Quais formas de analisar ações?

0

Quais formas de analisar ações?

Com taxa de juros em patamares mínimos, o mercado acionário voltou ao centro das atenções como alternativa para os que buscam maximizar seus retornos. Entretanto, muitos investidores se questionam qual método utilizar para operar na Bolsa de Valores. No mercado financeiro predominam duas grandes escolas para análise de ações: a fundamentalista e a técnica (gráfica). A decisão de qual metodologia seguir depende do perfil de cada investidor, mas apesar das discursões entre os estudiosos, é possível combinar ambas ferramentas na tomada de decisão de onde aplicar.

A análise fundamentalista é indicada para aqueles que querem “se tornar sócios” das empresas, estudar o modelo de negócios, gestão e indicadores econômico-financeiros. Esta escola mais tradicional considera fundamentos micro, macroeconômicos e demonstrações financeiras para estimar o valor das corporações.

O princípio básico da análise fundamentalista é tentar determinar o real valor de uma empresa, considerando seu potencial de lucratividade. Para esse arcabouço teórico – que tem como grandes nomes Benjamin Graham e Warren Buffett – se a empresa está sendo negociada na Bolsa com o preço abaixo do seu verdadeiro valor, compra-se o papel pois o preço tenderá ao valor intrínseco. O inverso também se faz presente: caso a ação esteja sobrevalorizada, a tendência é que o preço convirja para baixo.

Afastando-se da escola fundamentalista e tentando captar tendências por meio da visualização gráfica, surge a Análise Técnica, que busca auferir ganhos nas oscilações de preços das ações. Conhecidos como especuladores, estes investidores estudam os movimentos históricos dos preços dos ativos através dos gráficos.

A teoria, encabeçada por Charles Dow e William Peter Hamilton, parte do princípio de que: todos os fatores que alteram o preço de uma ação já estão embutidos nele e, como os movimentos se repetem, é possível prever este valor monetário a partir do estudo histórico do ativo. Para isto, utiliza-se padrões gráficos e indicadores matemáticos para tentar antecipar o comportamento do preço, obtendo um ganho de capital no curto prazo.

Não existe melhor ferramenta, ambas são bastantes úteis. A análise técnica, normalmente, funciona bem no curto e médio prazo, enquanto a fundamentalista é eficaz no longo prazo. É necessário entender qual tipo de investidor você é, para saber qual método usar, ou melhor, se beneficiar das duas formas de investir na Bolsa. 

Comentários