PT MUDA DE TOM

0

“Não somos os donos da verdade. Mas não abrimos mão dela”. A frase está bem exposta acima do site do Partido dos Trabalhadores, numa demonstração de que a legenda já tem consciência de que seus membros, inclusive a “santa cúpula”, são capazes de cometer pecados mortais para a honra e dignidade da legenda. O novo presidente da sigla, Tarso Genro, que nunca levantou com euforia a bandeira do lulismo, foi objetivo: “recebemos um recado da sociedade de que algo não vai muito bem no PT. Temos um trabalho muito árduo, muito difícil. Mas o partido está preparado para essa grande virada”. E é verdade, tanto que vai apresentar um plano de trabalho, no próximo encontro da Executiva, no sentido de consolidar esse objetivo. Genro não tem uma noção de quanto tempo necessitará para dedetizar a direção petista, mas tem consciência da necessidade de refazer a imagem que o povo hoje faz de um partido que tinha regras de relacionamentos com outros partidos, mas que hoje começa a dificultar os entendimentos políticos.

 

Tarso Genro alfinetou o bloco majoritário que dominava o partido e o levou a essa situação desastrosa, quando lembrou que a nova composição da direção partidária teria se tornado “menos paulista”. Para ele, embora São Paulo deva ter um lugar importante no comando do PT, é preciso “federalizar” as decisões. “A socialização da hegemonia política do partido o torna mais democrático”, ponderou. Tarso fará uma coisa que os ex-membros da direção nacional excluíram: as tendências minoritárias do Partido dos Trabalhadores. Ele deseja mais diálogo e maior participação desse pessoal que integra o PT e pensa diferente da cúpula. Tarso ensinou que as divergências internas são naturais e saudáveis. “Um partido unânime é partido morto: ou ele é dominado pela burocracia, ou é stalinista e fascista”. Analisando friamente, foi um chute nos pulmões da elite petista, que abandonou a militância, encastelou-se no Planalto e apagou toda a sua história de luta, principalmente em relação à “ética e aos bons costumes”. A cúpula demitida vulgarizou o partido e o levou a todos esses escândalos que envergonham alguns petistas que sempre estiveram na luta em favor de um Brasil melhor para todos.

 

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao discursar ontem para sindicalistas, deu um tom diferente ao que pensa sobre apuração das denuncias contra os membros do seu partido. Agora ele é absolutamente favorável a que faça uma investigação rigorosa em todos os fatos que envolvem membros do governo, inclusive através de Comissões Parlamentares de Inquérito. É possível que a partir de agora a bancada de apoio ao governo na Câmara e Senado passe a atuar diferente quando houver necessidade da formação de uma CPI para chegar a culpados por crimes praticados. Seja por membros do governo, por parlamentares do bloco ou, principalmente, por adversários. Não era assim. O ex-chefe da Casa Civil, José Dirceu, foi blindado pelo próprio Lula no caso Waldomiro Diniz, mesmo com todas as evidências de cumplicidade. Por bem menos, o presidente mostrou que ampara aliados na alegria ou na tristeza, ao punir o delegado federal que prendeu o marqueteiro Duda Mendonça, em uma rinha de galo, com a transferência para outra superintendência. E foi essa invulnerabilidade decantada pelo PT, através de uma gente que falava muito em ética e que até editou uma cartilha determinando o que seria politicamente correto, que os escândalos do PT tiveram uma dimensão muito maior, em comparação às outras siglas que não se arrogam tanto como detentoras da exclusividade da ética, da moral e da honestidade.

 

Evidente que não se chegou na metade do fosso e muita coisa vai rolar, mas já se viu o estrago que as denuncias que Roberto Jefferson promoveu no PT e no governo. Se analisar bem foi bom porque promoveu a limpeza que o presidente Lula não via ou fingia não ver e provocou uma mudança na oligarquia petista, que ditava as normas político-administrativas, embora não tivesse aprendido a lição de casa, que estava contida na pretensiosa cartilha que ditava o que era politicamente correto.

 

O PT ainda tem muito que se explicar, mas já tomou posições que tornou o vilão Jefferson em mocinho…

 

 

CORRETA

O prefeito Marcelo Déda (PT) reconheceu, ontem, que o seu partido tomou uma posição correta em fazer uma renovação na Direção Nacional. Déda defende que se faça um levantamento amplo em todas as áreas do partido, com o objetivo de prepara-lo para o Processo de Eleição Direta (PED).

 

CONVERSA

Quando esteve em Brasília, o prefeito Marcelo Déda teve uma conversa reservada com o senador Valadares (PSB) e tratou de assuntos gerais, inclusive da crise política. Déda reconhece que Valadares é solidário e correto com ele e os dois concluíram que “graças a Deus todo esse problema não abalou Sergipe”.

 

DESCONFIANÇA

Déda dá um toque de desconfiança com a prisão de um membro do PT ser preso com mais de R$ 200 mil e U$ 100 mil, no aeroporto em São Paulo. “Aconteceu na hora que o Delúbio estava depondo na Polícia Federal e o Genoino estava deixando a presidente nacional do PT”. Vê coincidências…

 

INUSITADO

“Ninguém consegue compreender uma coisa dessas. É o inusitado. Nenhuma pessoa que quisesse burlar a Polícia se exporia tanto”, avaliou. Marcelo Déda disse que está muito angustiado e, “como petista, sofremos muito com tudo isso”. Tem certeza que o PT sairá dessa.

 

FONTES

Já o deputado federal João Fontes (PDT) disse que nada melhorou dentro do PT, principalmente depois da prisão do assessor petista no aeroporto. João disse que antes o PT faturava com a venda de estrelinhas e camisas, “agora é com o cuecão de dólares”.

 

ABRAÇO

O prefeito Marcelo Déda (PT), que até domingo se encontrava em São Paulo, foi o primeiro a abraçar o ex-presidente do partido, José Genoino. Déda considerou a renúncia de Genoino uma coisa terrível. Acredita que Genoino “é uma pessoa séria e deixou os históricos do partido comovidos”.

 

DEMORA

Frederico Romão (Fredão), do PT, acha que o pessoal que integrava a direção nacional do partido demorou muito a tomar a decisão de se afastar dos cargos. Admite que se tivessem tomado essa providência na primeira semana das acusações, a situação teria sido revista com maior antecedência e não se aprofundaria tanto.

 

CONCENTRAÇÃO

Fredão também reconhece que a nova Direção da Executiva Nacional do PT têm maior representatividade, além de tirar a concentração do comando do partido de São Paulo. Hoje a Executiva é formada por integrantes de vários estados, o que naturalmente é muito melhor para o partido.

 

AMPLIAÇÃO

O deputado José Carlos Machado (PFL) explica que o núcleo da UFS saiu para Itabaiana porque ele, quando tomou conhecimento de que ainda não havia aprovado nada para Sergipe, ameaçou retirar o PFL da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Através disso foi que se providenciou a expansão.

 

PARTICIPAÇÃO

José Carlos Machado confirma que o prefeito Marcelo Déda (PT) teve participação na ampliação da Universidade em Sergipe.

Déda chegou no Ministério da Educação quando a reunião com a bancada já havia começado e lembrou ao ministro Tarso Genro que havia conversado com o presidente Lula sobre o assunto.

 

PETROBRAS

O presidente da Petrobras José Eduardo Dutra (PT) disse ao presidente Lula que pretende disputar um mandato no próximo ano. Caso seja mantida a posição do Planalto de afastar que vai concorrer às eleições, José Eduardo Dutra deve deixar a presidência da estatal ainda esta semana.

 

GASODUTO

Luiz Roberto, assessor de comunicação da Petrobrás em Sergipe explica que a obra do gasoduto da área sergipana está mantida e atenderá a necessidade do estado. Acrescenta que somente a interligação do Espírito Santo a Bahia é que a obra está suspensa temporariamente.

DUTRA

Está na Veja: “Além do presidente José Eduardo Dutra, o plano de Lula é trocar três diretores da Petrobras”. “Um dos que devem sair é Renato Duque, diretor de serviços, bastante ligado a Silvinho Pereira, ex-secretário-geral do PT”.

 

Notas

 

ACUSAÇÕES

Desde o deputado federal Roberto Jefferson (PTB) abriu o jogo em relação ao mensalão, que o deputado João Fontes (PDT) diz que o deputado Heleno Silva (PL) deveria dar uma grande contribuição ao país e dizer tudo que sabe sobre a cooptação de deputados e pagamento de mensalão. João Fontes insistiu neste proposta, ontem, durante entrevista a Fabio Henrique, na Atalaia AM e FM  o que provocou uma reação de Heleno: “não aceito isso e nem vou mais aceitar as insinuações de João Fontes”, disse.

 

MUITO DURO

O deputado federal Heleno Silva classificou o seu colega João Fontes de “mentiroso e maldoso”, além de pedir que ele contenha as palavras: “você quer aparecer nas costas dos colegas, não vou aceitar que você fique de rádio em rádio falando em meu nome”. Disse Heleno com visível irritação. Heleno disse que sabia sobre o mensalão, até aonde o seu colega João Fontes também tinha conhecimento: “havia deputados recebendo propostas para mudar de partido em troca de dinheiro. Foi o que disse a ele”.

 

CONFISSÃO

De qualquer forma, a entrevista concedida a Fábio Henrique deixou claro que os dois sabiam daquilo que Roberto Jefferson denunciou no Conselho de Ética da Câmara Federal, em que relatou a existência de um esquema de mensalões a deputados que passassem a integrar o bloco de apoio ao Governo. Apesar disso, João Fontes insistiu que Heleno Silva sabe muito e fez um desafio ao deputado, solicitou que Heleno o convocasse para falar no Comissão de Ética: “aí eu vou falar tudo”, finalizou João Fontes.

 

É fogo

 

A Petrobras poderá alcançar a auto-suficiência a partir de setembro deste ano, antecipando o prazo previsto para dezembro ou janeiro próximos.

De acordo com o presidente José Eduardo Dutra, a estatal poderá falar em auto-suficiência de forma sustentável com a entrada em operação da P-50, esperada para setembro.

O governador João Alves Filho (PFL) já está em Sergipe e hoje dará posse ao ex-prefeito de Pirambu, André Moura, na Secretaria Metropolitana.

 

João Alves Filho retornou ontem à noite de Buenos Ayres, onde passou uma semana de férias. Vai retomar as inaugurações no interior.

 

O ex-prefeito André Moura disse que sua secretaria tem um trabalho muito grande de interação com várias outras pastas.

 

Os Correios, INSS, Dataprev e o Serpro estão entre as primeiras instituições públicas em Sergipe a utilizar Softwares Livres.

 

O deputado João Fontes diz que tem muito receio do corporativismo na CPMI, porque alguns deputados são do mesmo partido que os acusados.

 

Vários prefeitos enviaram assinaturas de lideranças regionais ao Ministério da Educação, para ganhar núcleos da Universidade Federal.

 

Qualquer consumidor residente no estado que comprovar que ganha até três salários mínimos, pagará apenas 40% da taxa de esgoto cobrada pelo Deso.

 

A economia como um todo ainda não reflete a crise que o país tem vivido, embora os principais mercados domésticos apresentem volatilidade a cada novo fato.

 

Depois de um período de turbulência, o Grupo Schincariol normalizou a sua produção e manteve o seu patamar de vendas, segundo avaliação dos concorrentes.

 

As notificações de golpes online promovidos no Brasil cresceram mais de 1.300 por cento no segundo trimestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2004.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários