Conceição Mendonça da secretaria de Saúde, pelo ex-prefeito, ex-senador e ex-deputado Almeida Lima.

E não é pelas “amabilidades” que os dois trocaram num passado recente, já que, grande parte da classe política de Sergipe, já trocou farpas e baixarias e, algum tempo depois, subiu no mesmo palanque trocando juras de amor eterno.

Nomear uma pessoa para um cargo que você não poderá tirar é um risco grande. É o que vai acontecer se Almeida Lima for para a saúde. Quando o governador perceber o erro que cometeu será tarde: não terá como tirá-lo. Se quiser, vai ter um inimigo com uma metralhadora giratória capaz de destruir qualquer projeto para 2018.

A Adema hoje, cargo de segundo escalão, está ótima para o tamanho de Almeida Lima. Na saúde, centralizador do jeito que é, ele vai travar a máquina e abrir grandes arestas.

Padrinhos e porteira fechada – Nos bastidores o comentário é que Almeida Lima tem dois padrinhos fortes: Benedito Figueiredo que terá o apoio dele para a candidatura do filho a deputado federal e o ex-prefeito Wellington Paixão, hoje na Sergás. E um detalhe: chega na saúde com a chamada “porteira fechada”, para mudar o que desejar.

De todos os atos de Jackson Barreto como governador nomear Almeida Lima para a saúde, será o maior de todos os arrependimentos. E se ouvir os assessores mais próximos tem todos os motivos para voltar atrás.

E o pior não será apenas o arrependimento, será o consentimento de culpa…

Governo: reforma é maior do que esperada. Sete secretarias e três do segundo escalão.
E o governador Jackson Barreto anuncia nos próximos dias as mudanças no governo. Até ontem a noite estavam certos os nomes de Almeida Lima para a saúde; José Sobral, para a Inclusão Social; Chico Dantas, para a Secretaria do Planejamento; Josue Passos, para a Educação; Fernando Mota para a Fazenda, Antônio Hora, esporte e lazer e um empresário indicado por Laércio Oliveira, para a pasta do Desenvolvimento Econômico. Na Codise assume Bosco Costa e na Adema, Ricardo Roriz.

Obra do Hospital do Câncer: R$ 15 milhões a menos. Será terminada?
Por conta das normas do TCU, o governo do Estado teve que fazer um edital de licitação para a construção do Hospital do Câncer como não desejava. Aliás, a licitação foi ganha por um consórcio de empresas pelo valor de R$ 15 milhões a menos. Há quem duvide que a obra termine. Ninguém se surpreenda se o consórcio cai fora no meio do caminho…

ICMS da venda do gás
O governador Jackson Barreto foi recebido na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, pelo presidente da empresa, Pedro Parente. Eles trataram de dois assuntos de interesse do estado de Sergipe. Eles trataram do prejuízo que os cofres do governo do estado vem tomando pelo não pagamento de ICMS na venda do gás e de uma causa que tramita na Justiça há cerca de dez anos que beneficia o governo do estado.

Bom termo
O governador Jackson Barreto apresentou as questões e o presidente Pedro Parente abriu a possibilidade de se negociar."Eles agora vão apresentar uma proposta para o governo do estado. Quem ganha é Sergipe. Saímos muito confiantes de que iremos chegar a bom termo, uma solução que contemple as partes, mas, principalmente, que nos permita reverter esses recursos em benefícios para o nosso povo", disse o governador.

Liderança em Itabaiana
E o radialista e jornalista Carlos Ferreira, comemora a liderança do programa Jornal da Capital em todas as pesquisas de audiência. Ferreira tem apenas cerca de um ano à frente do programa e apresenta também o Jornal da Ilha, das 17h às 19h, na Ilha FM.

Ministro em Aracaju na próxima semana
O senador Valadares, PSB, anunciou ontem que após uma audiência com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, onde fez um relato sobre a situação de calamidade devido a crise hídrica de diversos municípios de Sergipe, o ministro disse que virá a Sergipe na próxima semana anunciar as medidas emergências que serão tomadas pelo ministério junto com a Codevasf. A reunião para autorização de transferências de recursos  para o combate às secas em todo o Estado de Sergipe será realizada na sede da Codevasf em Aracaju.

Registro
“Registrei que as secas estão provocando desabastecimento d'água, com as fontes dos precioso líquido secando e levando ao desespero produtores rurais e populações urbanas.  Grande prejuízo para todos, causando a morte de animais,  criando a desesperança entre os produtores e um horizonte de comoção e pessimismo diante de previsões climáticas adversas, que apontam o recrudescimento das secas em nosso Estado, sem perspectivas para a produção agropecuária”, relatou o senador.

Empecilhos que atrasam obras
Ao lembrar que nenhum país do mundo saiu da crise sem o investimento na construção civil, o presidente da Associação Sergipana de Empresários de Obras Públicas e Privadas – ASEOPP, Luciano Barreto, na primeira reunião-almoço do ano, aproveitou a presença do vice-governador, Belivaldo Chagas e do presidente da Alese, Luciano Bispo, para pedir uma somação de esforços das autoridades e da classe política para reduzir os empecilhos que hoje atrasam as obras, não em Sergipe, mas em todo país.

Paralisações
Luciano Barreto registrou que teve uma audiência com o vice-presidente da Caixa, Roberto Derziê, onde apresentou as propostas da ASEOPP para desburocratizar as obras. “Quando uma obra é paralisada quem é prejudicada é a sociedade”, alertou, ressaltando que existem no país 11 órgãos de controle, e três deles, Caixa, TCU e CGU não se entendem.  “Tem que examinar tudo da obra antes de iniciada. Depois, só retornar quando acabar. Se tiver erros que punam os responsáveis, mas não pode é prejudicar a sociedade com obras paralisadas que custam milhões para serem retomadas depois”, exemplificou.

Presenças
A reunião contou também com a presença do deputado Zezinho Guimarães, do secretário de Estado do Meio Ambiente, Olivier Chagas, do presidente do Ipes, Christian Oliveira, do vice-presidente da Câmara de Aracaju, Juvêncio Oliveira e dos ex-deputados Rogério Carvalho e Zeca da Silva.

Novos projetos
Luciano Barreto disse que foi informado que em Sergipe, por exemplo, tem na Caixa, quase R$ 1 bilhão disponíveis, cerca de R$ 800 milhões para o governo estadual e R$ 200 milhões para a Prefeitura que são para obras em andamento, outras paralisadas e com problemas nas licitações. Ele pediu também que o governo inicie o planejamento para novos projetos já que o Proinvest e o Sergipe Cidades vão acabar. Ele deu como exemplo a área da educação que precisa de novos projetos para reforma e ampliação de escolas.

Iniciativa
O vice-governador Belivaldo Chagas elogiou a iniciativa da ASEOPP de debater os problemas com todos os envolvidos e disse que realmente a burocracia atrapalha e prejudica principalmente a sociedade quando uma obra é paralisada ou tem que ser realizada uma nova licitação. Belivaldo disse que vai se reunir com o secretário Valmor Barbosa para ajudar nos meios necessários para agilizar as obras cujos recursos são estão disponibilizados. “Se você começa e termina no tempo hábil ganha todo mundo”, registrou Chagas.

XII Encontro do Mops acontecerá dias 28 e 29 de janeiro
O Movimento Popular de Saúde (MOPS) de Sergipe, está  promovendo o XII Encontro Estadual que será  realizado nos dias 28 ( abertura as 8 h)

A programação do XII Encontro do Mops

 e 29 de janeiro de 2017, na Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão, Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos- Auditório do NAT-Rua Santa Luzia 680 – Bairro São José, Aracaju – SE. Leia ao lado a programação. O evento é fundamental para nesse momento de discussão e reflexão acerca dos caminhos que a entidade vem trilhando no Estado e a construção de caminhos para os próximos quatro anos.Maiores informações pelo telefone: (79) 98813 – 4386 ou pelo e-mail: http://movpopsaude@gmail.com

Homenagem a Pedro Paes Mendonça
Responsável pela emancipação de Moita Bonita e primeiro prefeito da história do município, o empresário Pedro Paes Mendonça recebeu uma importante homenagem neste domingo, 22, com a inauguração do novo cartão postal da cidade, a Orla Prefeito Pedro Paes Mendonça. Com uma área de 450m², o espaço conta com playground, equipamentos de ginástica, deck de madeira e paisagismo e já é considerada o espaço de lazer mais importante do município, segundo o prefeito Marcos Antônio Costa. A solenidade contou com diversas autoridades, entre elas o governador Jackson Barreto, o deputado federal Fábio Reis, o ex-governador Albano Franco, além do empresário João Carlos Paes Mendonça, filho do homenageado.

Orgulho
“É com muito orgulho que, hoje, eu participo deste evento na cidade fundada por meu pai. ‘Seu’ Pedro era um sonhador, e o que ele plantou lá em 1963 a população está colhendo ainda hoje. Enquanto filho da Serra do Machado, eu tenho acompanhado o crescimento de Moita e fiquei extremamente feliz com a cidade limpa, progressista e dinâmica que eu vi. Tenho certeza que meu pai, no céu, está muito feliz”, destacou o empresário JCPM.

Banese é homenageado
O Banco do Estado de Sergipe (Banese) recebeu uma placa de agradecimento durante o evento promovido esta semana pelo Instituto de Previdência dos Servidores de Sergipe (Sergipe Previdência), em homenagem aos servidores aposentados do Estado. O evento foi realizado nesta terça-feira, 24, Dia Nacional dos Aposentados, na sede do Sergipe Previdência em Aracaju.

Placa
A placa de agradecimento pela “parceria na valorização e bom atendimento aos segurados do Sergipe Previdência” foi entregue ao diretor Financeiro e de Tecnologia do Banese, Renato Dantas, pelo presidente do Instituto, José Roberto Andrade.

Prazo para Hospital Cirurgia pagar 13º sem multa acabou ontem, 24
O prazo do Hospital Cirurgia fazer o pagamento, sem multa, do 13º salário de seus empregados se encerrou ontem, 24, depois que o Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) entrou com Ação na Justiça contra o hospital. O juiz do Trabalho Alexandre Manuel Rodrigues determinou que a gestão do hospital efetuasse num prazo de cinco dias o pagamento da gratificação natalina, a contar do dia posterior ao recebimento da notificação que ocorreu no dia 19 de janeiro. Caso não pagasse, a determinação do juiz é de multa diária no valor de R$ 500,00, por empregado prejudicado.

Violação de direitos
Sobre a ação, cujo número é ACP 000065-95.2017.5.20.0008, o departamento jurídico do Sintasa mostrou diversas notícias divulgadas na imprensa de que os trabalhadores tiveram a supressão de direitos trabalhistas. “O que implica na violação de direitos fundamentais, sobressaindo urgente a necessidade de correção de tal comportamento, pelos efeitos danosos que provoca na sociedade”, descreve o texto da decisão do juiz.

Detalhes jurídicos
No mesmo documento, o juiz informou que será objeto de apreciação futura o pedido de bloqueio das contas do hospital, levando-se em conta que por ora, não haveria valores indicados do montante devido aos trabalhadores.A tutela antecipada consiste na antecipação dos efeitos da sentença condenatória. É uma técnica processual usada para quando há algum requerimento da parte que não pode esperar a execução de sentença, pois deve a justiça proporcionar ao titular do direito lesado a possibilidade de cumprimento com urgência de determinada decisão judicial.

Meia Maratona do Salvador
A data tão aguardada para os corredores de plantão se aproxima. No próximo domingo, 29, acontece a Meia Maratona de Revezamento do Colégio do Salvador. Devido à grande procura,  todas as 800 vagas foram preenchidas, antes do prazo previsto para o encerramento das inscrições.  Nessa 3ª edição, a prova contará com mais um posto de hidratação para garantir aos nossos atletas mais conforto. Atente-se para os prazos: no sábado,28, acontece a entrega dos kits das 9h às 17h, na quadra do Colégio. E no domingo, 29, a largada da corrida ocorre, pontualmente, às 7h .

PELO TWITTER

www.twitter.com/ORodrigoMachado   O racismo, o machismo e a homofobia não é humor politicamente incorreto. Isso tem outro nome: 

COVARDIA.

www.twitter.com/arielpalacios   Aviso 1: Não respondo tuítes com jogos de palavras bregas e sem criatividade feitos com os nomes de partidos, grupos políticos ou políticos. Em resumo, é brega usar o mesmo estilo brega dos políticos bregas que criticam…

www.twitter.com/Valdeterod   Não só a (Operação)Venal! Mas muitas outras operações, quando perto da finalização, entraram em estado de letargia. #IssoéSergipe

www.twitter.com/PedrinhoBalbino  Minha primeira carteira trabalho assinada aos 14 anos, antes, fui engraxate, vendedor de picolé, quebrei brita, isto me move como cidadão.

www.twitter.com/palmeriodoria   Barão de itararé revisitado:"Diz-me com quem voas e eu te direi se voo contigo".

DO LEITOR

Telha: crime ambiental continua
E-mail de alguns moradores: “O crime ambiental continua em Telha estão pelando as árvores todas, do jeito que o mundo todo está passando por

 um momento de aquecimento global e com a seca do nosso nordeste o prefeito toma uma iniciativa dessa. As árvores que purificam o oxigênio. Isso é um crime: mais de 50 árvores desse jeito.”

Outro Sergipano no STF?
Por: Geraldo Lima Feitosa, o Geraldo dos Correios: “Não tomem como surpresa um sergipano ter seu nome indicado pelo presidente Michel Temer para o Supremo Tribunal Federal (STF), em substituição ao ministro falecido Teori Zavascki. Dentre alguns prováveis nomes, conforme noticia a imprensa nacional, um advogado trabalhista/classista, que ainda não foi citado pela mídia, poderá surpreender o país. Pela afinidade do chefe do executivo com um outro conterrâneo, inclusive já o tendo convidando para um determinado ministério da esfera política, pode-se perceber pelas mãos de quem o provável novo ministro do STF brotará. Se falar mais alguma coisa, acaba citando o nome”.  

ARTIGO

Excelente análise do Coronel PMSP RR José Vicente da Silva Filho*, ante o atual cenário crítico da Segurança Pública do Brasil:

Nossas autoridades parecem donzelas assustadas com o vento. Não sabiam o que acontecia nos porões dos governos? Em 2012, “no governo da saudosa Dilma, ocorreram 121 rebeliões, 20.310 fugas e 769 presos mortos.” Não sabiam? E os mais de “500 presos mortos em 2015”, sabiam? Vão mandar as forças armadas para consertar o passado do qual nem se lembram? E parem de assustar a platéia brasileira com os temores nascidos da assombração de  “bandidos descalços e de bermuda”. Esse é o crime organizado que temem?
E agora o mantra da vez: "prendemos muito e prendemos mal". E vamos “soltar todos que pudermos para dar folga aos presos sufocados.” E  “deixar a platéia brasileira sufocada com mais bandidos nas ruas.” Claro que deviam criar vagas, mas vamos lembrar que “bandidos soltos custam muito mais que os presos.”

Escrevi um artigo em maio de 2015 sobre esse assunto:

Prender é controlar o crime

Recentemente uma socióloga mencionou na imprensa que o estado de São Paulo pratica “uma política de encarceramento em massa” o que fortaleceria o controle das prisões pelo PCC que, segundo ela, teria ainda “ampla hegemonia em prisões e bairros periféricos das cidades paulistas”. São teses alucinantes.

O que seria essa política de encarceramento em massa? Esse clichê sem explicações sugere algo como as prisões de judeus nos campos de extermínio nazistas. De fato, em 2015 a polícia paulista prendeu 217.333 delinquentes, sendo 25.503 menores de 18 anos. Não foram meros suspeitos: cerca de 70% dessas prisões ocorreram quando os bandidos estavam cometendo crimes e o restante eram bandidos condenados pela justiça que foram abordados no policiamento. Onde entra a política de encarceramento em massa? “O policial pode se omitir ao constatar alguém cometendo crime? O juiz pode deixar de condenar um criminoso pela prática comprovada de crime? E os criminosos não devem ir para os presídios se a pena determina essa punição?” A ideia de que o PCC domina as periferias das cidades do estado é só mais uma ilação que os serviços de inteligência desacreditam por constatar grandes áreas do estado sem atividade da facção. “Todo agrupamento criminoso merece cuidadoso monitoramento”, mas não se pode fantasiar um poder sobre o crime organizado e desorganizado que o PCC não tem. Será que os estimados um milhão de criminosos à solta seriam dominados pelos três mil (0,3%) filiados à facção?”

“São Paulo tem índices crescentemente baixos de violência justamente porque prende mais.”  O índice de homicídios em São Paulo chegou a menos de 9 casos por cem mil habitantes –  um terço da taxa nacional –  “justamente porque tem quase o dobro da eficiência nacional em prender criminosos que agridem a sociedade.”
Ainda persiste o raciocínio “ingênuo de que se a polícia prevenir bem não precisará prender e que bons programas sociais seriam mais eficientes que as ações policiais.” Ora, a “função da polícia não é fazer prevenção bancando o espantalho de bandidos nas esquinas, mas intimidá-los, reduzindo inteligentemente seu espaço de atuação e prendendo ao surpreendê-los na prática criminosa ou por decorrência de investigação.”

Na multidão de criminosos pelas ruas muitos são “psicopatas incuráveis que ameaçam a sociedade e para eles não há programa social que resolva.” São Paulo provou que os remédios mais urgentes para reduzir a violência são o  “policiamento inteligente que coloca policiais em áreas de maior incidência e a ampliação da capacidade de resposta da polícia e da justiça.” Os criminosos reincidentes e violentos precisam de “incapacitação por penas longas e regimes severos,” enquanto os praticantes eventuais e iniciantes precisam de resposta rápida e mais branda. “Nenhum crime deve ficar sem punição, do assaltante de esquina ao funcionário público corrupto.” O governo lulopetista fez muito discurso social em favor dos pobres e dos direitos humanos, mas quase nada fez para mitigar o sofrimento nas masmorras medievais onde se espremem mais de 600 mil presos para pouco mais de 300 mil vagas.  “Prender também é solução, mas é preciso investir nas vagas que servem para contenção dos criminosos em nossas cidades e esse investimento não vem sendo feito.”

Os presos custam caro à sociedade – cerca de “três a quatro mil por mês” cada preso -, mas poucos mencionam o “custo da violência para o país: 256 bilhões de reais ao ano, segundo cálculos do IPEA.” Custear preso é o preço a pagar para não tê-los em nossas ruas. Não há no planeta violência mais boçal do que a brasileira. Nos cinco anos do governo Dilma foram assassinados quase 300 mil brasileiros, metade deles jovens e pobres. Outros 250 mil foram esmagados na impunidade do trânsito. Essa foi a pior indecência do governo recentemente defenestrado: reduzir a pobreza pela redução da vida dos pobres.

*José Vicente da Silva Filho é Coronel da reserva da Polícia Militar de
São Paulo, mestre em psicologia social pela USP, ex-secretário nacional de segurança pública.
Colaborador: Tenente Coronel Sílvio César Aragão – Chefe do Departamento de Ensino e Instrução da PMSE.

Liderança se constrói com serviço e sacrifício (do livro O Monge e o Executivo). Carlos Magno é candidato a presidente ACDS

Nota do radialista ao oficializar candidatura à presidente da ACDS

Estamos vendo diariamente com que velocidade grupos se constrói a partir da dissolução de outros, pseudas ideias de novo, quando na realidade estão entranhadas por um ultrapassado desejo de se perpetuar nas entidades e no caso específico na Associação dos Cronistas Desportivos de Sergipe – ACDS.

Ora!, empunhamos um microfone bastante crítico, queremos um futebol Sergipano melhor, não cabe a continuidade de um grupo que está aí a mais de 20 anos e agora quer jogar e tentar confundir os próprios cronistas esportivos, as possíveis outras 4 chapas se arvoram agora de serem O Novo, com novas ideias, são os mesmos que teem a ACDS como sua propriedade, como uma capitania hereditária onde o dono reparte pedaços para os seus agregados.

Encontros regionais e Nacionais sempre vai representações do mesmo gueto que aí está a 20 anos, uma imensidão de carteiras a pessoas que em breve nós veremos se são Radialistas, desrespeitos com nossa entidade, utilizando-a de maneira inadequada.

Falta de respeito aos radialistas.

Após vermos que a atual administração tenta agora se dividir em 4 forças para continuar e se perpetuar à frente da ACDS, outros cronistas esportivos, sentaram, ponderaram e convenceram o companheiro  CARLOS MAGNO o BOLAÇO de montar uma chapa para simplesmente servir como apoio e entidade representativa dos cronistas esportivos de Sergipe.

A partir de hoje, dia 20/01/2017 está lançada a chapa intitulada “ LIDERANÇA NÃO SE IMPÕE, SE CONQUISTA.”

Após breve consulta dentro da crônica esportiva ficou mais do que claro a respeitabilidade e aceitação do nome do Radialista CARLOS MAGNO como candidato. Após dois meses de ter tido o nome cogitado e aceito,
Carlos Magno oficializa por esta nota a sua candidatura à presidência da ACDS.

ARTIGO

Fest Verão: nova versão do nocivo e extinto Pré-Caju por Clarkson Moura

A talho de foice, induzido pelo recém-transcorrido "FEST VERÃO", megafestival recheado de diversos rítmos, bastante concorrido durante um tríduo  — e, por certo, bem-rendoso para seus promotores — acorreu-me à memória a lembrança da esquecida ou subjacente questão: para onde foram as quantias fabulosas que sempre aportaram na então ASBT, advindas, por intermediação política, do Fundo Nacional da Cultura, dentro do Programa Nacional de Apoio à Cultura – PRONAC, do Ministério de Estado da Cultura, conforme a famigerada Lei n. 8.313/1991 – Lei Rouanet? O gato comeu, foi?!

Na mesma pegada, neste período de "vacas magras", terá sido uma falta de vergonha, uma bofetada na cara de nós, coabitantes deste Estado e desta Capital (principalmente, cidadãos, eleitores votantes nos últimos pleitos, de 2014 e 2016), um imperdoável escândalo, os entes federados Sergipe e Aracaju haverem dado um centavo do dinheiro do Povo, – nosso – a esse cartel empresarial da insaciável Indústria do Entretenimento, de fins exclusivamente lucrativos, a qualquer título, para custeio ou patrocínio da grande festa particular de acesso popular e oneroso.

Diante da prática tradicional na Administração Pública, nos três âmbitos de governo da República Federativa do Brasil, e do precedente exemplar, ocorrido nesta Terra, estou de olho e ouvido ligados aos megaeventos privados, e sempre bancados, em grande parte, com recursos públicos, mediante relações ocultas, complexas, capciosas e promíscuas entre os setores público e privado, os famigerados e corriqueiros esquemas de corrupção.

Com a palavra, as autoridades competentes dos sistemas de controle oficiais, de cujas atribuições institucionais e legais são investidos para fiscalizar e controlar a aplicação correta e lícita de recursos públicos, sob as mais diversas formas, inclusive à guisa de subvenções etc.

Cláudio Nunes no Face e no twitter:

https://www.facebook.com/blogclaudionunes/

Frase do Dia
“A culpa não está no sentimento, mas no consentimento”,
Textos cristãos.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais