Reforma de rosca

0

Avizinha-se o fim do primeiro semestre e o governo de Sergipe ainda não conseguiu fazer a reforma do secretariado, prometida desde o ano passado. Excetuando-se um ou outro, a maioria dos postos chaves do Executivo é ocupada hoje por interinos que, sem a segurança de continuarem nos cargos, não desenvolvem projetos a longo prazo nem possuem voz ativa para resolver os problemas surgidos no dia a dia. Na esperança de serem contemplados na anunciada mudança do 1º e 2º escalão, alguns aliados fazem uso do fogo amigo para queimar os atuais secretários. Caso a demorada reforma não seja logo desenroscada, os sergipanos terão que se acostumar com o característico cheiro de fim de festa, mesmo faltando mais de um ano e meio para terminar o mandato do governador Marcelo Déda (PT).

Posse

Quase todos os deputados estaduais sergipanos e mais meio mundo de gente seguiram para Recife onde acontece hoje a posse do deputado Venâncio Fonseca (PP) na presidência da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), será representado na solenidade pelo senador sergipano Eduardo Amorim (PSC).

Na Justiça

Um e-mail do governador Marcelo Déda (PT) pode levá-lo às barras da Justiça. O procurador estadual José Paulo Leão Veloso Silva ajuizou ação popular contra o governador Marcelo Déda (PT). É que o petista passou e-mail ao procurador-geral Márcio Leite de Rezende orientando a não recorrer de processo idêntico a outros com decisão favorável do Supremo Tribunal Federal.

Beira do mar

E a Prefeitura de Aracaju insiste com o maluco projeto de aterrar o rio Sergipe, que ainda não virou uma cloaca porque está na beira do mar. Toneladas de pedras e terra só não foram lançadas no leito daquele corpo d’água graças à correta exigência de estudos para comprovar os danos ambientais provocados pelo aterro. Tomara que essa absurda idéia jamais se concretize, pois “na beira do mar todo mundo brinca/ Na beira do mar nego joga bola”.

Pra depois

Os professores da rede estadual decidiram adiar para a semana que vem a decisão de cruzar os braços visando pressionar o governo a pagar o piso salarial da categoria. É que a equipe econômica do governo prometeu receber os líderes dos educadores quarta-feira próxima. Caso a conversa não apresente resultados práticos, os professores entrarão em greve por tempo indeterminado.

Pelo ladrão

A Comissão de Direitos Humanos da OAB/SE ficou surpresa com a superlotação da penitenciária de São Cristóvão. Os advogados constaram que estão recolhidos ali 2.096 detentos, quando a lotação máxima do presídio é de 800 pessoas. Sendo assim, tem preso saindo pelo ladrão.

Na rede

A maioria dos alunos de escolas públicas (62%) tem computador em casa. É o que aponta a pesquisa Tecnologias de Informação e Comunicação 2012. O número é crescente desde 2010, primeiro ano do levantamento, quando o percentual era 54%. Em relação aos professores, a pesquisa mostra que a presença do computador e da internet em casa (96%) está próxima da universalização. Legal!

Grana alta

Sergipe será beneficiado com uma grana alta: US$ 150 milhões. Os recursos fazem parte de Empréstimo para Políticas de Desenvolvimento, um programa do Banco Mundial voltado para a melhoria da qualidade dos serviços públicos. Segundo o secretário estadual do Planejamento, Orçamento e Gestão, Jeferson Passos, o dinheiro será usado na gestão fiscal e inovação; melhoria das políticas públicas de saúde e educação; e inclusão na área rural.

Caiu de quatro

E o nosso Confiança ‘véio’ de guerra caiu de quatro ontem à noite no Ceará. Em jogo válido pela Copa do Brasil, o Fortaleza não teve trabalho para ensacar quatro gols no atabalhoado time sergipano. Aqui pra nós, era bem melhor ter perdido por W.O. do que passar por uma vergonha dessa. Que horror!

Do baú político

Em 1998, pouco mais de três anos após terem se enfrentado na disputa pelo governo de Sergipe, Jackson Barreto e Albano Franco deixaram os sergipanos atordoados ao anunciarem que se aliaram politicamente. Ninguém queria acreditar que Jackson, dono do discurso mais virulento contra a família Franco, iria sair por aí pedindo votos para a reeleição de Albano, e que este apoiaria Barreto na disputa por uma cadeira para o Senado. Costurada caprichosamente pelos irmãos de ambos – Antônio Carlos Franco e Jugurta Barreto – a aliança política objetivava garantir uma campanha barata com a certeza da vitória. Tendo ficado de fora do acordão, João Alves Filho resolveu dificultar as coisas, lançando-se candidato ao governo e colocando a esposa Maria do Carmo para concorrer ao Senado. O que parecia facílimo, ficou complicadíssimo, principalmente para Jackson que perdeu a eleição para Maria, enquanto Albano só venceu João no segundo turno. Dizem que até hoje Barreto se arrepende da aliança que o fez, pela primeira vez, ser derrotado em Aracaju, sem principal reduto eleitoral.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários