Qual a utilidade do GPS?

0

O GPS era até poucos anos atrás um brinquedinho com utilidade para um nicho minúsculo do mercado. Normalmente era usado por esportistas radicais ou para quem queria seguir uma trilha e não ficar perdido no meio da floresta. Entretanto, do ano passado para cá, temos visto o crescimento do mercado de GPS, inclusive chegando aos celulares. Mais “popular” é impossível.

Mas vamos primeiro explicar o que é um GPS (Global Positioning System). Começando pelo nome, ele é um Sistema de Posicionamento Global, ou seja, ele fornece a localização (coordenadas de latitude e longitude) exata do aparelho. Ele faz isso através de uma rede de satélites e de uma complicada série de cálculos, mas isso não é papo para nossa coluna. Se quiser mais detalhes clique aqui.

Ai vem uma pergunta básica: de que me interessa saber as coordenadas do GPS? Latitude 10º 54″ 15″” Longitude 37º 02″ 40″”… Essas são as coordenadas da nossa cidade. Porém, para que serve isso? Esses dados sozinhos não nos ajudam muito. Entretanto, sobreponha essas mesmas coordenadas com um mapa e aí sim passaremos a ter alguma coisa útil. Não achou como? Várias montadoras de veículos já. Muitos modelos de luxo trazem o que está sendo chamado de Navegador, que é um GPS utilizado com um conjunto de mapas, com o qual é possível ter uma assistência enquanto dirige.

Podemos, por exemplo, digitar um endereço e deixar que a aplicação trace a melhor rota até o destino, baseada na nossa localização atual calculada pelo GPS. Isto permite que possamos nos deslocar em cidades que não conhecemos muito bem. Para cidades que conhecemos também serve. Imagine que queremos evitar determinas ruas que normalmente estão engarrafadas, basta inserir os dados das ruas ou avenidas e o Navegador vai calcular rotas alternativas. Entretanto, se você achou isto tudo muito interessante basta usar uma pouco mais a futurologia para ver o que vem por aí.

Já que temos em intervalos de tempo os dados das coordenadas de um aparelho GPS, é possível calcular a velocidade de deslocamento. Pensando em GPS instalados em carros teríamos a velocidade com o que o carro está se movimentando pela cidade. Onde velocidades altas podem ser interpretadas como fluxo livre e velocidades baixam representariam possíveis engarrafamentos. Veja que o cruzamento desses dados vai dar, em tempo real, informações importantes sobre o transito. Basta mais um pouco de esforço de programação e teremos aplicações nos Navegadores que realmente sejam inteligentes, evitando zonas que o fluxo dos carros seja muito lento. Além disso, podemos ter, levando em conta a velocidade média de uma via, uma previsão do tempo de chegada ao destino.

O único problema disso tudo é que provavelmente quem vai ter controle sobre essa aplicação deve ser o governo. Se hoje eles já quebram o sigilo do seu celular, imagine o quão valioso serão as informações de onde você esteve, ou de quem você chegou perto (sim, isso também vai ser possível). Daqui a pouco vai estar no jornal, quebrado o sigilo bancário, fiscal, telefônico e de GPS de fulano de tal. Exagero? Teoria da conspiração? Hoje sim… Mas, daqui a cinco anos nos falamos novamente.

Até a próxima semana!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais