Respostas da Natureza?

0

Todos nós sabemos que a destruição do meio ambiente pelo homem não traz conseqüências imediatas.

 

Até hoje, quantas florestas foram dizimadas pelo homem para o seu ganho imediato?

 

A melhor forma de prevenir o aquecimento global é a adoção de políticas públicas que consigam diminuir o desmatamento, pois grande parte das emissões de gases de efeito estufa é causada por queimadas, mas os países divergem sobre as medidas que deverão ser tomadas para frear o desflorestamento e a deteriorização do meio ambiente.

 

Em artigo publicado na revista “Science” o cientista mexicano Martin Medina Elizalde, do Programa de Ciências Marítimas e o americano David Lea, do Programa de Ciências Marítimas afirmam que descobriram novos indícios da relação entre o aquecimento global, o aumento dos gases do efeito estufa e os últimos fenômenos metereológicos.

 

Nestes últimos meses, uma série de catástrofes em diversas regiões de nosso planeta parece nos mostrar que a natureza começa responder à irresponsabilidade do homem quanto ao meio ambiente.

 

Na Ásia, o furacão denominado Tsunami, fez com que as águas do mar invadissem a terra,  destruindo tudo o que pela frente encontrassem e dizimando homens, mulheres, crianças, animais e a própria natureza.

 

Ainda na Ásia, a Índia, o Paquistão e o Afeganistão foram vítimas de violento terremoto, que, além de dizimar milhares de vítimas, deixaram também cerca de dois milhões de pessoas desabrigadas, espalhadas em 15 mil povoados, numa área muito maior geograficamente do que as atingidas pelo tsunami e em vez de planícies costeiras estão em regiões montanhosas e em vales.

 

Os furacões Katrina e Rita, deixaram um rastro de morte e destruição nos estados da Lousiana, Mississipi, Alabama, Texas e Flórida, nos Estados Unidos.

 

Tempestades tropicais castigaram uma ampla região da América Central e do México acabando com centena de vidas. Só na Guatemala, as chuvas associadas ao furacão Stan deixaram mais de seiscentos mortos.

 

Seca na Amazônia, deixando milhares de famílias ribeirinhas sem água e comida.

 

Ainda no mês passado, o furacão Wilma, com ventos de até 230 km. e fortes tempestades invadiu Cuba, destruiu o balneário de Cancun e a ilha de Cozumel, no México. Sua passagem pela Flórida, nos Estados Unidos, deixou 3,2 milhões de casa e empresas sem energia elétrica, provocou a morte de pelo menos cinco pessoas e deixou também grandes danos materiais. Wilma é o 21º furacão do ano, oitavo a atingir a Flórida.

 

Segundo o Centro Nacional Oceânico e Atmosférico Americano (Noaa), setembro foi o mês mais quente registrado no planeta, desde 1880, ano em que as temperaturas começaram a ser coletadas cientificamente.

 

Tudo isto que estamos vendo não será uma resposta da natureza?

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários