Publicidade, como ficará?

0

    Em breve o novo governador estadual terá que enfrentar com determinação a situação da publicidade governamental. Quem acompanha a coluna sabe que este espaço sempre criticou a forma como foi realizada uma licitação no final de 2005, onde venceram cinco agências para atuarem com a publicidade oficial. O contrato inicial foi de R$ 30 milhões e no final de setembro do ano passado, o governador João Alves resolveu renovar por mais um ano, aumentando para R$ 37 milhões.

  Neste primeiro momento o governador Marcelo Deda (PT) determinou que a publicidade governamental seja apenas o necessário como na área da educação, por conta das matriculas dos novos estudantes e no Detran, por conta do calendário de licenciamento dos veículos. O resto está tudo suspenso até segunda ordem.

  Desde a transição que o novo governador montou uma comissão especial para estudar diversos contratos. Entre eles encontra-se o contrato da publicidade que merece um estudo minucioso. Das cinco empresas, duas delas são “sergipanas”. Um detalhe que ainda não foi divulgado pela imprensa: no final do ano a Markplan, empresa de Pernambuco, que detinha as maiores verbas, enviou ofício a Secom informando que não tinha mais interesse em participar do contrato.

  O novo governo tem que analisar com cuidado este contrato. A Secom ficou muito dependente destas empresas, onde os funcionários delas trabalhavam dentro da própria secretaria através do Núcleo de Mídia. Ou seja, a principal atividade da Secom era “acompanhar” este contrato esquecendo-se das demais funções.

  Esse modelo de gestão dá mesmo resultado? Será que não é melhor um modelo que possa valorizar as agências de publicidade local, dentro da tão propalada mudança? O que se viu no ano passado foram agências que não têm o menor compromisso com Sergipe. Isto é, não pagam impostos aqui nem empregam pessoas daqui nem investem no estado, apenas contratam laranjas daqui (quando contratam), montam uma salinha para despistar, arrecadam e retornam para seus estados de origem com os bolsos cheios. Sem falar naquela que tem um processo judicial onde dois “laranjas” brigam para ver quem é o proprietário. Este jornalista não está fazendo nenhum levante a favor de “bairrismo” ou apologia à xenofobia, longe disso, não tem nada a ver com a famigerada expressão “forasteiro”. Quer apenas salientar que as agências publicitárias que vieram de fora do estado, servir ao governo “passado”, não acrescentaram em nada e praticaram o mesmo formato de criação e desenvolvimento de campanha das agências locais.

   Quer deixar claro que se for para fazer a mesma coisa, por que contratar agências que não contribuem para o crescimento de Sergipe? E quando escreve “a mesma” coisa, não quer dizer que isso seja bom nem ruim, apenas o que já é praticado. O mercado publicitário de Sergipe tem se aprimorado muito e em muitos casos não fica devendo nada às agências de outros estados. E mais, as agências locais ainda têm vantagens que as de fora não têm como competir, isto é, conhecem bem o mercado, a cultura local, os hábitos e costumes, a linguagem, o jeito sergipano de ser, e com certeza, sabe como ninguém respeitar a realidade de Sergipe.

    A proposta levantada neste momento é que o novo governador mude também as concepções contra as empresas de comunicação sergipanas perante a sociedade, isto é, valorizar e acreditar, assim como muitos publicitários que acreditam na mudança e mudaram em função do novo governo. Este espaço não deseja incitar o governador ou colocá-lo a prova. Todos sabem que a campanha eleitoral dele foi feita com a prata da casa. O desejo é despertar  todos sobre a miopia ultrapassada que o estado sofreu até 2006 e que agora, aqueles que jamais puderam se manifestar, se sentem à vontade para tal, e isso, agradecem ao novo governador.

   Sem hipocrisia, este é um manifesto pela classe publicitária local sim, que deveria ser seguido por todas as outras classes que acreditam numa mudança de relacionamento não apenas com a imprensa, com as agências, mas com todos os segmentos representativos da sociedade. Com isso a coluna lembra também que os “Q.I.s” (quem indica), também devem ser banidos, priorizando assim o profissionalismo, a seriedade, a responsabilidade e o melhor para Sergipe.   

 

Escrivães de polícia não receberam bolsa do curso

Os concursados que fizeram o curso de escrivães de polícia estão reclamando que já se passou um mês do termino do referido curso e até o momento eles não receberam a bolsa. Essa bolsa tem previsão legal, na lei 4133 e também veio prevista no edital do certame. Outro detalhe: os delegados já receberam as duas parcelas da bolsa, no valor de R$ 1400 cada e os escrivães estão a ver navios. Os escrivães lembram que não no governo passado existia uma proteção para os chamados “elitizados”, mas no novo governo espera que a mudança realmente ocorra e eles também sejam respeitados.

 

 

Nova logomarca da PMA será lançada

Durante o Pré-Caju será lançada à nova logomarca da Prefeitura de Aracaju. É uma evolução da marca anterior, com um novo contexto estético e visual. Dá prosseguimento à mudança que ocorreu no slogan que era “Uma cidade para todos”  para  “Cidade de Todos”. Deixa claro o sentido de continuidade administrativa como o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) fez questão de dizer que não existirá uma nova “cara” na PMA, já que ele fez parte diretamente dos cinco anos de trabalho administrativo do então prefeito Déda.

 

Sobre a empresa GDN e o Banese

O ex-vereador Goisinho que tem alguns processos judiciais com o Banese registrou ontem que em um deles, o seu advogado, Clóvis Barbosa, perguntou ao presidente da instituição se conhecia a empresa GDN Consultores Associados e o mesmo informou que não. Agora a empresa aparece envolvida no caso com o ministro do STF. Goisinho promete revelar nos próximos dias alguns novos lances sobre o assunto.

 

Servidor pede estudo para reativar Emdagro

Lembrando que o secretário do turismo, João Gama, formou uma comissão de estudos para reativar a Emsetur, um servidor da Deagro (antiga Emdagro) enviou e-mail lembrando da necessidade de também retornar a Emdagro e a Cohidro. Segundo ele, os sindicalistas e o atual presidente da Deagro, foram os que mais lutaram para que não ocorresse a transformação para autarquias que burocratizou e emperrou a administração das duas instituições.  “Este é o sonho de todos servidores do DEAGRO e todos esperam que o Dr Jéferson coloque sua assessoria para reativar o mais breve possível a Emdagro, pois ele terá muita flexibilidade para administrar a instituição como empresa do que como autarquia.  Nós do Deagro estamos muitos ansiosos para ver quando teremos a nossa empresa de volta. Promessa é dívida e acreditamos que a mesma será quitada com o nosso presidente”.

 

 

Quem tem medo de revelar os contratos?

Este jornalista volta a repetir que não é o  senhor da verdade, pelo contrário, é pecador, mas não aceita que alguns “bons moços” neste momento tentem passar uma imagem de baluartes da liberdade de imprensa, esquecendo o passado recente, onde os mesmos foram (usando uma palavra amena) “omissos”, durante o período eleitoral. Os contratos serão divulgados, não apenas os dos meios de comunicação, que são normais, mas os de empresas ligadas a radialistas e jornalistas, para que a sociedade sergipana tenha o seu juízo de valor. E quanto mais recados enviarem, mais a certeza que a divulgação será necessária.

 

 

Laércio Passos vai apoiar Marcos Franco em Laranjeiras

Informações do município de Rosário do Catete dão conta que o prefeito, Laércio Passos, que poderia ser candidato em Laranjeiras resolveu ficar no cargo até o final do mandato. Ele vai reunir seu grupo político amanhã numa confraternização em Pirambu para anunciar a decisão. Laércio vai anunciar que apoiará a candidatura de Marcos Franco a prefeito de Laranjeiras.

 

Alerta para estrutura do Samu de Aracaju

Este  jornalista vem recebendo e-mails de profissionais abnegados do Samu de Aracaju que estão preocupados com a estrutura do serviço. Vários dos veículos estão numa situação limite por conta da depreciação normal da frota pelo serviço que é realizado sem descanso. As informações são que a estrutura física do  chamado expurgo já foi por várias vezes denunciada à vigilância sanitária do município, que vem se omitindo.Outro ponto é a farmácia do serviço que está totalmente inadequada. Faltam também alguns equipamentos e materiais que comprometem a higiene do serviço. Como é normal alguns equipamentos e veículos precisam de urgente mudança. É um alerta feito por alguns profissionais que amam o serviço que realizam no Samu. A Prefeitura deve se antecipar para que o problema não chegue ao Ministério Público.

 

Empenho de Benedito Figueiredo é destacado por Déda

Ao anunciar ontem que até o final de fevereiro desativa a Casa de Detenção do bairro América, o governador Marcelo Déda, por várias vezes, destacou o empenho do secretário da Justiça e da Cidadania, Benedito Figueiredo para resolver de imediato o problema, através da agilização dos procedimentos. Déda entende que é necessário além da construção da penitenciária do bairro Santa Maria a construção de mais uma para desafogar o sistema em Sergipe. Os detentos do bairro A       mérica irão para dois pavilhões novos que estão em fase de conclusão no presídio de São Cristóvão.

 

Adjunto da Justiça é referencial em direitos humanos

Ontem, o governador Marcelo Déda (PT) anunciou o Tenente Coronel da Polícia Militar, Henrique Rocha como secretário-adjunto da Justiça. O leitor sabe que esta coluna não gosta de elogiar, mas tira o chapéu para a indicação. Rocha, como é conhecido o militar, está concluindo o mestrado em Direitos Humanos pela Universidad Nacional de La Plata em Buenos Aires (Argentina). Já acabou a etapa das aulas e agora só prepara a tese que será defendida. É formado pela Academia de Policia Militar do Paudalho (PE), no curso reconhecido na graduação do sistema civil. Tem curso de aperfeiçoamento na PM do Pará; de gestor em Direitos Humanos; pelo Instituto Interamericano de Direitos Humanos em San José (Costa Rica) e diversos outros ligados a área.  Sem dúvida foi uma aquisição valiosa que contribuirá muito na administração de Benedito à frente da Secretaria de Justiça e da Cidadania, além de servir como elo com a Polícia Militar.

 

Déda se irrita com o que chamou de “excesso de informalidade”

Antes de iniciar a coletiva ontem, exatamente às 10h35, o governador chegou ao auditório do Palácio dos Despachos onde encontrou somente a imprensa, o mestre de cerimônia e nenhum auxiliar. Demonstrou irritação dizendo que “estavam confundido excesso de informalidade com liberalismo”. Voltou minutos depois e iniciou a coletiva acompanhado de vários auxiliares.  O episódio só ocorreu porque quando o governador desceu da sala dele para o auditório os auxiliares não perceberam. Déda viajou ontem para Brasília onde mantém contatos na Casa Civil, na CEF e no Ministério do Planejamento. Retorna amanhã.

 

 

Mototaxistas: Pais de família não provocam baderna

Quem viu as imagens exibidas ontem nos telejornais locais das agressões recebidas por uma policial militar e um agente de trânsito por parte dos chamados “mototaxistas”  teve a certeza que o tom deles é um som: baderna. Essa história de que são pais de família trabalhando não pode ser usada. Até porque eles podem trabalhar como motoboy, serviço que é regulamentado. Já o serviço de moto táxi precisa de uma regulamentação federal. Aliás, quem dirige nas ruas de Aracaju sabe os problemas que causam estes motoqueiros (existem os motociclistas que transitam corretamente), desrespeitando o trânsito de todas as formas. A SMTT está correta em cumprir com a decisão judicial. Detalhe: o sargento da PM, de nome Rodrigues, mostrou muita maturidade porque foi agredido e em nenhum momento ameaçou revidar as agressões ou sacar a arma para fazer sua defesa.

 

Criticas as pesquisas foram em todo país

O caso de institutos de pesquisas enganarem eleitores não ocorre só em Sergipe. É em todo o Brasil e já vem de muito tempo tanto que existe a luta para que as pesquisas tenham prazo de divulgação afastado da eleição. Na Bahia, o novo governador, Jacques Wagner (PT) diz que lá o Ibope cometeu crime e não foi por causa da metodologia usada. “Foi de uma formal venal”, disse. O interessante que o Ibope não processou o então candidato Jacques Wagner e outros jornalistas em todo o Brasil. Só em Sergipe, um informativo mostra todo seu ódio contra um profissional de imprensa. Ainda bem que existe a exceção da verdade…

 

2ª Semana Jurídica Solidária no Praetorium

Na próxima segunda-feira, 22 de janeiro, tem início no Praetorium, curso preparatório para concursos, a 2ª Semana Jurídica Solidária, nos turnos da manhã e da noite. Basta aos interessados levarem 1 kg de alimento não perecível e assistir a uma aula, com renomados professores brasileiros, aproveitando assim para conhecer melhor o alto nível do curso que se instalou em Aracaju no mês de dezembro passado. Maiores informações pelo telefone 3211-5700. 

 

Curiosidade de um leitor

De um leitor: “Numa matéria veiculada esta semana por um informativo está claro que a matéria que compara o governador Déda a Collor é paga e confeccionada pelo próprio jornal. Na página inteira, com texto sobre o assunto, traz uma indicação em cima “informe publicitário”. Mas a foto e a chamada na primeira página não diz que é matéria paga. Adivinhe quem pagou?”

 

Ainda sobre o Hospital João Alves Filho

De um leitor: “Quero parabenizar este jornalista pelo artigo sobre HGJAF, é muito importante que alguém da imprensa tenha a coragem de expor para a sociedade problemas como este.No ultimo dia 30/11/2006, minha esposa deu entrada na urgência do HGJAF, onde passou por um processo cirúrgico, sendo operada por Dr. João Saturnino, médico esse que merece muitos elogios pelo excelente atendimento prestado, tanto na cirurgia quanto no retorno para revisão. Os dias que passei acompanhando minha esposa presencie cenas muito tristes e “feias”, de pessoas amontoadas nos corredores entregues ao descaso, não por culpa de funcionários tipo o citado acima, mais devido ao sistema administrativo implantado no local. Assim como todos sergipanos que utilizam os serviços prestados naquele local aguardo ansioso o anuncio de melhorias no mesmo”.

 

Net volta a desrespeitar clientes

Dois clientes da empresa Net (tv a cabo), foram desrespeitados no final da tarde de ontem. O expediente para atendimento ao público na sede da empresa (Avenida Mário Jorge, na Coroa do Meio) é até às 17hs. Os dois clientes chegaram ao local faltando cinco minutos, mais o guarda não deixou eles entrarem na empresa. Mesmo mostrando que o celular marcava que faltavam cinco minutos de nada adiantou. Um absurdo! Só para lembrar: a Net é uma das campeãs de reclamações no Procon de Sergipe.

 

Reajuste do transporte alternativo é criticado I

Leitor indignado com reajuste da tarifa do transporte alternativo: “Atualmente viajo com freqüência à cidade de Frei Paulo, em razão da esposa e filhas lá residirem. Na véspera do Natal, pela Copertalse, para fazer o percurso Aju/Frei Paulo (e, no retorno, Frei Paulo/Aju, também), depende a quantia de 4 reais. Para minha surpresa, não pelo reajuste, mas em razão do valor cobrado, ao realizar na última sexta, dia 12, o mesmo percurso, Aju/Frei Paulo, paguei o valor de 7 reais. Isto mesmo, o equivalente a 75% de acréscimo em relação ao desembolso no ano passado. Um tremendo absurdo. Mais ainda levando-se em consideração que a empresa atua na modalidade cooperativa. Logo, salvo engano, os seus custos operacionais são menores, pela isenção ou redução de tributos e obrigações sociais.E, para aumentar a minha revolta, com a Copertalse (ou a quem compete), nesta segunda, 15, ao retornar a Aracaju por uma empresa concorrente, não- cooperativa, desembolsei 6 reais (ainda alto).

 

 

Reajuste do transporte alternativo é criticado II

Continua o leitor: “Desejaria imensamente conhecer quais os critérios adotados e a justificativa para tamanho reajuste da tarifa do transporte rodoviário alternativo em Sergipe. Existe um colegiado (talvez vinculado ao DER) que discute e delibera, no âmbito estadual, o valor das tarifas de transporte rodoviário, similar ao transporte municipal de passageiros em Aracaju, subordinado ao SMTT? No município de Aracaju, inclusive, o conselho compõe-se de representação de usuários. Peço, senhor jornalista, a sua atenção e o seu apoio a esta revolta e indignação divulgando esta mensagem”.

 

Frase do Dia

“Ter idéias fechadas e só aprender com o tempo, a pauladas, é o preço corriqueiro que se paga em toda a parte pela tranqüilidade de não pensar”. Roberto Mangabeira Unger.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários