Regininha Poltergeist vira vendedora de loja

0

Um cliente despercebido que entra numa loja de eletrodomésticos da Zona Sul no Rio, nem imagina que a vendedora Regina de Oliveira Soares, 38 anos, já pode ter mexido com sua imaginação num passado nem tão distante. Sem maquiagem e de uniforme, realmente fica difícil reconhecer a imagem de Regininha Poltergeist — ex-dançarina do cantor Fausto Fawcett e ex-atriz pornô —, que foi símbolo sexual nos anos 80.

Durante a sessão de fotos para esta matéria, um homem que comprava um ‘home theater’ se surpreendeu ao vê-la posando. “Vai ficar famosa, hein?”, disse. “Vou ficar não. Sou famosa. Não está me reconhecendo?”, questiona Regina, que superou a depressão, tornou-se evangélica, frequentadora da Igreja Bola de Neve da Barra e, há três meses, vende eletrodomésticos.

A nova Regina

“Eu me arrependi muito dos filmes que fiz. Fiquei doente com depressão e prometi a Deus que se me recuperasse me converteria e seria evangelizadora”, conta a ex-Poltergeist. “Não foi fácil conseguir esse emprego. Minha fama não ajudou em nada. Passei por todas as etapas do processo de seleção como qualquer outro funcionário da empresa. Fiz prova, exame médico”, explicou Regina, mãe de Lucas, 4 anos.

Apesar de ter sido protagonista de três filmes pornô da Brasileirinhas e de ter sido capa de várias revistas masculinas, são poucos os clientes que a reconhecem. “Outro dia um cliente perguntou o que eu fazia antes de trabalhar na loja. Disse que era do meio artístico e ele imediatamente perguntou se eu era do circo. Eu pensei bem e disse que muitas vezes fiz papel de palhaça na minha carreira”.

Dos tempos da fama, Regina teve apenas um cliente, o diretor de teatro Gugu Olimecha. “Foi muito estranho. Ele me reconheceu imediatamente, já havia trabalhado com ele numa peça. Ele levou uma geladeira”, conta, torcendo para que a fama do passado a ajude a vender mais.

 

#Notas#

Elas largaram o carnaval

Nomes como Susana Alves, Joana Prado, Monique Evans, Valéria Valença já foram referências no Carnaval no Rio de Janeiro e São Paulo. Hoje elas não querem saber mais desta vida e vivem um novo tempo espiritual em suas vidas.

Valéria Valença

Com 38 anos e mãe de dois filhos, saía todo ano na vinheta da emissora Rede Globo com apenas tinta e purpurina no corpo, mas foi despedida em 2005. A partir disso passou por um momento difícil na vida e caiu em profunda depressão. Buscou auxílio na Igreja Universal do Reino de Deus. “Conhecia Deus superficialmente, porque minha mãe era espírita e meu pai budista, mas depois que eu fui ao encontro de um grupo de funcionários evangélicos da Globo aconteceu o meu encontro com Deus”.Valença relata que não sente saudade do carnaval e que tudo aquilo é uma festa da carne, do mundo e que as pessoas pecam estando no meio.

Joana Prado

A ex-feiticeira prefere nem falar quando o assunto é passado. Joana já participou de carnavais na Bahia em camarotes famosos e parou a avenida pela Salgueiro em 2000. Mas agora, com cinco anos de conversão e sob a graça de Deus na Igreja Bola de Neve, não quer mais relembrar os velhos tempos de dançarina e diz que há muitas outras coisas bonitas para falar. Joana é casada com o lutador de vale-tudo Vítor Belfor, mãe de três filhos e uma autêntica dona de casa e mãe coruja.

Monique Evans

Membro da Igreja Sara Nossa Terra resolveu ficar afastada do carnaval. Mas no ano passado, 2009, a ex-jurada do ‘Programa do Chacrinha’ desfilou na Sapucaí pela escola ‘Acadêmicos do Grande Rio’, 12 anos após o seu último desfile, em 1997. Monique que desfila desde 1985, já desfilou pela Estácio de Sá, Ilha do Governador, São Clemente e Mocidade.

Mônica Paulo

Além de Monique, a “Vovózuda” como é conhecida a ex-modelo Mônica Paulo, por ter sido vovó aos 33 anos, também abandonou as avenidas para freqüentar a Sara Nossa Terra. Segundo a ex-modelo, havia um vazio dentro dela e que foi preenchido por Jesus.

Susana Alves

Dançarina que ganhou fama no papel de “tiazinha”, já passou pela ‘Gaviões da Fiel’, Tradição e outras escolas do grupo de acesso. Atualmente Susana Alves se dedica a vida de atriz e tem um compromisso com a igreja onde freqüenta.

Mega evangelismo de Carnaval da Bola de Neve leva bateria de samba, shows e jovens para a folia

No último sábado (13) foi realizado na praia do Gonzaga, em Santos, a 5º edição do Mega Evangelismo de Carnaval da Igreja Bola de Neve.Por volta das 13h, cerca de 70 ritmistas da Bateria de Samba da Igreja Bola de Neve, juntamente com 2.500 evangelistas, caminharam louvando ao Senhor e levando a boa notícia de salvação, do canal 2 até o canal 6, um trajeto de 7 km de distância. Cerca de 14 mil pessoas foram evangelizadas.No fim da tarde os shows começaram a acontecer na arena Bola de Neve, e também no palco principal. Entre os ministérios de renome, estiveram Heloisa Rosa e Santa Geração. – É maravilhoso participar de um evento como esse. Eu sei que há pessoas que oram pelo fim do carnaval. Eu oro para que o carnaval seja transformado e, que a igreja saia das quatro paredes e ganhe esse evento, pois é de Deus, tudo é de Deus, o mundo é de Deus. Talvez você esteja acostumado com um formato de igreja tradicional, arcaico e engessado , mas isso tudo mudou. A igreja está mudando. Você precisa mudar também. – disse Pr. Cirilo, líder do ministério Santa Geração. Entre os artistas que se juntaram a Bateria para compor a trilha sonora do evento, podemos citar: Christafari, Avion BlackMan, Reobote Zion, Heloisa Rosa, Ministério Santa Geração, Banda Alva, Nengo Vieira e Rodolfo Abrantes.

Jean Moura lança CD evangélico
 
Em Marcos, capítulo 16, versículo 15, o Senhor é enfático ao afirmar que ‘ide por todo o mundo e levai o evangelho a toda criatura’. E é para isso que o evangelista Jean Moura crê que foi resgatado das trevas: para louvar a Deus através da música, e para mostrar, por meio do seu testemunho, o que o Pai é capaz de fazer na vida de alguém. Jean nunca cantou nem tocou nem nunca tinha entrado num estúdio. Sempre trabalhou na área de segurança e de eventos. No entanto, depois de dois anos – tempo em que Deus foi dando-lhes composições e abrindo portas para que ele as gravasse – o evangelista comemora o resultado de seu trabalho. “O CD Minha História mostra o que Deus fez na minha vida. Coisas fantásticas que Ele pode fazer na vida de todos”, revela. Para dar voz às suas composições, Jean Moura ocupou, durante um mês, o Classic Stúdio e o Rhema Records, em São Paulo. O CD Minha História foi pré-produzido por Edu Ferrazi, em Aracaju e concluído na terra da garoa, sob o comando do pastor Eliezer Rodrigues. “Estou muito feliz porque Deus capacita os seus escolhidos”, testemunha.

Jean é marinheiro de primeira viagem na música, mas teve seu CD aprovado musicalmente pela cantora e irmã em Cristo Amorosa, que o ouviu em primeira mão. “Jean pode dar exemplo para muitos jovens que vivem e viveram no meio que ele viveu”, opina a cantora. E é esse o objetivo do evangelista. “Não sou cantor. Me considero uma ferramenta do Senhor. Quero que Ele sempre me use para levar a sua palavra de salvação”, declara Jean. Na verdade, ele já vem fazendo um trabalho evangelístico há alguns anos nos eventos em que trabalha. “Quero que Deus sempre me use para levar a sua palavra. Foi para isso que Ele me deu este ministério”, diz. Jean Moura recebeu do Espírito Santo as 13 canções que compõe o seu disco. Dentre elas a música Pai e Filho: um dueto emocionante de Jean com o seu caçula Richard Moura. Tem ainda o hino ‘Filho não temas’ que encoraja os filhos de Deus a prosseguirem diante das dificuldades diárias e a música Minha História, que conta a trajetória de Jean até o momento do encontro com Jesus. Essa também é a música que dá nome ao CD.

PubliMídia
 
Os mais antenados empresários sergipanos tem adorado a nova estrutura da PubliMídia que oferece em um único lugar diversas opções de mídias alternativas e acessíveis. A empresa oferece diversas oportunidades de espaços de mídia, desde Busdoor (os famosos anúncios nos fundos dos ônibus) até a oportunidade de anúncios nas telonas do cinema.”Nossos espaços costumam ser muito mais acessíveis do que muitos empresários pensam. Ao chegar aqui na empresa alguns deles se surpreendem pois pensavam que gastariam fortunas”, afirma Lúcio Flávio Rocha, diretor da PubliMídia. A empresa trabalha também com publicidade em Placas de Endereçamento (postes com nomes das ruas), publicidade no G. Barbosa e publicidade em caixas de pizza. Apareça por lá

gleicequeiroz@infonet.com.br                        www.twitter.com/GLEICEQUEIROZ

Matéria de Regina >> Fonte: Gospel Mais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários