Programa Tucano

0

O PSDB está preparando um programa comportado para exibir segunda-feira nas emissoras de radio e televisão. Vai apresentar novos nomes que ingressaram no ninho, como o deputado estadual Fabiano Oliveira e o ex-deputado Luis Mittidieri, além de lideranças da capital e do interior que passaram a fortalecer a legenda. O ex-governador Albano Franco vai aparecer pela primeira vez e, durante dois minutos, falará sobre questões administrativas e políticas, inclusive eleitorais. Entretanto, Albano poupará revelações sobre candidaturas, porque só vai se definir no próximo ano. O programa vai insistir nas realizações do ex-governador e no trabalho que prefeitos tucanos estão realizando em Sergipe. Parlamentares estarão presentes, mas as críticas ao governo do estado serão amenas, mas sem tom conciliante. O objetivo é deixar o partido no ponto para fazer coligações futuras, dentro das projeções de queda ou continuidade da verticalização.

 

A cúpula tucana em Sergipe sabe que a nível nacional o maior adversário será o Partido dos Trabalhadores e o aliado mais próximo não terá outra legenda se não o PFL. Fica complicada uma composição com o PT no estado, quando os dois partidos disputam posições diferentes para o Palácio do Planalto. O presidente Lula da Silva começou a se empolgar e já determinou movimentação em torno de sua reeleição, embora só vá tocar no assunto nos primeiros meses de 2006. Entretanto, autorizou aos assessores da área política que procurassem detonar o governo de Fernando Henrique Cardoso, dentro de um comparativo com o seu. O PSDB também não dá trégua ao presidente. Ao lado do PFL, iniciou um trabalho para jogar a bomba do caixa dois no colo de Lula da Silva, através de uma CPI para apurar a distribuição de dinheiro não contabilizado para os Diretórios Regionais do PT e, principalmente, para eleger o presidente petista.

 

Ontem, durante a acareação dos principais envolvidos na distribuição do mensalão, o deputado federal Moroni Torgan (PFL-CE) levantou uma questão que apontava diretamente para o Planalto. Ao ser certificado de que a campanha de Lula também foi feito através do Caixa Dois, Torloni atacou: “se um deputado faz uso do caixa dois é cassado e com o presidente da República acontece o quê?” Sugeria um trabalho que se chegasse ao processo de impeachment. Aliás, é isso que PFL e PSDB querem hoje em Brasília e em boa parte do país, porque estão arrependidos de não terem feito isso antes, quando a crise sufocava o presidente Lula.

 

O PSDB em Sergipe está se equilibrando neste momento político, porque além de ser cedo para uma definição, as regras eleitorais são claras em relação a uma coligação ampla em se tratando do lançamento da chapa majoritária para presidente da República.

 

É verdade que uma ala tucana defende uma composição com o Partido dos Trabalhadores, independente da manutenção ou queda da verticalização. Seria utilizado artifícios para que o ex-governador Albano Franco fosse o candidato a senador pelo PSDB, sem encontrar obstáculo na chapa provavelmente liderada pelo prefeito de Aracaju, Marcelo Déda. Outro segmento do PSDB deseja um acordo com o PFL, dentro de uma coligação aberta e declarada, com Albano Franco compondo a chapa majoritária como candidato ao Senado. Um grupo, que tem à frente o deputado federal Bosco Costa, acha que o partido deve entrar na disputa com candidatura própria. Albano seria o candidato a governador, dividindo os demais cargos na chapa com partidos que se aliassem a esse projeto.

 

Há conversas com os dois lados. Entretanto, no PT há o obstáculo da candidatura presidencial. PT e PSDB vão polarizar a disputa. Esse problema não existe no PFL, que acompanha os tucanos contra Lula, mas há uma barreira na convivência e na formação da chapa, embora haja sinalização de que o entendimento está próximo. Pelo programa que será exibido segunda-feira poderá se fazer uma avaliação de como está o nível de aproximação do PSDB e qual o destino político que deverá traçar em Sergipe.

 

 

VALÉRIO

Na acareação de ontem, na CPI do Mensalão, respondendo a uma pergunta da deputada Zulaé Cobra (PPS), o publicitário Marcos Valério voltou a negar que tenha enviado dinheiro para Sergipe.

Valério já havia negado isso durante entrevistas exaustivas concedidas a rádios, jornais e emissoras de TV de Aracaju.

 

DELÚBIO

Já o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, excluiu apenas quatro diretórios estaduais de ter recebido dinheiro autorizado por ele no Diretório Nacional.

Sergipe não está entre os quatro excluídos, o que deixa claro que houve ajuda de campanha através de Delúbio Soares, para o candidato do partido em 2002.

 

APÓIA

O presidente regional do PMN, Edvan Amorim, confirmou ontem que o partido apoiará Antony Garotinho (PMDB) caso ele seja candidato a presidente da República.

Antecipou, entretanto, que para governador do estado o PMN vai apoiar a candidatura do governador João Alves Filho (PFL) à reeleição.

 

POSIÇÃO

Edvan Amorim disse, ainda, que o PMN vai trabalhar para participar da chapa majoritária, que terá como titular o governador João Alves Filho.

O presidente do PMN admite que o partido hoje está bem estruturado, tem uma boa representatividade política e quer integrar a chapa majoritária.

 

ENTREVISTA

O senador José Almeida Lima (PMDB) dará longa entrevista hoje ao programa do radialista Fábio Henrique.

Almeida se colocou à disposição para o tempo que for necessário e já avisou que falará sobre tudo, principalmente da sua candidatura ao governo do estado.

 

OPOSIÇÃO

Almeida Lima, em sua entrevista, vai reafirmar sua candidatura ao governo do estado pelo PMDB e fixar posições políticas.

Voltará a criticar o governador João Alves Filho (PFL), sem esquecer o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT). Quer mostrar que á uma nova via para as próximas eleições.

 

BISPO

Dom Luiz Cappio, que fez 11 dias de greve de fome em protesto contra o projeto de transposição das águas do rio São Francisco fez duras críticas ao presidente Lula.

Ele afirmou que o presidente Lula virou refém do capital internacional e que precisa voltar às suas origens.

PETISTA
”O meu gesto não foi um ato partidário, um protesto contra o Lula. Aliás, sempre fui aliado do PT e sempre vesti a camisa do partido, mas Lula precisa voltar a suas premissas”, pediu o bispo Cappio.

Acusou Lula de ter virado refém do capital estrangeiro: “foi seqüestrado e virou instrumento desse capital. Precisamos dar as mãos a ele para que volte ao povo do qual faz parte”.

GREVE
 Dom Luiz Cappio admitiu que pode voltar a fazer greve de fome se o governo insistir com a obra. Disse não temer punição da Igreja Católica no Brasil ou mesmo da Santa Sé.
”Quem está disposto a morrer não tem medo de sanções”, disse o bispo.
O bispo não aceita se encontrar com Ciro Gomes nem com Jaques Wagner, que foi enviado por Lula para negociar o fim da greve de fome com de dom Cappio.

 

SUKITA

O agravo impetrado pelo advogado Jorge Rabelo no TSE, para sustar a cassação do prefeito de Capela, Sukita, deve ocorrer entre os dias 8 e 10 de novembro.

Jorge Rabelo acha que tem chances do agravo ser favorável ao prefeito Sukita: “vai depender do entendimento do ministro”, disse.

 

CONVENÇÕES

Enquanto não se decide a situação do prefeito Sukita, os partidos políticos estão se movimentando em Capela para a escolha de candidatos.

Sábado será dia de convenção para que as legendas escolham possíveis nomes para a disputa. Se for cassado, Sukita também pode disputar as novas eleições.

MOTINHA

Promotores e policiais que trabalharam no caso Motinha, nos últimos três meses, tiveram muita dificuldade em cumprir suas tarefas e procurar fazer justiça.

Não havia interesse na apuração do assassinato e, com certeza, os envolvidos no crimes estão correndo risco de vida. A pressão é muito grande.

 

IMPRENSA

A censura e o arbítrio, resquícios da ditadura, ainda atinge a imprensa do Piauí, com a prisão do colunista político Arimathéa Azevedo, do Portal AZ.

O juiz da 6ª Vara Criminal de Teresina, José Bonifácio Júnior, determinou a prisão preventiva do jornalista, por publicar matéria sobre a atuação da advogada Audrey Magalhães.

 

 

Notas

 

REFORMA-1

O deputado Marcelo Barbieri (PMDB-SP), relator da PEC de autoria do deputado Ney Lopes (PFL-RN), que prorroga para 31 de dezembro deste ano o prazo para alteração na Lei Eleitoral, declarou que será favorável à prorrogação. O parecer será apresentado na reunião da comissão, terça-feira.
Apesar do anúncio da posição favorável do relator à proposta, os integrantes da comissão especial que analisam a PEC se mostraram divididos durante o debate na audiência pública, realizado ontem pela manhã.

 

REFORMA-2

O deputado Cezar Shirmer (PMDB-RS) diz que qualquer reforma eleitoral para 2006 estará inevitavelmente viciada. “Ninguém votará contra seu próprio interesse”. O deputado João Campos (PSDB-GO) também se manifestou contra. Acredita que não há condições de votação até 31 de dezembro.
Já o deputado federal Jorge Alberto (PMDB) se manifestou indignado com a possibilidade de concorrer nas eleições de 2006 sob as mesmas regras vigentes hoje. “É preciso discutir uma reforma já”, sugeriu ele.

 

DIVIDA

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) chamou atenção, ontem, em discurso, para o projeto de lei que dispõe sobre a repactuação de dívidas oriundas de crédito rural na área de atuação da Agencia de Desenvolvimento do Nordeste (Adene), cujo substitutivo ao projeto já foi aprovado pela CCJ.

Bosco Costa apela para que o envio à Câmara e Senado seja feito com a máxima brevidade possível, pois o impacto da votação e sansão presidencial será enorme para as próximas safras da região Nordeste.

 

É fogo

 

Membros do PSDB estão gravando para o programa que o partido leva ao ar, na televisão, na próxima segunda-feira.

 

O deputado estadual Fabiano Oliveira aparecerá no programa e falara sobre a decisão de ingressar no PSDB.

 

Ainda não está definida a candidatura de Eduardo Amorim (PSC) como candidato a deputado federal. A decisão acontecerá mais à frente.

 

O governador João Alves Filho (PFL) está conversando com lideranças políticas, preparando sua candidatura à reeleição.

 

Da mesma forma o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), deixa claro que será candidato a governador do estado.

 

O vereador Elber Batalha Filho (PDT) abre uma nova luta para acabar com o nepotismo na Câmara Municipal.

 

O deputado estadual José Milton (PSL) protesta contra a falta de investimento na educação em Itabaiana.

 

A expectativa é de que o presidente da Câmara Municipal de Aracaju, Zeca Bomfim (PSC) confirme sua candidatura a deputado estadual.

 

A prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSDB) está preocupada com o crescimento da violência em Itabaiana e espera que o governo aumente o efetivo policial.

 

Termina domingo, às 23h59m, o prazo para as inscrições ao processo seletivo de universitários interessados em ingressa no Programa de Financiamento Estudantil (Fies).

 

Os supermercados estão animados e apostam que 2005 terão o melhor Natal dos últimos quatro anos.

 

A operadora brasileira de Telefonia Embratel informou que no terceiro trimestre do ano teve um lucro líquido de R$ 54,3 milhões.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários