QUESTÃO DO VICE

0

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) já tratou sobre a indicação do candidato a vice-governador na chapa do ex-prefeito Marcelo Déda (PT). Seu partido tem preferência para compor a chapa majoritária, que também terá o ex-presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT). Valadares, entretanto, abrirá mão de indicar o vice de Déda, caso tenha que ceder para atrair outra legenda, como é o caso do PMDB, que vem sendo conversado. Enquanto as composições não se definem, o deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) fica em stand by: pode disputar a reeleição, mas é o nome que o senador Valadares deseja para vice. Isso, inclusive, já foi motivo de conversa com o ex-governador Albano Franco, para uma composição proporcional com os partidos que apóiam o PT, sem infringir a verticalização, como o PTB, PSB e PL. Cinco municípios que votam em Belivaldo, seriam liberados para candidatos proporcionais do PSDB. Não se sabe como os candidatos aliados do ex-prefeito Marcelo Déda aceitariam essa doação.

Durante a semana passada o PT conversou com o PMDB. No apartamento de Marcelo Déda, o presidente regional do partido, Benedito Figueiredo, teve um dos primeiros contatos em que a questão de uma aliança foi tratada de forma objetiva. O pré-candidato petista ao governo do estado ofereceu a vice ao PMDB para que seja fechada a coligação. Nada foi resolvido até o momento, apesar de Benedito já ter uma posição, mas só vai declará-la depois de conversar com os seus correligionários. Sem perder tempo, através do deputado federal Jorge Araújo, o PMDB também conversa com o governador João Alves Filho (PFL), com quem discute composição política. Não seria elegante dizer que o partido estuda a melhor proposta, mas com certeza deve optar por aquilo que for vantajoso para o partido, como a reeleição do próprio Jorge, dos deputados estaduais e de outros nomes que disputam mandato. E age muito certo. A legenda está com pouco fôlego para chegar ao pleito de outubro. Benedito Figueiredo, por exemplo, já foi vice-governador por duas vezes através de entendimentos políticos em que o nome do PMDB era de fundamental importância. E foi tudo bem, afinal trata-se de um partido que mantém a grife de frente democrática.

A conversa que Plenário publica agora, partiu de um dos setores do bloco de apoio ao prefeito Marcelo Déda, aparentando uma reação ao nome de um vice do PMDB. Pediu a omissão do nome porque considerou incômodo tratar de um assunto que pode tumultuar o processo. A fonte confirmou que o Partido dos Trabalhadores atua para trazer o PMDB, que exige a vice. Acha que as demais legendas do grupo de apoio têm que sentar para ver o que é melhor para o candidato a governador e acrescentou que o deputado federal Jackson Barreto (PTB) também se coloca nessa mesma posição. Lembrou que somar é uma das coisas mais interessantes e perguntou: “quem é que vai atrair eleitores”? E foi puxando nomes: “Benedito? O quê ofereceria? Jorge Alberto vai somar?” E citou municípios que votam no deputado federal: “Laranjeiras, Aquidabã e a ex-prefeita de Canindé do São Francisco Rosa Feitosa, votam no governador João Alves Filho. Não acompanham Jorge como candidato a vice”. Citou também o senador José Almeida Lima e os deputados estaduais Luiz Garibalde e Arnaldo Bispo: “com quem será que eles ficam”? A exposição feita por essa fonte da oposição teve o objetivo de mostrar que o PT tem que trazer para vice um candidato que some e que ajude Marcelo Déda na hora do voto.

PROGRAMA – Plenário abre um parágrafo para falar no programa do PSDB, levado ao ar ontem, em rede nacional de TV. Foi a abertura da campanha televisiva do pré-candidato a presidente Geraldo Alckmin. E na parte local um balanço do governo Albano Franco, com alfinetadas no governador João Alves Filho. Falou em pagamento de dívidas passadas, em um estado em disponibilidade para créditos, a construção do mercado, do aeroporto, de uma parte da orla e até do teatro Tobias Barreto. Discretamente foi um não definitivo a uma composição com o PFL, embora o ex-governador tenha aparecido sem fazer a menor insinuação política. É possível que a partir de agora, tucanos e pefelistas tenham que procurar os seus destinos.

 

 

 

CAFÉ

O ex-governador Albano Franco (PSDB) tomou o café da manhã, domingo, com o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) e trataram de composição.

Segundo uma fonte ligada aos dois, Albano avisou que o seu partido vai sozinho e ele será candidato a deputado federal.

 

SOLUÇÃO

O senador Valadares está em busca de uma solução para que o ex-governador Albano Franco não feche nenhuma coligação com o PFL.

A aliança branca com o PT já está descartada em razão da direção nacional, mas o pessoal de oposição estuda uma forma de composição proporcional.

 

DIFÍCIL

Ontem o ex-governador Albano Franco não utilizou a palavra “descartada”, sobre uma coligação com o PFL, mas disse que está “dificílima”.

Albano pergunta: “o quê é que o PFL está nos dando?” E responde: “quase nada”. O ex-governador diz que nem ele pediu, nem João Alves prometeu vaga no Tribunal de Contas.

 

INDIFERENTE

Aliados do governador João Alves Filho (PFL) admitem que ele cruzará os braços, nas eleições presidenciais, caso não tenha o apoio do PSDB.

Caso não chegue a um entendimento com os tucanos em Sergipe, João Alves não vai trabalhar ao lado de quem se manteve ao lado da oposição.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PMDB) tinha esperança na candidatura do senador Pedro Simon a presidente da República.

Ontem mesmo já foi noticiado de que Simon havia desistido. Para Almeida existem dois PMDBs, um deles governista “que nunca foi do partido”.

 

LADO E OUTRO

O presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, conversou com o ex-prefeito Marcelo Deda (PT) e ouviu dele a reiteração do convite ao partido para integrar a chapa e indicar a vice.
Já o deputado federal Jorge Alberto, também do PMDB, tem mantido boa conversa com o governador João Alves Filho (PFL) para composição política.

CONVERSA

O deputado federal João Fontes (PDT) teve uma conversa demorada com o deputado suplente Ivan Paixão (PPS), sobre sua candidatura a governador do estado.

Paixão o incentivou e disse que João Fontes era uma opção de qualidade, em razão de sua posição no Congresso Nacional.

 

COM JOÃO

Avisou, entretanto, que o seu compromisso é com o governador João Alves Filho (PFL) adiantando que já conversou sobre isso com o presidente nacional do PPS, Roberto Freire.

Lembrou, entretanto, que há conversas em Brasília que PDT e PPS vão se coligar: “dessa forma eu não terei outra opção”.

 

DÚVIDA

O Municipal do PDT em São Cristóvão, vereador Jorge Lisboa, pré-candidato a deputado federal renunciou à 1ª Secretaria na Câmara para ser o líder do prefeito Zezinho da Everest (PTB).
Um leitor pergunta: “será que o vereador vai votar no irmão do prefeito (Wanderlê) e no deputado Jacksom Barreto ou tem um acordo com a aceitação da executiva estadual do PDT”?

VETO

Circulou informação de que o PT e PTB vetam o nome do deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) para vice na chapa de Marcelo Déda (PT)
Um membro do PSDB teria comemorado o fato porque entende que se isso acontecer deixará livre o nome do senador Valadares (PSB) para composições.

 

NEGA

O deputado Belivaldo Chagas negou qualquer reação desse tipo ao seu nome, embora saiba que o vice é uma posição que ainda serve para formação de aliança.

Acrescentou que essa questão vem sendo discutida pelo senador Antônio Carlos Valadares, que trabalha na formação da chapa majoritária.

 

FONTES

O deputado federal João Fontes (PDT) está conversando com lideranças políticas do estado sobre sua possível candidatura a governador do estado.

João Fontes tem recebido incentivos para isso, principalmente de setores mais à esquerda, que se sentiram traídos pelo governo Lula. Na classe média, João é muito bem aceito.

 

FÓRUM

O presidente do Banese, Jair Araújo, participou ontem, em Bebedouro, São Paulo, do Fórum de Desenvolvimento Regional, que tratou do trabalhou de responsabilidade social.

Jair falou das ações do governo de Sergipe nesta área e a forma que o banco atua, através de patrocínio ao esporte e cultura, e, a principal delas, o Banco do Povo.

 

 

Notas

 

UNIVERSIDADE

A Universidade Federal de Sergipe (UFS) poderá abrir quatro campi avançados nos municípios de Estância, Lagarto, Nossa Senhora da Glória e Propriá com o objetivo de oferecer dez novos cursos de nível superior, além de desenvolver pesquisas e promover a extensão universitária. A proposta é do senador Valadares (PLS 79/06).

O projeto prevê funcionamento da instituição nos turnos matutino, vespertino e noturno, visando, “a uma eficiente utilização da infra-estrutura física e à justa oportunidade de viabilizar a matrícula universitária ao cidadão brasileiro”.

 

JUSTIFICATIVA

Segundo justificativa ao projeto, o plano de expansão da UFS prevê a criação de 60 novos cursos entre 2005 e 2008, sendo 35 de graduação, 18 de mestrado e sete de doutorado. Para isso, será necessário ainda o preenchimento das 122 vagas docentes atualmente existentes na instituição e a criação de outras 775 até o final de 2008.

“Considerando que já existe o campus de Itabaiana, resta a expansão para Estância, Lagarto, Glória e Propriá, dando início, definitivamente, à interiorização da universidade, comprovando o compromisso social da UFS” – diz Valadares.

 

CONSELHO

O Conselho Político criado pelo PFL e o PSDB para tentar pôr fim à crise envolvendo os dois partidos se reúne pela primeira vez hoje para traçar os rumos da campanha do tucano Geraldo Alckmin à presidência da República. Existem divergências em vários estados, que podem prejudicar a candidatura de Alckmin.
O deputado
José Carlos Aleluia (PFL-BA) teve uma longa conversa com o senador Tasso Jereissati (CE), presidente do PSDB. Após o encontro, ele avaliou que as diferenças foram superadas. Falta dar força a Alckmin.

 

É fogo

 

O deputado estadual Marcos Franco está propondo aos tucanos uma coligação PMDB-PSDB e mais os partidos nanicos.

 

As festas juninas na Vila do Forró já estão sendo anunciadas e trás atrações nacionais importantes, como Bruno e Marrone.

 

A juíza Madeleine Alves de Souza Gouveia assumiu ontem o cargo de desembargadora. É a 5ª mulher a ocupar uma vaga no Tribunal Pleno sergipano.

 

Unidos no esforço para impedir a reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, PSDB e PFL brigam como gato e rato por causa das eleições nos estados.

 

O duelo para ver quem elege mais governadores, senadores e deputados federais é um dos principais motivos da crise vivida semana passada pelo PSDB e PFL.

 

Em visita a Blumenau (SC), o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin disse que tudo do presidente Lula é propaganda e citou a transposição do rio São Francisco.

 

O pré-candidato Geraldo Alckmin precisa ter cuidado em relação à transposição do rio São Francisco, porque a obra dividiu o Nordeste.

 

Sergipe esteve à frente de todos os movimentos contra a transposição. O melhor para Alckmin é evitar tratar do assinto para os nordestinos.

 

Sob chuva de papel picado e gritos entusiasmados da militância, o PSOL lançou, domingo, em Brasília, a pré-candidatura da senadora Heloísa Helena (AL) à Presidência da República.

 

Empresários de todo o país e representantes de entidades de classe marcaram ida a Brasília, na amanhã, para entregar documento com 1,5 milhão de assinaturas obtidas em seis capitais do país.

 

Os empresários devem pedir transparência tributária aos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais