RECOMPOR A IMAGEM

0

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está na França, onde participa dos festejos da queda da Bastilha. A viagem a Paris tem servido como trégua aos momentos difíceis que enfrenta no Brasil e até como uma espécie elixir para melhorar o astral. No Espaço Brasil o presidente comoveu-se a ponto de encher os olhos de água, quando a cantora Elba Ramalho cantou o refrão de “Sandália de prata”, de Ary Barroso: “Isso aqui ô, ô, é um pouquinho de Brasil, iá, iá. Desse Brasil que canta e é feliz, feliz. É também o dono de uma raça. Que não tem medo de fumaça ai, ai. E não se entrega, não”. Quando estiver retornando ao Brasil, para cair na realidade da tragédia que desabou sobre seu partido e jogou estilhaço sobre o Planalto, tem que repensar em uma forma de retomar o respeito que a liturgia do cargo impõe.

 

É possível que a oposição esteja cumprindo o seu papel de se colocar numa posição dura contra o governo. Mas, além dos danos provocados a um presidente que chegou ao Planalto como o sonho de esperança da maioria dos brasileiros, há uma onda de achincalhamento, humilhações e até preconceitos em relação ao nível do preparo educacional. Lula não teve oportunidade – ou preguiça – de aproveitar a ociosidade dos anos sem mandato para freqüentar uma universidade. Ontem, no Congresso Nacional, o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), chamou Lula de “corrupto e idiota” e acusou o governo de ocultar a verdade: “estamos sendo governados no mínimo por um idiota. Chega dessa história de Lula não saber das coisas. Não sou membro desse governo corrupto. Na melhor das hipóteses ele é um idiota. Na pior das hipóteses ele é corrupto”. È possível que Virgilio tenha se sentido um herói por desqualificar um presidente da República, mas ninguém tem certeza que esse avacalhamento do mais alto comandante do país, seja bom para a democracia.

 

É possível que o presidente Lula, seus auxiliares e a maioria dos aliados estejam abatidos com esse mar de lama que envergonha o país. Mas se tem certeza que um presidente fraco, que não reage à altura e que se deixa abater por fatos que denigrem a imagem do seu governo, dá margem ao impeachment ou a um golpe. Que Deus nos livre…

 

Não se tem idéia do que o presidente Lula vai fazer para mudar esse festival de corrupção que assola o país, porque a cada dia aparecem mais casos e a situação fica muito mais grave e incontrolável. A tentativa de mudar de parceiro, ou acrescentar mais um ao bloco governista, não sinaliza para uma solução. A conquista de apoio pela troca de Ministérios é, de outra forma, a mesma coisa do que denunciou o deputado federal Roberto Jefferson (PTB), porque os partidos não conseguem acompanhar o modelo administrativo – ou até altera-lo – sem que lhes dê alguma coisa em troca. O PMDB, inclusive, que tem um passado de luta contra a ditadura militar, ganhou posições importantes na cúpula administrativa, para que ficasse próximo a Lula. Mas está insatisfeito, tanto que a votação da LDO foi transferida para agosto, porque o PMDB está querendo mais um Ministério para acompanhar o presidente. Isso banalizou o partido e o deixou na vala comum daqueles que tiveram benefícios para votar no que o Executivo mandasse.

 

Aqui em Sergipe o pessoal vinculado ao prefeito Marcelo Déda (PT), que mantém a sua candidatura ao governo do estado, vai fazer uma reunião para levantar o estrago feito pelos escândalos surgidos e tentar recupera-los. A cúpula do bloco oposicionista já constatou que houve um crescimento do governador João Alves Filho, mesmo que ele estivesse viajando neste período em que a lama atingiu ao pescoço. De qualquer forma, um outro partido está chegando para se aliar ao bloco das oposições em Sergipe, o qual será conhecido dentro de mais alguns dias. Alertado de que as siglas estão receosas de se aproximar do PT, um dos futuros membros do novo partido saiu-se com essa: “que nada, basta lavar as cuecas que se dá uma volta por cima”.

 

 

ROUQUIDÃO

O deputado federal João Fontes (PDT) vai levar para a CPI dos Correios uma nota divulgada no site NE-Sergipe, de responsabilidade do deputado Gilmar Carvalho. No dia 21 se junho, o site publica que um deputado sergipano que tem voz rouca recebeu R$ 80 mil de mensalão e estava nervoso com as denuncias a ponto de tomar tranqüilizante.

 

AUTORIZAÇÃO

Ontem, João Fontes ligou para Gilmar Carvalho e pediu autorização para entregar a matéria ao CPMI. Foi autorizado, mas Gilmar disse que não toparia depor, porque não tinha provas. Mesmo assim, o documento vai a CPMI, que deve analisa-lo. Fontes vai sugerir exames nas cordas vocais dos deputados sergipanos, para ver quem é o rouco.

 

SAFADEZA

Falando sobre o deputado federal Jackson Barreto (PTB), João Fontes disse que ele “é muito bom no campo da safadeza”. Acrescentou que Jackson “não tem moral no campo pessoal e muito menos no campo da coisa pública”. Fontes tem certeza que Jackson não se reelegerá por falta de dinheiro.

 

AMOLECADA

Jackson Barreto deu o troco: “João Fontes fez a campanha mais corrupta da coligação em 2002, gastou mais de R$ 1 milhão e não teve votos suficientes. Precisou da minha sobra eleitoral para se eleger”. E continuou: “Apesar de tentar aparecer, a imagem dele na Câmara é amolecada”. “Já tinha problemas sérios de ordem freudiana e agora surgem os de inspiração Bíblica, tal sua semelhança com Caim, o invejoso, que não suportou o sucesso do irmão e o matou”.

 

ENFIM, PAZ!

Os deputados federais Heleno Silva e João Fontes fizeram as pazes ontem. Conversaram e Fontes relata que tem uma relação respeitosa com o parlamentar liberal. João Fontes diz que não retira nada do que disse, “mas vou me restringir apenas ao campo que defendo”.

 

ENCONTRO

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), deve um demorado encontro com o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), em Brasília. Logo depois, os dois tiveram uma reunião com os deputados federais Jackson Barreto (PTB) e Heleno Silva (PL).

 

PANORAMA

Os quatro analisaram o panorama político nacional e estadual, tendo como base o amontoado de escândalos que estão surgindo envolvendo o Partido dos Trabalhadores (PT). O objetivo do encontro foi analisar o impacto que os fatos nacionais podem atingir o bloco oposicionista m Sergipe.

 

ANÁLISE

É possível que na próxima semana os membros da oposição se reúnam em Sergipe para uma análise mais profunda do quadro político. Segundo um dos integrantes do bloco, querem armar estratégia para ver Omo enfrentam o governador João Alves Filho (PFL), que nos últimos dias avançou politicamente.

 

TRABALHO

O prefeito Marcelo Déda não está acuado com os fatos que ocorrem em Brasília. Segundo um dos seus auxiliares, ele mantém o trabalho administrativo, “que é sua prioridade”. Segundo a mesma fonte, o prefeito também não alterou o ritmo dos contatos políticos e vem conversando com os aliados.

 

NILSON

O secretário das Finanças do Município, Nilson Lima (PT), continua trabalhando sua candidatura a deputado federal e visita o interior para contatos. Ontem ele disse que “em época de crise a gente arregaça as mangas e passa a trabalhar muito mais”. É o que está fazendo.

 

DE FORA

O deputado José Carlos Machado (PFL) não interfere na briga que se trava entre João Fontes, Jackson Barreto e Heleno Silva. “É briga de branco e eu fico de fora”, disse Machado, que se encontra em São Paulo tratando de assuntos particulares.

 

DISCUSSÃO

Chega hoje a Aracaju, Joaquim Soriano, membro da Executiva Nacional do PT, para discutir a crise que abala o partido e o Processo de Eleição Direta (PED). Soriano é membro da Democracia Socialista (DS), que tem como candidato a presidente do Diretório Nacional o ex-prefeito de Porto Alegre Raul Pontes.

 

PREFEITO

O nome de um influente prefeito aparece várias vezes nas gravações do inquérito sobre prostituição infantil. Até o momento, entretanto, alguma força suprema do mau impede que esse ilustre prefeito seja indiciado. É bom lembrar que o país começa a vencer as barreiras da impunidade.

 

FRANCISCO

O detento Antônio Francisco se submeteu a uma angioplastia e não conseguiu desobstruir as artérias, pela fragilidade dos músculos. A médica que o operou colocou estenteres, com o objetivo de manter a artéria. Antônio Francisco está na UTI do São Lucas.

 

Notas

 

SÉRGIO

O secretário de Saúde do município de Lagarto, Sérgio Reis, negou ontem que fosse funcionário da Petros e jamais recebeu recursos dessa empresa, especificamente no montante de 28 mil reais. Essa notícia foi vinculada na TV Atalaia e o secretário a viu de forma distorcida para prejudica-lo. Ele faz uma avaliação da informação: “aconteceu exatamente no momento em que tecemos críticas à total inércia do prefeito Marcelo Déda, junto ao Ministério da Educação, para levar um núcleo da UFS para Lagarto”.

 

MANOBRA

O ex-deputado Sérgio Reis está vinculando esse tipo de informação ao fato de ter se desligado do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e vê tudo isso como uma manobra que tem o objetivo definido de desqualificar suas posições. Sérgio diz que esse tipo de notícia não vai tirar suas convicções. Sérgio Reis confirmou que é conselheiro da administração da Fras-le, que se trata de uma empresa privada. O ex-deputado continua vendo muita coincidência entre a notícia implantada e o seu afastamento do PTB.

 

FIRMINO

O ex-vereador Pedro Firmino dirige hoje o Diretório Municipal do PSDC em Aracaju, mas não consegue esconder sua insatisfação. Firmino luta mesmo é para ser presidente regional, com o objetivo de formar uma chapa de candidatos a deputado estadual no próximo ano. Ele seria um dos pretensos candidatos. Firmino garante que a chapa que formará para 2006 não terá deputados ou qualquer outro político que esteja sob a pecha de ladrão, corrupto, esperto, malandro e outra espécie. Será uma chapa de reconhecidos anjos.

 

 

É fogo

 

O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB) está em plena campanha para deputado federal, formando o seu grupo de apoio.

 

Jerônimo não recusa a hipótese de ser candidato a vice-governador, mas só o será se for da vontade de todos os partidos que integram o bloco da oposição.

 

Entretanto, nos bastidores, o comentário é que o ex-prefeito Jerônimo Reis está conversando com segmentos políticos do governo.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) não altera o seu ritmo de trabalho, embora seja candidato a um cargo majoritário nas próximas eleições.

 

O presidente da Câmara Municipal, Zeca da Silva (PSB) não desiste de sua candidatura a deputado estadual.

 

As deputadas Susana Azevedo e Lila Moura aproveitam o recesso para um passeio em Nova Iorque.

 

O ex-senador Francisco Rollemberg também vai retornar às disputas eleitorais e será candidato a mandato proporcional.

 

Mardoqueu Bodano (PL) faz oposição ao governador João Alves Filho, na Assembléia Legislativa, mas tem sido coerente com as suas posições políticas.

 

O secretário André Moura (PFL) diz que vai atuar na Secretaria Metropolitana sem fazer qualquer discriminação em relação à posição política.

 

O antigo povoado Cabeço, de região do município de Brejo Grande, foi o primeiro a desaparecer pela força do mar.

 

Durante este semana, profissionais de variadas áreas concorrem a cargos no varejo pra a nova instalação do grupo Pão de Açúcar, o supermercado Extra.

 

As vendas do comercio varejista brasileiro aumentaram 0,4% em maio ante abril, e 2,67% ante igual período do ano passado, segundo o IBGE.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais