QUESTÃO DE SEGURANÇA

0

Durante a campanha eleitoral, o então candidato a governador Marcelo Déda (PT) disse que iria tratar da questão da Segurança no dia seguinte que assumisse o Governo. Eleito e ainda na fase de transição, o futuro governador de Sergipe já iniciou contatos para mudar a estrutura do setor no estado. Esteve com o ministro da Justiça, Márcio Tomaz Bastos, em Brasília, para tratar desse assunto. Pediu sugestões para melhorar o sistema e, segundo comentários de fontes policiais, teve um nome para assumir a pasta: Kércio Pinto, ex-superintendente da Polícia Federal em Sergipe, transferido para a mesma função no estado do Amazonas.

Kércio Pinto, por sinal, está vindo a Aracaju nos próximos dias. Deve ter um encontro com Marcelo Déda e é possível que, se for convidado, não aceite. Ele é um dos nomes da Polícia Federal para ser adido do Brasil em Bogotá e o governador eleito do Amazonas também tem interesse nele para a Secretaria da Segurança.

Durante entrevista que concedeu após o resultado da eleição, Marcelo Déda revelou que pretende colocar um técnico no comando da segurança do estado, para despolitizar um setor que tem de afastar o protecionismo a qualquer tipo de liderança política. Seria o raciocínio que polícia não capta votos: prende ladrões e criminosos. A criminalidade experimenta um triste crescimento em todo o país. Já chegou em cidades tranqüilas e as pessoas vivem tensas pela possibilidade de um seqüestro relâmpago, de um assalto nas ruas e de um ataque aos bancos. Os métodos utilizados nas grandes metrópoles são aplicados com mais eficiência em cidades de menor porte, porque a comunidade é sempre surpreendida pela renovação do estilo de ação da bandidagem.

A polícia também. Ela nem sempre está preparada para a evolução de um crime que se organiza em todo o país. 

O objetivo do governador eleito Marcelo Déda não será alcançado de forma imediata. Vai durar alguns meses. Há muitos vícios no sistema de segurança do estado, que foge até ao comando do governante. Há uma cúpula que está próximo à área policial, que muda de cara de acordo com as conveniências políticas. E esse núcleo duro dificilmente larga o comando da Segurança, em razão de suas posições dentro de um sistema que se movimenta como uma espécie de rodízio, mas que não deixa de ter suas influências que predominam tanto no campo político, como dentro da organização policial. É muito difícil, para qualquer governante, dá força a um secretário que não seja da vontade desse pessoal que se odeiam quando estão no comando e se amam quando todos estão por baixo.

Evidente que esse pessoal é eficiente e tem intimidade com o estilo de crime que se comete no estado. Paralelo à eficiência está o vício. E um viciado não tem controle sobre o que tem capacidade para fazer. Caso Déda pretenda realmente modificar a estrutura policial do estado, tem que romper esse grupo dominante com a força de quem derruba um touro com um soco na testa. Daí a necessidade de buscar novos rumos para um setor de importância vital para o êxito de qualquer governo, tal e qual o são a Saúde, Educação e Fazenda. Quem já foi secretário e não teve a aprovação da cúpula, não conseguiu permanecer por muito tempo, em razão do trabalho que se faz nos bastidores, junto às bases, para derrubar quem está em cima. Um simples cruzar de braços, pode colocar em dificuldade qualquer comando. Um gesto desse na segurança será o caos.

Se o futuro governador vai mudar o quadro da segurança, tem que formar uma nova cúpula diretiva, trazer novos elementos e atuar sobre quem jamais deixou os gabinetes da Secretaria e sempre teve voz e pulso junto à base policial. Quem não tiver disposição, coragem e aquilo roxo dificilmente conseguirá cumprir a tarefa de fortalecer um setor que realmente não pode ficar atrelado a nenhum dos partidos políticos e nem ser indicado por lideranças de qualquer porte. Tem que sair, sim, da vontade única do governante e com disposição de enfrentar quem tentar boicotar um novo projeto.  

 

 

CONVERSA

O governador eleito Marcelo Déda (PT) já teve uma conversa com o deputado federal José Carlos Machado (PFL), sobre as emendas do orçamento.

Machado disse que iria convocar a bancada para uma conversa, já na próxima semana, a fim de tratar da questão do orçamento para 2007.

 

PROSSEGUE

Só depois de conversar com a bancada, é que José Carlos Machado verá as condições para um encontro com o governador eleito Marcelo Déda.

Quando tiver definida a posição da bancada, em termos de apresentação de bancadas, é que Marcelo Déda vai falar sobre o que deseja.

 

FONTES

O deputado federal João Fontes (PDT) está no Rio de Janeiro. Já disse que não terá que suas emendas serão colocadas para Aracaju.

Lembrou que não faz política levando em consideração as pessoas, mas os interesses do estado: “colocarei emenda onde o prefeito Edvaldo Nogueira solicitar”.

 

BANESE

Circulou informação sem sentido de que o ex-presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, poderia ser presidente do Banco do Estado de Sergipe (Banese).

Não pode ser verdade. O Banco Central exige que presidente de banco deve ter uma experiência de pelo menos dois anos no setor.

 

HELENO

O deputado federal Heleno Silva (ainda PL) deve ser o presidente regional do Partido da República, um casamento do Prona com o Partido Liberal.

Segundo Heleno Silva, para definir sobre isso precisa que o partido oficialize a fusão e funde comissões provisórias para realização das convenções futuras.

 

POSSE

A posse da nova procuradora-geral da Justiça em Sergipe, Maria Cristina Mendonça, acontecerá no dia 17, por às 17:30 horas.

Cristina foi escolhida pelo governador João Alves Filho, depois de ser votada e integrar a lista tríplice da Procuradoria.

 

FESTA

O governador eleito Marcelo Déda retorna amanhã cedo a Aracaju, depois de três dias em uma das praias da Bahia, para participar no domingo da festa da vitória.

Acontecerá na praia de Atalaia  a partir do meio dia, com a participação de três trios elétricos. Na segunda-feira Déda inicia para valer o processo de transição.

 

ALBANO

O deputado federal eleito Albano Franco (PSDB) fará uma reformulação no partido, para mantê-lo tão forte quanto antes.

Albano disse que vai a busca de novos nomes para ingressar no PSDB e receberá de braços abertos quem pretenda se acomodar no ninho tucano.

 

RELAÇÃO

Albano Franco disse que a relação dele com o governador João Alves Filho (PFL) continua normal: “não houve problemas entre nós durante este pleito”.

Albano pretende seguir o seu partido na Câmara Federal e tomar a posição que for decidida, mas sem fugir do estilo de respeito aos adversários.

 

AGRADECEU

O deputado federal eleito Albano Franco disse que continua grato ao candidato derrotado ao Senado José Eduardo Dutra e ao governador eleito Marcelo Déda.

Lembrou que os dois estiveram com ele antes do pleito, para oferecer-lhe apoio caso decidisse ser candidato ao Senado.

 

MUDANÇAS

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), disse que fará algumas mudanças em suas equipe, mas vai primeiro esperar a definição de Marcelo Déda.

Edvaldo acha que tem muita coisa a fazer a partir de 2007, quando deve anunciar uma série de obras para Aracaju.

 

CENÁRIOS

O economista Nilson Lima (PT), que comanda a equipe na questão do orçamento, disse ontem que o cenário está pronto para discutir com Marcelo Déda.

Esse cenário inclui propostas que podem ou não ser aceitas pelo futuro governador, que deverá ter um novo encontro com o governador João Alves Filho (PFL).   

 

TRABALHO

Na segunda quinzena de Janeiro o governador João Alves Filho vai viajar para a India e Japão, com um objetivo de escreve mais um livro.

Fará um trabalho sobre os dois países e as perspectivas para o Brasil dentro do projeto de desenvolvimento da Índia e Japão. A editora será a Record.

 

 

Notas

 

REMÉDIOS

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) votará projeto de lei do senador Aloízio Mercadante (PT) que estabelece a distribuição gratuita de medicamentos essenciais e de uso continuado a pessoas carentes, definidas como integrantes de família cuja renda mensal per capita não exceda a um quarto do mínimo.

O relator, senador Rodolpho Tourinho (PFL-BA), apresentou substitutivo, com parecer pela rejeição a dois projetos de lei que tramitam em conjunto, porque são menos abrangentes em relação à distribuição de medicamentos.

 

CASA PRÓPRIA

Trabalhadores regidos pela CLT poderão fazer empréstimos consignados em folha para a compra de imóveis, segundo prevê Projeto de Lei do deputado José Divino (sem partido-RJ). Segundo a proposta, os imóveis podem ser novos ou usados e devem estar em situação legal no Sistema Financeiro da Habitação.

José Divino afirma que a aprovação do projeto resultará na diminuição dos encargos financeiros para os mutuários e beneficiará a indústria da construção civil, “geradora de empregos para a mão-de-obra não qualificada”.

 

DETRAN

Projeto de Lei do deputado federal Francisco Garcia (PP-AM), inclui junto ao Contran representantes do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor e dos Procons estaduais. O Contran coordena os órgãos do Sistema Nacional de Trânsito para garantir que suas atividades sejam integradas.

O deputado alega que as empresas fornecedoras dos equipamentos responsáveis por emitir as multas com base em fotos e em sensores estão submetidas ao Código de Defesa do Consumidor, e o destino da multa é o contribuinte.

 

 

É fogo

 

O carro Alfa Romeo, modelo 1996, placa HJF-0034, de Aracaju, ficou em chamas, ontem à tarde, na rua de Itabaiana, próximo à Secretaria da Segurança.

 

O Alfa Romeo era a gás e gasolina e foi totalmente destruído pelo fogo. O seu proprietário, advogado Diógenes Sérgio, tentou apagar com o extintor, mas não conseguiu.

 

O empresário Laércio Oliveira pode deixar o ninho tucano e se aliar ao grupo rebelde que deixou o PSDB.

 

Até o momento ainda não foi definido qual o partido que o grupo do PSDB e que deixou o partido pretende se acomodar.

 

O governador eleito Marcelo Déda (PT) retorna a Sergipe amanhã, depois de alguns dias de descanso em uma praia da Bahia.

 

O economista Nilson Lima pretende concluir o trabalho sobre a questão do orçamento até dia 20 de novembro.

 

O candidato tucano a presidente da República, Geraldo Alckmin, só ganhou em cinco municípios de Sergipe.

 

No primeiro turno, Alckmin foi vitorioso até em Aracaju e perdeu no estado por uma diferença pequena de votos.

 

Deputados de Sergipe que tiveram de retornar de Brasília na sexta-feira passada tiveram que esperar um bom tempo no aeroporto da capital federal.

 

Com o problema nos aeroportos, muita gente que passaria o final de semana prolongado em outros estados preferiram permanecer em Aracaju.

 

brayner@infonet.com.br

Comentários