Puro teatro, nada mais

0

  É impressionante como setores da mídia sergipana, principalmente algumas colunas, aceitam que seus espaços sejam usados pelo chamado blefe político. Servem de isca como num jogo de pôquer para enviar recados aos que tentam a todo custo  reerguer um esquema que deu certo no governo passado até o momento que o comandante maior, o ex-governador João Alves Filho tomou conhecimento da situação e colocou uma pá de cal em tudo que ocorria.

  Mas como em todo jogo de pôquer, existe a carta fora do baralho. É assim como se sente hoje o empresário Edvan Amorim, que não tem mandato, nunca foi candidato, mas operou como nunca no governo passado e agora “conquista” siglas como o PSC, o PR e o PTdoB. Este espaço não vai lembrar da fidelidade partidária, mas que o empresário conquista partidos passando por cima de lideranças que têm votos. Algo inusitado nos dias de hoje, que deixaria boquiabertos Maquiavel e o Sun Tzu. Qual o poder de convencimento que o empresário tem para chegar nas lideranças nacionais e conquistar partidos sem ter votos e mandatos? Um fenômeno que precisa ser estudado pela classe política, não só sergipana, mas brasileira.

  Aliás, no governo passado, sem ter votos, nos primeiros anos da administração João Alves Filho, o empresário emplacou o irmão, hoje deputado federal, Eduardo Amorim, na Secretaria da Saúde e, de quebra, indicou o diretor do Departamento Financeiro da Secretaria de Estado da Educação, durante a gestão de Marcos Prado Dias. Ou seja, por ele passavam 40% da receita do Estado.

  Agora, após não conseguir fazer um acordo direto com o novo governo, o empresário continua jogando. Fortalece a rede de rádio que montou em todo Estado e tenta fortalecer as três legendas. Porém, como alguns deputados e lideranças já perceberam que podem ser usados esperam apenas a decisão do STF para deixar as siglas.

   Se por um lado, o empresário mostra força e convencimento ao conseguir colocar no bolso da manga três siglas partidárias, por outro começa a perceber que de nada adianta ter o PSC, o PR e o PTdoB, se não tem lideranças suficientes para fortalecer eleitoralmente os partidos para as futuras eleições. Tenta a todo custo criar uma terceira opção política, independente de João Alves e de Déda, mas está doido para jogar na cartilha do novo governo, desde que sejam “estabelecidas” algumas “regras”.  Como todo jogador, Amorim sabe que está chegando o momento da última cartada, na tentativa de colocar a carta (ele próprio) de volta ao baralho. O perigo é que os outros jogadores descubram a tempo que é apenas um blefe político, puro teatro, nada mais…

 

Samarone tem garantia da SSP

O acirramento do clima entre os clandestinos que fazem lotação no bairro Santa Maria preocupa algumas autoridades. Na semana passada, durante discussão com os clandestinos, o superintendente da SMTT, Antônio Samarone, recebeu alguns recados diretos com ameaças. Ontem, o secretário da Segurança Pública, Kércio Pinto, deu toda garantia ao superintendente para que possa continuar com o trabalho e tenha tranqüilidade no seu dia-a-dia. Detalhe: entre os clandestinos que fazem lotação no bairro Santa Maria, os próprios lideres do movimento disseram que existem cinco policiais militares.

 

Investimento nos servidores

O deputado Francisco Gualberto, líder do governo na Assembléia Legislativa, usou a tribuna na sessão de ontem (14) para informar que apesar da pendenga financeira pela qual passa o Estado, o atual governo está investindo mais de R$ 76 milhões para adequar a remuneração de servidores e corrigir algumas distorções salariais implantadas no governo passado. Segundo os números apresentados por Gualberto, R$ 8,5 milhões serão investidos na readequação salarial da Polícia Militar, corrigindo o escalonamento de carreira; R$ 16 milhões na devolução do Funaserp somente este ano; outros R$ 10 milhões para atualização do salário mínimo pago no Estado, sem precisar mexer nas gratificações; e R$ 42 milhões para o reajuste concedido pelo atual governo.

 

Sobre a decisão do MP em Monte Alegre

E-mail recebido: “Seria muito bom para os cofres públicos, se o Ministério Público não só em Sergipe, mais no Brasil seguisse o exemplo do promotor de Monte Alegre, Adson Alberto (de parabéns), e sugerisse aos prefeitos que antes das festanças que levam as economias locais, esses prefeitos solucionassem os problemas básicos, como, educação, saúde, moradia e etc. Pois festa só serve para levar o dinheirinho do pobre embora e depois os problemas só aumentam”.

 

Demora nas mudanças na Seed

Um detalhe chama a atenção no episódio da carne estragada entregue por uma terceirizada na Seed. Isso ainda é resquício da demora nas mudanças, ou seja, na troca dos cargos comissionados. Pode ter certeza…

 

Doação da rede de lojas Renner

A rede de lojas Renner doou, nesta segunda-feira, 14, 1.500 peças de roupa para a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides). A doação foi feita pela gerente da filial de Aracaju, Sheyla Rocha, para a primeira dama, Eliane Aquino, e para a secretária de Inclusão Social, Ana Lucia Menezes. A Renner inaugurou sua primeira loja em Sergipe na semana passada. “Quando chegamos com a primeira loja nos estados, fazemos a doação. Espero que possamos colaborar em outros projetos desenvolvidos em Sergipe”, disse Sheyla Rocha. Para a primeira-dama de Sergipe, a iniciativa ressalta a importância de construir parcerias com empresários para formar e consolidar novos projetos. “A nos contempla com a responsabilidade social. Eles estão nos ajudando a transformar uma realidade, a mudar o atual diagnóstico. Queremos que as empresas nos ajudem na construção de um projeto que promova a mudança”, destacou Eliane Aquino. 

 

Servidores municipais terão resíduos do FGTS

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, assinou ontem um termo de cooperação com a Caixa Econômica Federal, que vai possibilitar um atendimento especial aos servidores municipais que têm resíduos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) acima de R$ 500 para serem resgatados. A partir de 21 de maio, quando deve ser concluído o levantamento programado pela Caixa, o servidor poderá consultar o banco para saber se tem dinheiro a receber. As informações podem ser obtidas pelo telefone (79) 3218-7851. Com o objetivo de agilizar o atendimento, a Caixa vai convocar os servidores que, só então, no dia agendado, deverão levar a documentação pedida para que os recursos sejam depositados.

 

Afagos considerados suspeitos

Os meios de comunicação da família do ex-governador João Alves, leia-se rádio e jornal, passaram a divulgar matérias com afagos ao atual prefeito Edvaldo Nogueira. É uma tentativa de mostrar que não estão preocupados com a candidatura à reeleição dele. De outro os seus articulistas – no rádio e no jornal – começam a descobrir “armações” para desestabilizar o governo Edvaldo Nogueira. O leitor terá mais detalhes nos próximos dias…

 

Circular do Sindicato dos Enfermeiros de Sergipe I

A coluna publica nota recebida ontem do Sindicato dos Enfermeiros: “Esclarecendo dúvidas sobre a divulgação de uma publicação de portaria municipal emitida por um Secretário de Saúde neste estado, onde o mesmo estaria “respaldando” a continuidade das atividades dos enfermeiros, ora suspensas por liminar contra parte da Portaria 648/05 do MS. É questionada a legitimidade desta conduta, pois a referida liminar, agravo de instrumento, é de amplitude geral para o PSF e PACS no país, por se tratar de uma ação “erga ominis”(extensiva à categoria), salvo se os municípios possuírem Protocolo de Assistência Aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde local, o que está previsto na Lei 7498/86 em seu art. 11, inciso II alínea c prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde”.

 

Circular do Sindicato dos Enfermeiros de Sergipe II

Continua a nota:Os enfermeiros continuam obrigados a respeitar a liminar suspensiva, sob pena de representação judicial por vários interessados inclusive o Conselho Regional de Medicina.Estamos realizando consulta ao Ministério Público Estadual e COREN sobre a legalidade desta conduta de Portarias expedidas pelos Secretários de Saúde dos Municípios.Lembramos que a nova redação proposta pelo Ministério da Saúde ainda não foi publicada, não estando portanto validada conforme alguns municípios estão divulgando e mesmo na nova redação não há isenção da necessidade de protocolo de atendimento”. Assina a nota a presidente do sindicato, Flávia Brasileiro.

 

Sinpol condena ação de integrantes da ‘Operação Padrão’

E-mail recebido do Sinpol: Após analisar os fatos ocorridos sábado, dia 12, quando policiais civis integrantes do grupo denominado ‘Operação Padrão’, saíram pelas ruas de Aracaju realizando prisões de pessoas que trabalham com o jogo do bicho, e apreendendo máquinas e veículos de bingos, a direção do Sindicato dos Policiais Civis(Sinpol), qualificou o ato como ‘desastroso’.Segundo o presidente do Sinpol, Manoel Nascimento, a ação além de ser planejada e executada sem conhecimento dos representantes oficiais da categoria, utilizou a imagem da sede do sindicato dando conotação da participação da entidade. Ele afirma ainda que o despreparo e a fúria dos envolvidos eram tamanhas, que acabaram batendo de frente com um cabo da Polícia Militar, situação de confronto que não ocorre há anos entre militares e civis. “Eles atiraram no próprio pé. Passaram para a população uma imagem negativa, que somos negligentes e só combatemos a criminalidade quando temos interesse em algo. O que não é verdade”, afirmou o presidente. Outro fato agravante segundo Nascimento, é que todas as formas de mobilização foram definidas e aprovadas na assembléia geral da categoria que aconteceu no dia 26 de abril, no auditório da Acadepol, e delas não constam ações como a do último sábado.

 

Resposta de membro do Movimento Operação Padrão

E-mail recebido de Antonio Moraes, membro do Movimento Operação Padrão: “O presidente do SINPOL, Manoel Nascimento perdeu uma boa oportunidade de ficar calado, quando de sua entrevista ao Jornal da Cidade, de vejamos. No dia 12/05/2007, sábado, por volta das 09 h, iniciou-se a concentração de policiais civis (Escrivães e Agentes de Polícia Judiciária, além de Agentes Auxiliares de Polícia Judiciária, em frente à sede do SINPOL, para dar partida à primeira de várias diligências voluntárias no combate à criminalidade em nosso Estado. Foram cerca de 40 policiais civis que doaram seu dia de folga para uma demonstração concreta de sua disposição para a conquista de uma segurança efetiva e não mera sensação.Todos os policiais civis envolvidos na diligência são integrantes do Movimento Operação Padrão, os quais decidiram, em reuniões internas do movimento pelo início dessas atividades.Foram definidas diversas diligências em repressão a diversas modalidades criminosas. Nesse sábado, foi o jogo do bicho, mas haverá diligências contra a prostituição infantil, casa de prostituição, crimes contra o consumidor e contra o meio ambiente, dentro outros. Nesse sábado, tudo ocorreu dentro dos estritos limites da lei e assim será nas outras oportunidades.Vale a pena esclarecer que para a realização de diligências não se faz necessária prévia autorização superior, visto ser dever do policial civil a repressão ao crime, notadamente quando em seu estado de flagrância. Assim é que as autoridades policiais (Agentes, Agentes Auxiliares, Delegados e Escrivães) têm a obrigação de prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito. É o que reza a parte final do art. 301, do Código de Processo Penal. Nesse diapasão, o policial civil sergipano (Agentes, Agentes Auxiliares, Delegados e Escrivães) deve obrigatoriamente atender a ocorrências passíveis de intervenção policial a todo e qualquer momento, mesmo que esteja de folga, ou seja, fora de seu expediente normal. Essa é a regra, pois caso contrário, o servidor policial civil pode incorrer em transgressão disciplinar, prevista no inciso XV, art. 7º, da Lei estadual nº 4.364, de 23/04/2001.Não é concebível para qualquer cidadão de bem discordar desse trabalho desenvolvido pelos colegas policiais civis da base. É uma demonstração de descompromisso com a causa policial civil que é de todos.Quanto ao incidente com o policial militar, cabe ressalvar que ele é também uma vítima desse degenerado sistema de segurança pública, legado maldito dos governos anteriores, que gerou incorporações irregulares e desvio de finalidade diversas tirando o homem policial do front de batalha contra a criminalidade.Essas diligências virão mostrar que com a valorização e capacitação dos profissionais de segurança pública a sociedade poderá contar com a dedicação exclusiva desses bravos homens e mulheres, os quais não mais se submeteram à humilhação dos famigerados “bicos” para o complemento de suas rendas familiares.Quanto às colocações daquele inerte presidente sindical, estas não merecem qualquer espécie de consideração.

 

 

 

Denúncias contra governadores I

Matéria do Correio Brazilense do último domingo: Por decisão da Justiça, o cenário nos governos estaduais pode ser modificado até o próximo ano. Isso porque os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) devem julgar as denúncias contra pelo menos oito governadores acusados pelo Ministério Público ou por adversários políticos de crimes como compra de votos, abuso de poder político e econômico e uso da máquina administrativa na campanha. Dos oito governadores que terão seu futuro decidido pela Justiça, três são do PSDB, dois são do PMDB, além dos acusados do PT, PDT e PPS, com um governador cada. De acordo como jornal Correio Braziliense, os casos que mais preocupam as cúpulas dos partidos são o de Ivo Cassol (PPS-RO), que será julgado em processo separado pelo mesmo crime eleitoral que provocou a condenação, no TRE de Rondônia, do senador Expedito Junior (PR-RO), que foi cassado, mas recorreu, e o do tucano Cássio Cunha Lima (PB), que foi denunciado pelo MPE porque teria distribuído R$ 4,5 milhões, no início do ano eleitoral por meio de 30 mil cheques emitidos pela Fundação Ação Comunitária (FAC), órgão do governo estadual, e pagos com recursos do Fundo Estadual de Pobreza. Segundo os procuradores, os crimes seriam suficientes para desequilibrar o resultado da eleição. A cúpula tucana não está comentando o assunto, mas a possibilidade de perder governadores deve entrar na pauta da agenda nacional do partido na próxima semana.

 

 

Denúncias contra governadores I

Continua a matéria:Além desses, também esperam decisão da Justiça os governadores Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL), Ottomar Pinto (PSDB-RR), Jackson Lago (PDT-MA), Marcelo Déda (PT-SE), Marcelo Miranda (PMDB-TO) e Luiz Henrique (PMDB-SC). Se todos os governadores acusados tiverem seus mandatos cassados, a Justiça eleitoral ainda terá de decidir, em cada caso, se convocará novas eleições ou se o segundo colocado no pleito poderá assumir. Caso a segunda opção fosse escolhida, o PMDB perderia dois executivos estaduais – um em Santa Catarina e outro no Tocantins -, mas poderia assumir o poder na Paraíba e no Maranhão, caso o governador Jakson Lago, do PDT, seja condenado. Mesmo que os dois governadores peemedebistas sejam condenados, o partido manteria o poder, já que continuaria dirigindo sete Estados. Já o PT corre o risco de perder o governo de Sergipe, mas pode abocanhar o governo de Rondônia, no caso da saída de Ivo Cassol. Mas a dança das cadeiras ainda pode ser maior: além desses pedidos de cassação de diploma, correm, em sigilo, nos TREs processos de impugnação de mandato contra outros governadores.

 

Ronaldo Linhares participa de palestra no ILBJ

O consultor pedagógico do Instituto Luciano Barreto Júnior, Prof. Dr. Ronaldo Nunes Linhares, participa do projeto “Exemplos de Vida”, uma das ações educacionais do instituto. A palestra acontece no dia 15, às 14h, no auditório do ILBJ, situado na av. Barão de Maruim, 442. O ILBJ sistematiza as ações sociais da Celi e possibilitou à construtora se tornar uma referência na promoção social no Nordeste.

 

Frase do Dia

“O que mais preocupa não é nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons.” Martin Luther King. Repetida a pedidos.

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários