PSB encolhe

0

Desde as últimas eleições, o PSB tem encolhido em Sergipe. O último a deixar o partido foi o líder político de São Cristóvão, Armando Batalha. Ele agora preside no estado o Partido Republicano Progressista (PRP). Antes, o PSB já havia perdido Adelson Barreto, deputado estadual mais votado em 2010. A também deputada Maria Mendonça deve deixar a sigla em breve, levando consigo vereadores e lideranças de Itabaiana e deixando o PSB sem representação na Assembléia. Todos os ex-neosocialistas não escondem que abandonaram o barco por discordar da forma ditatorial como o senador Antônio Carlos Valadares preside o partido em Sergipe. Será?

Metástase

Exames realizados no governador Marcelo Déda (PT) revelaram que, além do estômago, o câncer também atingiu o pâncreas. Ontem o petista se submeteu a mais uma sessão de quimioterapia no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Na última segunda-feira, Déda se licenciou por 15 dias, sendo substituído interinamente pelo vice-governador Jackson Barreto (PMDB).

Briga boa

A Assembléia anulou ontem a eleição da deputada estadual Susana Azevedo (PSC) como conselheira do Tribunal de Contas do Estado. O novo pleito deverá acontecer na semana que vem, mas o também candidato Belivaldo Chagas adverte que, se as regras do jogo não forem respeitadas, recorrerá novamente à Justiça para garantir seus direitos. Pelo visto esse imbróglio está longe do fim.

Dois pesos

O vereador José Evaldo Santos (PSB) foi afastado por 30 dias da presidência da Câmara de São Cristóvão. A decisão do juiz de Direito Manoel Costa Neto se fundamentou em denúncia de que Evaldo está perseguindo a bancada da oposição. Enquanto os vereadores da situação possuem gabinetes e regalias, os quatro oposicionistas são tratados a pão e água. Que horror!

Meia verdade

A Adema reagiu com nota pública contra a placa instalada pela Prefeitura de Aracaju na avenida Beira Mar informando que as obras naquele local aguardam apenas licença ambiental. Segundo a Administração Estadual do Meio Ambiente, a licença não saiu ainda porque a Prefeitura não apresentou os estudos de impacto ambiental sobre o aterro que pretende fazer no leito do rio Sergipe.

Sem recados

A colega Rita Oliveira publica hoje no Jornal do Dia a seguinte nota: Do vice-governador Jackson Barreto, ao ser questionado se procurou os vereadores Robson Viana e Vinícius Porto para intermediarem uma conversa política com o prefeito de Aracaju, João Alves Filho: “Não vou mandar ninguém marcar encontro. Na hora que quiser conversar, vou e converso”.

Passa bem

O secretário da Fazenda, João Andrade, recupera-se bem da cirurgia de diverticulite que se submeteu no último dia 15 em Aracaju. Ele está no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, sendo acompanhado pelo irmão Edézio, que é médico daquela unidade de saúde. Enquanto ele se recupera, a Secretaria da Fazenda está sendo dirigida pelo subsecretário de Desenvolvimento Energético, José de Oliveira Júnior.

Sem previsão

Anunciada desde o final do ano passado, a reforma do secretariado estadual não tem prazo para acontecer. Pelo menos foi o que disse ontem o governador interino Jackson Barreto (PMDB). Segundo ele, as mudanças no quadro de auxiliares do governo só deverão ser feitas quando Marcelo Déda (PT) reassumir o governo. Enquanto isso, o estado vai sendo tocado por um batalhão de “interinos”.

Sem tabaco

Um em cada três brasileiros deixou de fumar depois que medidas que restringiram a propaganda de cigarros  na TV e em veículos de comunicação de massa entraram em vigor. Segundo pesquisa da Organização Pan-Americana da Saúde, a maioria da população é a favor de medidas ainda mais rigorosas contra o fumo. E você, quando vai largar esse troço?

Do baú político

Em 2008, o poeta Araripe Coutinho candidatou-se pelo PSDB a vereador por Aracaju. Seu slogan de campanha era “vota,vota,vota toda”. Ao insinuar ser o candidato dos homossexuais, foi duramente criticado por Wellington Andrade, fundador do Dialogay: “Quem já viu esta pessoa nas ruas levantando ao menos uma das mãos, braços, voz ou mesmo a bandeira do arco-íris?”, reagiu Wellington. Em resposta, o poeta disse que seria vereador de todos: “Não preciso ter segurado bandeira em passeata para defender os gays. Já levanto bandeira sendo quem sou diariamente”. Porém, o que mais surpreendeu o eleitorado foi a aparição de Araripe no horário político prometendo que se fosse eleito iria defender que o prédio da Câmara de Vereadores fosse totalmente pintado de rosa choque. A proposta não encontrou simpatia dos eleitores e o candidato perdeu a eleição, para “azar” da sede do Legislativo, que permanece com aquela insossa cor bege.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais